Posted in:

Problemas na Coluna e Uso de Dispositivo Móvel: Estão relacionados?

Problemas na Coluna e Uso de Dispositivo Móvel: Estão relacionados?
5 (100%) 1 vote

Você adora tirar uma “selfie” e postar? Ou conhece alguém que adora acompanhar as redes sociais e enviar mensagens pelo celular? Então vale a pena ler esse artigo!

Problemas na coluna que advém do uso do celular estão tomando conta dos consultórios de ortopedia, clínicas de fisioterapia e estúdios de Pilates. Quando o assunto é a respeito de uso de celular, já vem com termos usados para essa nova geração que não conseguem se imaginar sem o celular na mão.

A geração cabeça baixa passa em torno de 4 horas por dia utilizando algum tipo de dispositivo móvel. Qualquer lugar ou qualquer situação já é um motivo para pegar o celular e checar as redes sociais ou interagir via mensagem, e ultimamente, as pessoas têm necessidade de se manter entretidas.

O que veio para facilitar a comunicação, também vem se tornando um problema, pois o uso do celular com a postura incorreta, gera prejuízo a longo prazo.

As pessoas que ficam com o queixo próximo ao tórax, vem apresentando principalmente dor na cervical e desalinhamento da coluna.

Problemas na Coluna

Em uma pesquisa divulgada pela Revista Veja (agosto de 2017), foi constatado que em relação a posição do pescoço no ângulo de 45º, equivale a um peso de 22 quilos sobre a coluna, sendo considerado 4 vezes o exercido na postura ereta.

O grande problema além do ângulo em flexão de pescoço ser maior que 40º, é o tempo que se passa nessa mesma posição.

O uso prolongado já é sabido que causa lesão e reação inflamatória do local.

O “pescoço de texto” (text neck) é um termo usado para pessoas que mantem a cabeça baixa usando o celular, e com isso ocorre um aumento da curvatura da cifose, podendo gerar formigamento e dores na região. Essa posição causa uma diminuição na oxigenação dos tecidos, podendo acarretar problemas mais sérios, como artrose.

Outros Problemas

Além de problemas na coluna, podem ser visto problemas como:

  • Estresse
  • Insônia
  • Visão Alterada e Distração Visual – podendo causar acidentes de trânsito.

Outra questão relacionada a isso são problemas nas mãos e nos dedos, como osteoartrite do polegar, devido ao tempo de digitação utilizando o polegar.

Como prevenir?

Há maneiras de prevenir problemas na coluna, mas as vezes não conseguimos evitar, pois é notado que as pessoas procuram formas de contrabalancear, mas continuam usando o celular.

Algumas formas de auxílio são:

  1. A cada tempo de uso, ter 15 minutos de intervalo e descanso.
  2. Manter a postura mais ereta possível.
  3. Deixar a tela do celular na mesma direção que os olhos.
  4. Segurar o celular com as duas mãos.
  5. Fazer alguma atividade física e um alongamento apropriado, principalmente da cervical.

Como o Pilates pode ajudar?

O Pilates é o método que consegue ajudar de forma global e efetiva, pois alonga a musculatura que fica mais tempo encurtada quando abaixamos a cabeça. E além disso, fortalece o corpo para poder suportar as posturas inadequadas.

Pacientes que procuram o Pilates geralmente apresentam uma atividade da musculatura do pescoço aumentada, sendo eles os músculos esternocleidomastóideos, escalenos, trapézio superior.

Portanto o cuidado deve ser não realizar os movimentos com esses músculos ativados.

Exercícios

  • Swan Dive: deitado em Decúbito Ventral, com a testa no chão e apoiando os braços flexionados ao lado no chão (braço de gafanhoto). Na expiração, alongue os braços e eleve o tronco mostrando o peito a frente e estenda os cotovelos. Esse exercício pode ser feito na Chair.
  • Bola na Parede: sentar encostando a coluna torácica e cervical na bola, repetir 10 vezes o movimento do “SIM”, empurrando para trás. Manter 10 segundos cada.
  • Super Man com a Bola: quatro apoios, encostando o abdômen em cima da bola, manter a cervical na posição neutra, esticar um membro superior e o membro inferior contralateral. Repetir 10 vezes de ambos os lados.
  • Breast Croke (Clínico): em decúbito ventral, braços ao lado do corpo, palma da mão para cima e testa no chão. Evoluir elevando a cabeça junto com os membros superiores.
  • Com um Rolo nas Escápulas, mãos atrás da cabeça; realizar a extensão e voltar na posição inicial. Esse exercício ajuda na mobilidade torácica.
  • Pulling Straps: colocar uma caixa no carrinho do reformer e pedir para o paciente deitar em decúbito ventral em cima dela. Joelhos estendidos, contração de glúteos e cervical relaxada. Evoluir para levantar o olhar, realizando a flexão do cotovelo, puxando a corda do Reformer. E estender o braço para o lado do corpo. Inspirando, retornar à posição inicial.
  • Variação de Ponte: apoiado a cervical e a torácica na bola suíça, realizar a ponte.
  • Em posição de 4 apoios, colocar uma mão atrás da cabeça e realizar a rotação do tronco, levando o cotovelo para cima e para baixo.
  • Arm Openings: decúbito lateral, mãos à frente e esticadas. Evoluir para rotação de torácica, abrindo o braço que está acima, acompanhando com a cervical. Não permitir a abertura dos joelhos e a hiperextensão da cervical.
  • Long Stretch Down: de joelho no carrinho do Reformer, mãos na barra. Empurrar o carrinho, realizando a extensão de ombro, alongando a cadeia anterior.

Concluindo…

Junto com a tecnologia, houve um aumento de lesões e problemas na coluna. O que era apenas problemas de profissões que passavam horas e horas digitando, está se disseminando para os jovens.

Muitas pessoas não evitam o uso do celular, permanecendo em posições inadequadas, mesmo sabendo que existem riscos ou por muitas vezes já sentem dores no pescoço, ombros, mãos e dedos.

Portanto, para prevenir só há um jeito: ERGA A CABEÇA.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
– BUENO, G.R.; LUCENA, T.F.R. Geração cabeça-baixa: saúde e comportamento dos jovens no uso das tecnologias móveis. Artigo apresentado ao Eixo Temático 09 – Redes sociais Sociabilidade do IX Simpósio Nacional da ABCiber.
– Revista Veja – Publicado em VEJA de 16 de agosto de 2017, edição nº 2543.

Written by Rachel Eugênio Pereira

Rachel Eugenio, Graduada em Bacharel em Fisioterapia, formada há 9 anos. Com Pós graduação em Fisioterapia Dermato-Funcional. Curso de Pilates Tradicional, Clínico e Solo. Capacitação em ergonomia e cursos livres de Liberação Miofascial e Bandagem Elástica.

8 posts

1 Comentário

Deixe um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *