Posted in:

Esclerose Múltipla: 5 Exercícios de Pilates para o Tratamento

Esclerose Múltipla: 5 Exercícios de Pilates para o Tratamento
Gostou? Avalie!

A esclerose múltipla (EM) é uma doença neurológica autoimune e progressiva que envolve a desmielinização do sistema nervoso central (SNC), principalmente da substância branca.

Ela é considerada a doença neurológica que mais acomete adultos jovens entre 20 e 40 anos, atingindo mais as mulheres na proporção de 2:1.Esclerose-Múltipla-1

A mielina é um complexo de lipoproteínas formado no início do desenvolvimento pela oligodendróglia no Sistema Nervoso Central, a qual envolve os axônios. Ela tem como função acelerar a velocidade de condução do impulso nervoso.

Esclerose MúltiplaEsclerose-Múltipla-2

A causa da Esclerose Múltipla ainda não foi definida, mas a influência genética apresenta suscetibilidade para a doença, que provavelmente é desencadeada por fatores ambientais.

O prognóstico é variável e o curso da doença é imprevisível, com o diagnóstico geralmente clínico.

Na ressonância magnética do crânio se evidencia as lesões no SNC e o exame de potencial evocado mensuram a velocidade da condução nervosa, que na Esclerose Múltipla está diminuída.

Mesmo assim, ainda não existem marcadores biológicos específicos para a EM.

No decorrer da doença, ocorrem os surtos, episódios de novos sintomas neurológicos focais ou agravamento de déficits anteriores.

Os surtos são sugestivos de um evento inflamatório desmielinizante agudo do SNC.

Eles podem ser leves ou graves, neste último apresentam alteração neurológica importante com comprometimento funcional, e devem ser tratados com altas doses de corticoides para reduzir o processo inflamatório.

Embora nenhum exercício físico seja capaz de atenuar o dano cerebral, a estrutura de exercícios do método Pilates compostos por treino de equilíbrio, fortalecimento, e alongamento muscular proporciona e promove a funcionalidade prevenindo a incapacidade física do paciente com Esclerose Múltipla.

Manifestações em Pacientes com Esclerose MúltiplaEsclerose-Múltipla-3

As manifestações mais comuns e, as condutas que o profissional da saúde deve se ater ao tratar os pacientes com Esclerose Múltipla são:

Fadiga 

Acomete entre 75% a 95% dos pacientes e tende a piorar com o sedentarismo.

Os cuidados que o professor de Pilates deve ter é de evitar aumento de temperatura, por isso o estúdio de Pilates deve ser bem refrigerado e aumentar o tempo de intervalo entre os exercícios.

Se o aluno for iniciante, começar com exercícios isométricos e orientação para incorporar medidas de economia de energia no dia a dia.

Fraqueza Muscular e Espasticidade

Devem ser incorporados exercícios de fortalecimento e alongamento.

Frankel D no livro de Reabilitação Neurológica, sugere iniciar as sessões com alongamentos para diminuir a espasticidade.

No fortalecimento muscular, a ênfase deve ser dada aos músculos adutores, lombares e nos membros inferiores.

Incontinência Urinária

50 a 90 % dos pacientes acometidos com a Esclerose Múltipla cursam com incontinência urinária, por isso é imprescindível que o professor de Pilates ensine a ativação do assoalho pélvico corretamente.

Dependendo da profissão do aluno, evite usar termos muito técnicos e faça analogias para que seu paciente compreenda como contrair o assoalho pélvico.

Uma analogia que uso com frequencia é “imaginar um guarda chuva de ponta cabeça” de músculos que vão desde a sínfise púbica (mostro a localização em mim) até o cóccix e, quando estes músculos se contraem, ocorre o fechamento do guarda chuva.

Cabe ressaltar que o aluno não precisa realizar a resistência máxima (RM), pois estudos mostram que aproximadamente 30% de contração já são suficientes para o retreinamento destes músculos.

Déficit de EquilíbrioEsclerose-Múltipla---Equilibrio

Presente em aproximadamente 85% dos pacientes, os exercícios do Pilates melhoram o equilíbrio e previnem quedas.

Isso porque a estabilidade de tronco proporcionada pelo método é excelente na melhora do equilíbrio do paciente com Esclerose Múltipla.

O professor de Pilates deve iniciar com exercícios de base alargada para estreita, de estáticos para dinâmicos e com centro de gravidade baixo para alto, como por exemplo: realizar o exercício ajoelhado e progredir para em pé/ortostatismo.

Avaliação de Equilíbrio

Na avaliação do equilíbrio podem ser realizados os teste como Timed up and GO (TUG) e Teste do Alcance Funcional (TAF).

No teste de Timed up and go test o paciente é cronometrado desde o levantar de uma cadeira, caminhar em uma linha reta de 3 metros de distância (delimitado por cone), caminhar de volta e sentar-se sobre a cadeira.

É aconselhado que o paciente realize o percurso para se familiarizar com o teste antes de iniciá-lo. Quanto maior o tempo de realização, maior o risco de quedas. O score é determinado:

Até 10”: Desempenho normal para adultos saudáveis e baixo risco de quedas.

Entre 10,01’’ a 20’’: Normal para idosos frágeis ou com deficiência. Baixo risco de quedas.

Entre 21’’ a 29’’: Risco de queda moderado

30’’: Alto risco de queda.

Disfunção CognitivaEsclerose-Multipla---Disfunção

No teste de Alcance Funcional o paciente fica em pé com o tronco ereto ao lado da parede, e com os ombros a 90 graus.

O professor mede (com a fita métrica afixada na parede na altura dos ombros) desde a ponta do terceiro dedo e solicita que aluno flexione o tronco a maior distância e mede a diferença.

Quanto maior o equilíbrio, mais o paciente consegue flexionar o tronco à frente.

Ocorre em até 65% dos pacientes, principalmente na memória recente e na velocidade de processamento de informação.

O professor de Pilates deve falar pausadamente e pode solicitar por exemplo, que o aluno realize uma sequencia de exercícios unilaterais e os relembre no lado oposto, além de fazer perguntas como: quantas repetições pedi para você realizar?

Exercícios para Portadores de Esclerose MúltiplaEsclerose-Múltipla---Exercícios

Os alunos com esclerose múltipla têm tendência à depressão e ansiedade, por isso o ambiente no estúdio deve ser agradável (com cor, decoração, música e cheiro harmônicos).

A concentração do aluno nas partes do corpo que estão trabalhando, através da conexão mente-corpo proporcionam bem estar e alívio do estresse.

Os professores devem demonstrar como movimento que deve ser realizado enfatizando o tempo e a amplitude, evitando movimentos rápidos e sem fluidez.

Abaixo listamos cinco exercícios que podem ser realizados pelos pacientes portadores de esclerose EM, estes têm com o objetivo de melhorar o equilíbrio e prevenir a incontinência urinária, no entanto, cabe ao profissional da saúde avaliar e prescrever os exercícios conforme a necessidade do seu paciente.

1) Equilíbrio na Fitball

Em sedestação sobre a fitball, realizar a flexão de quadril retirando um pé do apoio, para a progressão pode estender o joelho e até mesmo retirar o membro superior oposto. Realizar bilateralmente.

Esclerose-Múltipla-4

 

2) Prancha Ajoelhado

Em coluna neutra, com os pés em dorsiflexão apoiados nas ombreiras e mãos na barra. Realizar a flexão de ombros empurrando o carrinho do reformer. Atente para a possível flexão de quadril para compensar o movimento.

Esclerose-Múltipla-5

 

3) Extensão em Quatro Apoios

Em quatro apoios, mantendo ombros, cotovelos e ombros alinhados, joelhos abaixo dos quadris, segurando a alça de mão unilateral.

Realizar a extensão de ombro, mantendo a coluna neutra e ativando os oblíquos do lado da alça.

Variações: deixar o cotovelo flexionado ao lado do tronco e realizar a extensão de cotovelo para fortalecer tríceps.

Progressão: elevar membro inferior contralateral.Esclerose-Multipla-6

 

4) Abdução de Quadril no Barrel

Em decúbito lateral com o cotovelo sobre o barrel e mão oposta na nuca, realizar a abdução de quadril para a ativação dos glúteos médio e mínimo. Cuidado para aluno não desabar o tronco e perder a pelve neutra.Esclerose-Multipla-7

5) Equilíbrio no Cadillac

Em sedestação sobre a fitball em cima do Cadillac (para alunos iniciantes, o mesmo exercício pode ser feito do lado externo do cadillac, sobre o solo), alças de membros superiores uma vindo de cima, outra debaixo, realizar a extensão de ombro associada com a flexão de cotovelos. Trocar as alças para realizar biliateralmente.

Esclerose-Múltipla-8

 

Referências Bibliográficas

Written by Érika Batista

Érika Batista

Érika Barroso Batista é Mestre em Ciências da Reabilitação e especialista em Fisioterapia traumato-ortopédica
Professora dos cursos do VOLL Pilates e proprietária do FisioStudio Pilates & Treinamento Funcional.

13 posts

2 Comentários

Deixe um Comentário
  1. Tenho EM.Faço pilates. Fui na hidroterapia ,na musculação mas nenhum desses gostei. No pilates ja a aula experimental adorei.Faço 2vzs por semana adoro.Pilates é tudo de bom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *