Posted in:

A Importância do Pilates para Gestantes Obesas

Gestante-Obesa---capa

Você sabia que a gestação pode ser um fator desencadeante da obesidade ocasionando gestantes obesas?

Cerca de 2/3 das mulheres ganham mais peso que o recomendado.

O que leva a complicações durante a gestação além de contribuir para a retenção de peso pós-parto.

E, assim, para o desenvolvimento da obesidade e suas complicações ao longo da vida.

A obesidade durante a gravidez é um fator de risco para as complicações obstétricas.

Tais como diabetes mellitus gestacional (DMG), hipertensão gestacional, pré-eclâmpsia, necessidade de cesariana, e para gestações tardias (acima de 35 anos).

Complicações da Obesidade na GravidezGestantes-Obesas

A principal causa de morbidade materna entre grávidas obesas são as doenças hipertensivas.

Predominantemente a toxemia gravídica – pré eclampsia e eclampsia (doença caracterizada por pressão arterial elevada e eliminação de proteína pela urina).

Complicações do Feto

Em relação ao feto, as doenças hipertensivas são uma das causas de baixo peso ao nascer, e de mortalidade perinatal.

Outras complicações que têm sua incidência aumentada em obesas grávidas são:

  • hemorragia, principalmente pós-parto;
  • pielonefrites;
  • tromboembolismo e lesões ou infecções de cicatriz cirúrgica.

Ganho de peso durante a gravidez

O ganho de peso ideal na gestação é baseado nas recomendações do Institute of Medicine (IOM-2009) e tem como base o IMC pré-concepcional da paciente (Tabela 1).

Tabela-Gestantes-Obesas

Gestantes com sobrepeso devem ganhar até 0,9 kg no primeiro trimestre e gestantes obesas não necessitam ganhar peso no primeiro trimestre. Já no segundo e terceiro trimestre as gestantes com sobrepeso e obesas devem ganhar até 0,3 kg/semana e 0,2 kg/semana, respectivamente.

Macrossomia Fetal – Peso do Bebê  Gestante-Obesa-2

A macrossomia fetal (peso igual ou superior a 4 kg do nascido) é a complicação mais frequente em filhos de gestantes obesas. Existe uma associação direta entre IMC, risco de macrossomia, e diabetes gestacional.

Além disso, fetos macrossômicos têm mais distocia de ombro (dificuldade da passagem do ombro da criança após a passagem de sua cabeça pela sínfise púbica, podendo ocorrer morte fetal) e predisposição à obesidade na vida adulta.

Por outro lado, um estudo britânico demonstrou que mulheres obesas tiveram quase duas vezes mais chances de ter um bebê com peso abaixo da média (menos do que 2,5 kg ao nascer) comparadas a mulheres com peso padrão.

Dados alarmantes mundiais apontam que 50% da população mundial está acima do peso e que também uma há uma prevalência de sobrepeso e obesidade entre mulheres em idade reprodutiva por isso, são urgentemente necessárias estratégias preventivas e eficazes.

Mudanças no estilo de vida, orientações na dieta e exercícios físicos, podem e devem ser prescritos para gestantes com sobrepeso e obesidade com segurança, levando a resultados maternos e fetais favoráveis.

A indicação do exercício físico de intensidade leve a moderada para gestantes obesas, já é considerada uma prática segura. No entanto, as que apresentam obesidade mórbida, o American College of Obstetricians contra indica. O exercício físico também pode ser grande contribuinte no controle ou da ausência de diabete gestacional, assim como no controle do peso.

Pilates X Gestação

Gestantes-Obesas-3

Sabemos que o Pilates é um tipo de exercício físico que tem sido indicado para gestantes saudáveis desde que respeitando uma intensidade, duração, frequência e particularidades de cada mulher. O Pilates apresenta os seguintes benefícios:

– Melhora a circulação sanguínea da mãe e oxigenação do feto;

– Melhora a respiração;

– Promove condicionamento físico;

– Auxilia no alinhamento da coluna, diminuindo dores e desconfortos nas costas;

– Fortalece e flexibiliza o assoalho pélvico;

– Melhora a qualidade de vida;

– Ajuda no controle do peso.

Pilates X Gestantes Obesas

Gestantes-Obesas-1
Local das fotos: cgpapilates

Muitos exercícios do Pilates ativam grandes grupos musculares, como por exemplo o Footwork na Reformer, e que podem melhorar a funcionalidade da glicose e com isso diminuir a resistência à insulina e melhorar o quadro de diabetes gestacional.

Outra questão importante é que gestantes obesas apresentam maior sobrecarga no seu sistema músculo-esquelético e com alta prevalência de lombalgia durante e até seis meses após a gestação, caracterizando assim mais uma indicação para prática de Pilates.

Seguindo o raciocínio que o Pilates é um exercício de intensidade moderada e que proporciona todos os benefícios citados anteriormente, tudo nos leva a crer que ele também pode ser praticado por gestantes obesas ou com sobrepeso.

Adaptação do Exercício Footwork e Arms na Reformer

Esta adaptação é para evitar a síndrome de hipotensão supina da gravidez, caracterizada pela queda progressiva da pressão arterial, taquicardia, por vezes seguida de bradicardia e sintomas como dispneia, palidez, sudorese, etc. Tem como causa a compressão da veia cava inferior pelo útero grávido.

Com a prancha de salto servindo como encosto reclinado, evita-se, portanto o decúbito dorsal total e diminuição da compressão da veia cava inferior.

Além do que pessoas obesas gestantes ou não, também sentem desconforto em ficar muito tempo na posição dorsal devido à compressão das vias aéreas superiores pela massa adiposa da região superior do tronco.

Esta adaptação também foi utilizada nos voluntários que participaram da minha pesquisa de Pilates para adultos que estavam com sobrepeso ou obesas e que se beneficiaram dela.

Gestantes-Obesas-3

Gestantes-Obesas-5
Arms Local das fotos: cgpapilates
Bibliografia:
  • Exercise Training and Weight Gain in Obese Pregnant Women: A Randomized Controlled Trial (ETIP Trial)
  • Tanaka AC. d’A. [The importance of the association of obesity and pregnancy]. Saúde públ., S. Paulo, 15:291-307, 1981.
  • Ganho de Peso na Gestação Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica – ABESO Dra. Maria Edna de Melo CREMESP 106.455 – Responsável Científica pelo site da ABESO.
  • http://www.abril.com.br/noticias/ciencia-saude/pesquisa-obesas-risco-primeira-gravidez-420586.shtml
  • Nascimento SL, Surita FG, Parpinelli MA, Cecatti JG. [Physical exercise, weight gain, and perinatal outcomes in overweight and obese pregnant women: a systematic review of clinical trials]. Cad Saúde Pública. 2011;27(3):407-16
  • Batista DC, Chiara VL, Gugelmin AS, Martins PD. Atividade física e gestação: saúde da gestante não atleta e crescimento fetal. Revista Brasileira de Saúde Materno Infantil. Recife, v. 3, n. 2, abril/junho,2003.
  • MC Roberts, W.A. – Postural shock in pregnancy. Am. J. Obst.  Gynecol. 62: 627-632, 1951.

Written by Angeles Rayes

Angeles Rayes

Angeles Bonal Rosell Rayes –Aprumo. Licenciada em Educação Física pela UDESC-CEFID, Pós graduada em Atividade Física Adaptada e Saúde - FMU, Instrutora de Pilates com certificação pelo CGPAPilates. Responsável pelo trabalho de Pilates para pessoas acima do peso ou obesas, ministrando aulas e workshops pela Aprumo.
contato@aprumoequilibriocorporal.com.br
www.aprumoequilibriocorporal.com.br

5 posts

2 Comentários

Deixe um Comentário
  1. Sim. E saiu um estudo este ano falando sobre o efeito do pilates em gestantes com sobrepeso e obesas. Publiquei a fonte em minha página.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *