Posted in:

Pilates na prevenção e tratamento da Incontinência urinária em idosos

Como sabemos ao avançar da idade nosso corpo começa a perder várias de suas capacidades de maneira progressiva. O envelhecimento é natural, porém pode se ter uma melhor qualidade de vida levando a um envelhecimento mais saudável.

Dessa forma, o Método Pilates traz benefícios ao público da terceira idade devido ao seu grande poder em melhorar as capacidades funcionais por meio de uma modalidade de exercício físico tão completo como o Pilates.

Trabalhando força, mobilidade articular, postura e equilíbrio, os idosos se beneficiam do Método de maneira global e a resposta em seu bem-estar pessoal é logo percebida. O Pilates pode melhorar de maneira completa o desempenho e vida diária do idoso diminuindo as alterações fisiológicas.

Nesse texto vamos ver como o Pilates pode prevenir e tratar uma dessas alterações no corpo: A incontinência urinária em idosos. Vamos lá?

Sobre a incontinência urinária em idosos  Incontinencia-Urinaria-em-idosos-4

Trabalhar com o público de maneira geral, nos leva a ter que saber lidar com muitas situações no dia-a-dia.

Sendo o público do seu estúdio tão variado quanto o meu, provavelmente você já ouviu falar de muitas doenças e situações diferentes que viraram os motivos pelos quais as pessoas procuraram o Pilates.

As incontinências, (qualquer grau de incapacidade de reter urina, fezes e gases) mas principalmente a incontinência urinária, são motivo muito comuns de queixas em homens e mulheres que chegam aos consultórios. E principalmente quando esse paciente é idoso, por ser uma faixa etária em que é mais comum o aparecimento desses sintomas.

Porém, se não questionados sobre o assunto, tal paciente não apresentará a queixa junto ao seu instrutor de Pilates, muitas vezes por não se sentir à vontade em tocar nesse assunto.

Além de ser um tabu social, as incontinências também são assunto muito negligenciado no cuidado ao corpo.

Seja por constrangimento, seja por falta de atenção, muitos instrutores também não questionam na avaliação inicial se há queixas de perdas de urina, fezes ou gases involuntariamente.

É de bom senso incluir o questionamento, bem como observações sobre os fatores de risco do seu aparecimento (obesidade, idade avançada, menopausa, gestações e partos) na ficha de avaliação do paciente, afim de guiar os objetivos a serem trabalhados com o Pilates.

Quais são as causas da incontinência urinária em idosos?

A incontinência urinária é definida pela Organização Mundial da Saúde como um problema de saúde pública. É uma disfunção definida como qualquer perda involuntária de urina, exceto em crianças menores de 5 anos.

A perda urinária com frequência gera um desconforto do paciente, o que pode levar o mesmo a diminuir suas atividades e se privar com mais constância da vida social.

Segundo Marques (2013), pode ser classificada de duas formas:

  • Incontinência Funcional – É a perda involuntária de urina associada a urgência e esforços.
  • Incontinência Mista – Está relacionada a incapacidade de chegar ao banheiro por limitações físicas.

Pode começar com uma perda pequena de xixi durante algum esforço, porém a tendência é que o fluxo de urina piore com o tempo.

Suas causas estão diretamente ligadas a fatores como peso (obesidade), gravidez, câncer de próstata (em homens) e principalmente a idade.

A incontinência urinária em idosos é muito comum pelo fato do envelhecimento da bexiga. Esse envelhecimento tem efeitos como: o aumento da frequência urinária, diminuição da capacidade elástica da bexiga, aumento do volume residual e diminuição do jato urinário.

Segundo Marques (2013), são diversos fatores que favorecem a incontinência urinária no idoso, entre eles: Atrofia muscular, alterações do tecido conectivo, lesões do nervo pudendo, estiramento ou esforço excessivo, fatores hormonais.

Assim como os mais jovens, a incontinência urinária em idosos pode levar a restrição de atividades físicas, isolamento social, insegurança, depressão dentre outros problemas. Sendo assim vemos um alerta para a necessidade de tratamento dessa disfunção.

Porém há uma forma de tratamento para a incontinência urinária em idosos, assim como manutenção do sistema hormonal e uma boa saúde física e mental. É necessário se exercitar para ter uma boa saúde estrutural da bexiga, também podemos dizer os músculos do assoalho pélvico.

E como dissemos no começo desse texto, o Método Pilates pode ser muito útil nesse quesito. Ele pode ajudar a exercitar os músculos do assoalho pélvico. O que ajuda a prevenir e tratar a incontinência urinária em idosos.

Pilates contra incontinência urinária em idosos

Os exercícios de fortalecimento dos músculos do assoalho pélvico (também chamado períneo, responsável pela boa contenção da urina, entre outras coisas). São amplamente realizados pela fisioterapia na reabilitação desta musculatura. Estes exercícios podem também ser realizados para prevenção de incontinências de forma efetiva.

A maneira correta de contração do períneo deve ser ensinada aos alunos de Pilates, uma vez que o princípio de ativação do centro de força (também chamado Power House) requer contração perineal constante.

Como ensinar a contração do períneo corretamente

Utilizar artigos visuais (ilustrações ou moldes em 3D) para explicar as estruturas ósseas pélvicas. Utilizando a imaginação do paciente de maneira que ele realize a suspensão da REDE.

Esta rede imaginária é formada na verdade pelas estruturas onde se inserem ou se relacionam os músculos do períneo. Como sínfise púbica, ossos ilíaco bilateralmente, tuberosidades isquiáticas bilaterais.

É a rede que será o guia para o ensinamento da contração correta dos músculos do períneo, de maneira que cabe ao instrutor que na ativação do Power House, a rede seja levada para cima, em direção às costelas.

No início pode ser um pouco mais longo o período de adaptação a este comando. Mas torna-se habitual com a prática tanto para o instrutor como para o aluno.

Em pouco tempo, você instrutor receberá novos relatos de bem-estar e desenvolverá um trabalho mais completo ainda junto a seus alunos.

Dicas de exercícios de Pilates para o piriforme

Abaixo listamos 4 exercícios para você começar a passar para seus alunos já! Confira:

Swan

Swan---Incontinência-Urinária

Objetivos: Alongar os músculos da cadeia anterior do tronco, mobilizar a coluna vertebral em extensão e fortalecer os músculos deltoide anterior, tríceps braquial, ancôneo e peitoral maior.

Instruções:

  • Em decúbito ventral, apoie as mãos sobre o MAT paralelamente aos ombros.
  • Estenda os cotovelos e o tronco, mantendo a cabeça alinhada com a coluna.
  • Retorne a posição inicial.

Ponte na bola

Objetivo: Fortalecer os músculos glúteo máximo, isquiotibiais, gastrocnêmio e mobilizar a coluna vertebral. Colocaria aqui ainda, como objetivo, ativação dos músculos glúteo médio, paravertebrais.

Instruções:

  • Em decúbito dorsal, flexione os quadris e joelhos a 90 graus e apoio os calcanhares sobre a bola.
  • Eleve o quadril do MAT.
  • Retorne a posição inicial.

Sit Up no CadillacSit-Up---Incontinência-Urinária

Objetivos: Desenvolver o controle, a força, estabilidade e alinhamento do tronco e do complexo lombo-pélvico dos quadris associada à mobilização dos quadris e coluna. Fortalecer principalmente músculos abdominais. Mobilizar a coluna vertebral, fortalecer transverso abdominal e paravertebrais, trabalhar a coordenação motora e consciência corporal.

Instruções:

  • Em decúbito dorsal, flexione os quadris e joelhos e segure a barra torre.
  • Realize a flexão do tronco e concomitantemente conduza a barra para cima.
  • Retorne à posição inicial.

Tower no Cadillac

Objetivos: Fortalecer os músculos reto abdominal, paravertebrais, glúteo máximo e mobilizar coluna em flexão. Controle do Power House, ativado durante toda a execução do movimento para a manutenção da postura correta e utilização das musculaturas certas no movimento, evitando compensações que possam gerar lesões e desequilíbrios musculares. Coordenação motora e consciência corporal.

Instruções:

  • Em decúbito dorsal com as alças nos pés, joelhos estendidos e quadris a 90 graus.
  • Eleve o tronco, permanecendo apenas as escápulas em contato com o solo.
  • Retorne à posição inicial.

Concluindo…

Espero que esse texto tenha sido útil para você que tinha dúvidas sobre a questão de Incontinência Urinária em idosos.

Agora esteja atento a pacientes que tem tendência a desenvolver e questione durante a avaliação. Pois dessa forma você poderá proporcionar mais qualidade de vida e bem-estar a eles.

Gostou do texto? Tem alguma dica? Deixe aqui nos comentários!

 

Written by Mariana Cavalcanti Correia de Aguiar

Mariana Cavalcanti Correia de Aguiar

Graduada em Fisioterapia pela Universidade Federal de Pernambuco em 2012
Especialista em Saúde da Mulher pelo Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Especialização em Fisioterapia na Saúde da mulher pela Faculdade Pernambucana de Saúde FPS-IMIP
Proprietária do Studio Venite Pilates e Fisioterapia

1 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *