Posted in:

Os Benefícios do Baby Pilates para o Bebê

Benefícios-do-Pilates-Baby

Em nosso texto anterior, pudemos entender um pouco dos inúmeros benefícios do Baby Pilates para a mãe, agora vamos descobrir como este método pode beneficiar os bebês.

Mas antes vamos reforçar o assunto com uma pergunta:

Você sabia que em 2014 foi publicado o Summary of international Guidelines for Physical Activity after Pregnancy ?!

Mostrando que as puérperas praticantes de atividade física têm benefícios quanto à melhora do humor e melhora do controle de peso. Houve também menor índice de depressão/ansiedade, e uma melhora da aptidão cardiorrespiratória.

Com base nisso, foi lançado uma Diretriz Internacional do Pós-parto que diz que a puérpera deve fazer caminhadas, exercícios aeróbicos, treinamento da musculatura do assoalho pélvico, e exercícios de fortalecimento e alongamento das cadeias musculares. Desta forma, cabe aos profissionais da saúde estimular e promover esta ação.

Estudos sobre Atividade Física no Pós PartoBenefícios-do-Pilates-Baby-2

Outros órgãos internacionais também estão de acordo, como o American College of Obstetricians and Gynecologists (ACOG), pois os estudos atuais mostram que o retorno à atividade física no pós-parto estão associadas a inúmeras vantagens, além das citadas anteriormente.

Esses estudos também relatam o controle e redução do peso, redução da pressão arterial e dos níveis de insulina, diminuição dos níveis de doenças crônicas, entre outras.

Com base nisso, ainda de forma não consensual, sugere-se que as mulheres retornem ou iniciem uma atividade física moderada  a partir de seis semanas após o parto, mas sempre com autorização médica e com um acompanhamento de um profissional adequado, pois muitas alterações hormonais e adaptações anatômicas estão em processo de involução.

Em 2015, um estudo (Albright et Al, 2014) mostrou que cerca de 70% das mulheres após o parto não realizavam atividades físicas conforme as recomendações das diretrizes ACOG, 2003), e dentre as barreiras estavam falta de informação e incentivo, tempo e ocupação, e a ausência de uma pessoa para ficar com o bebê .

Método Baby PilatesBenefícios-do-Pilates-Baby-3

Diante de toda essa perspectiva abordada acima resolvemos montar o BABY PILATES.

Um método novo, que tem como proposta principal oferecer um exercício especializado para a puérpera, visando não só o tratamento das disfunções, mas também uma forma da promoção de saúde.

Por isso é importante que o profissional que o utiliza, respeite as mudanças fisiológicas deste período.
 Além disto, o principal diferencial deste método é que a mãe possa realizar o Pilates junto com o seu bebê, durante todos os exercícios.

Ademais, você sabia que os bebês também são beneficiados com este método?! Pois é, vamos descobrir agora alguns dos benefícios desta prática para eles.

O Baby Pilates é adaptado para receber crianças de 0 a 18 meses de idade, porém, essa faixa etária abrange uma grande variedade de habilidades motoras que o bebê vai adquirindo.

Ele passa de uma posição horizontal, com movimentos reflexos e totalmente dependente, a um ser mais independente, com movimentos voluntários e coordenados e adquire uma posição vertical, movendo-se contra a gravidade.

Por isso, torna-se fundamental o conhecimento acerca do Desenvolvimento Neuropsicomotor do bebê.

Segundo Diament, o Desenvolvimento motor é o conjunto de características em constante evolução que permite que um bebê que possui atividade motora reflexa ao nascimento, evolua para a motricidade voluntaria e realize movimentos complexos e coordenados.

Sabendo como a criança com desenvolvimento motor típico evolui, o instrutor pode planejar as aulas de Baby Pilates para aquela mãe e seu bebê de acordo com o marco do desenvolvimento em que o bebê se encontra e assim tornar o ambiente adequado e propicio para aquela criança se desenvolver.

Com objetos e exercícios adequados a cada faixa etária do bebê é possível estimular seu desenvolvimento em diversos aspectos como: sensorial, psíquico, motor e emocional.

Aula de Baby Pilates em cada TrimestreBenefícios-do-Pilates-Baby-4

Com isso, vamos ao conhecimento de alguns marcos principais e suas possibilidades de aplicabilidade na aula de Baby Pilates.

Primeiro Trimestre –

Até o 3º mês: é o período em que o padrão flexor da criança vai diminuído e sua musculatura de extensão vai sendo ativada.

Na posição prona, adquire sustentação cervical, com bom apoio dos antebraços e em supino, mantem a cabeça a linhada e leva as mãos à linha média.

Neste trimestre há uma grande simbiose mãe-bebê e o uso de carregadores ergonômicos durante a maior parte as atividades torna-se essencial.

A criança que está no carregador continua em contato com a mãe, sente seu cheiro e sua temperatura, este é o local ideal para ela ficar.

Além disso, dessa forma ela de poder vivenciar todos os movimentos que a mãe está fazendo durante os exercícios, fazendo com que seu sistema vestibular seja bem estimulado.

Segundo Trimestre –

4º ao 6º mês: é o período em que a criança começa a explorar mais o chão e transita entre as posições de prono e supino. É um trimestre em que as reações posturais estão em grande desenvolvimento.

A criança começa a rolar, segura os joelhos, os pés e leva à boca, pivoteia, manuseia objetos… É um momento em que a criança passa a ter mais interesse em explorar o ambiente e as texturas que estão ao seu redor.

Temos que lembrar que tudo para a criança é novidade e que o simples fato de olhar um ambiente novo, olhar a mãe fazendo atividades, observar e sentir o tapetinho em que ele foi colocado já traz grande aprendizado.

Nesta fase então, podem ser exploradas durante as aulas tanto os exercícios com o bebê ainda no carregador ergonômico como também exercícios em que o bebê é colocado no solo durante a execução.

Podem ser trabalhadas as reações de equilíbrio sentado e utilizados movimentos que auxiliem na ativação da musculatura do tronco.

Terceiro Trimestre –

7º ao 9º mês: período de grande exploração em que os decúbitos dorsal e ventral são transitórios e o rolar já possui dissociação de cinturas.

A criança potencializa sua desenvoltura na posição sentada, começa a engatinhar, passa para as posições ajoelhada e semi-ajoelhada, segura-se em móveis e fica de pé. É um trimestre em que a criança ganha uma grande mobilidade e locomoção.

Portanto, para esta fase o ambiente deve ser motivador para a locomoção e exploração da criança. Objetos com diversas texturas e formação excelentes para um trabalho motor mais fino e para estimulação sensorial.

Quarto trimestre –

10º ao 12º mês: neste trimestre a criança está totalmente ativa e já atingiu a postura vertical bípede.

Percorre os moveis com a marcha lateral, próximo ao 12º mês pode estar dando passinhos, porém com a base alargada, ou andando sozinho (em média os bebês andam sozinhos por volta de 1 ano e 3 meses), mas preferem engatinhar, pois conseguem se locomover de forma mais ágil.

Tem uma maior motricidade fina das mãos e o dedo indicador sai em busca dos buraquinhos da tomada!! Por isso, temos que deixar o ambiente o mais seguro possível.

A cognição da criança está mais desenvolvida e podemos incluí-las nos exercícios como forma de brincadeira.

Vale lembrar que o instrutor estará lidando, à princípio, com crianças com desenvolvimento motor típico, cuja forma ideal de aprendizado é um ambiente propicio para que ela seja livre e crie sua brincadeira.

Ou seja, o ambiente do Studio de Pilates adaptado para o Baby Pilates deve despertar na criança interesse e motivação para explorar e se desenvolver.

Concluindo…Benefícios-do-Pilates-Baby-5

Sabendo como se desencadeia o desenvolvimento típico de bebê, além de preparar melhor as aulas, o instrutor também estará mais apto a reconhecer o desenvolvimento atípico do bebê, percebendo alguma alteração nos principais marcos do trimestre em que a criança se encontra.

Com isso ele pode encaminhar a criança para avaliação do pediatra ou fisioterapeuta – que tenha domínio na área – para uma intervenção mais direcionada.

O exercício no período puerperal traz enormes benefícios para mãe, e quando ele pode ser realizado junto com o bebê esses benefícios estendem-se para toda a família.

Quer aprender ainda mais sobre o Baby Pilates? Em breve lançaremos o nosso curso Online! Para ter informações em primeira mão, entre no link e cadastre-se: https://goo.gl/YPJkpn

 

*Texto elaborado pelas Fisioterapeutas Danielle Kühni e Jéssica Brito.

 

Referências Bibliográficas
  • Evenson KR, Mottola MF, Owe KM, Rousham EK, Brown WJ. Summary of international guidelines for physical activity after pregnancy. Obstet Gynecol Surv. 2014 Jul;69(7):407-14.
  • ACOG Committee Opinion. Exercise during pregnancy and the postpartum period. Am Coll Obste Gynecol. 2002; 99:171-3.
  • Artal R, O’Toole M, While S. Guidelines of the ACOG for exercise during pregnancy and the postpartum period. Br J Sports Med. 2003/37?6 -12.
  • Mottola MF. Exercise during the postpartum period: practical applications. Curr Sports Med Res. 2002;1(12):362-8
  • Mottola MF. Exercise prescription for overweight and obese woman: pregnancy and postpartum. Obstet Gynecol Cila North Am. 2009;36(2):301-16
  • Borg-Stein JP, Fogelman DJ, Ackeman KE. Exercise, Sports participation, and musculoskeletall disorders of pregnancy and postpartum. Semin Neurol. 2011;31(4):413-22.
  • Lopes MAB, Zugaib M,. Atividade Física na gravidez e pós-parto. São Paulo, SP: Roca. 2010.
  • ICS 2014 Rio de Janeiro is a Medical, Pharmaceutical, Urology and Education Meeting, organized in Rio de Janeiro, Brazil.
  • Cheryl L. Albright et Al. What barriers thwart postpartum women’s Physical Activity goals during a 12-month intervention? A process evaluation of the Nā Mikimiki Project. Women Health. 2015 Jan; 55(1): 1–21.
  • Castilho-Weinert & Forti-Bellani (Eds.), Fisioterapia em Neuropediatria (2011)
  • Diament, A.J.; Cypel, S. & Reed, U.C., Neurologia Infantil. 5ª edição. São Paulo, SP: Atheneu, 2010.
  • Fleming, I, Atlas do Desenvolvimento Normal e seus Desvios no Lactente: Diagnóstico e Tratamento Precoce do Nascimento até o 18º mês. 1ª edição. São Paulo, SP: Atheneu, 2005.
  • Bly, L. Motor Skills Acquisitions in de First Year: na Illustrated Guide to Normal Development. 1ª edição. San Antonio, USA: Therapy Skill Builders, 1994.

Written by Danielle Kühni

Danielle Kühni

Instrutora de Pilates pelo Pilates Zone – Centro Especializado em Pilates (2013)
Fisioterapeuta graduada pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE); (2015.2)
Pós-graduanda em Fisioterapia Aplicada a Obstetrícia e Uroginecologia pela Faculdade Redentor (Instituto de Desenvolvimento e Ensino - IDE); (2015.2-2017.1)
Especializada no ciclo Gravídico-Puerperal – Preparação para o Parto, Biomecânica para o Parto e Reeducação Perineal no Pós-parto pelo Instituto Bernadete de Gasguet Paris – França; (2015.1)
Formação em como Inserir o Pai no parto e Exercícios no ciclo Gravídico-Puerperal pelo Instituto Bernadete de Gasguet Paris – França;
(2015.1)
Curso de acompanhante para o parto e Formação em Doula – pelo Grupo de Apoio a Maternidade Ativa – GAMA – SP; (2016.2)
Especialista em Pilates para Gestante pelo Voll Pilates – SP (2015.2)
Especialista em Pilates para Gestante Silvia Gomes – SP; (2016.1)
Formada pela Baracho Educação Continuada em Fisioterapia Aplicada a Saúde da Mulher – Uroginecologia e Obstetrícia. (2016.1)
Estágio na Faculdade Boris Dolto – Paris, França; (2012)
Estágio no Hospital de Plaisir –Gringnon, França; (2015.1)

3 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *