Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

Pensando em um tema para escrever meu primeiro artigo para o Blog Pilates, resolvi buscar inspiração na minha própria experiência. Pratiquei Ballet por alguns anos na minha infância e adolescência, e confesso, sempre fui fascinada pela flexibilidade das grandes bailarinas. 

Anos depois, ainda na graduação, tive o primeiro contato com o Método Pilates durante meu primeiro curso de MAT, e para minha felicidade, encontrei algo que realmente me aproximou daquele universo e permitiu conquistar novamente minha flexibilidade perdida, após o fim da minha breve carreira de bailarina.

Hoje, como profissional, percebo que o encantamento pela flexibilidade, motiva grande parte dos pacientes que procuram atendimento e buscam conquistar essa habilidade através do Método.

Por isso, resolvi mostrar nesta matéria como a modalidade MAT Pilates pode ser um ótimo aliado e colaborar para a conquista da flexibilidade. Vamos lá?

Mas afinal, o que é a flexibilidade?

De acordo com Ghorayeb & Barros (1999), a flexibilidade é a amplitude máxima passiva fisiológica de um determinado movimento. Ela pode ser definida como a capacidade da estrutura muscular se estender, sem danos, ferimentos ou lesões. 

__CONFIG_colors_palette __ {"active_palette": 0, "config": {"colors": {"9bd08": {"name": "Main Accent", "parent": - 1}}, "gradients": []}, " paletas ": [{" nome ":" Paleta padrão "," valor ": {" cores ": {" 9bd08 ": {" val ":" rgb (159, 64, 248) "}}," gradientes ": []}, "original": {"cores": {"9bd08": {"val": "rgb (19, 114, 211)", "hsl": {"h": 210, "s": 0,83 , "l": 0,45}}}, "gradientes": []}}]} __ CONFIG_colors_palette__
GARANTA AGORA

É determinada, não só pela extensibilidade do músculo, mas também pelas outras estruturas articulares, como a cápsula articular, ligamentos e tendões. 

Na prática, a maioria dos pacientes busca se beneficiar pelo ganho de amplitude dos movimentos, alívio de dores e aumento da funcionalidade nas suas atividades diárias. 

Quais os tipos de flexibilidade?

Ela pode ser dividida em flexibilidade estática, que se refere ao grau máximo que uma articulação pode ser movida passivamente. 

Ou dinâmica, que é a amplitude máxima que uma articulação pode ser movida através de uma contração muscular ativa feita pelo próprio paciente.

Quais são os benefícios proporcionados pela flexibilidade?

Abaixo listei alguns benefícios proporcionados pelo ganho de flexibilidade:

  • Melhora a postura corporal;
  • Melhora a qualidade dos movimentos; 
  • Diminui o risco de lesões; 
  • Melhora funções respiratórias;
  • Retarda o surgimento de fadiga muscular, acelerando a recuperação dos tecidos. 

Os pacientes geralmente relatam ainda, sensação de relaxamento, diminuição do estresse e de tensões nervosas, além do alívio de câimbras.

Na prática clínica, observo grande melhora na mobilidade, ajudando a liberar movimentos que antes estavam “bloqueados”, reduzindo tensões musculares e articulares, contribuindo muito para a prática das atividades de vida diária dos pacientes, devolvendo sua funcionalidade.

Quais fatores influenciam na flexibilidade?

Idade: teoricamente, quanto mais velha a pessoa fica, menor será sua flexibilidade, devido às mudanças relacionadas ao processo de envelhecimento, em especial as alterações do sistema musculoesquelético. 

As cápsulas articulares e os ligamentos sofrem alterações com o passar dos anos, tornando-se mais rígidos, consequentemente, o enrijecimento das cápsulas e dos ligamentos causa efeito direto sobre a extensão e qualidade dos movimentos, deixando-os mais lentos, imprecisos ou descoordenados, comprometendo, como consequência, toda amplitude do movimento.

Sexo: as mulheres possuem tecidos menos densos, por isso geralmente são mais flexíveis do que os homens.

Individualidade corporal: o grau de flexibilidade pode variar de pessoa para pessoa, independentemente da idade ou sexo, devido a fatores genéticos e hereditários.

Tônus Muscular: o aumento do tônus muscular pode prejudicar a flexibilidade.

Temperatura Ambiente: normalmente o frio reduz a capacidade elástica do músculo, assim como temperaturas altas tendem a relaxar a musculatura e podem aumentar a flexibilidade.

Horário: ao acordar, nosso corpo está em uma condição de “repouso” e isso faz com que os componentes da musculatura e das articulações estejam em sua forma mais próxima do original; isto pode ocasionar resistência em movimentos de maior amplitude. 

Com o passar do dia, a flexibilidade pode atingir níveis melhores, mais próximos da normalidade.

Além disso, a flexibilidade pode ser reduzida pela falta de atividade do indivíduo; assim como a prática regular de exercícios de MAT Pilates, por exemplo, pode aumentá-la.

O Método Pilates

O Método foi criado pelo alemão Joseph Pilates, no início de 1920, com o objetivo de melhorar a qualidade de vida dos seus praticantes. Ele acreditava que era possível utilizar nosso corpo como mediador do desenvolvimento físico e mental. 

A prática abrange exercícios de alongamento, fortalecimento e mobilidade, que podem ser realizados em aparelhos específicos desenvolvidos pelo próprio Joseph ou no MAT (solo).

O sistema de exercícios criados por Joseph trabalha movimentos corporais com base em seis princípios: concentração, respiração, centralização, fluidez, precisão e controle, procurando dessa forma, integrar corpo e mente. 

O Método se difere das modalidades comuns porque é sustentado nesses princípios, e prioriza a integridade óssea, muscular e ligamentar dos seus praticantes. 

Ele permite que os pacientes realizem os movimentos de maneira segura, com baixo impacto, reduzindo possíveis compensações e mecanismos de lesão. Além de promover alívio de dores, melhora da postura, aumento de força, maior controle muscular, aumento da circulação e flexibilidade.

O que é o MAT Pilates?

Como mencionei anteriormente, ele engloba os exercícios que são realizados no solo, podendo utilizar ainda alguns acessórios

Diferente dos exercícios realizados nos aparelhos, onde existe a “ajuda” de molas e alças que de certa maneira “facilitam” na execução dos movimentos, no MAT não temos essa ajuda. 

Sendo assim, os exercícios dependem da própria força do corpo, mais a ação da gravidade, exigindo um pouco mais do praticante, tornando os movimentos mais difíceis de serem realizados.

Uma vez que o MAT Pilates requer mais dos pacientes durante a realização dos movimentos, sua execução garante um ganho maior de força muscular, flexibilidade e equilíbrio, tornando os exercícios mais complexos e desafiadores. No entanto, com essas características, os resultados podem ser adquiridos de forma mais rápida.

Exercícios de MAT Pilates para ganho de flexibilidade

1.    Roll Over

exercicio-roll-over

Execução: em decúbito dorsal, membros superiores estendidos ao lado do tronco e quadris flexionados em 90º. Eleve os membros inferiores acima da cabeça, tentando tocar os pés no solo. Retorne à posição inicial desenrolando a coluna.

2. Roll Up

Execução: em decúbito dorsal, membros superiores acima da cabeça, membros inferiores estendidos e alinhados com os tornozelos unidos e pés em dorsiflexão.

Enrole a coluna lentamente, levando o queixo em direção ao peito, elevando o tronco, direcionando os membros superiores para frente o mais distante possível. Desenrole a coluna de forma controlada até retornar à posição inicial no MAT.

3.  Single Straight Leg Strech

exercicio-para-flexibilidade-Single-Straight-Leg-Strech

Execução: em decúbito dorsal, eleve ligeiramente o tronco, retirando as escápulas do MAT. Flexione um quadril até conseguir encostar as mãos próximas ao tornozelo. O membro inferior contralateral deve perder o contato com o solo, mantendo a extensão de joelho. Faça o movimento de troca alternada dos membros inferiores.

4. Open Leg Rocker

Execução: sentado sobre os ísquios, com os calcanhares próximos ao quadril, joelhos flexionados e afastados na largura dos ombros, as mãos irão segurar os tornozelos ou calcanhares e a coluna estará flexionada em “C”, com abdômen contraído e escápulas alinhadas. 

Inspirar, e ao expirar estender os joelhos para o alto promovendo o alongamento axial da coluna e acionando o centro de força. Inspirar novamente rolando para trás – com controle do movimento nesta etapa – e, ao expirar, subir o tronco sem soltar o apoio das mãos nos membros inferiores e sem flexionar os joelhos, voltando à posição intermediária. Nesse caso não retornaremos à posição inicial.

Conclusão

Como diria nosso querido Joseph Pilates ”A arte do Pilates prova que a sua idade não é medida em anos, ou como você acha que você se sente, mas sim pela flexibilidade normal da sua coluna ao longo da sua vida”.

Sendo assim, eu convido você que está lendo esse artigo, a se permitir experimentar e se beneficiar praticando esse Método incrível! 

O MAT Pilates tem um amplo repertório de exercícios, que podem ser realizados de maneira simples, em qualquer lugar, sem necessitar de grandes investimentos. São exercícios livres, que trabalham de forma integrada corpo e mente, permitindo infinitas possibilidades de estimular nosso corpo, a fim de conquistar músculos mais flexíveis, que nos permitam viver com mais qualidade de vida e maior funcionalidade.

“Se um jovem tem 20 anos e está encurtado, é um velho. Porém se tem 60 anos com flexibilidade e força, é um jovem” – Joseph Pilates.