Posted in:

Como você organiza suas Aulas de Pilates?

Sabemos que para tudo na vida precisamos de planejamento, e isso inclui nosso Studio, e aulas de Pilates.

A nossa meta de vida pode até ser alguma coisa que não se pode quantificar, como ser feliz, ser amada pela família, ter um relacionamento duradouro ou vários relacionamentos, enfim, alguma coisa que não podemos “pegar na mão”.

Entretanto, metas como ser um profissional respeitado, bem sucedido, economicamente estável, viajar, possuir bens, é necessário planejamento. Sabemos que isso é primordial para qualquer objetivo ser alcançado.

Isso é organização!

Na vida, sabemos que alcançar determinados objetivos requer pensar bem em como chegar lá, pesar os prós e os contras de todas as decisões, traçar metas curtas, médias e longas e seguir um caminho visando o objetivo lá na frente.

Planejamento das Aulas de PilatesAulas-de-Pilates-1

Passando para o mundo da atividade física, podemos fazer um paralelo.

Um plano de emagrecimento, de aumento de massa muscular, de fortalecimento físico, performance esportiva, participação em um campeonato ou evento, ou ainda apenas tornar-se ativo, requer um plano de aulas de Pilates.

No Pilates contemporâneo, onde nossos alunos têm diversos objetivos diferentes, se não tivermos um planejamento de acordo com esses objetivos podemos nos perder pelo caminho ou ainda não atender às necessidades que eles vieram procurar.

Com a evolução do método, e o grande número de estúdios e alunos existentes hoje em dia, as aulas foram ficando meio perdidas, automáticas e sem um critério a ser seguido. Apenas jogar exercícios aleatórios não pode ser considerado “dar aula”. Isso seria no mínimo imprudente e inconsequente.

Um tipo de organização que está vindo da área do treinamento para o Pilates é um planejamento levando em consideração características, objetivos e necessidades individuais, através de uma base cientifica.

As estratégias que os profissionais acostumados com esse plano tem adotado, seria trazer o planejamento já usado para outras atividades e adaptando ao Pilates, chamada de periodização.

Esse tipo de planejamento utiliza o tempo que teremos para trabalhar com o aluno como sendo a meta a longo prazo a ser atingida, durante as aulas de Pilates.

Exemplo, sei que terei 6 meses para trabalhar e leva-lo a desenvolver flexibilidade e resistência muscular, este seria meu objetivo geral.

Vamos subdividir este tempo para saber como estes objetivos serão alcançados, como por exemplo, a cada mês, vou adotar estratégias para levá-lo a conscientizar o trabalho de power house, conhecer a sua respiração, as suas limitações, e seu corpo, seriam metas a curto prazo.

Além disso, começamos um trabalho de estabilidade lombo pélvica com exercícios simples e conscientes.

Passarei nos próximos dois meses um trabalho de aumento de força de tronco, dissociação de membros, melhora de flexibilidade e aumento da coordenação entre os movimentos e a respiração, mostrando a importância de se iniciar os movimentos pelo centro do corpo cada vez com mais energia, seriam minhas metas a médio prazo.

Nos dois últimos meses, vamos enfatizar o trabalho de resistência e flexibilidade propondo desafios um pouco maiores. Já posso começar a introduzir elementos como acessórios, exercícios que exijam cada vez mais consciência corporal, alinhamento, postura ativa e concentração total em seus movimentos.

Após este período, o ideal é que saibamos identificar se o aluno atingiu seus objetivos, os nossos, e definir quais serão os próximos passos a seguir nas aulas de Pilates. Pode ser através de avaliação física ou apenas usando seu feeling.

Precisamos ver se ele já está demonstrando estabilidade nos movimentos e quais seriam os possíveis erros durante este caminho. Isso só será possível se você souber o que foi trabalhado até agora, e também se o instrutor tiver o controle do que foi dado.

Isto pode ser através de fichas, relatórios ou até mesmo sob anotações no celular, enfim, de uma forma organizada onde possa ser avaliado. Chamamos isso de periodização, ou apenas, organização.

Obviamente que de forma resumida, este processo de se dividir o período total de trabalho com o aluno em partes, para adequar o quê será dado em cada etapa para se atingir um objetivo final, sempre levando em conta, o processo de aprendizagem e a individualidade.

Seria a ciência contribuindo para o aprimoramento do profissional que saberá o quê passar, quando passar, e pra quem passar durante as aulas de Pilates.

Progressão dos ExercíciosInstrutor-7

Nas aulas de Pilates, saímos dos cursos cheios de exercícios que queremos o mais rápido possível colocar em prática. Os movimentos bonitos, os desafiadores, os com acessórios, os acrobáticos e os que exigem certa dose de coordenação… mas “péra”! Calma!

Cadê a progressão para chegarmos nesta condição?

Sem um planejamento onde seu aluno conscientize e execute o básico, como acionamento dos músculos certos, respiração coordenada, concentração, harmonia de movimentos, sintonia total de tudo que está acontecendo, você estará apenas proporcionando uma vivência corporal sem sentido e sem nenhuma relação com o que o método Pilates preconiza.

Imagine que seu aluno está tentando escrever uma redação sem ao menos ter passado pelo jardim de infância. Como você faria para voltar ao aprendizado do alfabeto, as frases, as concordâncias, a evolução dos textos etc? Como demonstrar controle sobre um assunto que nunca aprendeu? Impossível!

Sabemos que tudo se aprende, que bem orientado chegamos longe. Todos somos capazes. E nas aulas de Pilates?

Aqui devemos também respeitar esse processo, colocando nosso aluno em situações onde ele aprenda desde os movimentos simples, passando pelos intermediários e só assim chegando aos avançados.

O nosso planejamento vai proporcionar ao sistema nervoso central um conhecimento e uma conscientização que vão ser necessárias para que um dia estes movimentos aconteçam de forma correta. Nós precisamos ter menos pressa e mais planejamento para nos orientar.

Concluindo…Aulas-de-Pilates-3

Existem hoje em dia, métodos onde o instrutor não precise jogar exercício atrás de exercício, e pode realmente estar consciente da necessidade de se planejar o conteúdo dado dia a dia.

Traçar objetivos a curto, médio e longo prazo são necessários para planejar as aulas dia a dia e mês a mês. Como fazer isso nas aulas de Pilates?

Conhecendo o aluno, caracterizando suas habilidades, sabendo o tempo total que você terá com ele, direcionando as aulas através dos objetivos por etapas, avaliando o processo e traçando metas constantes. Dar aula não é apenas jogar informações, é saber quando e quanto passa-las.

Após planejar, vamos executar!

A execução do plano é quando brilhamos em nossa ótima, planejada e didática aula. É quando colocamos em prática tudo que organizamos na forma de exercício. Quais escolhemos pra começar, quais vamos introduzir na sequência e como vamos acabar a aula, tudo precisa ser coerente, fluido, harmônico e concentrado.

Uma aula, seja do que for, matemática, inglês, culinária, ginástica ou Pilates, deve ter uma introdução, uma parte principal e final. Tudo devidamente colocado de acordo com o que já foi elaborado lá no começo.

Esta aula deve estar de acordo com planejamento geral que já foi feito pelo instrutor quando este aluno chegou até ele. Se ele trouxe objetivos específicos, determinou um tempo para alcança-los, cabe a nós saber dividir este período para chegar à este objetivo o quanto antes.

Tudo obviamente, levando em conta a individualidade de cada um durante as aulas de Pilates.

Elaborando um processo de aprendizagem crescente é que teremos condições de avaliar se o que estamos passando está trazendo resultados, se estes resultados são positivos, vamos evoluir, se não são, vamos nos atentar a possíveis erros ou dificuldades do aluno e refazer o programa.

Seria impossível imaginar que uma determinada meta vai ser alcançada sem o seu devido planejamento? Pra mim, não!

Portanto, instrutores, não sejamos reprodutores de movimentos, sejamos profissionais realmente conscientes do nosso papel de ensinar movimento. Ensinar a sentir a coisa maravilhosa que é ter um corpo livre, que se move pelo espaço com graça, sem problemas e de uma forma natural.

Planejem suas aulas como se fossem para vocês! Até mais!

Written by Sabrina Costa Teno

Sabrina Costa Teno

- Formada em Educação Física pela Universidade Nove de Julho / bacharelado e licenciatura (2006)
- Pós graduada em Biomecânica do aparelho Locomotor e avaliação física pela FMU (2008)
- Curso de mat pilates pelo Instituto de Ed. Fisica e esportes (2009)
- Curso de pilates em aparelhos pela Voll Pilates (2012)
- Curso de treinamento funcional – preparação para o treinamento físico (2013)
- Curso de pilates avançado pela Voll Pilates (2014)
- Curso de pilates aéreo (2015)
- Atua atualmente como Personal Trainer e é proprietária do estúdio de Pilates e treinamento funcional “Infinity Pilates”.

7 posts

4 Comentários

Deixe um Comentário
  1. Olá, na teoria esta ok. Venho tentando periodizar há12 anos,mas como ficar e aplicar os principios dentro de cada exercício escolhido e principalmente como ficar dentro da fluidez quando trabalhamos com 3/4 alunos por turma?
    Poucos Studio sem Santa Catarina trabalham pensando nisso.Obrigada

    • Oi Sandra, obrigada pelo contato. Olha, acredito que justamente por que não conseguimos periodizar, ou seja, ter uma organização de aula, é que acabamos não tendo a fluidez desejada. Mas, um dos nossos desafios é fazer as aulas de pilates do método contemporâneo, onde se atende 3 ou 4 por sessão, e melhorar com planejamento. Veja, o melhor seria como no clássico mesmo, onde se atende apenas um por aula, já que nos propomos a atender mais, nosso papel terá que ser mais organizado ainda para atendermos da melhor forma possível. Te entendo perfeitamente quando você fala sobre a fluidez, mas devemos concordar que sem planejamento fica pior ainda. Vou escrever mais sobre o assunto, vamos trocando idéias, ok?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *