Posted in:

Tudo que você não sabia sobre Pilates e Incontinência Urinária

Incontinência-Urinária-capa

O que é Incontinência Urinária?

Segundo a Sociedade Internacional de Continência, a incontinência urinária é definida como: qualquer tipo de perda involuntária de urina, exceto em crianças menores de 5 anos.

Essa disfunção afeta mais as mulheres, mas também pode acontecer nos homens. Segundo a Organização Mundial da Saúde é considerada um problema de saúde pública.

A incontinência urinária é classificada em 3 tipos:

  • Incontinência de esforço – onde a perda de urina acontece após o esforço, geralmente ligada ao aumento de pressão intra-abdominal, como tosse, espirro, gargalhada e exercício físico.
  • Incontinência de urgência quando há perda de urina acompanhada ou pouco antes de forte desejo de urinar.
  • Incontinência do tipo mista que pode ter esforço e urgência associados.

Na maioria dos casos a incontinência urinária começa com a perda de algumas gotinhas de xixi durante o esforço, tosse, espirro ou gargalhada, e a tendência é que o fluxo da perda piore com o tempo, fazendo necessário o uso de protetores, como absorventes ou de fraldas.

O aumento da frequência da perda urinária gera um stress e um desconforto, levando muitas vezes a pessoa a diminuir suas atividades de lazer e até mesmo se isolar do convívio social por vergonha ou medo de perder xixi em público.

A incontinência urinária atinge mais da metade das mulheres adultas e está aparecendo cada vez mais entre as mulheres mais jovens, que infelizmente, por constrangimento ou por pensarem ser normal, são poucas as que procuram tratamento.

Nos homens esta patologia é mais associada à cirurgia do câncer da próstata (prostatectomia), mas também pode ser consequência do envelhecimento.

Quais as possíveis causas da IncontinênciaTower---Incontinência-Urinária

  • Obesidade
  • Gravidez e parto
  • Tosse crônica (fumantes)
  • Doenças que comprimem a bexiga
  • Quadros pulmonares obstrutivos que geram pressão abdominal
  • Procedimentos cirúrgicos ou irradiação que lesem os nervos do esfíncter
  • Bexiga hiperativa
  • Fraqueza da musculatura do assoalho pélvico

Quais os fatores de risco para a incontinência urinária?

  • Idade
  • Gravidez
  • Parto
  • Obesidade
  • Câncer próstata

O que é o assoalho pélvico e qual sua função?

O assoalho pélvico é um grupo de 13 músculos que agem como uma “cama elástica” para absorver e dissipar forças que chegam à região da pelve. Eles tem a função de sustentação dos órgãos pélvicos e do feto (durante a gestação), E o ponto de maior tensão do assoalho pélvico é o períneo.

O assoalho pélvico é responsável por várias funções essenciais do organismo, e além da sustentação das vísceras ele é o responsável pela continência urinária e fecal e pelo desempenho sexual.

Incontinência-Urinária

Nas mulheres a musculatura do assoalho pélvico (MAP) é perfurada pela uretra, pela vagina e pelo reto, e durante a contração desses músculos acontece o fechamento desses canais, tornando possível a continência de urina (apertando a uretra).

Isso proporciona mais prazer sexual (apertando a vagina e o clitóris, durante a relação) e realiza a continência fecal (fechando o reto e o ânus). Nos homens a MAP é fundamental para o aumento da pressão sanguínea dentro do pênis, potencializando a ereção.

Quando a MAP está lesionada ou fraca, ela não consegue contrair e sustentar essas funções, o que pode gerar uma incontinência urinária ou fecal, flatos, disfunções sexuais e prolapsos urogenitais de útero, bexiga ou reto (quando estes descem e escapam pelo canal vaginal ou anal).

Porém não é só a fraqueza do MAP que pode trazer disfunções. Se a contração muscular for exagerada, incoordenada ou inconsciente pode vir a causar retenção urináriador durante a relação sexualejaculação precoce e constipação.

A MAP sofre sobrecarga durante a maior parte do dia, pois além da força da sustentação das vísceras e do feto (durante a gestação) temos a ação gravidade e o aumento da pressão intra-abdominal (ao tossir, rir ou fazer algum outro esforço físico).

Essa pressão surge empurrando os órgãos para baixo fazendo com que a MAP contraia vigorosamente para empurrar os órgãos para cima, para que não saiam de suas posições normais, evitando os prolapsos urogenitais.

Por que a MAP enfraquece?Incontinência-Urinária-2

Vários são os fatores responsáveis pelo enfraquecimento da MAP, e o principal deles é a idade pela diminuição do tônus muscular e da reposição de hormônios. Mas outros fatores importantes que devemos considerar são:

  • Situações que aumentam a pressão intra-abdominal, como tossir, espirrar, rir, levantar objetos pesados, praticar alguns esportes de alto rendimento, musculação, etc
  • A gestação que gera sobrecarga, pelo peso do bebê e da placenta, principalmente no terceiro trimestre
  • O parto, tanto vaginal quanto cesáreo que é um grande causador de lesões do assoalho pélvico
  • Algumas cirurgias ginecológicas
  • Cirurgias de próstata e andropausa
  • Menopausa

Além desses fatores, algo que devemos dar mais ênfase é a falta de conhecimento dessa musculatura e da importância em exercitá-la. A maioria das pessoas nunca ouviu falar em assoalho pélvico e sua função, e por esse motivo não se preocupam em fortalecê-la.

Se as pessoas tivessem um conhecimento melhor sobre a importância do MAP, com certeza teríamos menos casos de incontinência urinária ou fecal, e de prolapsos urogenitais.

Importância do Pilates na Incontinência Urinária

Uma das técnicas que vem ganhando destaque no tratamento e prevenção da incontinência urinária é o Pilates, pois seus principais objetivos são ganho de coordenação, força, flexibilidade, equilíbrio e resistência.

Durante a realização dos exercícios devemos exigir que a ativação do “powerhouse” (que inclui a musculatura do assoalho pélvico) seja constante, fazendo com que os efeitos acima mencionados, sejam potencializados.

Outro benefício que o Pilates oferece é o treino da respiração associada ao movimento, princípio que deve ser incansavelmente monitorado, evitando a Manobra de Valsalva (ato de “prender o ar” durante os exercícios).

Essa manobra aumenta a pressão intrabdominal e gera maior sobrecarga ao assoalho pélvico, o levando a fadiga mais rapidamente e tendo como consequência a perda da capacidade de manutenção da contração.

É importante ressaltar que todos os exercícios de Pilates devem ser orientados por um profissional capacitado, que realize uma avaliação prévia de seu paciente para que possa assim elaborar um plano de tratamento mais eficaz.

12 Exercícios de Pilates aplicados à Incontinência Urinária

Exercícios no Solo

Swan---Incontinência-Urinária

Objetivos: Alongar os músculos da cadeia anterior do tronco, mobilizar a coluna vertebral em extensão e fortalecer os músculos deltoide anterior, tríceps braquial, ancôneo e peitoral maior.

Instruções:

  1.  Em decúbito ventral, apoie as mãos sobre o MAT paralelamente aos ombros.
  2.  Estenda os cotovelos e o tronco, mantendo a cabeça alinhada com a coluna.
  3.  Retorne a posição inicial.

 

Single-Straight-Stretch---Incontinência-Urinária

Objetivo: Fortalecer os músculos reto abdominal, oblíquo interno e externo, quadríceps, sartório e íliopsoas e alongar a cadeia posterior.

Instruções:

  1. Em decúbito dorsal, eleve ligeiramente o tronco até o nível das escápulas.
  2. Flexione um quadril até o conseguir encostar as mãos no joelho e o MI contralateral deverá apenas perder o contato com o solo.
  3. Alterne o MI.

 

Exercícios na Bola

Ponte-na-Bola---Incontinência-Urinária

Objetivo: Fortalecer os músculos glúteo máximo, isquiotibiais, gastrocnêmio e mobilizar a coluna vertebral. Colocaria aqui ainda, como objetivo, ativação dos músculos glúteo médio, paravertebrais.

Instruções:

  1. Em decúbito dorsal, flexione os quadris e joelhos a 90 graus e apoio os calcanhares sobre a bola.
  2. Eleve o quadril do MAT.
  3. Retorne a posição inicial.

 

Coordination---Incontinência-Urinária

Objetivo: Fortalecer os músculos reto abdominal, sartório, reto femoral e oblíquos interno e externo.

Instruções:

  1. Em decúbito dorsal, flexione os MMII a 45 graus e sustente a bola acima da cabeça sem tocar no MAT.
  2. Flexione o quadril e  leve a bola até o tornozelo, prendendo a bola com as maléolas mediais.
  3. Retorne a posição inicial com a bola no tornozelo e depois repita o processo 2.

 

Exercícios no Barrel

Horse-Variation---Incontinência-Urinária

Objetivo: Estabilização dinâmica do centro de forças com dissociação, mobilização, alongamento e fortalecimento funcional dos quadris em abdução e adução.

Instruções:

  1. Sentado sobre o assoalho pélvico no Barrel com os quadris abduzidos.
  2. Aduza dos MMII.
  3. Retorne a posição inicial.

 

Side-Body-Twist---Incontinência-Urinária

Objetivos: Desenvolver o controle, a força, estabilidade e alinhamento do tronco e do complexo lombo-pélvico dos quadris associada à mobilização dos quadris e coluna. Fortalecer principalmente músculos abdominais. Mobilizar a coluna vertebral, fortalecer transverso abdominal e paravertebrais, trabalhar a coordenação motora e consciência corporal.

Instruções:

  1. Em decúbito lateral sobre o Barrel, deixe os cotovelos flexionados com as mãos atrás da cabeça. Os pé ficam apoiados no espaldar.
  2. Realize a lateralização do tronco.
  3. Retorne a posição inicial.

 

Exercícios no Cadillac

Sit-Up---Incontinência-Urinária

Objetivos: Desenvolver o controle, a força, estabilidade e alinhamento do tronco e do complexo lombo-pélvico dos quadris associada à mobilização dos quadris e coluna. Fortalecer principalmente músculos abdominais. Mobilizar a coluna vertebral, fortalecer transverso abdominal e paravertebrais, trabalhar a coordenação motora e consciência corporal.

Instruções:

  1. Em decúbito dorsal, flexione os quadris e joelhos e segure a barra torre.
  2. Realize a flexão do tronco e concomitantemente conduza a barra para cima.
  3. Retorne à posição inicial.

 

Tower---Incontinência-Urinária

Objetivos: Fortalecer os músculos reto abdominal, paravertebrais, glúteo máximo e mobilizar coluna em flexão. Controle do Power House, ativado durante toda a execução do movimento para a manutenção da postura correta e utilização das musculaturas certas no movimento, evitando compensações que possam gerar lesões e desequilíbrios musculares. Coordenação motora e consciência corporal.

Instruções:

  1. Em decúbito dorsal com as alças nos pés, joelhos estendidos e quadris a 90 graus.
  2. Eleve o tronco, permanecendo apenas as escápulas em contato com o solo.
  3. Retorne à posição inicial.

 

Exercícios no Refomer

Front-Splits---Incontinência-Urinária

Objetivos: Estabilização dinâmica e alinhamento do tronco em pé associado a dissociação nos membros inferiores com flexão e extensão de quadris e joelhos. Desenvolver o controle da co-contração entre flexores e extensores dos quadris, favorecendo o equilíbrio e a força funcional dos flexores e extensores dos quadris.

Instruções:

  1. Em pé, com os joelhos flexionados, encoste um pé no apoio de ombro e com as mãos, segure na barra de pés.
  2. Empurre o carrinho para trás com os joelhos flexionados sem retirar o joelho de apoio.
  3. Retorne à posição inicial.

 

The-Hundred---Incontinência-Urinária

Objetivos: Fortalecer concentricamente o reto abdominal, oblíquos interno e externo e iliopsoas no início do movimento e excentricamente no retorno do carrinho. Isometricamente latíssimo do Dorso, tríceps braquial e redondo maior. Resistência dos MMSS para estabilização da cintura escapular permitindo a mobilidade da articulação glenoumeral. Estabilização escapular.

Instruções:

  1. Em 6 apoios, flexione os quadris, joelhos e ombros a 90 graus.
  2. Realize a flexão quadril até chegar com o carrinho próximo das mãos.
  3. Retorne à posição inicial.

 

Exercícios na Chair

The-Cat---Incontinência-Urinária

Objetivos: Alongar a musculatura paravertebral, mobilizar coluna vertebral e desenvolver consciência corporal.

Instruções:

  1. De joelhos, até a metade do assento, coluna em ‘’C’’ e as mãos apoiadas sobre o step.
  2. Mobilizando apenas a coluna, flexione o tronco empurrando o step para baixo.
  3. Retorne à posição inicial.
  4. Estenda o tronco.
  5. Retorne a etapa 1 e continue o exercício.

 

Going-Up-and-Front---Incontinência-Urinária

Objetivos: Estabilização da cintura pélvica, manutenção da contração dos abdominais profundos e assoalho pélvico (Power House). Promover sinergia entre os estabilizadores do tronco e músculos dos quadris. Fortalecer os músculos quadríceps femoral e glúteo máximo. Desenvolver o equilíbrio e o controle excêntrico de movimento. Melhorar a consciência corporal e o alinhamento e o alinhamento em ortostase.

Instruções:

  1. Em pé, de frente para a cadeira, com o antepé sobre o step e o tornozelo em flexão plantar. O outro pé fica em contato com o solo.
  2. Realiza a extensão do quadril e joelho, empurrando o step para baixo, mantendo o pé em flexão plantar.
  3. Retorne à posição inicial.

Concluindo…

É importante ressaltar que todos os exercícios do Pilates, quando realizados da maneira correta auxiliam na melhora da capacidade do assoalho pélvico, pelos fatores que já citamos acima.

Portanto, o método é preventivo e curativo para esse problema, e nesse artigo falamos de 12 dos exercícios que mais trabalham essa finalidade, que é prevenir e tratar a incontinência urinária através do fortalecimento do assoalho pélvico.

Se você se interessou pela matéria e conseguiu identificar que possui incontinência urinária – por mais leve que ela seja – procure um profissional habilitado em Pilates e comece já o seu tratamento.

Mas se você não tem nenhum sintoma e ainda não faz Pilates, essa matéria é mais um motivo para você procurar essa atividade que traz tantos benefícios a nossa saúde.

Written by Alana Tamisa Leonel

Alana Tamisa Leonel

Graduada em Fisioterapia em 2011, pós Graduada em terapia manual e postural e em neurologia com ênfase em pediatria.
Proprietária da Equilibra Saúde desde 2013, atuando com Pilates, treinamento funcional, Suspensus e fisioterapia convencional.
Docente do curso de Fisioterapia da Faculdade Guairacá desde 2014.
Atuação com Pilates desde 2012.
Formada em Pilates pela Metacorpus e com vários outros cursos de formação na área, como Balance Pilates, Suspensus, acrobacias livres inseridas nas aulas de Pilates, Pilates solo e acessórios, Neopilates, Core 360º (treinamento funcional), MIT (movimento inteligente) entre outros.
Instrutora de cursos pelo Grupo Voll, ministrando cursos de formação em Suspensus.
Participação em vários Congressos e eventos voltados ao Pilates, como por exemplo Jornada Sul Americana de Pilates e Suspensus Experience.

4 posts

4 Comentários

Deixe um Comentário
  1. Olá Alana.
    Li toda sua matéria, está mto bem escrita sobre o que é incontinência urinária, ótimo para informação de pacientes e leigos, porém infelizmente há um equívoco falar sobre a IU sem indicar que o principal tratamento hoje utilizado e comprovado cientificamente é a fisioterapia pélvica com recursos próprios de primeira linha , como o Biofeedback Eletromiografico ( EMG). Em minha clínica possuo um Studio de Pilates e acredito que o pilates pode sim AUXILIAR no tratamento. Escrevermos matérias enfatizando o Pilates como Tto de IU é um retrocesso na fisioterapia e um perigo para pacientes que sofrem desse mal e precisam ser avaliados por médicos e fisioterapeutas da área. Como minha colega espero que entenda e nos ajude na luta pela fisioterapia. Obrigada .

    • Concordo com minha colega! A matéria está muito bem escrita, mas há um equivoco enorme em pensar que o Pilates é ” curativo” para IU. Sou Fisioterapeuta Pélvica e também Instrutora de Pilates e, defendo imensamente o método e todo o trabalho com o Power house, porém, está longe de ser comparado com um tratamento para IU. Pelo contrário. Musculaturas como períneo, elevadores entre tantos outros podem aumentar sua pressão e não sua força durante os exercícios de Pilates. Já tive alunas que vieram de outros estúdios com aumento da IU, isso é muito sério, uma vez que nem sabiam onde o períneo se localizava. É uma pena!!

  2. Muito bom sou fisioterapeuta e tenho tido bom resultado com esses exercício demostrativo para incontinência valeu

  3. venho por meio desta agradecer por um otimo trabalho deste artigo que tem muitas imformação,e absorvir os meus conhecimento……uma pergunta! posso divulgar este artigo nas rede social?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *