Posted in:

Alterações Posturais no Pilates para Obesos

Alterações Posturais no Pilates para Obesos
Gostou? Avalie!

O que é a obesidade?

Antes de falar sobre o Pilates para Obesos, precisamos definir o que caracteriza esse grupo de indivíduos.

A obesidade é o acúmulo de gordura no corpo causado por um consumo excessivo de calorias na alimentação. Esse valor é considerado superior ao necessário para o organismo manter a manutenção e realização de atividades do dia a dia.

Basicamente, a obesidade acontece quando a ingestão é maior do que o gasto energético realizado pelo corpo.

Para diagnosticar a obesidade é necessário fazer o Índice de Massa Corporal (IMC) onde divide-se o peso pelo quadrado da altura. Pelo resultado é possível determinar se a pessoa está dentro do peso ideal, abaixo ou acima.

Pela obesidade se caracterizar por uma ingestão maior de energia, seu tratamento consiste em diminuir a quantidade de calorias ingeridas e aumentar as atividades físicas para haver um maior gasto energético.

Assim, o Pilates para obesos é uma ótima alternativa para aqueles que estão tentando melhorar a qualidade de vida.

Por que se preocupar com a obesidade?Pilates-para-Obesos-2

A obesidade tem se tornado alvo de estudos, pois a sua prevalência têm alcançado dados alarmantes mundiais com riscos à saúde. Além de desencadear doenças como dislepidemias, hipertensão, diabetes tipo II, cardiopatias, etc., pode também desenvolver inúmeras disfunções no aparelho locomotor.

O acúmulo de tecido gorduroso, principalmente na região abdominal, acaba interferindo diretamente no alinhamento corporal e predispondo o aparecimento de alterações posturais e sintomas dolorosos nas pessoas obesas.

Uma postura é considerada adequada quando exige a mínima sobrecarga das estruturas ósseas, musculares e articulares, conduzindo à uma máxima eficiência corporal.

No obeso, essa integridade é afetada e com aumento ou diminuição das curvaturas, músculos e articulações respondem a essa modificação, gerando dores, deformidades, incapacidades e cansaço físico.

Gera também uma restrição da função respiratória e aumento do consumo de energia para manutenção da postura em pé (5), além de um equilíbrio menos eficiente do corpo sobre suas bases de apoio.

Dentre as alterações posturais relacionadas à obesidade podem ser destacadas:

Hiperlordose Lombar

O excesso do tecido adiposo na região abdominal pode provocar uma hipotrofia muscular, que associada ao atraso da ativação dos músculos estabilizadores da coluna.

Isso contribui para o aparecimento da instabilidade lombar no indivíduo obeso. A função de compressão sobre a coluna lombar é perdida, de forma que há um aumento da lordose lombar ocasionando sintomas de dor.

Hipercifose Dorsal

Pode aparecer de forma a compensar a hiperlordose lombar, sendo que outros fatores podem também estar relacionados, como o peso das mamas, da gordura do tórax, e anteriorização dos ombros (causado pela gordura periescapular).

Hiperlordose Cervical

É notada em busca de um reposicionamento da cabeça e recuperação do equilíbrio corporal.

Joelho Valgo

O acúmulo de gordura na região das coxas, associado pelo aumento da anteversão pélvica causam a rotação interna dos quadris e uma hiperpressão no compartimento lateral do joelho.

Já é sabido que o Pilates para obesos utiliza o corpo de forma globalmente, preocupando-se em manter as curvaturas fisiológicas em toda sua sessão de aula. A força e a flexibilidade são desenvolvidas de forma harmônica, proporcionando assim um equilíbrio muscular.

O método também envolve contrações dos músculos profundos do abdômen, que comprovadamente tem beneficiado pessoas com dores crônicas lombares, reduzindo dores e melhorando a capacidade funcional.

Sob todos esses aspectos, o Pilates para obesos vem de encontro como uma forma de exercício para beneficiar indivíduos obesos que possuam alterações posturais e dores crônicas lombares.

Algumas dicas de como iniciar a aula de Pilates para Obesos

Conscientização pélvica

Os músculos do assoalho pélvico (MAP) também participam do controle da postura (juntamente com os abdominais e os músculos da parte inferior das costas).

A fraqueza deles pode apresentar dor lombar crônica. Para o Pilates para obesos você deve iniciar a aula com exercícios respiratórios e de conscientização pélvica em posição deitada e com pernas flexionadas.

1-Conscientização-Pélvica-com-respirações-(Pilates-para-obesos)
Foto: Studio de Pilates Adriana Nardi

Alongamento dos flexores do quadril

Para facilitar a posição da pelve neutra e melhorar o encurtamento dos músculos flexores do quadril. Pode ser dado o exercício do single thigh stretch – Na posição em pé, com as mãos apoiadas no foot bar, um dos joelhos sobre a reformer  e o outra perna com o pé no chão.

Empurrar a reformer para trás e sustentar por 3 segundos expirando, voltar e repetir aumentando o tempo de expiração e sustentação da posição.

3-Leg-Pull-Front-Modificado---músculos-estabilizadores-da-coluna-(Pilates-para-obesos)
Foto: Studio de Pilates Adriana Nardi

Músculos estabilizadores da coluna

Os músculos estabilizadores da coluna de maior importância na prevenção da instabilidade do segmento corporal são os multífidos e o transverso do abdomem.

Executar o Leg Pull Front modificado, colocando o apoio de um dos joelhos sobre o MAT.

2-Single-Thigh-Stretch-Alongamento-dos-flexores-do-quadril-(Pilates-para-obesos)
Foto: Studio de Pilates Adriana Nardi

Concluindo…

Fonte: Amelia Blog
Fonte: Amelia Blog

A importância do Pilates para obesos é muito maior do que apenas praticar atividade física para um emagrecimento. A obesidade é um risco muito maior à saúde do indivíduo pois tem uma maior probabilidade de desenvolver doenças.

No Brasil há cerca de 18 milhões de pessoas obesas, um número muito preocupante pois se somado aos indivíduos acima do peso chegam a 70 milhões.

Isso significa quase 10% da população brasileira está com obesidade, e assim, o Pilates para obesos é a alternativa mais indicada para esses indivíduos pois contém exercícios de baixo impacto que no entanto farão uma diferença na musculatura dos alunos.

Para mais informações acesse www.facebook.com/aprumoec/ e tenha conteúdo exclusivo!

Referências bibliográficas:
  • Capodaglio P, Castelnuovo G, Brunani A, Vismara L, Villa V, Capodaglio EM. Functional limitations and occupacional issues in obesity: a review. Int J Occup Saf Ergon. 2010;16(4):507-23.
  • Wearing SC, Henning EM, Byrne NM, Steele JR, Hills AP. Musculoeskeletal disorders associated with obesity: a biomechanical perspective. Obes Rev. 2006;7(3):239-50.
  • Arruda MF. Análise postural computadorizada de alterações musculoesqueléticas decorrentes do sobrepeso em escolares. Motriz. 2009;15(1):143-50.
  • Colné P, Frelut ML, Peres G, Thoumie P. Postural control in obese adolescents assessed by limits of stability and gait initiation. Gait Posture. 2008;28(1): 164-9.
  • FISBERG, Mauro. Atualização em obesidade na infância e adolescência. São Paulo: Atheneu, 2005.
  • BANKOFF, A.D.P; ZAMAI, C.A.; SCHIMDT, A.; CIOL, P.; BARROS, D.D. Estudo das alterações morfológicas do sistema locomotor: Postura corporal X Obesidade. Revista da Educação Física/uem. Maringá. v.14 , n.2 , p.41-48. 2003.
  • Gisela Rocha de Siqueira; Giselia Alves Pontes da Silva. Alterações posturais da coluna e instabilidade lombar no indivíduo obeso: uma revisão de literatura. Fisioter. Mov., Curitiba, v. 24, n. 3, p. 557-566, jul./set. 2011.
  • Hayden JA, van Tulder MW, Tomlinson G (2005) Systematic review: Strategies for using exercise therapy to improve outcomes in chronic low back pain. Ann Intern Med 142: 776–785

Written by Angeles Rayes

Angeles Rayes

Angeles Bonal Rosell Rayes –Aprumo. Licenciada em Educação Física pela UDESC-CEFID, Pós graduada em Atividade Física Adaptada e Saúde - FMU, Instrutora de Pilates com certificação pelo CGPAPilates. Responsável pelo trabalho de Pilates para pessoas acima do peso ou obesas, ministrando aulas e workshops pela Aprumo.
contato@aprumoequilibriocorporal.com.br
www.aprumoequilibriocorporal.com.br

6 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *