Posted in:

Pilates no Tratamento da Dor Emocional associada a Dor Ciática

No dia a dia nos deparamos com muitos pacientes onde a queixa principal é a dor. Sabemos que, a dor pode ser manifestada por diversos fatores – tanto físicos quanto emocionais.

Às vezes nos sentimos muito bem (felizes, contentes e agradáveis), outras vezes nos sentimos muito mal (muito decepcionados, irritados, com medo, pouco prazer ou excitação). Também há dias em que nós sentimos um misto de emoções positivas e negativas.

Quer saber como essas emoções influenciam na nossa saúde física também? Continue lendo este texto! 😍

Dia-a-dia: como o emocional influencia no físico

Devido às correrias diárias de vida – que apenas aumentam à medida que nosso mundo evolui -, somos expostos ao estresse em diversas formas:

  • Expectativas emocionais atingíveis ou inatingíveis;
  • Atividades físicas que praticamos ou deixamos de praticar;
  • Distúrbios químicos ou hormonais;
  • Doenças;
  • Traumas na infância;
  • Distúrbios Psicológicos;
  • Depressão.

Há muitas fontes de stress que acabam transbordando na maneira como nos sentimos a cada dia.

A neurocientista e farmacologista americana Drª. Candace Pert, ressalta que muitos psicólogos fazem o Tratamento da Dor Emocional desassociada do corpo. Como ela mesma descreve “um fenômeno com pouca ou nenhuma conexão com o corpo físico”.

A especialista em bioquímica do cérebro, responsável pela descoberta do receptor de opiáceo, Pert ainda afirma que  “em contrapartida, alguns médicos tratam o corpo com nenhuma relação com a mente e o Tratamento da Dor Emocional. Mas o corpo e a mente não estão separados e não podemos tratar um sem o outro”.

Muitas das dores físicas que sentimos têm algum tipo de relação com as emoções que estamos atravessando. A mente e o corpo trabalham constantemente sem se separar, o que explica por que tantos sentimentos se manifestam através da dor em diferentes áreas do corpo.

Por exemplo, estudos comprovaram que a dor crônica não é apenas produto de uma lesão física, mas pode ocorrer pelo constante sofrimento do estresse ou de uma mente muito acelerada.

Tratamento da Dor Emocional

Cruz e Pereira (2011) explicam que os fatores biológicos de qualquer dor têm sido questionados em diversos estudos que evidenciam a influência da mente e das emoções nos estados de saúde.

As emoções tem um papel importante na percepção da dor, podendo alterar o limiar da dor (diminuindo ou amplificando). Sabemos que o sistema nervoso autônomo, responsável pela coordenação do funcionamento de todos os órgãos internos, é regulado pelo sistema límbico.

Que, por sua vez, é afetado pelas experiências afetivas e emocionais do indivíduo em seu contexto social.

Pert (1946-2013) formulou a teoria das emoções, mediada pelos receptores neuropeptídios e sistema imunológico citosina, como agentes que integram a comunicação entre o cérebro e o corpo.

Ela acreditava que as emoções eram armazenadas no corpo, nos receptores e que essa comunicação saudável via expressões emocionais era a chave para integrar a mente e o corpo.

Ela ensinava que a mente existia tanto dentro como além do corpo e via que sua principal animação, a consciência e as emoções eram uma forma de tradução das informações entre o corpo e a mente e entre indivíduos e grupos afim de, por exemplo, estabelecer um campo de cura.

Práticas de bem estar como somáticas – comportamentais e contemplativas -, tinham uma base psicológica e poderiam ser usadas para promover ou aumentar a saúde e a recuperação de doenças pela integração do reparo primitivo do corpo e os sistemas de regeneração.

Promovendo, assim, a interpretação bioquímica e moderna para a sabedoria do corpo.

Relação da dor ciática com as emoções

Então podemos nos questionar o que a dor em especial do nervo ciático tem a ver com o emocional e como método Pilates pode ajudar no Tratamento da Dor Emocional?

Segundo o Dr. Marcelo Wajchenberg, ortopedista do Hospital Israelita Albert Einstein “o nervo ciático é mais longo do corpo humano onde temos a junção de todas as raízes nervosas do plexo lombar”.

A dor ciática pode ser causada pela inflamação desse nervo ou por compressão de alguma raiz nervosa do plexo lombar, que pode ser causada por diversas condições.

Inflamações neste nervo consistem em dores na coxa, nos joelhos e em toda a extensão do nervo. Além disso, o paciente também pode sofrer de fraqueza, dormência ou formigamento de toda a perna.

Algumas das causas físicas de inflamação do ciático são:

  • Deslocamento do Disco (Hérnia de Disco);
  • Lesão ou fratura pélvica;
  • Diabetes e até herpes zóster;
  • Catapora.

Cristina Cairo fala no seu livro Linguagem do Corpo que “o medo das mudanças pode se manifestar através da rigidez ou de dores nos quadris, dor ciática e cóccix. A preocupação com o futuro ou por uma mudança que se aproxima pode ocasionar este sintoma”.

Soluções práticas para a Dor Ciática

A solução pode ter a ver com a abertura para às coisas inesperadas, viva aventuras e tente ser feliz sem medo de respostas negativas do futuro. Mas claro, com consciência de que suas decisões não vão causar algum tipo de problema para você ou para outra pessoa.

Para seu alívio, o melhor é tomar decisões e tentar limpar a mente com outras atividades que possam causar uma aquietação na mente e no corpo. De uma maneira ou de outra, dar passos em direção ao futuro é fundamental para evitar que este se torne um sintoma frequente.

Prevenir a dor ciática é possível com medidas simples, como praticar exercícios físicos regularmente – a Organização Mundial de Saúde indica 30 minutos diários de atividades. Assim como controlar do peso, alongar-se e fortalecer a musculatura da região lombar e da região posterior da coxa.

Além disso, corrigir a postura e evitar ficar muito tempo sentado na mesma posição pode contribuir positivamente para a saúde da coluna vertebral, evitando dores.

Podemos concluir que não apenas a dor ciática, mas qualquer outro tipo de dor você consegue diminuir ou sessar ela quando oriunda de emoções pelo fato de perceber ela e entendê-la. A fim do próprio corpo começar a responder os sinais junto com o que você projetar.

E onde o Método Pilates entra nisso tudo? 🤔

O Método Pilates é uma atividade completa pelo fato de possuir 6 princípios fundamentais que devem ser seguidos durante a realização de todos os exercícios, em qualquer posicionamento.

O relaxamento inicia através do padrão de respiração correto durante o exercício. Colaborando para que no Tratamento da Dor Emocional, o aluno/paciente se concentre nos movimentos e possa executá-los de forma correta.

Quando o paciente relata dor e não sabemos ao certo se realmente é física ou emocional podemos iniciar o Tratamento da Dor Emocional com Solo. Proporcionando um relaxamento completo trabalhando apenas a respiração sem qualquer tipo de movimento.

Interessante também o professor perceber, conforme vai ensinando o exercício, como o aluno o executa e se ele consegue seguir o que for direcionado a fazer. E, então, atingir o objetivo proposto restabelecendo a energia corporal, obtendo um controle e uma maior concentração através da respiração no Tratamento da Dor Emocional.

Ao executar os exercícios é importante o professor proporcionar diferenciados padrões de movimentos, percepções táteis, visuais e até auditivas para relacionar o corpo, o estímulo do cérebro e a resposta motora, além do entendimento e interpretação das várias reações do corpo para com o contexto do aluno.

Concluindo…

Salientando que o Pilates é um exercício para a mente, para o equilíbrio interno, para a harmonia da pessoa como um todo. É um método que entre vários benefícios, resgata e potencializa a consciência corporal, o bem-estar e a auto-estima. Porque somos um conjunto de tudo e não parte de um todo.

Diante de todos os benefícios citados acima para o Tratamento da Dor Emocional é fácil entender que o Pilates ajuda e muito na sua maneira de enxergar e viver no mundo.

Ele faz você parecer e se sentir melhor, ajuda a aumentar a qualidade do seu sono, alivia o estresse e a tensão, expande a consciência corporal, integra o corpo, a mente e o espírito e melhora, muito, a qualidade de vida.

 

 

 

Bibliografia

Written by Andelize Bonadiman

Andelize Bonadiman

Graduação em Fisioterapia pela União de Ensino do Sudoeste e do Paraná, (UNISEP). Especialização em andamento em Fisioterapia Traumato-Ortopédica e Desportiva na Universidade Paranaense (UNIPAR).

2 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *