Posted in:

Tudo sobre Tratamento de Patologias Cardíacas a partir do Pilates

Tudo sobre Tratamento de Patologias Cardíacas a partir do Pilates
Gostou? Avalie!

O Pilates é uma atividade completa a qual consegue atuar em todos os sistemas do corpo humano, auxiliando nas patologias cardíacas!

Hoje vamos falar sobre o coração, o órgão mais poderoso que nos temos!

VOCÊ SABIA: Tumores no coração são muito raros! Após morte cerebral ele consegue ficar ligado às máquinas por mais 7 dias, sendo o último órgão a parar!

Ele é maravilho e precisa de cuidados, pois é muito comum ter alunos que possuem alguma doença coronária.

E não é um problema que afeta apenas idosos… Qualquer um de nós pode apresentar problemas circulatórios ou cardíacos a qualquer momento de nossas vidas, portanto é muito importante aprender um pouco mais sobre essa parte humana indispensável para nossa vida.

Sendo assim o Método Pilates é perfeito para qualquer uma das patologias cardíacas, porém vamos descobrir agora como usar essa atividade de forma segura, pois há riscos os quais nós profissionais devemos ter muito cuidado e atenção!

Coração Humano

Órgão essencial para o corpo humano, o coração tem como função bombear o sangue, que carrega oxigênio e nutrientes, por todo o organismo.

Bate cerca de 109.440 a 110.880 vezes por dia, bombeando aproximadamente 5 litros de sangue.

Localizado no interior da cavidade torácica, é o centro do sistema circulatório e sempre requer atenção quanto à sua saúde: de acordo com o Ministério da Saúde, quase 30% das mortes no país são causadas por doenças cardiovasculares.

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), as doenças cardiovasculares são as principais causas mundiais de morte. No Brasil, 300 mil pessoas morrem anualmente, ou seja, um óbito a cada dois minutos é causado por esse tipo de enfermidade.

No Brasil, as doenças do aparelho circulatório ocupam a liderança das causas de óbito e internação. A última pesquisa feita pelo ministério da saúde em 2009, mostraram que as doenças responderam por 72,4% do total de óbitos.

A maior causa de internações hospitalares no Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o Brasil, entre homens e mulheres com 60 anos ou mais, é a insuficiência cardíaca (IC) seguida de doenças do aparelho respiratório e outras doenças cardiovasculares (DCVs).

Em nosso pais o infarto do miocárdio está em segundo lugar das patologias que mais matam, perdendo para as doenças cerebrovasculares, como por exemplo o derrame, a qual está ligada a uma má circulação. Sendo assim cuidando do coração podemos melhorar esse quadro.

Principais Patologias Cardíacas

  • Ataque Cardíaco
  • Angina
  • Aneurisma da Aorta
  • Arritmia
  • Doença Cardíaca Congênita
  • Endocardite
  • Insuficiência Cardíaca
  • Infarto Agudo do Miocárdio
  • Miocardite
  • Doença Vascular Periférica
  • Morte Súbita

Causas das Doenças Cardiovasculares

  • Níveis de Colesterol “ruim” no Sangue
  • Diabetes
  • Consumo Excessivo de Álcool
  • Obesidade
  • Tabagismo
  • Pressão Alta
  • Sedentarismo
  • Estresse

Doenças Cardiovasculares mais Perigosas

Entre todas essas doenças acima citadas, vamos de forma resumida relembrar as que mais levam o quadro de óbito.

1) Infarto Agudo do Miocárdio 

Causado pela falta de sangue e oxigênio no músculo cardíaco, devido à obstrução da artéria coronária, levando ao quadro de dor no peito, sudorese, falta de ar e mal estar.

2) Doença Vascular Periférica

Decorre do depósito de gordura com obstrução das artérias periféricas do corpo. Nos membros inferiores, por exemplo, ocorre redução do fluxo de sangue para as pernas, com queixas de dor e de dificuldade para caminhar associadas à queda da temperatura local com dormência.

3) Acidente Vascular Cerebral

As placas de gordura depositadas nos vasos sanguíneos cerebrais podem obstruir um vaso cerebral intracraniano, levando ao quadro de dor de cabeça, tontura e paralisia de um braço, perna e face. Dependo da extensão da lesão, pode comprometer a fala e os processos neurológicos. O socorro imediato pode diminuir as sequelas e a chance de óbito.

4) Morte Súbita

Compreende o quadro de óbito de forma súbita, ou seja, quando não há chance de socorro, sendo causado, principalmente, pelo infarto agudo do miocárdio.

Aulas de Pilates com Pacientes Cardíacos

O Pilates pode atuar de diversas formas para as patologias cardíacas, até mesmo com pacientes de reabilitação pós operatório. O que precisamos é ter muito cuidado é preciso avaliar o nosso aluno com atenção.

Eu costumo tentar perguntar de forma discreta:

  1. Você toma algum medicamento?
  2. Seu coração é bom?
  3. O que você me fala da sua pressão?

Lembrando que muitos não falam tudo e pode acontecer do seu aluno não saber!

Se a pessoa tiver problemas cardíacos, é bom ter sempre um aparelho de pressão e montar uma ficha com os valores das pressões e frequência cardíaca. É interessante a cada 15 minutos pegar o pulso e contar a frequência cardíaca, se for um caso sério.

É também muito importante nós profissionais observarmos a cor da pele, unhas, respiração…

Panturrilhas nosso 2º Coração!

Você sabia que os músculos das panturrilhas fazem o papel de bombardear o sangue para cima auxiliando a função do coração? O coração bombeia o sangue e a gravidade ajuda a levar o sangue para os membros inferiores!

Esse sangue precisa ser jogado dos membro inferiores para os superiores, pois o sangue precisa circular, não pode ficar parado. Quem tem essa função são as panturrilhas!

Por isso os exercícios de pernas são muito bons, ajudam o coração tanto para pessoas saudáveis como para quem tem problemas sérios.

Podemos montar treinos apenas com exercícios respiratórios e de membros inferiores no começo e também temos que verificar o tempo de exercícios, o qual já vamos estar abordando.

No meio da panturrilha passam veias, e quando nós pisamos no solo ou damos impacto, o músculo da panturrilha comprime e junto faz uma pressão nas veias e nessa pressão o sangue é bombeado para cima, por isso que a panturrilha é conhecida como nosso segundo coração.

Podemos ver na imagem acima duas válvulas:

Nesse sistema de válvulas vemos uma que abre e outra que fecha. O sangue é impulsionado para subir por meio de nosso caminhar diríamos assim, uma abre, recebe o sangue e o impulsiona para cima. Essa mesma se fecha e uma segunda válvula é aberta “jogando” o sangue para cima.

Método Pilates em Patologias Cardíacas

Atualmente lidamos com dois fatores muito sérios, o sedentarismo e o estresse, os quais vem aumentando a cada dia.

O Método Pilates tem potencial de prevenir fatores de risco cardiometabólicos, uma vez que concilia exercício postural e de concentração, com foco na musculatura das costas e abdominal.

O Pilates faz intervenção e controle, em algum dos seguintes parâmetros:

  • Níveis de Pressão Arterial Sistólica e Diastólica
  • Porcentagem de Gordura Corporal
  • Relação Cintura/Quadril
  • Massa Gorda

Dessa forma, exerce efeitos positivos no desempenho físico e na composição corporal.

É importante ressaltar que exercícios físicos como o Pilates desencadeiam uma série de alterações fisiológicas, principalmente na regulação da glicemia e na deposição de gordura abdominal.

Fisiologia e Pilates

Nesse sentido, o Pilates pode contribuir para o melhor metabolismo dos carboidratos e da oxidação das gorduras, reduzindo os níveis de lipídeos circulantes e intramusculares, melhorando a sensibilidade à insulina e prevenindo o desenvolvimento do diabete mellitus tipo 2 e da hipertensão.

Exercícios de Pilates Para Patologias Cardíacas

Os exercícios de Pilates para patologias cardíacas devem ser feitos de acordo com a idade e principalmente os problemas. Vou descrever alguns exercícios nesse tópico.

É preferível começar com um alongamento leve sem forçar muito o paciente, depois começar trabalhando pernas nos aparelhos. Na prática você já deve ter percebido que começar com exercícios de membros superiores exige mais oxigênio certo?

Isso acontece porque os membros superiores estão mais próximos ao coração e também possuem músculos menores. Já os membros inferiores estão mais distantes e são músculos maiores e mais fortes. Mais adiantes vamos discutir como planejar uma aula.

Vamos começar mostrando uns exercícios simples e eficientes! Posso começar alongando no Cadillac!

1) Spine Stretch

Mobilizar a coluna vertebral e alongar os músculos da cadeia superior

Instruções

  1. Sentado, com os joelhos estendidos e os pés apoiados nas hastes laterais, segure a barra torre.
  2. Faça a flexão do tronco conduzindo a barra torre para frente.
  3. Retorne a posição inicial

2) Leg Series Supine: Circles

Fortalecer e alongar os músculos isquiotibiais, glúteo máximo, glúteo médio, glúteo mínimo, tensor da fáscia lata, pectíneo, grácil, adutor longo, adutor curto e adutor magno.

Instruções

  1. Em decúbito dorsal com as alças dos pés, flexione os quadris a 90° com os joelhos estendidos.
  2. Realize a circundução do quadril.
  3. Retorne a posição inicial.

3) Leg Series Supine: Scissors

Fortalecer e alongar os músculos extensores do quadril.

Instruções

  1. Em decúbito dorsal com as alças dos pés, flexione os quadris a 90° com os joelhos estendidos.
  2. Realize a extensão e flexão unilateral alternada dos quadris.
  3. Retorne a posição inicial.

4) Arm Tríceps

Fortalecer os músculos os extensores do carpo e ancôneol

Instruções

  1. Em pé, na frente do aparelho, segure a barra de madeira ou as alças de mão em pronação com os ombros e cotovelos flexionados.
  2. Realize a extensão do cotovelo.
  3. Retorne a posição inicial.

As molas são ótimas porque o próprio aluno ou Paciente, podem regular sua força.

5) Arms Up And Down

Fortalecer os músculos peitoral maior, grande dorsal, tríceps braquial e deltóide.

Instruções

  1. Em pé, na frente do aparelho, segure a barra de madeira em pronação com os ombros a 90° e cotovelos estendidos.
  2. Realize a extensão do ombro.
  3. Retorne a posição inicial.

6) Biceps Sitting

Fortalecimento de bíceps.

Instruções

  1. Sentado com a coluna apoiada na bola, joelhos e quadril flexionados, com os pés apoiados na cama do cadilac.
  2. Segurar as alças de mão com os cotovelos estendidos, na expiração flexionar os dois cotovelos.
  3. Retorne a posição inicial.

Por onde começar?

Comece pela Respiração

Faça uma série de 5 respirações. Pode colocar o paciente na bola, ou sentando em algum aparelho.

Algo importante: Nós profissionais sabemos que se for um paciente de pré ou pós operatório recente, temos que ficar atentos na forma de respirar.

Temos conhecimento de três formas de respiração:

  1. Torácica
  2. Abdominal
  3. Mista

Vemos na prática que as mulheres apresentam uma respiração mais torácica: quando encho o peito de ar. Os homens é mais abdominal, quando eu encho meu abdômen de ar.

E a mista você inspira enchendo a parte torácica e abdominal ao mesmo tempo.

Lembre-se: Um paciente de pré ou pós operatório, precisa treinar a respiração abdominal, por causa da cicatriz, afinal ele vai ou abriu o peito, e o locar da incisão fica dolorido.

Se for um paciente com outros problemas, respiração, seguindo os princípios do Método Pilates.

  • Inspiração

Inspire pelo nariz continuando a contrair o abdômen. Observe como o oxigênio entra na caixa torácica e, com ele, como suas mãos se separam pela ação da abertura das costelas.

  • Expiração

Expire pela boca ativando bem seus músculos abdominais como se tentasse levar o umbigo até a coluna vertebral. Para isso imagine que seus músculos, na base da pélvis, abdominais e umbigo estão unidos por um zíper. Sente como se fechasse para cima esse zíper ao expirar.

Aulas de Pilates para Patologias Cardíacas

Para montar a aula para pacientes com patologias cardíacas será necessário primeiro verificar a situação do seu paciente!

É legal montar duas aulas, e assim então usá-las durante uns dois meses e ir aumentando as repetições e a carga pouco a pouco.

A frequência pode ser de 2x por semana em dias alternados, em um tempo de 30 minutos a umas hora. Se for um caso de pessoa de terceira idade é aconselhável fazer aula particular.

O número de repetições para começar é com 1 série de 10 movimentos. Com o tempo pode ir aumentando a resistência, depois o número de repetições.

2 séries de 10 por exemplo, 20 são o máximo de repetições geralmente.

Além disso pode utilizar bolas, bosu, disco de equilíbrio, cama elástica, anel, rolo, faixas elásticas e todos os acessórios que for permitido.

Concluindo…

“Alimentação não balanceada, rica em gordura saturada, aliada ao sedentarismo, ao sobrepeso, à hipertensão, ao diabetes e ao tabagismo, por exemplo, aumenta consideravelmente o risco de o indivíduo ter um problema cardíaco no futuro”.

Sendo assim é muito importante ter uma conversa com seu aluno que tem problemas com patologias cardíacas, e explicar para ele que é preciso mudar alguns hábitos, além de fazer os exercícios de Pilates.

Algo que acho muito importante é que devemos sempre usar palavras que incentivem nossos alunos para eles não desistirem ou desanimarem.

 

Referências Bibliográficas
  • JUNGES, S. JACONDINE, C. GOTTLIED, M. Efeito do método pilaste em fatores de risco para doenças cardiometabólica: uma revisão sistemática. Article in Scientia Medicina. March 2015
  • Effects of eight weeks pilates exercises on body composition of middle aged sedentary Women Gazi university, school of physical education and sports, ankara, turkey  Academic staff member of islamic azad university-east tehran branch-gyamdasht-tehran, iran. /sport and health vol. 11, issue 1, 2011.
  • Plentz, R.D.M. Uso do método pilates ambulatorial do processo de reabilitação cardiovascular. 25 Novembro de 2015.
  • Livro: Pilates : Manual Completo del Método Pilates, Autor Rael Isacowitz, ano 2009, Editora: Paidotribo.
  • Livro Digital Pilates em Equipamentos 2 Edição Revisada por Vinicius G. Machado. Voll Pilates.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *