Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

“Antes de tudo, aprenda a respirar corretamente”, já dizia J. Pilates. Pergunte para qualquer instrutor de Pilates e você descobrirá que nem todos sabem exatamente porque, ou como, devemos respirar. Mal sabem que o Pilates e a respiração estão extremamente conectados.

Antes de entrarmos em uma sala de Pilates pedindo para nossos alunos/pacientes inspirarem e expirarem, precisamos entender como essa respiração deve ser realizada e qual o seu impacto sobre o organismo.

Atualmente utilizamos a respiração costolateral nas aulas/sessões de Pilates por ser considerada a mais fisiológica. Ora, uma vez que respiramos de forma adequada, evitamos a utilização da musculatura acessória da respiração de forma excessiva, evitando compensações e tensões musculares desnecessárias, assim como favorecemos uma troca gasosa mais eficiente.

A respiração costolateral é realizada de forma tridimensional, onde a caixa torácica é empurrada no sentido latero-lateral, póstero anterior e crânio caudal durante o processo de inspiração, e retrai-se na expiração, sendo também neste tipo de respiração que o terço inferior dos pulmões recebe ventilação, possibilitando uma maior porcentagem de troca gasosa.

Muito mais do que apenas contribuir para uma maior troca gasosa, uma respiração adequada favorece durante a fase inspiratória, melhora da circulação na veia cava inferior.

Durante a fase inspiratória ocorre o rebaixamento do diafragma, com consequente diminuição da pressão intratorácica e aumento da pressão abdominal, culminando na elevação da pressão sobre a veia cava inferior, contribuindo desta forma para uma melhor circulação sanguínea.

__CONFIG_colors_palette __ {"active_palette": 0, "config": {"colors": {"62516": {"name": "Main Accent", "parent": - 1}}, "gradients": []}, " paletas ": [{" nome ":" Paleta padrão "," valor ": {" cores ": {" 62516 ": {" val ":" rgb (19, 114, 211) "," hsl ": {" h ": 210," s ": 0,83," l ": 0,45}}}," gradientes ": []}}]} __ CONFIG_colors_palette__
EU QUERO BAIXAR AGORA

Ter um músculo diafragma livre de alterações pode significar, muitas vezes, possuir uma coluna livre de dores. Este músculo encontra-se inserido nas primeiras vértebras lombares, tracionando-as para frente e formando a lordose lombar. Um desiquilíbrio nessa musculatura, ocasionado por seu encurtamento ou bloqueio, devido a alteração na respiração, pode aumentar mais ainda a força de tração exercida sobre as vértebras, ocasionando assim uma hiperlordose.

“Perca” tempo com seu aluno/paciente ensinando-o a respirar corretamente, lembre-se, Pilates é sinônimo de qualidade.

Para saber mais sobre Respiração Consciente e suas relações com a cura do ser, visite http://www.vivenciaemcura.com.br/conteudo/respiracao-consciente/