Posted in:

Método Pilates como Prevenção e Reabilitação para Osteoporose

Método Pilates como Prevenção e Reabilitação para Osteoporose
4 (80%) 3 votes

Você já sabe os inúmeros benefícios que o Método Pilates proporciona para o corpo humano, e quando o assunto é osteoporose não é diferente.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) a osteoporose atinge 10 milhões de brasileiros. Já os dados da International Osteoporosis Foundation (IOF) apontam que essa patologia atinge mais de 200 milhões de mulheres e como consequência, causa quase 9 milhões de fraturas anualmente no mundo.

Isso equivale a uma fratura a cada 3 segundos.

No geral, os casos de osteoporose estão relacionados ao envelhecimento e manifestam-se em ambos os sexos, porém com maior ênfase no sexo feminino – uma a cada três mulheres, acima de 45 anos de idade.

A incidência dessa patologia pode variar de 14% a 29% em mulheres acima de 50 anos, podendo chegar em até 73% em mulheres na faixa dos 80 anos de idade.

Estudos realizados em indivíduos atletas e não atletas têm mostrado a influência positiva da atividade física sobre o tecido ósseo.

A maioria desses estudos mostram resultados em que a atividade física é capaz de aumentar o pico de massa óssea atingido nas primeiras décadas da vida. Manter a massa óssea e diminuir a taxa de perda da mesma que acontece naturalmente com o passar dos anos e que, na mulher, é mais intensa nos primeiros anos após a menopausa.

Osteoporose, o que é?

A osteoporose é uma patologia que gera redução da massa óssea, proporcionando ossos porosos (como esponjas) e frágeis, tornando-os extremamente sensíveis a qualquer impacto.

Sendo assim, levando à uma maior propensão a fraturas que podem ser geradas por um pequeno impacto, uma pequena queda ou fraturas espontâneas, como um simples espirro ou uma crise de tosse, por exemplo.

Vamos entender um pouco mais como isso acontece?

Nossos ossos são compostos de uma matriz onde há o depósito de complexos minerais juntamente com cálcio.

Eles são formados por células (osteoclastos) cuja função é reabsorver as áreas envelhecidas e outro tipo de células (osteoblastos) que produzem áreas novas dos nossos ossos, por isso eles estão em constante processo de renovação.

Isso acontece constantemente e torna possível a reconstituição do osso quando ocorrem fraturas, por exemplo, e explica o motivo pelo qual o esqueleto humano se renova por inteiro (a mais ou menos a cada 10 anos).

Com o passar dos anos, naturalmente aumenta a absorção das células velhas e diminui a formação de novas células ósseas. O resultado é que os ossos se tornam mais porosos, perdem resistência, gerando a famosa osteoporose, sendo ela em sua grande maioria, uma condição relacionada com o envelhecimento. O estágio inicial dessa perda de massa óssea denomina-se osteopenia.

Vale lembrar que os ossos promovem sustentação e fonte de cálcio necessária para a execução das funções, que parte desde os batimentos cardíacos até a força muscular.

Nas mulheres, a causa mais comum é a queda na produção de estrógeno depois da menopausa. Já nos homens pode ser:

  • IMC (Índice da Massa Corpórea) abaixo de 20
  • Falta de Exercício Físico
  • Diabetes
  • Hipertireoidismo
  • Medicamentos contra a Epilepsia
  • Imunossupressores

Mas destacam-se entre as principais causas para ambos os sexos a deficiência de cálcio, envelhecimento, doenças (autoimunes, por exemplo) ou medicamentos como cortisona e anticonvulsivantes.

Método Pilates para Osteoporose

Já sabemos que o tratamento para a osteoporose através da atividade física deve ter por objetivo evitar fraturas, diminuir a dor (quando existente) e manter a função mais próxima o possível da normalidade.

O método Pilates é um grande aliado quando tratamos pacientes que sofrem com diminuição da função, com dores nas articulações e que necessitam de um fortalecimento global da musculatura.

Com a perda de massa óssea, os ossos se tornam frágeis e mais suscetíveis à fraturas, sendo que as fraturas osteoporóticas proporcionam um alto índice de incapacitação, o que é preocupante principalmente em indivíduos da terceira idade.

Através dos exercícios do Pilates, utilizando a resistência das molas, é possível frear diminuição da massa óssea, proporcionando um fortalecimento muscular, realinhamento postural e também a manutenção da amplitude de movimento das articulações.

Tudo isso para se restabelecerem próximas ao grau de normalidade, sendo um trabalho essencial para indivíduos com osteopenia (estágio inicial da patologia) e osteoporose.

Exercícios físicos, como o Pilates, com pesos e resistências, são fundamentais para prevenir o avanço da osteoporose, uma vez que têm efeito protetor sobre o tônus e a massa muscular.

Os exercícios de Pilates que promovem sustentação de peso (ou do próprio peso corporal), como as atividades em pé e também o treinamento resistido (onde uma força significativa é gerada contra os ossos longos) promove tensão muscular no corpo como um todo.

E são fundamentais nos casos de osteoporose, pois sabemos que músculos em movimento contribuem para que os ossos se tornem mais fortes e sendo assim, diminuem o risco de quedas e fraturas nestes indivíduos.

Dentro do repertório da sessão de Pilates é possível variar entre as inúmeras posturas e movimentos com o objetivo de gerar uma produção mais adequada e contínua de massa óssea, sendo um dos métodos mais indicados. O efeito desses exercícios sobre o tecido ósseo é localizado e depende da intensidade, tipo, frequência e duração dos mesmos.

Nos indivíduos com osteoporose avançada, é preciso ter cautela com exercícios de alto impacto, assim como nos movimentos que envolvem grande mobilização da coluna vertebral (em todos os planos de movimento) para não haver o risco de fraturas.

Mas deve-se realizar exercícios com resistência das molas (preferencialmente com a coluna em posição neutra), por exemplo, para aumentar a força muscular, melhorar o equilíbrio, coordenação, concentração e a independência nas atividades, visando sempre prevenir quedas e melhorar a massa óssea.

Além de tratar e prevenir essa patologia, o Pilates é uma excelente opção de prevenção e reabilitação, pois não apresenta nenhuma contraindicação.

Assim como oferecer inúmeros benefícios como aumentar a massa magra e melhorar a qualidade nas atividades de vida diárias do paciente, auxiliar no alívio das dores, aumentar a agilidade e a resistência, estabelecendo maior independência e bem-estar, agindo inclusive no bom humor.

Concluindo…

Resumidamente, em casos de osteoporose, deve ser realizada uma avaliação adequada com um profissional da área médica (densitometria óssea) e posteriormente com o fisioterapeuta ou educador físico, para que os mesmos possam desenvolver um treinamento de acordo com cada situação específica, além de observarem a evolução.

Havendo condições hormonais normais, a atividade física é o principal meio para manter uma boa saúde esquelética e para tratar o paciente com esta patologia.

É possível então concluir que o Pilates possui grande participação na prevenção à osteoporose, por manter e até aumentar a massa óssea, e que essa eficiência é ainda maior quando se pratica atividade física desde a infância.

Você já utilizou o método Pilates para prevenção ou tratamento da Osteoporose? Conte para mim nos comentários como foi a sua experiência! Até a próxima!

Written by Carolina Rorato

Carolina Rorato

- Graduação em Fisioterapia pela USC (Universidade do Sagrado Coração)
- Certificação em Pilates pela POLESTAR EDUCATION – Miami, EUA. (Certificada pelo próprio Brent Anderson e Shelly Power)
- Certificação em Pilates pela PHYSIO PILATES
- Mentoria em Pilates Clássico com JENNIE GROOM (2ª Geração Lolita San Miguel) - San Diego, Califórnia
- Graduação em Reeducação Postural Global (R.P.G.) Souchard – Instituto Phillipe Souchard (Certificada pelo próprio PHILIPPE SOUCHARD, Criador da Técnica)
- Certificação em BALLNESS pela própria Inelia Garcia
- Certificação em Ginástica Abdominal Hipopressiva (G.A.H.) – Marcel Caufriez
- Certificação em MAT Pilates por Valéria Figueiredo
- Certificação em CORE ALIGN pela PHYSIO PILATES

2 posts

1 Comentário

Deixe um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *