Posted in:

Como o Pilates pode ajudar o Sistema Respiratório

Sistema-respiratório---capa

Aprendemos desde cedo que a principal função do sistema respiratório é realizar as trocas gasosas, assegurando uma boa concentração de oxigênio no sangue e em contrapartida servindo como uma via de eliminação do gás carbônico.

Mas, para que essa função tão nobre ocorra de maneira satisfatória, diversos mecanismos devem trabalhar harmonicamente para que o sistema respiratório faça sua função:

  • Cérebro
  • Medula
  • Sistema Neuromuscular
  • Caixa Torácica
  • Pulmões
  • Vias Aéreas
  • Sistema Cardiovascular
  • Tecidos
  • Células

Todos esses mecanismos formam uma espécie de “corrente”, onde os elos estão fechadinhos tornando essa corrente forte, e nos permite realizar nossas atividades cotidianas, seja tomar banho, praticar um exercício físico ou dormir. Porém, se um desses elos se rompem, a corrente se parte e o nosso sistema respiratório ficará comprometido.

Felizmente digo a vocês, que para fortalecer essa corrente, temos um bom e velho amigo que pode nos ajudar com o sistema respiratório. Isso mesmo, o Pilates!

Vamos entender o porquê!

Evidências CientíficasSistema-respiratório-7

Um recente estudo, de Giacomini e colaboradores, avaliou o efeito do método Pilates na espessura dos músculos da parede abdominal (transverso do abdômen, oblíquo interno e oblíquo externo), na força muscular do sistema respiratório e na função pulmonar.

Foram selecionadas 16 mulheres sedentárias saudáveis, que realizaram 8 semanas de Pilates, através de 2 sessões semanais, com duração de 60 minutos.

Como resultado, os autores relataram hipertrofia dos músculos abdominais avaliados e aumento da força muscular inspiratória e expiratória, porém não foram encontrados resultados significativos em relação a função pulmonar.

Os autores sugerem que a melhora da força muscular respiratória, pode ter sido influenciada pela melhora das características mecânicas da parede torácica e abdominal, assim como o recrutamento do diafragma, juntamente com outros músculos respiratórios, que contribuem para a estabilização do tronco e fornece estímulo para o aumento da força muscular dos músculos do sistema respiratório.

Ressaltam que durante a execução dos exercícios de Pilates, as voluntárias eram constantemente estimuladas a executar um padrão respiratório ativo, através da manobra de esvaziamento abdominal (“puxar” o abdômen em direção a coluna).

Também foram realizados aproximadamente 200 ciclos respiratórios ativos aproximadamente em cada sessão, o que pode explicar a melhoria na função muscular, mesmo sem a utilização de um treinamento específico para essa musculatura.

Na literatura, também encontramos evidências de que o Pilates favorece pacientes com disfunções no sistema respiratório, onde a dispneia (falta de ar), fadiga nos membros inferiores e intolerância ao exercício, são algumas das principais queixas dos pacientes com doenças pulmonares.

Franco e colaboradores realizaram um ensaio clínico com 19 pacientes com fibrose cística, com idade variando entre 7 e 33 anos, que após sessões semanais de Pilates, durante 1 hora, ao longo de 16 semanas, os pacientes apresentaram aumento significativo da força muscular inspiratória e expiratória (no caso das mulheres) e aumento significativo da força muscular expiratória (homens).

Logo, se melhoramos a força muscular do sistema respiratório, esses pacientes terão menor intolerância ao exercício e melhor qualidade de vida.

Caso Clínico – Melhora do Sistema RespiratórioSistema-respiratório-2

Quero compartilhar com vocês, um caso clínico de um paciente com problemas no sistema respiratório que atendi no meu consultório de Pilates.

Paciente, 31 anos, sexo masculino, IMC: 26,4 kg/m2, que há 7 meses havia realizado uma cirurgia de troca valvar aórtica. Relatava dispneia a grandes esforços.

Na avaliação fisioterapêutica, apresentou diminuição de 18% da força muscular inspiratória e diminuição de 19% da força muscular expiratória, avaliados através da manovacuometria, sendo a pressão inspiratória máxima de -110 cm/H2O (predito: -130 cm/H2O) e a pressão expiratória máxima de 118 cm/H2O (predito: 140 cm/H2O).

Após 4 semanas de Pilates, sendo realizadas 3 sessões semanais, com duração de 60 minutos, o paciente foi reavaliado e o mesmo apresentou um aumento de 18% (-130 cm/H2O) na força dos músculos inspiratórios e um aumento de 35% (160 cm/H2O) na força dos músculos expiratórios, atingindo e ultrapassando respectivamente, os valores preditos de acordo com sua idade e peso.

Na avaliação realizada previamente, ele também apresentou diminuição da expansibilidade torácica, onde prescrevi e orientei-o quanto ao uso de um incentivador respiratória a fluxo.

Portanto, não podemos atribuir o aumento da força muscular inspiratória, apenas ao método Pilates, já que o incentivador respiratório pode ter contribuído nessa melhora. Mas, o aumento da força muscular expiratória  pode ser sim, fruto das sessões de Pilates.

Todas as sessões foram realizadas utilizando um frequencímetro de pulso, para monitorar a frequência cardíaca, na tentativa de mantê-la na frequência alvo que calculamos previamente.

Gostaria de enfatizar que estou relatando apenas um caso clínico, para analisarmos com mais fidedignidade esses dados, seria necessário um ensaio clínico, com um número maior na amostra e um grupo controle.

Concluindo…Sistema-respiratório-3

O método Pilates parece promover efeitos positivos na resistência e desempenho muscular, bem como na hipertrofia dos músculos abdominais e nos indivíduos com ou sem fraqueza dos músculos do sistema respiratório podendo ser utilizado como um instrumento terapêutico potencialmente útil em várias populações com patologias pulmonares.

Estas variáveis têm sido apresentadas como alvo terapêutico em diversos estudos e estão relacionadas com relevantes resultados, tais como melhora da capacidade funcional e da qualidade de vida.

Futuras pesquisas são necessárias com aumento da casuística e inclusão de grupo controle.

Antes de tudo, aprenda a respirar corretamente!

(Joseph Pilates)

 

Referências:
Giacomini MB, da Silva AM, Weber LM, Monteiro MB. The Pilates Method increases respiratory muscle strength and performance as well as abdominal muscle thickness. J Bodyw Mov Ther. 2016 Apr;20(2):258-64.
Franco CB, Ribeiro AF, Morcillo AM, Zambon MP, Almeida MB, Rozov T. Air stacking: effects of Pilates mat exercises on muscle strength and on pulmonary function in patients with cystic fibrosis. J Bras Pneumol. 2014 Oct;40(5):521-7.

 

Written by Luana Marchese

Luana Marchese

Luana Marchese, é fisioterapeuta (Crefito 2: 172116-F), pós-graduada em Fisioterapia Cardiorrespiratória, mestre em Ciências Cardiovasculares (UFF) e doutoranda em Ciências Cardiovasculares (UFF). Atualmente atua como professora do curso de pós-graduação em Fisioterapia Cardiorrespiratória (UNIFESO) e no seu consultório de Fisioterapia e Pilates – Reativa.

6 posts

2 Comentários

Deixe um Comentário
  1. Parabéns…. Tenho uma história parecida com a sua. Sou especialista em terapia intensiva pediátrica e neonatal e em Cardiorrespiratória. Há 2 anos pratico e estudo pilates. Amei suas colocações… buscava algo assim… inspirador!

    • Oi Alessandra! Muito obrigada! Fico feliz que tenha gostado e se identificado com a matéria! Muito sucesso pra gente! Beijos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *