Posted in:

Benefícios do Método Pilates em Portadores de TDAH

Benefícios do Método Pilates em Portadores de TDAH
5 (100%) 1 vote

É normal todas as pessoas se sentirem inquietas, ansiosas e desatendas, porém, quando esses sintomas estão exagerados, ultrapassando os limites e atrapalhando o social e emocional é hora de procurar ajuda médica, pois muitas vezes pode ser o transtorno TDAH.

Nessa matéria explicarei melhor o que é esse transtorno e como podemos utilizar o Método Pilates para tratá-lo.

Transtorno de Déficit de Atenção e HiperatividadeTDAH-2

Conhecida até 1994 como DDA (Distúrbio de Déficit de Atenção), o TDAH, segundo a Associação Brasileira do Déficit de Atenção, atinge de 3 a 5% da população infantil no país e em outras nações onde o transtorno já foi pesquisado.

É caracterizado por uma disfunção da dopamina, que é um neurotransmissor ligado ao córtex frontal. Esse transtorno neurobiológico aparece na infância e quando não é tratado pode acompanhar o indivíduo por toda a sua vida.

Obviamente que toda pessoa apresenta um grau de desatenção e inquietude, porém quando o grau é elevado, ultrapassando a média estipulada pela medicina e os sintomas passam a prejudicar demais o indivíduo é que há o diagnóstico do TDAH.

Apesar de algumas crianças desenvolverem o transtorno em uma idade bem precoce, seu diagnóstico raramente é feito antes dos quatro ou cinco anos, uma vez que nessa idade o comportamento das crianças é muito variável e a atenção não é tão exigida como em crianças maiores.

Mais da metade dos pacientes que apresentaram a TDAH na infância permanecem com os sintomas na idade adulta, porém em um grau menor. É um transtorno mais comum em meninos e predomina os sintomas de hiperatividade.

Com o passar dos anos estes sintomas tendem a diminuir, permanecendo então os sintomas de desatenção e diminuindo a proporção de homem X mulher.

Por ser uma doença de dimensão, ou seja, todo indivíduo possui um grau de desatenção e inquietude, mas só é diagnosticada quando o grau ultrapassa os limites considerados normais, muitas vezes as pessoas insistem que o TDAH não existe.

É de extrema importância saber que o portador de TDAH precisa de tratamento e que tal transtorno é de fato uma patologia que pode atrapalhar e muito o desenvolvimento.

Causas do TDAHTDAH-4

Segundo o neurologista Victor Massena, as crianças com mais possibilidades de portar o TDAH são aquelas que possuem pais com o mesmo transtorno (podendo receber uma carga hereditária).

De fato a genética é a principal causa relacionada ao transtorno, sendo aproximadamente 75% das chances de alguém herdar o TDAH dos pais.

Os genes não são responsáveis pelo transtorno em si, mas sim por uma predisposição ao TDAH, como em qualquer transtorno do comportamento, sua maior ocorrência na família pode ser devido a influências ambientais, como se a criança aprendesse esta forma de se comportar pelo simples fato de ver seus pais se comportando assim, o que excluiria o papel de genes.

Desta forma os estudos genéticos foram fundamentais para ter certeza da participação dos genes, sendo realizado então estudos com gêmeos e com adotados.

Comparando-se pais biológicos e pais adotivos das crianças afetadas, foi comprovado que pais biológicos possuem 3 vezes mais TDAH que os pais adotivos.

No estudo com gêmeos comparam gêmeos univitelinos e gêmeos bivitelinos, quanto a diferença aspectos do transtorno, uma vez que os univitelinos possuem 100% de semelhança genética e os bivitelineos 50%.

Se os univitelinos se parecem mais nos sintomas do TDAH do que os bivitelineos, a explicação seria os componentes genéticos, e realmente este estudo mostrou que os univitelinos são muito mais parecidos, chegando a ter 70% de concordância, confirmando uma importante participação genética na origem do TDAH.

As substâncias ingeridas na gravidez também podem ser causas do TDAH, a nicotina e o álcool podem causar alterações em partes cerebrais, incluindo a região frontal orbital.

Alguns estudos mostram que mães alcoolistas possuem mais chance de terem filhos com problemas de hiperatividade e desatenção, estudos estes que mostram apenas uma associação entre os fatores e não uma relação de causa e efeito.

Outros estudos mostram que quando há problemas no parto que causam sofrimento fetal a chance de desenvolver o TDAH era maior.

A relação não é clara, uma vez que mães com TDAH podem ser mais descuidadas e desta forma estão mais predispostas a problemas na gravidez e no parto e então a genética que estaria predominando.

Crianças que sofreram intoxicação por chumbo também podem apresentar sintomas semelhantes ao do transtorno, porém, não há necessidade de se realizar exames para medir o chumbo em uma criança com TDAH já que isto é raro e pode ser identificado pelo histórico familiar.

Teorias também sugerem que problemas familiares podem ser a causa do TDAH em crianças, porém, estudos recentes não comprovam esta ideia, pois a dificuldade familiar pode ser mais a consequência do que a causa.

Mas problemas familiares podem agravar o TDAH, porém não causá-lo.

Sintomas do Transtorno de Déficit de Atenção e HiperatividadeTDAH

Atualmente o TDAH é definido por 18 sintomas dividido em dois blocos: sintomas de desatenção e sintomas de hiperatividade e impulsividade.

Sintomas de Desatenção

A desatenção para ser considerada como de transtorno de déficit de atenção precisa ter a maioria dos seguintes sintomas ocorrendo a maior parte do tempo no seu dia a dia:

  • Deixa de prestar atenção aos detalhes ou comete erro por descuido.
  • Frequentemente apresenta dificuldades para manter a atenção ou atividades recreativas.
  • Frequentemente não segue instruções, não termina seus deveres, ou seja, não chega ao final das tarefas.
  • Apresenta sempre dificuldade em organização
  • Evita se envolver em tarefas que demandam um esforço mental constante
  • Perde coisas que são importantes para realizar tarefas/atividades com frequência.
  • Facilmente se distrai por qualquer estímulo alheio à tarefa que está executando.
  • Esquece frequentemente as atividades diárias.

Sintomas de Hiperatividade

Quando a maioria dos sintomas a seguir é constante na vida do individuo, ele pode apresentar o transtorno de hiperatividade:

  • Com frequência agita mãos, pés ou fica se remexendo na cadeira.
  • Não consegue manter-se sentado quando se espera isso, por exemplo, na sala de aula.
  • Costuma correr ou escalar demais em situações que isso não pode ocorrer; em adulto e adolescente isso pode não acontecer, porém, a pessoa acaba deixando nos outros a sensação de constante inquietação.
  • Apresentam constante dificuldade para brincar ou se envolver silenciosamente em atividades.
  • Está sempre “ligado nos 220 volts”, “a mil”, “a todo vapor”…
  • Sempre fala muito.

Sintomas de Impulsividade

Outros sintomas relacionados são aqueles ligados à impulsividade, que são os seguintes:

  • Responde precipitadamente antes das perguntas terem sido terminadas.
  • Sente dificuldade constante em aguardar sua vez.
  • Interrompe ou se mete em assuntos de outros com frequência.

Tratamento para o TDAHTDAH-3

O tratamento do TDAH inclui uma terapia comportamental, uso de medicamentos e alguns especialistas recomendam atividades físicas.

Segundo a psiquiatra Tatyane Coló, a atividade física melhora a capacidade de concentração e diminui a ansiedade do indivíduo.

Acredita-se que 30 minutos, em intensidade moderada a alta, é o tempo mínimo que uma criança precisa para ter os benefícios da atividade física, o ideal ainda é que a criança pratique o exercício físico antes da aula, pois desta forma ela vai ter os efeitos agudos do exercício no dia, ou seja, irá estar mais concentrada e atenta.

É necessário que o instrutor informe-se sobre o TDAH para o tratamento de um portador, pois ele irá ver que não são todos os exercícios que serão indicados, que será necessário a troca de exercícios constantemente para que o portador não canse e então perca o foco.

Concluindo…TDAH-Concluindo

O Pilates para os portadores de transtorno de déficit de atenção e hiperatividade traz muitos benefícios como a melhora da capacidade de concentração, a diminuição da ansiedade do indivíduo e o aumento da autoconfiança.

Ele também tem um ganho de consciência corporal, melhora da postura, alívio das tensões e dores, aprimoramento da coordenação e o equilíbrio, além de previnir lesões, restabelecer o equilíbrio, e restaurar as conexões responsáveis pela sensação de segurança ao realizar as atividades do dia-dia.

Ouvir músicas durante as aulas é uma opção que ajudará, tanto na concentração da execução dos exercícios, quanto nas respostas psicológicas.

Written by Renata Kirilos

Renata Kirilos

Formada em Fisioterapia pela PUC-PR. Curso de Pilates solo, bola e aparelhos e de Treinamento Funcional pelo ISP . Fisioterapeuta, Instrutora de Pilates e de Treinamento Funcional na clínica Fisiogorte em Curitiba.

5 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *