Posted in:

Por que praticar Pilates na Gestação?

Por que praticar Pilates na Gestação?
Gostou? Avalie!

Pilates é um conjunto de exercícios que leva em consideração a qualidade e não a quantidade dos movimentos e respeita a particularidade de cada aluno. Foi criado por Joseph Pilates, e uma das indicações de se trabalhar com Pilates é na Gestação.

Durante a gestação acontece um período de intensas mudanças na vida da mulher, sendo elas, fisiológicas, familiares e psicológicas.

A prática do método Pilates durante a gestação vem com intuito de amenizar essas mudanças e passar informações necessárias para um parto bem sucedido, promovendo bem estar físico e qualidade de vida para a gestante.

Durante a gestação, o assoalho pélvico auxilia na sustentação do útero gravídico, e é comum a partir do segundo ou terceiro trimestre de gestação ele dar indícios de que está fraco.

Um dos sinais que podem aparecer é a incontinência urinaria, sendo por urgência, que é a perda involuntária de urina acompanhada de urgência, ou incontinência urinaria por esforço, que é a perda passiva de urina devido a um aumento da pressão abdominal, como tossir, respirar ou rir.

Além disso, podem relatar desconforto na região lombar ou mesmo dor em sínfise púbica. Portanto todas as mulheres precisam e devem fortalecer assoalho pélvico e se tratando de período gestacional, mais ainda.

Quanto mais a barriga cresce mais desorganizado fica o centro (estruturas em geral).

Outro item importante que acaba acontecendo muitas vezes é a diástase ocorre em cerca de 66% das gestantes, que é o afastamento dos feixes do reto abdominal e da linha alba.

Se não ocorrer durante a gestação, ela tende a se desenvolver durante o segundo estágio do trabalho de parto. Se a mãe prender demais a respiração ao fazer força para empurrar o bebê que acaba sendo direcionado em direção a parede abdominal.

Benefícios do Pilates na Gestação

1) Trabalho da Respiração: durante a gestação a frequência respiratória aumenta e o volume residual diminui, e a respiração fica mais profunda. O trabalho da respiração auxilia na otimização dos padrões respiratórios, melhorando assim, a sensação de cansaço, ativação de músculos do tronco e abdômen que trabalham quando respiramos profundamente, melhora da consciência corporal que além de corrigir a postura, ajuda a acalmar.

2) Fortalecimento da Musculatura do Abdômen: o Pilates além de trabalhar os músculos abdominais superficiais, também ativa um músculo mais profundo chamado de transverso do abdômen. A ativação de todos esses músculos é importante durante a gravidez, pois normalmente eles se distendem trazendo desequilíbrios posturais.

3) Fortalecimento de Assoalho Pélvico: assoalho pélvico fortalecido melhora a capacidade de estirar e relaxar mais facilmente durante o parto, melhorando a circulação na região pélvica, previne incontinência urinaria, apoia os órgãos da pelve e previne o mau alinhamento das articulações do quadril e sacrilíacas.

4) Otimização da Postura: o crescimento do útero gera um deslocamento do centro de gravidade podendo levar a alterações posturais, o Pilates vem pra auxiliar e reeducar os movimentos, ajudando a amenizar desconfortos e quadros de dor.

5) Melhora da Circulação: os exercícios de Pilates por serem dinâmicos promovem uma melhora da circulação sanguínea em todo o corpo, prevenindo cãibras e inchaços nas extremidades.

6) Preparo Para o Parto: os exercícios promovem uma interação entre corpo e a mente, conscientizando a gestante sobre as modificações que irá acontecer no decorrer da gestação, dando um maior suporte para o parto.

7) Fortalecimento de Membros Superiores e Inferiores: durante os exercícios trabalha-se com o corpo como um todo, ajudando assim, a fortalecer membros superiores e inferiores para ajudar a futura mamãe a ter uma melhor qualidade de vida.

8) Atividade de Baixo Impacto: exercícios de baixo impacto articular, o que não provoca sobrecarga nas articulações da gestante.

9) Bem estar Físico e Mental: os exercícios associados com a respiração promove relaxamento e bem estar físico em geral.

10) Qualidade de Vida: como qualquer outra atividade física juntamente com seus benefícios possibilita uma melhora na qualidade de vida.

Prescrição de Exercícios

Exercícios de flexibilidade que trabalhem o equilíbrio entre a musculatura dorsolombar, abdominal e de assoalho pélvico. Exercícios respiratórios, são importantes para favorecerem a conscientização corporal e incrementarem as trocas gasosas.

Ao prescrever exercícios preferir os de menor impacto devido às alterações articulares próprias desta fase.

A atividade física na gestação é recomendada na total ausência de qualquer anormalidade, mediante avaliação médica especializada.

As contra-indicações absolutas:

  • Sangramento Uterino de Qualquer Causa
  • Placentação Baixa
  • Risco de Parto Prematuro
  • Pré-Eclâmpsia
  • Insuficiência Cardíaca
  • Doença Infecciosa

Entre outras, mediante a essas contra-indicações absolutas, geralmente a gestante precisará permanecer em repouso.

Diferenças entre Parto Humanizado e Parto Normal

Durante o pré natal no parto humanizado será avaliado a saúde da gestante dando a ela um suporte emocional, já no parto normal, fala-se pouco sobre o parto.

Início de trabalho de parto: no parto humanizado, geralmente ultrapassa as 40 semanas e costuma ser espontâneo, no parto normal, não permite que ultrapasse 40 semanas.

Ruptura da bolsa: no parto humanizado, costuma acontecer naturalmente e no parto normal, geralmente é provocado pelo médico.

Duração do trabalho de parto: no parto humanizado, o ritmo natural do bebê é respeitado, já no parto normal, é acelerada com ocitocina que acelera as contrações.

Episotomia: no parto humanizado, é realizada raramente, já no parto normal é um procedimento de rotina, praticamente realizado em todos os partos.

Posição durante o parto: no parto humanizado a mulher tem total liberdade de escolher a posição mais confortável, já no parto normal, geralmente é deitada, presa a uma cinta, ao lado aparelhos que controlam as contrações e batimentos do bebê.

Anestesia: no parto humanizado dificilmente ocorre, optam-se por massagens, banhos mornos, já no parto normal, é um procedimento das muitas vezes de rotina.

Contato com o bebê: no parto humanizado, o cordão umbilical só é cortado após parar de pulsar, preferem o contato entre mãe e o bebê, já no parto normal, o cordão umbilical é cortado imediatamente e após o bebê é levado para mãe.

Concluindo…

No ultimo mês de gestação é importante trabalhar com respiração profunda, relaxamento de abdômen e pelve.

Oferecer a gestante apoios como rolos, toalhas enroladas para proporcionar uma percepção do espaço, vivenciar posturas que promovam a abertura de pelve para o encaixe do bebê.

Nossa principal preocupação deve ser sempre a segurança do bebê e da gestante e o bem estar físico e mental proporcionando uma melhor qualidade de vida.

Written by Thais Pereira

Thais Pereira

- Fisioterapeuta formada desde 2008
- Instrutora de Pilates há 10 anos
- Formação em Pilates, ISP
- Formação em NeoPilates
- Formação em Cross Pilates
- Curso de Pilates Suspenso
- Curso de Pilates na Gestação e Preparação para o parto.
- Workshops em Pilates
- Ministrante de Curso em Formação em Pilates na Clinica São Camilo
- Fisiologista do Exercício

1 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *