Posted in:

Seis exercícios para tratar a cervicalgia utilizando o Método Pilates

Seis exercícios para tratar a cervicalgia utilizando o Método Pilates
Gostou? Avalie!

A dor na região cervical da coluna, chamada de cervicalgia, atinge cerca de 18% da população geral e pelo menos 30% da população mundial apresentará sintomas no decorrer da vida. No Brasil, a estimativa é que 55% da população um dia irá sentir os sintomas, sendo que destes, 12% das mulheres e 9% dos homens terão cervicalgia crônica.

Segundo um artigo publicado pela Associação Brasileira de Medicina Física e Reabilitação e a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, a cervicalgia é causa comum de dor na população geral com prevalência de 10% a 15%.

E o método Pilates pode ser muito eficaz para o tratamento desses sintomas, nesse texto vamos apresentar dicas de exercícios para você adaptar hoje mesmo com seus alunos. Confira!

Causas e sintomas da cervicalgia

cervicalgia (2)

A cervicalgia costuma ser insidiosa, sem causa aparente. Mas raramente se inicia de maneira súbita, em geral está relacionada com movimentos bruscos do pescoço, longa permanência em posição forçada, esforço ou trauma e até mesmo alterações da ATM (articulação têmporo-mandibular). O paciente com cervicalgia geralmente relata uma melhora quando está em repouso e exacerbação da dor com o movimento.

A fadiga localizada na musculatura que estabiliza a coluna pode ocorrer com a atividade repetitiva ou esforço intenso. Há uma chance maior de lesão nas estruturas de suporte da coluna quando há fadiga dos músculos estabilizadores. Desequilíbrios entre força e flexibilidade e força da musculatura de ombro e pescoço produzem forças assimétricas sobre a coluna e afetam a postura.

A maioria das pessoas que sofre estresse postural na cabeça e no pescoço, sente tensão e fadiga nos músculos extensores cervicais (trapézio superior e eretor cervical da espinha), assim como nos músculos levantadores da escápula (que mantêm a postura das escápulas).

O paciente com dor cervical pode apresentar vários padrões de dor. A dor pode ser somente na face posterior do pescoço, como também pode acometer algum dos lados dos músculos trapézio, supraespinhoso, romboide e escaleno. Ela também pode ser referida na face inferior da mandíbula, dentes e causar cefaleia.

Pilates aplicado a cervicalgia

cervicalgia (1)

Os pacientes portadores de cervicalgia vão procurar o Pilates já na fase subaguda da patologia, onde ele apresenta dor apenas quando uma carga excessiva é colocada sobre os tecidos vulneráveis.

Isso compromete a postura e falta de consciência postural, além da da mobilidade, mau controle neuromuscular dos músculos estabilizadores (diminuição da resistência muscular e da força), descondicionamento geral, instabilidade para realizar algumas AVD’s, dificuldades para realizar AVDI por períodos extensos e mecânica corporal defeituosa.

Nessa fase devemos educar o paciente no autocuidado e em como diminuir os episódios de dor, trabalhar consciência e controle do alinhamento postural, mobilidade articular e muscular fortalecimento muscular para estabilizar e dar resistência à fadiga.

Exercícios de Pilates para cervicalgia

Abaixo vou descrever alguns exercícios que faço com meus alunos com cervicalgia no meu Studio.

1 – Ativação e treinamento dos extensores cervicais baixos e torácico alto.

Paciente em decúbito ventral com testa apoiada no Mat ou pode ser no Cadillac caso o paciente não consiga deitar no chão. Os membros superiores ficam posicionados lateralmente ao tronco.

Solicitar ao paciente durante a expiração, que ele faça a menção do movimento de elevar a testa do Mat, mas sem realizar o movimento, apenas a contração isométrica, e relaxar na inspiração.

Se não houver dor, solicite que ele levante a testa do Mat (na expiração), mantendo o queixo encolhido e os olhos focados no Mat para manter a posição neutra da coluna.

O movimento deve ser pequeno.

2 – Ativação e treinamento dos flexores profundos do pescoço.

Paciente em decúbito dorsal com os joelhos flexionados e os membros superiores apoiados lateralmente ao tronco. Para flexão craniocervical ensine o paciente a realizar movimentos de aceno de cabeça lentos e controlados sobre a coluna cervical alta (movimento do “sim”).

Os movimentos são pequenos e leves evitando compensações.

Instruções:

Na inspiração realizar uma leve extensão de cabeça e na expiração uma leve flexão de cabeça.

3 – Mobilização cervical com auxílio da Overball.

cervicalgia1

Paciente deitado em decúbito dorsal, com os joelhos flexionados e MMSS posicionados lateralmente ao tronco. Colocar uma Overball murcha, mas ainda com ar dentro, na região entre o pescoço e a cabeça (occiptal).

Instruções:

Na expiração solicite ao paciente que realize o movimento de rotação da cabeça para a direita e para esquerda. O movimento deve ser lento e leve.

Pode também solicitar movimentos circulares da cabeça, o movimento deve ser bem pequeno e leve para evitar compressão e compensações. Movimentos circulares horário e anti – horário.

 4 – Organização escapular

cervicalgia2

Paciente deitado no Cadillac com a cabeça embaixo da barra torre. A barra torre deve estar elevada utilizando duas molas uma leve e uma moderada vindas de cima.

O paciente irá segurar na barra com as duas mãos mantendo o alinhamento dos ombros.

Instruções:

O movimento realizado será retração e protração dos ombros. Na expiração solicitar que o paciente realize a retração e na inspiração a protração.

Cuidado para o paciente não realizar elevação de ombros e/ou elevar a cabeça do apoio. Podemos progredir o exercício realizando o movimento da cabeça também, onde utilizaremos apenas uma mola moderada e o paciente irá segurar na barra apenas com uma das mãos.

Inspirar fazendo a rotação da cabeça para o lado oposto do membro superior que está segurando na barra ao mesmo tempo em que realiza a protração do ombro.

5 – Swan na Chair

cervicalgia-3

Objetivos: ativar transverso do abdome para estabilizar a região lombo-pélvica, fortalecer oblíquos e eretores da coluna, glúteo máximo, ísquiotibiais, alongar cadeia anterior.

Instruções:

  • Em decúbito ventral sob a Chair. Mãos no pedal.
  • Na expiração realizar extensão de tronco.
  • Na inspiração retornar à posição inicial.

Para evoluir pode-se manter a extensão de tronco e realizar movimento de flexão e extensão de cotovelos.

Observação: no início das aulas utilize a caixa extensora para apoiar os membros inferiores do aluno, para garantir movimentos sem compensações. Podemos trabalhar também no início das aulas somente a isometria, mantendo a extensão por dez segundos, realizando as respirações.

6 – Chest expansion no Cadillac

cervicalgia-4

Paciente ajoelhado no Cadillac de frente para as alças de mãos. No início utilizo molas leves e depois vou evoluindo. Solicite ao paciente que segure as duas alças de mãos.

Objetivo: fortalecer membros superiores e mobilidade cervical.

Instruções:

Na expiração, mantendo a ação do powerhouse fazer extensão de ombros. Assim que o paciente aprender a realizar a extensão de ombros sem gerar dor e compensações, podemos solicitar o movimento de rotação de cabeça. Faz a extensão dos ombros na expiração, inspirar girando a cabeça para direita, expire retorne ao centro e inpire girando a cabeça para a esquerda. Na expiração retornar a cabeça ao centro e na inspiração volte à posição inicial.

Esses são apenas alguns dos exercícios que realizo com meus pacientes portadores de cervicalgia.

O Pilates trabalha a estabilização e a mobilização da coluna, melhorando a função nervosa e vascular do pescoço. O trabalho postural promove a organização da cabeça e pescoço, melhorando a consciência corporal e diminui o risco de lesões e recidivas. Melhora o ritmo escapulo-umeral corrigindo movimentos compensatórios, diminuindo assim a sobrecarga na região cervical.

A respiração associada à ativação do power house promove o equilíbrio muscular, a fim de restabelecer o alinhamento do corpo como um todo, melhorando a dor cervical.

Concluindo…

cervicalgia (3)

É sempre importante lembrar seus alunos, que existem estudos mostram um efeito positivo da aplicação do método Pilates no tratamento de pacientes portadores de cervicalgia e que é sempre um bom método de tratamento.

Por fim, espero que seja muito útil essa lista de exercícios e você possa contribuir para seu planejamento de aula para um aluno com cervicalgia.

Tem mais alguma dica para acrescentar? Ou alguma dúvida? Conte para gente nos comentários!

3 Comentários

Deixe um Comentário
  1. Gostaria muito de exercícios de Pilates no solo para fortalecimento da coluna !
    Me escrevi nos vídeos mas perdi alguns
    Porque estudo a noite e agora estou precisando dos exercícios para aplicar em dois alunos
    Em que vcs podem me ajuda desde já agradeço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *