Posted in:

Pilates solo X Pilates aparelho: por qual começar?

pilates solo x pilates aparelho 3

Quando você decide que quer começar a se aventurar nas “terras de Joseph Pilates”, isto é, decide praticar o método inventado pelo alemão, vem a primeira dúvida: devo começar pelo Pilates solo ou Pilates aparelho?

Grande parte dos alunos vai em direção às aulas de Pilates solo. Primeiramente pela necessidade, mas também fortemente pelo custo dessas aulas. Mas será que é este o caminho correto?

Ao selecionar qual modalidade ir, devemos considerar alguns aspectos:

Pilates Solo ou Mat Pilates:

Pilates solo x pilates aparelho

  1. A Modalidade é menos exclusiva, pois geralmente é praticada por vários alunos em uma mesma aula.
  2. É muito importante que você converse com o instrutor antes de começar a praticar, para ver se realmente essa será a melhor escolha.
  3. Sendo o Pilates solo uma modalidade que exige muita consciência corporal, força, alongamento, equilíbrio entre outros, deve-se estar preparado para poder executar os movimentos propostos.
  4. Nesta modalidade serão utilizados acessórios e um que pode apresentar uma maior complexidade de execução como, por exemplo, a bola, onde o nível de dificuldade será grande.
  5. Como muitos exercícios contarão com a utilização do próprio peso do corpo, para alguns alunos iniciantes e intermediários isso irá dificultar bastante na execução correta dos movimentos.
  6. Devem-se utilizar os seis princípios essenciais do método: concentração, centralização, fluidez, respiração, precisão e controle.
  7. Serão perceptíveis os benefícios dessa modalidade, como aumento da força, flexibilidade, equilíbrio, entre outros.
  8. Não devemos radicalizar ao orientar o futuro aluno em qual das modalidades será a certa para ele iniciar, mas será sempre bom encaminhá-lo ao que mais se encaixa com as expectativas do aluno.
  9. O Pilates solo também pode ser mais lúdico para os alunos, tornando a aula divertida e atrativa.
  10. Mesmo para o instrutor, a modalidade tem um menor custo, pois poderá ser ofertada não somente na sala do estúdio, mas, também, em academias, condomínios, clubes, entre outros. Além disso, os custos dos acessórios e dos materiais tornarão ao instrutor um empreendimento de menor custo para aquisição.
  11. Os ganhos do instrutor podem ser também atraentes pois, mesmo diluindo o custo em relação ao valor pago e o número de alunos na turma, algumas vezes a soma a receber será mais alta do que dos aparelhos que devem ter no máximo 3 alunos por aula.
  12. A didática e o conhecimento do instrutor fará toda a diferença para tirar o melhor de cada aluno durante as sessões.
  13. Muitos alunos gostam de aulas coletivas, para que possam ficar mais descontraídos e felizes, então nesse caso o Pilates solo é uma boa opção.

Pilates em aparelho:

pilates solo x pilates aparelho 2

  1. O aluno terá auxílio das molas, da cama, empunhaduras e a própria anatomia dos aparelhos faz com que ele execute com mais qualidade os exercícios do método.
  2. A aula poderá ser melhor supervisionada do que a de Pilates solo, porque terão menos alunos durante a sessão.
  3. Por ser mais personalizado, pode-se fazer uma avaliação mais minuciosa das patologias, necessidades, objetivos do aluno e também os objetivos que o instrutor achar necessário para o desenvolvimento do aluno.
  4. Os aparelhos dão uma sensação de maior segurança, principalmente quando os exercícios exigem maior equilíbrio ou mobilidade na execução dos movimentos.
  5. Por ter um custo mais elevado que o Pilates solo, muitas vezes o aluno acaba por não fazer a escolha pelos aparelhos.
  6. Alguns alunos preferem os aparelhos muitas vezes por se sentirem melhor supervisionados e num ambiente com menor número de alunos, podendo assim ter mais privacidade e tranquilidade durante as aulas.
  7. Será mais fácil o aluno aprender os movimentos e executar melhor o repertório do método, melhorando principalmente sua consciência corporal, o que facilitará enormemente as aulas de Pilates solo.
  8. A riqueza de combinações diferentes de exercícios será maior nos aparelhos, pois cada um deles (Cadillac, Reformer, Chair, Barrel, entre outros) trará mais de uma centena de variações possíveis. Lembre-se sempre de não modificar demais o método, senão, ele deixará de ser Pilates.
  9. Durante as aulas, o instrutor poderá torná-las altamente estimulante e motivadora, pois pode dar aulas diferentes e com foco para cada necessidade dos alunos – fazendo com que as aulas sejam sempre novas e utilizando aparelhos diferentes também. Isso traz ao aluno aulas que serão variadas, sem que ele enjoe do treino. Repare como seus companheiros de aulas fazem um repertório diferente do seu. Um desafio para o instrutor: 3 aulas diferentes para 3 alunos que possuem necessidades individuais.
  10. O repertório dos aparelhos é bastante rico, se comparando com o Mat Pilates tradicional ou Clássico (Pilates solo). Poderá ser segmentado em exercícios específicos de alongamento, mobilidade de coluna, membros inferiores e superiores e abdominais, além de exercícios globais que exigiram do aluno a utilização de praticamente todos os músculos durante a execução dos mesmos.
  11. Pode-se, também, fazer exercícios mais acrobáticos, como ficar pendurado, executar cambalhotas, virar de ponta cabeça, entre outros, aumentando em muito o grau de dificuldade das aulas.
  12. As correções posturais serão melhor vistas, executadas e entendidas pelo número mais reduzido de alunos.
  13. O custo das aulas sempre será maior do que a do Pilates solo, principalmente pelo trabalho ser mais individualizado e para o estúdio e instrutor demanda de maior custo com menos alunos.
  14. Por ter maior repertório e ser individualizado, o instrutor poderá fazer com que o aluno progrida e cada vez mais ele poderá executar movimentos mais difíceis. Será altamente motivador o aluno perceber suas mudanças tanto na execução dos movimentos, quanto no grau de complexidade impostos.
  15. Muitos alunos acabam procurando os aparelhos por indicação dos médicos e fisioterapeutas.
  16. Muitos instrutores indicam aos seus alunos que façam Pilates solo quando estes estão dominando o de aparelhos. Mas o instrutor também pode ir incluindo exercícios de solo misturados aos de aparelhos durante as aulas.
  17. Devemos sempre levar em consideração as habilidades do aluno para traçar o desenvolvimento das aulas, e sempre lembrar que nem todos os alunos (senão a maioria) terão condição física e necessidade de exercícios avançados e de risco.

pilates-solo-x-pilates-aparelho-5

Ao decidir qual aula escolher, é nosso papel enquanto instrutores de decidir e direcionar qual será a melhor modalidade para cada aluno.

O PMA (Pilates Method Alliance), por exemplo, recomenda que primeiramente se inicie no Pilates de aparelho para só depois de dominado todos os princípios que se migre para o Mat Pilates, ou Pilates solo.

Antes de decidir, é imprescindível que você converse com seus alunos, faça as contas, pese na balança e, no fim, escolha sua modalidade.

Você ganhará muito ao escolher o Método Pilates. Escolha o seu e venha praticar conosco.

Written by Paulo Márcio Fucci

Paulo Márcio Fucci

Formação- Educação Física UFPR. Pós-Graduado em Massoterapia Instrutor no Orion Studio Pilates e Academia Sion. Curso de Mat Pilates Phisycalmind Institute. Pilates de Aparelhos. Metacorpus. Espaço Vida Pilates. Pilates na Gestação – Silvia Gomes e VOLL. Pilates Avançado VOLL. Treinamento Funcional Aplicado ao Pilates –VOLL. Entre outros Contato – odepm@hotmail.com Facebook: Paulo Márcio Fucci Pilates

15 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *