Posted in:

Mat Pilates aplicado a Doença de Parkinson

Mat Pilates aplicado a Doença de Parkinson
Gostou? Avalie!

Uma das doenças mais comuns, depois que a de Alzhaimer, que acomete idosos com prevalência acima de 65 anos de todos dos grupos étnicos e classes sociais é a doença de Parkinson.

Estima-se que certa de 1% da população mundial acima de 65 anos é diagnosticada com doença de Parkinson (OMS). Sendo de 100 a 200 casos por 200 mil habitantes.

E você sabe todos os benefícios que o método pode trazer para os seus praticantes? Nesse texto vamos falar sobre como o Pilates pode fazer bem, além de dicas de exercícios essências para você adaptar com alunos portadores de Parkinson.

Principais sintomas da Doença de Parkinson

doença-de-parkinson-4

Os principais sintomas são: tremor em repouso, lentidão de movimentos, bradicinesia, rigidez articular, desequilíbrio, coordenação afetada e instabilidade postural.

Quando dois ou mais sintomas são apresentados geralmente já e diagnosticado o Parkinson. Além dos já descritos pode ocorrer: dificuldade na escrita, expressão facial rígida, fala pastosa, depressão e marcha Petit Pass.

No começo, a doença de Parkinson se apresenta de maneira lenta e pode gerar a dificuldade para o paciente identificar quando começa a aparecer. Os primeiros sinais da doença são os movimentos mais lentos e o começo de tremores nas extremidades das mãos. Outra característica importante é a diminuição do tamanho da letra.

Existem alguns outros sintomas que podem estar associados ao início da doença, são eles: a rigidez muscular, a redução da quantidade de movimentos, distúrbios da fala, dificuldade para engolir, depressão, dores, tontura e distúrbios do sono, respiratórios, urinários.

Benefícios do Pilates para o Parkinson

doença-de-parkinson-5

Quando se tem um aluno portador de Doença de Parkinson, o primeiro passo para começar um treinamento que tenha uma intervenção é pela avaliação perante sua deficiência e seu desempenho funcional e depois disso começar a traçar os objetivos de cada aluno.

O objetivo do portador de Parkinson ao começar a praticar Pilates é melhorar a qualidade de vida. E isso se dá com a redução das alterações motoras causadas pela doença o que gera maior independência do aluno.

Além disso, um dos principais benefícios que o método oferece ao portador de Parkinson, é o conceito de reeducação do movimento que auxilia na melhora das alterações motoras e em vários sintomas colaterais provenientes da patologia.

Os princípios do método são responsáveis por proporcionar força, alongamento e melhorar diretamente a coordenação motora e o equilíbrio.

Outro ponto que beneficia os portadores da doença de Parkinson é trabalhar a instabilidade postural e os desequilíbrios que costumam ocorrer com a estabilização dinâmica, através do uso de equipamentos e acessórios durante os exercícios.

Aliando o Pilates ao tratamento do Parkinson

doença-de-parkinson-3

O exercício físico tem se mostrado um aliado no tratamento da doença de Parkinson como um método preventivo e capaz de melhorar os sintomas da doença, melhorar a mobilidade, equilíbrio, marcha e qualidade de vida, além de atuar como neuroprotetor atenuando a evolução da doença, embora esse benefício só tenha sido comprovado cientificamente em modelos animais (GRAZINA, R., MASSANO, J. 2013).

Atividades como caminhada, dança (tango), tai chi, boxe, canoagem e Pilates tem demonstrado maior eficácia para o tratamento da doença de Parkinson, pelo fato de estimularem a agilidade, mobilidade e coordenação, impor desafios sensórios motores e de resistência que podem ser personalizados para cada paciente. (HERMAN et.al., 2007;  KING, L. A.,  HORAK, F. B., 2009; GRAZINA, R., MASSANO, J. 2013).

O Pilates tem como base cinco princípios: concentração, centralização, fluidez, respiração, precisão e controle.

Todos os movimentos na execução do exercício são harmônicos e controlados, estimulando a coordenação e fortalecimento global sem risco de provocar lesões. São aplicados de acordo com a necessidade individual e são monitorados por instrutores capacitados.

Exercícios de Mat Pilates aplicado a doença de Parkinson

Com base na literatura e todo o conhecimento prático da técnica de Pilates, surgiu a ideia de aplicar um protocolo de exercícios orientados de Mat Pilates em um portador de doença de Parkinson.

O Sr M.C.P. diagnosticado com doença de Parkinson, cego e antebraço esquerdo amputado acidentalmente está sendo submetido a um protocolo de exercícios de Mat Pilates com acessório de bola de 60 cm de diâmetro e over ball, duas vezes por semana; além de caminhada em dias alternados.

O protocolo de exercícios é realizado em duas series de dez repetições. Abaixo segue as dicas de exercícios:

  • Posição em decúbito dorsal sobre o tablado

Acessorio bola de 60cm

Leg series: knee extensin, one leg up and donw, single leg stretch e ponte.

Pés apoiados no tablado com over ball: fortalecimento de adutores.

  • Posição sentado no tablado

Extensão unilateral de joelho com a coluna neutra.

Flexão de ombros (estimulo verbal de levar a mão e o coto em direção aos joelhos e cabeça).

Abdução lateral (estimulo verbal de realizar o “aviãozinho”).

  • Caminhada de 12 metros

KNEE EXTENSIN

doença-de-parkinson-7

LEG UP AND DONW

doença de parkinson (1)

PONTE

doença de parkinson (2)

FORTALECIMENTO DE ADUTORES

doença de parkinson (3)

EXTENSÃO UNILATERAL DE MEMBROS INFERIORES

doença de parkinson (4)

Após 10 sessões, o paciente em tratamento, já apresenta melhor coordenação e equilíbrio postural na execução dos exercícios.

Concluindo….

doença-de-parkinson-2

Com certeza essas dicas irão te ajudar a programar uma aula que ofereça todos os benefícios do método para um portador da doença de Parkinson. É importante lembrar que esse aluno está buscando o melhor tratamento para conseguir uma melhora na sua condição, sendo assim, alcançar os resultados esperados por ele é fundamental.

E você já teve algum aluno portador de Parkinson? Conta para gente sua experiência!

 

Referências Bibliográficas

About the Parkinson Foundation Western Pennsylvania  http://pfwpa.org/about-parkinson-disease.html. Ultimo acesso: 23/07/2016)

Grazina R., Massano, J., Physical exercise and Parkinson ’ s disease: influence on symptoms, disease course and prevention. Rev. Neurosci. 2013; 24(2): 139–152.

Herman, T., Giladi, N., Gruendlinger,L.,  Hausdorff,  J.M., Six Weeks of Intensive Treadmill Training Improves Gait and Quality of Life in Patients With Parkinson’s Disease: A Pilot Study. Arch Phys Med Rehabil 2007; (88):1154-8.

King, L.A., Horak, F.B., Delaying Mobility Disability in People With Parkinson Disease Using a Sensorimotor Agility Exercise Program. Phys Ther. 2009; (89):384–393.

Written by Kelly Vendrame

Kelly Vendrame

Ft. Mt. Kelly Elisângela Vendrame Arriero
Instrutora de Pilates – Academia Quality Araçatuba
Fisioterapeuta na UBS Piacatu
Graduação em Fisioterapia - FUNEC
Mestre em Ciência Animal – UNESP
Pós-graduação em Terapia Manual e Técnicas Osteopáticas - FAEFIJA e IDOT
Pilates SUSPENSUS – Vanessa Alves
Pilates Completo – Espaço Vida Pilates
Pilates Avançado – Espaço Vida Pilates
Pilates Aplicado a Reabilitação – Espaço Vida Pilates
Pilates Patologias de Coluna
Pilates Aplicado a Hernia Discal
Pilates Original Clássico – Espaço Vida Pilates
Pilates Clínico Internacional - Valéria Figueiredo
Pilates Solo e Bola – Luminus Cursos
Pilates Aparelhos - CEPRA
RPG/RPM - Instituto Barreiros e Clínica Victoni
Acupuntura Sistêmica – CEPRA
Dermato Funcional – FISIONET
email: kellyvendrame@yahoo.com.br

1 posts

1 Comentário

Deixe um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *