Junte-se a mais de 200.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

É interessante observar que os mesmos questionamentos feitos por Joseph Pilates no século passado ainda servem como pesquisa para os dias de hoje, os métodos foram criados para auxiliar na melhora da qualidade de vida, e coloca a concentração e o Pilates como base em muitos de seus ensinamentos.

Pilates discorre em sua obra, intitulada Sua Saúde, escrita em 1934, sobre prováveis causas de patologias existentes naquela época e como sua técnica poderia preveni-las e até combatê-las.

Mas por que o que Joseph Pilates escreveu no século passado pode, ainda, fazer tanto ou mais sentido, também nos dias de hoje? É o que vamos descobrir nesse texto.

Sobre a Contrologia

Uma parte de seu conceito de saúde, denominado Contrologia, vem da base do surgimento da educação física, mais propriamente da Grécia Antiga, e de ensinamentos de filósofos como Platão, por exemplo, que descrevia a alma (mente) como preexistente ao corpo e a ele sobrevivente.

Para Joseph Pilates, o equilíbrio entre o corpo e a mente “é o controle consciente de todos os movimentos musculares do corpo.








CURSO DE PILATES PARA COLUNA


 Garanta agora  3 Cursos Completos + Bônus

Pilates para a reabilitação das principais patologias da Coluna

É a correta utilização e aplicação dos princípios mecânicos que abrangem a estrutura do esqueleto, um completo conhecimento do mecanismo do corpo e uma compreensão total dos princípios de equilíbrio e gravidade, como nos movimentos do corpo durante a ação, no repouso e no sono”.

É o controle saudável que criamos a partir de exercícios que estimulam a conexão entre mente e corpo, descrita como powerhouse, que envolve os músculos da região central do corpo, tanto anteriormente, lateralmente como posteriormente.

Em todas as realizações dos exercícios de Pilates é fundamental que se tenha um suporte e controle do tronco em sincronia com movimentos dinâmicos das extremidades, o que nos mostra a relevância de estabilizar centro para ter função mais distantes.

A atuação da concentração e o Pilates no corpo

Entendendo parte desta passagem do livro do Pilates, a grosso modo, para que as fibras musculares esqueléticas se contraiam, é necessário o comando vindo dos nervos motores, os impulsos nervosos.

Uma fibra nervosa pode inervar uma única fibra muscular ou até 160 ou mais fibras. Com isso fica claro entender porque Joseph já dizia que seu método perderia 50% da eficácia se não fosse realizado com a devida concentração.

Ainda é sabido que “a concentração em cada movimento do corpo proporciona um aumento da propriocepção através de um contínuo feedback de respostas motoras” .

O feedback é, segundo Castro (1988),  toda informação oriunda de fontes externas que o executante recebe durante ou depois de realizar um movimento.

Para o idealizador do Método, grande parte dos conceitos antigos, vindos dos gregos, havia se perdido em função da mecanização das atividades laborais, da diminuição das atividades funcionais do dia a dia e da busca incessante por riqueza material.

Esta muitas vezes alcançada, mas não podendo ser desfrutada em função de não se ter dado a devida importância a seu corpo e principalmente a concentração.

Utilizando a concentração e o Pilates corretamente

Os ensinamentos de Pilates retoma esse conceito de mente/corpo, e explanam o quão importante para promoção e manutenção da saúde ele é.

“Concentre-se nos movimentos certos cada vez que você faz um exercício. Caso contrário, você os executará de forma inadequada e eles perderão seu valor”, essas são palavras do próprio Pilates sobre esta questão.

Para psicologia, podemos explicar a concentração como uma intensa atividade mental, dirigida a um setor específico da nossa atividade. Promove condições ótimas para realizar os movimentos de forma correta.

 Essa capacidade de dirigir a atenção para uma tarefa em particular minimiza possíveis compensações musculares durante a execução dos exercícios, assim como a probabilidade de ocorrerem possíveis acidentes, resultando em lesões.

Em função dessa via de mão dupla que “prestar atenção” no movimento solicitado, que “mandar o músculo” contrair (contração voluntária) e que o feedback, intrínsecos e extrínsecos, são de suma importância para que nossos alunos / pacientes / clientes executem os exercícios da maneira correta e assimilem todos os benefícios que este conceito antigo pode oferecer ainda nos dias de hoje, física e mentalmente.

‏Concluindo…

A partir do que foi falado, podemos concluir a razão pela qual os métodos e ensinamentos de Joseph Pilates ainda são bem atuais e nos auxiliam diariamente.

Os exercícios criados por ele são baseados também em uma concentração exemplar, que auxilia e promove ao aluno uma completa renovação. Tornando a concentração e o Pilates grandes aliados.

Com base na concentração correta e eficiente podemos alavancar nossos resultados e colocar corpo e mente em um único sentido, impulsionando para frente.

Você consegue utilizar a concentração e o Pilates? O que achou dessa matéria? Tem alguma dúvida? Conta pra gente!