Junte-se a mais de 200.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

Quando treinamos para nos tornarmos instrutores de Pilates com Romana Kryzanowska, nós fizemos o que ela chamou de “estudo independente”.Isso significava estudar com ela do jeito que ela estudou com Joseph Pilates, um verdadeiro aprendizado. Ela não nos deu um manual prévio, apenas estudamos o Método com ela. O único material escrito que ela nos deu é o que ela chamava de “Cartão Azul”, com a ordem completa do Método, do Mat ao Reformer.

Não demorou muito até vermos um dos outros aprendizes olhando para o manual, para nos darmos conta de que havia, afinal, um manual – o “Cartão Azul”.

Ela nunca nos ensinou, especificamente, o meio iniciante, intermediário e avançado. Ela nos enviou os exercícios que os clientes precisavam.

Mesmo que houvesse uma ordem muito específica no Mat e no Reformer, não havia ordem nenhuma para as outras peças e aparelhos. Sim, aparelhos e não equipamentos. Romana sempre dizia, “eles são aparatos, não equipamentos.

Por que? Equipamentos se movem, enquanto um aparelho você tem que se mover”. Mas voltando ao ponto, havia apenas ordens e manual para Mat e Reformer.

Romana nos ensinou que a série podia, e devia, ser adaptada para as necessidades e capacidades do cliente.

Trabalhamos com uma variedade de clientes; clientes saudáveis, clientes com limitações físicas, atletas profissionais e artistas. Como você pode imaginar, todos eles precisavam de treinos muito específicos e diferentes e que, para alguns, passar séries e exercícios sem omitir ou adicionar exercícios simplesmente não funcionava.

Por isso, criamos diferentes ordens/séries para diferentes clientes. Nós não só ajustávamos o nível de exercício e a intensidade do treino, como também ajustávamos a ordem os exercícios. É muito animador e interessante ver o que funciona com cada cliente.

Ser capaz de ajustar-se às necessidades do cliente a qualquer momento nos permite ser mais específico, objetivo e eficaz. A ordem é a diretriz e um caminho para o sucesso. Mas, como Joseph Pilates mesmo dizia: “há muitas estradas que levam a Roma!”.

Criar diferentes séries para os clientes não significa criar caos no Studio. Nós vemos instrutores alterando não só a série de um aparelho, mas alternando entre os dispositivos.

Eles começam com o Reformer, passam para o Cadillac, alguns exercícios na Wunda Chair e depois de volta para o Reformer. Isso é extremamente prejudicial ao fluxo da aula, e desrespeitoso com os companheiros instrutores.

A fim de equilibrar as necessidades de seu cliente, com as necessidades dos clientes dos seus colegas, sugerimos que você termine todos os exercícios que precisa sobre um aparelho, e só em seguida passe para o próximo.

Em situações raras, em que é absolutamente necessário alternar os aparelhos, deixe que os outros instrutores fiquem sabendo antes de começar, e diga-os o que está planejando fazer.

Pergunte se eles estão bem com isso, verifique se eles são capazes de acomodá-lo. Você vai descobrir que na maioria das vezes, não será um problema, desde que você não faça isso regularmente.

O cartão azul de Romana Kryzanowska, original usado para treinamento

Trabalhamos com uma variedade de clientes; clientes saudáveis, clientes com limitações físicas, atletas profissionais e artistas.

Como você pode imaginar, todos eles precisavam de treinos muito específicos e diferentes e que, para alguns, passar séries e exercícios sem omitir ou adicionar exercícios simplesmente não funcionava.

Por isso, criamos diferentes ordens/séries para diferentes clientes. Nós não só ajustávamos o nível de exercício e a intensidade do treino, como também ajustávamos a ordem os exercícios. É muito animador e interessante ver o que funciona com cada cliente.

Ser capaz de ajustar-se às necessidades do cliente a qualquer momento nos permite ser mais específico, objetivo e eficaz.

A ordem é a diretriz e um caminho para o sucesso. Mas, como Joseph Pilates mesmo dizia: “há muitas estradas que levam a Roma!”.

Criar diferentes séries para os clientes não significa criar caos no Studio. Nós vemos instrutores alterando não só a série de um aparelho, mas alternando entre os dispositivos.

Eles começam com o Reformer, passam para o Cadillac, alguns exercícios na Wunda Chair e depois de volta para o Reformer. Isso é extremamente prejudicial ao fluxo da aula, e desrespeitoso com os companheiros instrutores.

A fim de equilibrar as necessidades de seu cliente, com as necessidades dos clientes dos seus colegas, sugerimos que você termine todos os exercícios que precisa sobre um aparelho, e só em seguida passe para o próximo.

Em situações raras, em que é absolutamente necessário alternar os aparelhos, deixe que os outros instrutores fiquem sabendo antes de começar, e diga-os o que está planejando fazer.

Pergunte se eles estão bem com isso, verifique se eles são capazes de acomodá-lo. Você vai descobrir que na maioria das vezes, não será um problema, desde que você não faça isso regularmente.