Posted in:

Pilates aplicado à cervicalgia

Pilates-cervicalgia-1

A cervicalgia é a segunda causa de dor mais freqüente na população, perdendo apenas para a dor na coluna lombar. Estima-se que 22% das pessoas tenham dor cervical. Estas dores podem ser com ou sem irradiação para os membros superiores, podendo vir associadas com cefaléia. Quando há compressão de nervos, o paciente pode apresentar alterações neurológicas como a modificação da sensibilidade e da força muscular.

As causas mais comuns são alterações da ATM (bruxismo), osteoartrose, má postura, traumas, LER, hérnia discal, estenose do canal vertebral, infecções (meningite, caxumba) e estresse. Também pode se originar de alterações degenerativas, causadas pelo processo de envelhecimento das estruturas da coluna cervical, como discos e facetas.

O paciente com dor cervical pode apresentar vários padrões de dor. A dor pode tanto ser puramente na face posterior do pescoço, como pode acometer algum dos lados do músculo trapézio, supraespinhoso, rombóide e escaleno. Pode acometer também a face inferior da mandíbula, dentes e causar cefaléia.

Os músculos do pescoço devem sempre estar preparados para suportar o peso da cabeça pois, quando são submetidos a sobrecargas, tensionam, diminuído o fluxo sanguíneo para a região, podendo causar dor.

O Pilates trabalha a estabilização e a mobilização da coluna, melhorando a função nervosa e vascular do pescoço. O trabalho postural promove a organização da cabeça e pescoço, melhorando a consciência corporal e diminuído o risco de lesões e recidivas. Melhora o ritmo escapulo-umeral corrigindo movimentos compensatórios, diminuindo assim a sobrecarga na região da cervical.

Quem nunca viu alguém fazendo abdominal projetando o queixo pra frente? Provavelmente essa pessoa deve estar com dificuldade de ativar os músculos estabilizadores. Por isso devemos ter cuidado nas aulas inicias já que, devido à dor, essa musculatura pode estar inibida.

Nas primeiras aulas, devemos trabalhar exercícios que promovam o relaxamento dos músculos do pescoço, reeducar os movimentos da cervical, cabeça e da cintura escapular e estabilização cervical.

Os exercícios de Pilates são bastante eficazes tanto na estabilização da dor quanto na prevenção e orientação, evitando recidivas. A respiração associada à ativação do Power House promove o equilíbrio muscular, a fim de restabelecer o alinhamento do corpo como um todo, melhorando a cervical.

Sugestão de exercício:

Pilates-cervicalgia

 

1 Comentário

Deixe um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *