Posted in:

Exercícios de Pilates para Reabilitação do Ombro

Existem vários tipos de exercícios aplicados no método Pilates para prevenção e reabilitação do ombro, uma vez que esta região pode apresentar diversos tipos de patologias.

Nesta publicação você encontra exercícios para:

  • Lesões de inflamação da bursa subacromial;
  • Tendinopatias e síndrome do impacto subacromial;
  • Lesões dos tendões do manguito rotador;
  • Xapsulite adesiva (ombro congelado);
  • Diacinese da escápula (escápula alada).

Quer saber quais os melhores exercícios de Pilates para a reabilitação do ombro? Continue lendo esse texto para saber quais são!

Inflamação da bursa subacromial, tendinopatias e síndrome do impacto subacromial

A tendinopatia é causada por um esforço repetitivo na articulação, ou seja, uma inflamação no tendão de quaisquer músculos envolvidos no complexo articular do ombro.

A inflamação da bursa subacromial também segue este mesmo padrão, todavia, a inflamação é na bursa. A bursa é parecida com uma “bolsa” e dentro dela é encontrado um líquido viscoso, o líquido sinovial.

Esta “bolsa” tem a função de proteger nossa articulação, evitando o atrito do tendão e do músculo no osso. Pessoas que trabalham com limpeza, digitadores, produzem um esforço repetitivo em demasia no ombro.

O ideal é que, na realização destas atividades, as pessoas façam um intervalo de descanso para não sobrecarregar os tendões e a bursa, respectivamente.

Já na síndrome do impacto subacromial, os indivíduos costumam apresentar dor ao realizarem movimentos de elevação do braço, sendo muito uma patologia muito comum em atletas de handebol e tenistas.

Bem como em pessoas que realizam tarefas que exigem a manutenção do ombro com amplitudes acima de 90º de flexão e/ou abdução de ombros por longos períodos.

Para a reabilitação do ombro nesses casos, abaixo segue alguns exercícios que selecionamos:

Mobilidade articular do ombro no rolo:

Posição inicial (foto) – Paciente realizará a partir da posição inicial a flexão de tronco e cervical, sincronizado com o movimento de flexão a 180º de ombros, expirando e ativando a Power House. Por fim, retornar à posição inicial inspirando.

Pranchas e suas variações, com ou sem componentes proprioceptivos:

Elevação dos ombros no plano da escápula até 90º com auxílio do reformer:

Lesões dos tendões do manguito rotador

O manguito rotador é composto pelos músculos supraespinal, infraespinhal, subescapular e redondo menor. Tem por função a estabilização dinâmica do ombro.

Se o manguito rotador não funciona em sua plenitude, estabilizando a articulação glenoumeral de maneira correta, o ombro acaba perdendo a sua função, que nada mais é que posicionar a mão no espaço, proporcionando a ela a autonomia para a realização de tarefas funcionais grossas e finas.

No método Pilates, o tratamento das lesões do manguito rotador pode ser realizado de forma prática e simples. Vejamos este exemplo utilizando o reformer. Vamos a ele.

Para a reabilitação do ombro nesses casos, abaixo segue um exercício no reformer:

Remada e suas variações no reformer:

Posições iniciais (foto) – Neste exercício é solicitado ao paciente que faça a transição através do movimento de remada baixa.

Este tipo de exercício é importante, pois auxilia no fortalecimento dos membros superiores, trabalhando a estabilidade escapular do paciente.

Mediante a esta transição de movimentos, o manguito rotador terá de trabalhar o suficiente para estabilizar o ombro na extensão aplicada, a escápula e também o Power House do paciente.

Capsulite adesiva (ombro congelado)

O fator limitante da amplitude do ombro dos pacientes não são os tendões nem os músculos, e sim as cápsulas articulares.

A cápsula anterior limita os movimentos de rotação lateral do ombro, ou seja, os movimentos em que a palma da mão roda para fora do corpo.

Já a cápsula posterior limita o movimento de rotação medial do ombro, ou seja, os movimentos onde o dorso da mão se distancia das costas.

Vale citar ainda os movimentos de elevação, que são limitados, principalmente, por compressão dos tecidos subacromiais pela cápsula inferior, que limita os movimentos de elevação da glenoumeral.

Porém a cápsula inferior tem um componente que influencia a rotação lateral e medial, logo, pode gerar limitações de movimento multidirecionais.

Este tipo de movimento são aqueles funcionais, nos quais o paciente quer colocar uma carteira no bolso, fazer sua higiene, coçar as costas, entre outros.

Para a reabilitação do ombro nesses casos, abaixo segue um exercício com bola suíça:

Movimento de elevação do ombro (cápsula posterior) com faixa elástica, com paciente sentado sobre a bola suíça:

Para este exercício é de extrema importância que a mão a ser tratada mantenha-se confortável na faixa (relaxada), pois se espera que as repetições do exercício imprimam uma movimentação passiva, eliminando a inserção de qualquer tipo de tendão que possa influenciar no movimento.

Além disso, o paciente deve estar em sedestação na bola suíça, mantendo a coluna ereta e sincronizando os movimentos dos membros superiores com a respiração e ativação da Power House.

Com uma das mãos o paciente puxará a faixa tencionando o braço a ser tratado até um ponto de conforto de extensão. Feito isso, espera-se que o paciente possa seguir com o movimento, atingindo o limite da amplitude preservada.

Elevação e decoaptação de ombros no cadillac:

Diacinese da escápula (escápula alada)

Diacinese ou discinesia da escápula é uma alteração biomecânica que ocorre na articulação.

Na verdade, o termo discinesia não é o termo mais correto a ser usado, afinal o paciente com esse tipo de lesão tenta realizar o movimento de pegar algum objeto a sua frente e não consegue fazê-lo, ou seja, ele apresenta problema no movimento involuntário.

A diacinese escapular permite que o paciente realize o movimento de pegar algum objeto a sua frente, só que para isso ele acaba apresentando alguns padrões anormais de ritmo da articulação escapulotorácica, confirmando assim o termo diacinese como o mais correto.

A discinese escapular (escápula alada) é uma condição caracterizada por luxação do ombro, em que a escápula, o osso triangular das costas, sofre uma protusão posterior que pode reduzir a mobilidade do ombro.

Esta condição pode ser muito dolorosa e desconfortável, acarretando na necessidade do paciente realizar exercícios para melhorar a condição.

Para a reabilitação do ombro nesses casos, abaixo segue alguns exercícios:

Estabilidade sobre a bola suíça:

Em decúbito dorsal sobre a bola, colocando seus ombros e parte superior das costas. As pernas devem estar flexionadas a 90º, enquanto o polegar da sua mão em exercício pressionará a coxa oposta.

A seguir, o paciente elevará o braço em exercício, realizando movimento diagonal, posicionando o polegar em posição para cima.

Exercícios de Pilates para prevenção de Lesões no Ombro

Os exercícios a seguir são ótimos para prevenir lesões no complexo do ombro, sendo indicados para todas as pessoas que pretendem iniciar um programa de exercícios.

Rotações lateral e media de ombros no reformer:

Inflamação da bursa subacromial, tendinopatias e síndrome do impacto subacromial

A inflamação da bursa subacromial, as tendinopatias e a síndrome do impacto subacromial, são inflamações corriqueiras, uma vez que diariamente realizamos movimentos involuntários e não prestamos atenção se estes estão sendo feitos de maneira correta

Prevenção de lesão nos tendões do manguito rotador

Uma lesão no manguito rotador é extremamente complexa e, muitas vezes, nunca é sanada por completo. Por isso, a melhor alternativa é a prevenção.

Restrições de exercícios para pacientes com problemas no Ombro

Assim como em qualquer outro tratamento, e obviamente isso se aplica ao complexo ombro também, a avaliação é um fator determinante na escolha da melhor conduta para determinados casos.

Por isso, investir em uma avaliação cinética funcional de qualidade, é o melhor caminho para, que o fisioterapeuta que trabalha com o método Pilates, determinar as condutas e decidir quais exercícios não são adequados às patologias do ombro.

Cuidados durante a Reabilitação do Ombro

O método Pilates é um dos métodos mais eficazes no tratamento da dor. Contudo, deve ser utilizado com muita responsabilidade pelos profissionais, pois um excesso na carga de exercícios, ou o desconhecimento do método, pode acarretar no agravamento da lesão.

Para que o trabalho seja realizado de forma eficaz, trazendo ao paciente conforto e alívio, o profissional do Pilates deve tomar alguns cuidados ao montar a série de exercícios para o paciente com lesão no complexo do ombro. São elas:

  • Amplitude baixa de movimentos – A lesão no complexo do ombro é algo limitador, ou seja, o paciente está impossibilitado de cumprir as funções normais do braço, logo, é de extrema importância que o profissional atente para a série de exercícios que será delegada ao aluno, uma vez que os primeiros movimentos serão os mais dolorosos. A ideia é que os exercícios propostos sejam executados de forma gradativa, conforme a evolução do paciente, para que este possa sentir confiança ao realizar os movimentos, auxiliando assim, no processo de cura da patologia.
  • Diálogo paciente/profissional do pilates – é de suma importância que o profissional do pilates crie um vínculo de confiança com o paciente, para que este se sinta a vontade para relatar todas as suas sensações durante o trabalho proposto. Alguns pacientes não sentem essa liberdade e isso pode atrapalhar o processo de tratamento da lesão. Enfim, o paciente deve alertar o profissional sobre qualquer tipo de dor ou incomodo na região a ser tratada, e isso só será feito de forma efetiva se houver essa cumplicidade professor/paciente.
  •  Complexo do ombro e suas interligações – como sabemos o complexo do ombro tem diversas ligações e inserções musculares com outros complexos do corpo humano. Logo, é importante que o profissional do pilates analise bem os exercícios propostos para esta região, de modo que o tratamento de determinado membro não prejudique outro complexo anatômico do paciente.

Como corrigir ombros protusos com o Pilates

O desvio postural (má postura) está intimamente ligado ao desequilíbrio muscular e na alteração do posicionamento das articulações. Cada vez mais, a má postura se faz presente nos mais variados tipos de pacientes, que exercem os mais variados tipos de atividades.

Pessoas que trabalham em frente ao computador ou carregando pesos excessivos estão propensas a desenvolverem esse tipo de patologia, pois a postura dos ombros protusos caracteriza-se pela sua projeção à frente, com deslocamento das escápulas para baixo e para frente.

Os desequilíbrios musculares presentes neste tipo de postura são: músculos peitoral e serrátil anterior encurtados e músculos dorsais alongados e fracos.

Esse tipo de patologia pode ser evitada e corrigida. A coluna vertebral possui algumas curvaturas normais, todavia, só o olhar de um profissional habilitado pode discernir se há o aumento e diminuição dessas curvaturas. Se sim, é preciso tratar para evitar sérios problemas.

Para prevenir os ombros protusos, praticar exercícios de fortalecimento muscular e alongamentos pode contribuir para a manutenção da postura correta e reequilíbrio muscular e estrutural.

Exercício postural no reformer

Um exemplo de exercício para correção da postura pode ser praticado no reformer. Primeiramente, o paciente senta-se no aparelho olhando para frente. Cruza as pernas e mantem o abdômen contraído. Segura as cordas com as mãos. Inspirando, flexiona os cotovelos e gira as palmas para cima.

Expira e estende os braços mantendo os ombros alinhados. O ideal é que ele repita o movimento 3 vezes.  Feito isso, o paciente deve elevar os braços por cima da linha dos ombros. Expirando, deve abaixar os braços até os joelhos.

É importante que o paciente repita também este movimento por 3 vezes. Na sequência, o paciente deve levar os braços em direção ao chão até a altura dos quadris, inspirar, e elevar os braços até o teto e alinhando-os com o torso.

Em seguida, deve girar as mãos para frente e separar os braços formando um círculo. Este movimento deve ser repetido por 2 vezes.

Lembre-se, inspirar ao flexionar, expirar ao estender. Inspirar ao elevar os braços, expirar ao abrir os braços. Esta série deve ser repetida por 2 vezes, depois o paciente desarma a postura e descansa. Cada série deste exercício deve apresentar de 3 a 5 repetições.

Concluindo…

Este estudo mostra que o <étodo Pilates pode ser uma ferramenta eficaz para o fisioterapeuta na reabilitação e prevenção de lesões no complexo do ombro.

Apresentando benefícios variados e poucas contraindicações. Mesmo quando estas existem, os exercícios podem ser adaptados e realizados em outras posturas.

O método Pilates para o tratamento do complexo do ombro, então, assume papel fundamental, referenciada como uma das modalidades terapêuticas mais indicadas.

Entretanto, se faz necessário uma avaliação minuciosa de forma que a origem do impacto seja esclarecida o mais breve possível e o tratamento proposto conforme evolução da patologia, pois a conduta utilizada deverá respeitar a fase da doença.

Bibliografia

Anderson BD, Spector A. Introductions to pilates-based rehabilitation. Orth Phys Ther Clin. North Am. 2000;9(3):395-410.

Blog Pilates. (2016). Método Pilates aplicado nas Patologias do Ombro. Acesso em: 25/01/2017. Disponível em: https://blogpilates.com.br/pilates-nas-patologias-do-ombro/

Metzker, C. A. B. (2010). Tratamento conservador na síndrome do impacto no ombro. Fisioter. Mov., Curitiba, v. 23, n. 1, p. 141-151.

Santos OS, Bonamin C, Sobania LC, Otsuka N, Sobania RL. Síndrome do impacto: resultados do tratamento cirúrgico. Rev. Bras. Ortop. 1995;30(9):655-9.

Silva, A. C. L. G. & Mannrich, G. (2009). Pilates na reabilitação: uma revisão sistemática. Fisioter. Mov., Curitiba, v. 22, n. 3, p. 449-455.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *