Posted in:

Síndrome de Guillain-Barré: como o Pilates pode ajudar?

Síndrome de Guillain-Barré: como o Pilates pode ajudar?
5 (100%) 2 votes

Atualmente a visão do Método Pilates como forma de promover um corpo mais alinhado, flexível, forte, dinâmica e estaticamente estruturado, está chamando muito a atenção dos profissionais que trabalham com a saúde (médicos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, fisioterapeutas e educadores físicos).

Tanto que outros públicos não tão comuns dentro dos Studios estão sendo encaminhados para os instrutores em busca de recuperação física, pós-situações que deixaram sequelas motoras/físicas.

A amplitude de movimentos que o método alcança em suas inúmeras possibilidades de exercícios, permite que os profissionais do movimento, que atuam com o Pilates, possam ajudar cada vez mais pessoas.

Tanto aquelas que procuram o serviço visando a promoção de saúde e prevenção de lesões, quanto aquelas que precisam de tratamento depois de algum episódio de saúde. O foco do Pilates nessas situações-trauma é puramente o de reabilitar, sendo a atuação do fisioterapeuta nessa abordagem extremamente importante.

Por esse motivo hoje trago uma sugestão de reabilitação através do método Pilates em sua capacidade clássica e contemporânea para uma doença que atinge cerca de dois a cada 100.000 habitantes, e que traz muitas dificuldades motoras às pessoas afetadas: a Síndrome de Guillain-Barré.

Confere ai!

O que é Síndrome de Guilain Barré?

A Síndrome de Guillain Barré (SGB) é uma polirradiculopatia desmielinizante inflamatória aguda, autoimune (ou seja, quando o sistema imunológico do corpo ataca parte do próprio sistema nervoso por engano), de manifestações geralmente reversíveis, cujos sintomas normalmente se desenvolvem após episódios infecciosos, principalmente decorrentes de quadros virais.

Acomete crianças e adultos, atingindo ambos os sexos, em porcentagem igualitária, sendo a faixa etária predominante de 20 a 30 anos1,2,3.

O que chama a atenção, é que o Brasil atualmente, vive uma epidemia viral causada pelos mosquitos causadores da febre amarela, dengue, zika e chikungunya e a literatura sugere que exista alguma ligação entre o aumento da incidência de casos infecciosos graves ocasionados por essas doenças e o desencadear do aparecimento da Síndrome de Guillain-Barré.

Interessante né?

Outras causas para o aparecimento dos sintomas são conhecidas como:

  • Infecção por Campylobacter – um tipo de bactéria frequentemente encontrada em aves mal cozidas.
  • Vírus Influenza
  • Vírus de Epstein-Barr
  • HIV – Vírus da Aids
  • Pneumonia
  • Linfoma de Hodgkin
  • Vacinas da Gripe
  • Vacinação Infantil

Quadro Clínico de um Paciente Portador

Por caracterizar-se pela desmielinização de nervos motores, a Síndrome de Guillain-Barré apresenta como manifestações clínicas com piora em até 72h pós-episódio infeccioso:

  • Perda de Força Muscular e Formigamento de Membros Inferiores e Superiores
  • Dificuldade no Controle Esfincteriano
  • Comprometimento de Nervos Cranianos
  • Diminuição de Reflexos Tendíneos Profundos
  • Dificuldade do Sistema Respiratório
  • Déficit de Equilíbrio Estático e Dinâmico
  • Alteração de Sensibilidade em Membros

Como podemos observar, pacientes que apresentam esse quadro clínico merecem uma atenção especial na elaboração dos exercícios com atenção aos objetivos que devemos atingir já que, o prognóstico da SGB possui algumas variáveis, como a idade do paciente, a gravidade e o grau de degeneração axonal4.

Portanto, cada paciente mesmo que afetado pela mesma Síndrome de Guillain-Barré pode apresentar necessidades diferentes, e sua avaliação deve ser criteriosa.

Quando o paciente procurar o Studio de Pilates, ele provavelmente já terá passado pela parte mais aguda da doença e mais crítica e desgastante da reabilitação, onde os exercícios normalmente são feito em domicilio.

O paciente do Studio já é um pouco mais independente e procura uma alternativa de movimentos a mais do que a fisioterapia tradicional proporciona na sua reabilitação funcional.

Objetivos do Paciente no Pilates

Sempre tento com meus pacientes, investigar durante a avaliação, qual a função que lhe traz mais dificuldade, o que mais lhe atrapalha nas suas AVD´s em casa e/ou no trabalho, qual realmente é sua queixa principal, e de acordo com ela, determinar o tratamento.

Os objetivos mais comuns no tratamento desse diagnóstico são:

  • Reeducar a Musculatura Afetada
  • Recuperar a Força Muscular
  • Prevenir as Deformidades Articulares decorrentes da Falta de Movimentos
  • Reestruturar o Equilíbrio

E principalmente:

  • Treinar PADRÕES DE MOVIMENTO que o paciente me refere maior dificuldade.

Como planejar as sessões desse paciente?

A literatura aborda como forma de tratamento reabilitativo para Síndrome de Guillain-Barré, o uso de exercícios com bola, bases instáveis e em diagonais de tronco, de membros inferiores e superiores.

Portanto essa ideia básica será nosso ponto de partida para desenvolver e aplicar exercícios tanto em solo quanto nos aparelhos, já que vários deles abordam esses padrões.

A resistência elástica promovida pelas molas nos aparelhos e pelas fitas no solo, proporciona o recrutamento da musculatura em questão para promover o fortalecimento que o paciente necessita. Os acessórios como o bosu, bola, tonning balls, cama elástica, rolo e bastões nos ajudarão na melhora do equilíbrio.

Abaixo sugiro exercícios – alguns com observações – que podem entrar no roteiro de exercícios das sessões, mas lembre-se que a experiência do profissional e a criatividade quando associadas só tendem a gerar resultados positivos!

Pense em como você pode regredir, progredir e variar, isso é muito importante!

Exercícios que têm por finalidade fortalecer os membros superiores:

1) FLEXÃO DE BRAÇOS – PUSH E MOVIMENTO DO ARQUEIRO – PULL: em suas variações possibilitam fortalecer membros superiores e costas, reproduzindo o movimento extremamente importante em atividades como puxar algo para próximo do corpo.

2) ARMS UP AND DOWN E DESENVOLVIMENTO DE OMBRO DE QUATRO APOIOS: pode ser realizado de quarto apoios no cadilac e no reformer ou com carga em posição ortostática.

Exercícios que têm por finalidade fortalecer os membros inferiores:

1) CHUTE LATERAL: SIDE KICK E  CÍRCULO COM UMA PERNA – ONE LEG CIRCLE: proporciona fortalecimento de glúteo médio, responsável pela estabilização do quadril. Padrão que se perde com o advento da SGB.

2) AGACHAMENTO – SQUAT (solo, reformer ou chair): chamo a atenção para esse exercício pela sua importância funcional para os pacientes de SGB pois muitos deles referem dificuldades para sentar e levantar. Fortalecer os glúteos e trabalhar as articulações de tornozelo, joelho e quadril possibilita um ganho maior de independência funcional.

Exercícios que têm por finalidade melhorar o equilíbrio:

1) UTILIZAÇÃO DO BOSU E CAMA ELÁSTICA: No que se trata de equilíbrio, já saímos um pouco do Pilates Clássico e contamos com a criatividade e conhecimento.

Podemos utilizar esses acessórios visando proporcionar uma base instáveis para algumas posturas como o em pé e o sentado, já que em decorrência da perda de função motora e da atrofia muscular, o paciente com SGB pode apresentar déficit de equilíbrio estático e dinâmico, pois o sistema proprioceptivo recebe informações tanto dos receptores articulares quanto dos receptores musculares e utiliza esses estímulos para localização espacial do membro e para determinar sua amplitude e velocidade do movimento5.

2) TONNING BALL: podemos desenvolver exercícios onde o paciente tenha que realizar alguma atividade sem deixar que as tonning balls caiam ou tenha que jogar e pegar elas sem deixa-las cair no chão. Assim as fibras musculares trabalharam em sinergia e o movimento se completará.

Exercícios que têm por finalidade promover mobilidade: 

1) BICICLETA NO AR – BICYCLE

2) SERROTE – SAW E TORÇÃO DA COLUNA – SPINE TWIST: movimento em rotação, bastante importante quando conseguimos dar resistência, pode ser executado como variação em decúbito dorsal.

3) INCLINAÇÃO LATERAL – SIDE BEND: pode ser regredido com o apoio nos joelhos quando por acaso a fora em membro superior for insuficiente.

Exercícios que têm por finalidade promover fortalecimento postural:

1) NADANDO – SWIMMING

2) PONTE SOBRE OS OMBROS – SHOULDER BRIDGE: realizado em todos os aparelhos e no solo, com carga ou sem, proporciona fortalecimento da estrutura postural da coluna, responsável pela extensão e controle do tronco na posição em pé.

Referências Bibliográficas
  • SÁNCHEZ, Adriana Mairena, ESPINOZA, Carol Mata, MORERA, Dyana Calderón. Síndrome de Guillain-Barré. Revista Medica de Costa Rica y Centroamerica LXXI, 2014; (610): 261-65.
  • NASCIMENTO, Vanessa Lane dos Santos, BORBA, Gisele de Souza, LEITE, Cibelle Maciel de Barros, GARABINI, Maria Carolina. Protocolo hidroterápico na Síndrome de Guillain-Barré – Estudo de caso. Revista Neurociências. 2012; in press.
  • ORSINI, Marco, FREITAS, Marcos R. G. de, NASCIMENTO, Osvaldo J. M., CATHARINO, Antônio Marcos da Silva, MELLO, Mariana Pimentel, REIS, Carlos Henrique Melo, CARVALHO, Raimundo Wilson de. Síndrome de Guillain-Barré pósinfecção por dengue: Relato de caso. Revista Neurociências. 2010; 18 (1): 24-27.
  • BOLAN, Renata da Silva, BÓ, Karla Dal, VARGAS, Franciane R., MORETTI, GISLENE R. F., ALMEIDA, Leila P. de, ALMEIDA, Gleyce Kelly P. de, DIAS, Pablo Vinícius de Lucca. Síndrome de Guillain-Barré. Revista da Associação Médica do Rio Grande do Sul. 2007; 51 (1): 58-61.
  • FONSECA, Marisa de Cássia Registro, FERREIRA, Aline Miranda, HUSSEIN, Amira Mohamede. Sistema sensório-motor articular: revisão da literatura. Revista Fisioterapia e Pesquisa, 2007; 14 (3): 82-90.

Written by Camila Lazarin Gallina

Camila Lazarin Gallina

Fisioterapeuta, graduada pela Universidade Estadual do Centro Oeste – UNICENTRO (2012) e pós-graduada em Traumato-Ortopedia Funcional (2014) pela mesma Universidade. Possui formação completa em Pilates, NeoPilates, Treinamento Funcional, Pilates Mamy Baby e nível básico em PFB (Progressive Fit Ball). Atua nas áreas de sua formação completa na Clínica Equilíbrio, no setor público de atendimento trabalha com a promoção da saúde através desses métodos e é docente do Curso de Estética no grupo Geração Centro de Ensino.

10 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *