Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

Você certamente conhece alguém ou já experimentou alguma dor na coluna vertebral durante a vida, não é mesmo? Algumas pessoas relatam um incômodo torturante, enquanto outras dizem não ter como explicar o grau de desconforto durante este tipo de situação.

Injeções, medicamentos, repouso, alongamentos, compressas, qual seria o melhor tratamento para aliviar os sintomas? 

Neste texto vamos apresentar as principais causas de dor na coluna vertebral e alguns exercícios do Pilates para tratamento dessa patologia. Vamos lá? Boa leitura!

Como é a anatomia da Coluna Vertebral?

A coluna vertebral é um conjunto de ossos chamados de vértebras, que são divididas em regiões: cervical, torácica, lombar, sacro e cóccix.

A coluna cervical popularmente conhecida como pescoço é formada por sete vértebras. Enquanto a coluna torácica (tronco) é constituída por doze vértebras. Já a coluna lombar (região da cintura) por cinco vértebras.

Por fim, o sacro (região do quadril) possui vértebras fundidas, esse osso se articula com o quadril e o cóccix, que é a parte final da coluna, outra região onde os ossos são fundidos.

__CONFIG_colors_palette __ {"active_palette": 0, "config": {"colors": {"62516": {"name": "Main Accent", "parent": - 1}}, "gradients": []}, " paletas ": [{" nome ":" Paleta padrão "," valor ": {" cores ": {" 62516 ": {" val ":" rgb (19, 114, 211) "," hsl ": {" h ": 210," s ": 0,83," l ": 0,45}}}," gradientes ": []}}]} __ CONFIG_colors_palette__
GARANTA AGORA

Quando olhamos a coluna de frente ou de costas devemos vê-la reta. Enquanto que, analisando de perfil, podemos observar suas curvas chamadas de lordose ou cifose.

É comum encontrarmos pessoas com essas curvas alteradas, originando as famosas hiperlordose e hipercifose. Não é raro também encontrarmos as retificações que são as diminuições dessas curvaturas.

Pescoço (Coluna Cervical) C1 a C7 

O pescoço é formado por sete vértebras (C1 a C7), assim temos a coluna cervical. A curvatura desse segmento é chamada de lordose cervical, com a maior mobilidade da coluna vertebral. As duas primeiras vértebras cervicais não possuem disco intervertebral, são elas atlas (C1) e axis (C2). 

Tórax (Coluna Torácica) T1 a T12

A coluna torácica é formada por 12 vértebras, começando com a T1, T2 e assim sucessivamente até a T12. A coluna torácica está localizada na parte média, sendo que nessa região temos as costelas formadas por 12 pares. Desses, sete pares se articulam com o osso esterno.

A curvatura da coluna torácica é oposta à curvatura da coluna lombar e cervical, chamada de cifose torácica.

Geralmente em pessoas idosas, essa curvatura tende a ser mais proeminente, devido a alguns fatores como fraqueza muscular, diminuição dos discos e desidratação. O olhar para baixo e o andar com o tronco mais curvado também contribui para acentuar essa curva, levando a um caso de hipercifose. 

O Pilates ajuda a corrigir a postura incorreta e, consequentemente, melhorar todo quadro do paciente, além da conscientização e força muscular. 

Coluna Lombar (L1 a L5)

Localizada na região da cintura temos a coluna lombar, formada pelas vértebras L1 até a L5, sendo que sua curvatura é a lordótica. Essa região recebe a maior carga comparada com os demais segmentos, por isso ela é tão acometida.

A coluna lombar realiza grandes movimentos de flexão e extensão, lateral direito e esquerdo. 

A diferença nas curvaturas deve-se ao fato de suas particularidades, por exemplo, a curvatura lordótica tem a função de realizar movimentos e as curvaturas cifóticas de proteger órgãos e estruturas nobres, como é o caso da coluna torácica que, com a cifose, protege os pulmões e o coração. 

Sacro e Cóccix 

Na porção inferior da coluna encontramos o sacro e o cóccix. O sacro tem um papel muito importante na biomecânica devido a sua comunicação com os ossos do quadril, interferindo na postura e angulação da coluna.

Esse ângulo citado é referente ao sacro e à cabeça do fêmur, chamado de ângulo de incidência pélvica, que determina o equilíbrio entre quadril e coluna. 

Discos Invertebrais

Os discos intervertebrais são estruturas cartilaginosas de pouca vascularização. O tamanho, espessura e formato mudam de acordo com cada segmento da coluna vertebral. 

São 23 discos localizados entre as vértebras, conectados por meio de placas terminais. Os discos formam cerca de 25% do comprimento total da coluna. Por isso, o processo de envelhecimento e desidratação dessas estruturas fazem com que o idoso diminua a estatura.

O disco na sua periferia é constituído por um anel fibroso, e na parte interna por uma estrutura gelatinosa, chamada de núcleo pulposo. A coluna vertebral e seus discos têm a função primária de proteger a medula espinhal e suas raízes. Desgastes poderão levar a atritos, compressão, dores e incapacidades indesejadas.

Dores mais comuns na Coluna Vertebral

A dor na coluna vertebral ou dor nas costas, como é popularmente conhecida, é um sintoma comum entre 80% da população que, em algum momento da vida, sentirá esse incômodo, levando a procurar um atendimento médico. Dentre elas podemos citar as causas mais comuns como: 

  • Hérnia de disco;
  • Dor ciática;
  • Estresse e tensão;
  • Sedentarismo;
  • Dor lombar;
  • Quedas;
  • Artrose;
  • Artrite;
  • Má postura;
  • Espondilolistese;
  • Escoliose;
  • Dor sacroilíaca.

MAT Pilates como Tratamento da dor na Coluna Vertebral

O MAT Pilates é realizado no chão, em tapete ou colchonete, utilizando a resistência do próprio corpo ou de alguns acessórios sem ajuda dos aparelhos, oferecendo maior desafio e variedade ao Método.

Criado por Joseph Pilates, ele propõe cura e autoconhecimento através do movimento, sendo que os exercícios podem ser realizados no solo ou em equipamentos, com objetivos que variam desde reabilitação ao condicionamento físico.

Os exercícios para tratamento da dor na coluna vertebral visam o fortalecimento da musculatura profunda do tronco, trabalhando a estabilidade e mobilidade, conscientização corporal, reeducando o movimento, além de conectar corpo e mente, promover o bem-estar, melhorar a autoestima e trazer relaxamento.

Durante a execução do Método é trabalhado a concentração, respiração, controle, fluidez, precisão e centro.

O Pilates também ajuda no crescimento axial, aumentando os espaços intervertebrais e realinhando a postura. Dessa forma há uma diminuição da dor na coluna vertebral, principalmente quando esse sintoma é causado pela compressão da região.

3 Exercícios do Pilates para aliviar a dor na Coluna Vertebral

1. Elevação pélvica associado a flexão de ombros

Instruções: Com os braços estendidos sentido o teto, faça a elevação da pelve mantendo o quadril. Leve os braços no sentido da cabeça e retorne. Repita o movimento por 10 vezes.

2. Mobilização da coluna em quatro apoios

Instruções: Em quatro apoios faça o alongamento da coluna em forma de “C” e a pelve em retroversão. Inspire e expire, fazendo o movimento de lordose lombar e anteroversão da pelve. Repita por, pelo menos, 8 vezes.  

3. Fortalecimento de glúteos

Instruções: Apoie firmemente os membros superiores no chão, uma perna apoiada no solo, enquanto o outro membro inferior vai fazer a extensão e flexão de quadril sem mover a coluna. Repita o movimento por 10 vezes.

Conclusão

Os exercícios de Pilates possibilitam fazer vários movimentos enquanto fortalecemos os músculos. Por esse motivo, o Método é indicado para tratar a dor na coluna vertebral.

A coluna é uma estrutura muito importante do nosso corpo, pois é responsável pela sustentação, locomoção, garantir postura, flexibilidade e proteção da medula espinhal.

Grande parte dessas dores são provocadas por má postura. Dessa forma, o Pilates é indicado como tratamento tanto para reabilitação, por trabalhar as mobilidades e força, como para prevenção.

Utilize o Método Pilates como uma nova ferramenta de trabalho para seus alunos, tanto em sua forma original como Adaptada/Moderna, desenvolvendo um plano de aula crítico e científico, ministrando aulas em MAT ou Studio e aplicando os exercícios treinados de acordo com a necessidade do seu paciente, tanto individualmente como para grupos, sempre respeitando os limites da sua atividade profissional.

Clique aqui e comece agora mesmo o curso de Formação Completa em Pilates, disponibilizado pelo Grupo VOLL.

O Método também é indicado para todas as fases da vida e para todas as pessoas, já que os exercícios são propostos individualmente de acordo com a avaliação do profissional, seja para reabilitar, ganhar condicionamento físico, emagrecer ou fortalecer o corpo. 

Aprenda com a especialista Maria Lina Leite tudo sobre a Escoliose para fazer um tratamento assertivo e obter sucesso nos resultados com seus pacientes. 

Através de um e-book completo e gratuito, você vai entender o que é essa patologia, suas classificações, como avaliar e identificar os alunos, cuidados, contraindicações e exercícios com fotos passo a passo.

Ótimo para alavancar e trazer mais conhecimento a sua carreira. Para ter acesso, basta clicar aqui!