Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

*Este conteúdo é científico e pode ser utilizado para pesquisas*                                      Para compreendermos melhor sobre a Hérnia de Disco, é importante sabermos sobre a sua fisiopatologia, ou seja, sua origem, seus sintomas, seus tipos, suas causas e seus fatores de risco. É necessário compreender a fundo sobre a patologia que estamos falando!

Você pode estar se perguntando: Qual o melhor tratamento? Como aliviar as dores da Hérnia de Disco? Quais exercícios eu posso fazer em casa para diminuir as dores? Como a Hérnia de Disco pode afetar minha qualidade de vida? Como prevenir a hérnia de disco? Bom, são muitas questões que precisam ser discutidas! 

Você sente dor na lombar ou conhece alguém que se queixa de dor nessa região? Está em tratamento de Hérnia de Disco? Esse artigo é feito especialmente para você que busca mais conhecimento sobre essa lesão tão comum em nossos dias. Continue lendo!

O que é Hérnia de Disco?

A Hérnia de Disco é uma lesão que ocorre com mais frequência na região lombar.  A nossa coluna vertebral é composta por 33 vértebras, sendo:

  • 12 torácicas;
  • 7 cervicais;
  • 5 lombares;
  • 5 sacrais;
  • 4 coccígeas.

Em cada vértebra encontra-se os discos intervertebrais, os quais possuem a função de amortecer impactos na coluna provocados pelos movimentos que realizamos. Sem eles, nossa coluna seria destruída. Ele é tipo uma almofada para as vértebras.

__CONFIG_colors_palette __ {"active_palette": 0, "config": {"colors": {"62516": {"name": "Main Accent", "parent": - 1}}, "gradients": []}, " paletas ": [{" nome ":" Paleta padrão "," valor ": {" cores ": {" 62516 ": {" val ":" rgb (19, 114, 211) "," hsl ": {" h ": 210," s ": 0,83," l ": 0,45}}}," gradientes ": []}}]} __ CONFIG_colors_palette__
GARANTA AGORA

A Hérnia de Disco ocorre quando o desgaste provoca o rompimento do disco intervertebral e o líquido que ele possui em seu interior, composto por colágeno e água, vaza para o exterior da coluna. 

O seu desgaste são causados por vários fatores, podendo levar o seu rompimento de origem, ou seja, sair do seu local normal. Normalmente, as vértebras mais acometidas são as vértebras localizadas na região lombar, a  L4-L5 e L5-S1.

Prevalência da Hérnia de Disco

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), cerca de 5,4 milhões de brasileiros sofrem com Hérnia de Disco.

Na atualidade, devido a pandemia que estamos enfrentando por conta do vírus Covid-19, a população tem passado a maior parte do tempo dentro de casa e na maioria das vezes, em trabalho Home Office ou realizando as atividades do dia a dia. 

A todo instante, estamos realizando movimento naturais, por exemplo, sentar, levantar, agachar e andar. Entretanto, durante essas atividades tendemos a permanecer na mesma posição por longos períodos, gerando um risco eminente da coluna sofrer uma lesão como a Hérnia de Disco.

É importante, sim, se manter ativo, mas devemos estar sempre atentos aos movimentos realizados, procurando executá-los de forma correta e evitando compensações.

A Hérnia de Disco é uma patologia considerada incapacitante. O deslocamento do núcleo pulposo de seu local de origem pode comprimir o nervo ciático e causar dores com frequência, impossibilitando de ir ao trabalho, por exemplo.

A Hérnia de Disco é uma doença bastante comum. Estima-se que 2% a 3% da população pode vir a ser acometida com Hérnia de Disco, sendo mais comuns em homens (4,8%) do que em mulheres (2,5). E pessoas com faixa etária entre 25-45 anos possuem uma maior prevalência da patologia. 

Quais são os sintomas da Hérnia de Disco? 

A Hérnia de Disco pode ser assintomática, não apresentando nenhum sintoma, ou sintomática, causando a dor no corpo.

Em muitos casos a Hérnia de Disco não apresenta dores. Pode acontecer do paciente descobrir a patologia acidentalmente, de forma inesperada, ao fazer exames de outras lesões. 

Os alunos que costumam sentir dor relatam como sintomas:

  • Dor que irradia para a perna;
  • Sensação de formigamento;
  • Dormência nos membros;
  • Dificuldade em realizar caminhadas de curtas distâncias;
  • Dificuldade em agachar e realizar atividades do dia a dia, como calçar um sapato;
  • Dificuldade de levantar algum objeto;
  • Dor constante ao ficar sentado ou em pé por muito tempo. 

A Hérnia de Disco na região cervical apresenta muitas dores no pescoço, na escápulas, nos ombros, nos braços e geralmente ocorre uma tensão muscular na região do trapézio. 

Na região lombar é comum sentir sensação de formigamento, câimbras, dor nas nádegas, coxas, pernas e pés.

A Hérnia de Disco Torácica causa dores na região das costas, dor irradiada para a costela e sensação de formigamento.

Tipos de Hérnia de Disco

A classificação da Hérnia de Disco mais utilizada depende da quantidade de cartilagem que é deslocada do seu centro de origem.

Podemos identificar três tipos de Hérnia de Disco, sendo: protusa, extrusa e sequestradas.

tipos-de-hernia-de-disco

Hérnia de Disco Protusa

A Hérnia de Disco Protusa é o tipo mais comum e ocorre quando há um alargamento do disco em que perde-se o seu formato oval, mas o líquido gelatinoso ainda fica contido no centro. 

Com o disco alargado, suas paredes poderão tocar área sensíveis, causando dores.

Hérnia de Disco  Extrusa

A Hérnia de Disco Extrusa ocorre quando o núcleo do disco encontra-se deformado, formando uma “gota”.

  • Extrusão discal: ocorre a ruptura do anel fibroso.

Hérnia de Disco  Sequestrada

Já a Hérnia de Disco Sequestrada acontece devido a ruptura do anel gelatinoso, migrando para dentro do canal medular, para cima ou para baixo. O núcleo está muito danificado e pode até mesmo se dividir em duas partes.

O paciente costuma sentir dores e o local geralmente está inflamado..

Como a Hérnia de Disco pode afetar nas atividades diárias e na qualidade de vida?

A Hérnia de Disco pode afetar as atividades diárias provocando dificuldades em pegar algum objeto no chão ou simplesmente amarrar um cadarço de sapato. 

Na maioria das situações é necessário solicitar ajuda de terceiros (filhos, marido, esposa, pai, mãe, irmãos), mas há pessoas que evitam para não se sentirem incapazes de realizar sozinhos, afetando assim o psicológico e emocional.

A Hérnia de Disco pode afetar também na qualidade de vida dos pacientes devido às fortes dores provocadas. Com a presença de dor na região, o paciente deixa de ir a determinados lugares e executar certas atividades por conta do desconforto gerado pela lesão. 

A patologia é a 2° maior causa de afastamento do trabalho e 3º de aposentadoria, interferindo assim, na produtividade e, consequentemente, na autoestima dos indivíduos. É de suma importância, se manter ativo, produzindo.

Quais são as causas da hérnia de disco?

Para cada movimento no corpo existe uma forma natural e correta de se fazer, como agachar, pegar um objeto ou pular. A Hérnia de Disco pode ser causada devido a realização incorreta desses movimentos que geram uma sobrecarga entre as vértebras.

Outros fatores que podem estar associado a Hérnia de Disco é a herança genética, o sobrepeso, o sedentarismo, o estresse e o processo natural do envelhecimento.

As gestantes também estão mais propensas a ter Hérnia de Disco devido ao ganho de peso e mudança do centro de gravidade para frente, ocasionando uma hiperlordose. 

É importante ressaltar que no decorrer do processo de envelhecimento, é natural o desgaste do disco intervertebral por conta da pouca hidratação e a tendência em perder massa magra. Por isso, é de suma importância que os idosos se mantenham ativos e hidratados.

Quais são os fatores de risco? 

A Hérnia de Disco pode estar relacionada à diversos fatores e existem alguns hábitos que podem intensificar o desenvolvimento da patologia. Confira abaixo:

  • Pegar peso de forma inadequada;
  • Gestantes – devido ao ganho de peso e deslocamento do centro de gravidade para frente;
  • Obesidade;
  • Fumo;
  • Idade avançada;
  • Motoristas – ficam por muito tempo na mesma posição gerando uma sobrecarga entre as vértebras;
  • Empurrar e carregar objetos de forma inadequada;
  • Fatores genéticos;
  • Fatores psicológicos e psicossociais.

Como é feito o diagnóstico da Hérnia de Disco?

O diagnóstico da Hérnia de disco é feito através dos sintomas iniciais. São realizados exames de imagem, como ressonância magnética, Raio-X e tomografia computadorizada, para ajudar a identificar o tamanho da lesão, seu deslocamento e sua região na coluna.

No diagnóstico clínico é feito uma avaliação sobre os sintomas apresentados através do exame físico, fazendo testes específicos da lesão apresentada. Avalia-se também a sensibilidade, força, motora e reflexos. 

Um teste bastante utilizado na avaliação é a elevação do MMII e o teste de Lasegue para uma melhor compreensão de limitação da perna. Este último é um teste para compressão do nervo lombar.

A tomografia computadorizada possui sensibilidade de 80-90%, sendo um exame de imagem de suma importância para a localização da Hérnia de Disco. A grande vantagem desse tipo de exame é mostrar com clareza a anatomia óssea, permitindo assim visualizar diversas patologias que pode acometer a coluna.

É muito importante relatar para o profissional  suas queixas, dores e dificuldades, essa troca de informações permitirá identificar pontos que talvez possam estar interferindo na doença.

Lembre-se: quanto mais precoce a procura para o tratamento, melhor será o resultado.

Como aliviar a dor da Hérnia de Disco?

É importante procurar um especialista de coluna e dar continuidade ao tratamento sugerido pelo profissional. 

Para o alívio da dor, segundo Junior (2016), pode ser utilizado como tratamento conservador para Hérnia de Disco técnicas como o uso de eletroterapia e o uso de gelo associado ao RPG, Fisioterapia ou o Método Pilates. 

Caso essa abordagem não proporcione o efeito esperado, é indicado o tratamento cirúrgico (em apenas 10% dos casos). Mas lembrando sempre que a intervenção precoce através do movimento pode evitar esse procedimento.

Outra forma de tratamento existente são os medicamentos, que podem ser utilizados principalmente na fase aguda, como os analgésicos simples, antiinflamatórios não hormonais, corticosteróides e analgésicos opioides.

Método Pilates como tratamento para Hérnia de Disco

Os pacientes que procuram o Pilates como alternativa para tratamento da patologia – com quadro álgico – é necessário fazer uma avaliação inicial e, junto ao instrutor, traçar os objetivos proposto. 

Como já mencionamos anteriormente, é de suma importância para alívio das dores se manter ativo, ou seja, em tratamento constante. 

No tratamento com o Pilates, procuro trabalhar bastante alongamentos de forma global, fortalecimento muscular de MMSS e MMII, ganho de mobilidade e flexibilidade. 

Dicas e orientações para aliviar a dor no dia a dia

Ao ficar em pé, procure dividir o peso do corpo distribuindo nas duas pernas. Evite posições que sobrecarregam apenas um lado e, consequentemente, posturas inadequadas.

Para varrer a casa, evite ficar com o tronco muito inclinado na mesma posição e ao agachar, faça uma semiflexão dobrando um pouco as pernas.

Ao dormir, procure deitar-se de lado (se possível com um travesseiro entre as pernas) e utilize um colchão adequado, que não seja muito “ fundo”.

Não se esqueça de fazer pequenas pausas durante o trabalho para alongar e diminuir as tensões musculares. 

Programa de Tratamento para Dor nas Costas

Não há dúvida de que um programa de Tratamento para Hérnia de Disco vai te auxiliar e muito na sua queixa, na sua dor e no seu dia a dia.

Este programa pode ser prescrito por um profissional que seja da sua confiança ou se você preferir, pode conhecer um Programa de Tratamento Online, na qual mais de 219 pessoas portadoras de Hérnia de Disco já passaram e relataram muitas melhoras, alguns inclusive disseram que a dor nas costas acabou completamente.

Este Programa de Tratamento custa bem barato e pode ser feito em casa, utilizando a cadeira, a toalha, o sofá, sem precisar gastar muito. E quem oferece este Programa de Tratamento de Hérnia de Disco são os especialistas Dra. Mariana Dias e Dr. Keyner Luiz. 

Clicando neste link aqui você vai pagar cerca de R$10 reais por mês para ter acesso ao tratamento. Confira agora!

Exercícios para Hérnia de disco

Costumo iniciar minhas aulas com o alongamento de forma global, trabalhando todas as musculaturas do corpo, mas principalmente o músculo Psoas e o Quadrado Lombar. 

O movimento é fundamental para o tratamento e alívio das dores da Hérnia de Disco. Contudo, é imprescindível passar por uma avaliação feita por um especialista, pois cada corpo é diferente e possuem necessidades distintas. 

Assim como os exercícios precisam ser orientados e acompanhados pelo profissional a fim de evitar lesões desnecessárias e melhores resultados. 

1. Corssel

Objetivo: fortalecimento do músculo abdominal e quadrado lombar.

Instruções: em decúbito dorsal no MAT, alinhar a cabeça, ombros e mãos ao lado do corpo, punho neutro e as pernas em 90°.

Ao inspirar, faça uma leve pressão abdominal e na expiração, tocar o “pé” – ponta do dedo – no solo.

Dica: pode utilizar caneleira como evolução do exercício.

Repetições: 8 vezes para cada lado. 

2. Neck Circles

Objetivo: mobilização cervical.

Instruções: deitado em decúbito ventral e pernas alinhadas em posição de plantiflexão. Inspira e na expiração, eleve o tronco.

3. The One Leg Stretch

Objetivo: fortalecimento de flexores da coluna.

Instruções: Inspire enquanto flexiona o quadril e joelho em direção ao peito e expire ao trocar de “perna”.

Dica: procure respirar de forma leve, ou seja, fluida.

Repetições: 10 vezes a 15 vezes.

4. Rolling  Back

Instruções: Sentado com os joelhos flexionados à 90º, pés em flexão plantar e mãos abraçando as pernas. Os ombros devem estar abduzidos.

Na inspiração role para trás, mobilizando a coluna vertebral. Expire retornando à posição inicial.

Dica: não toque os solos com os pés.

5. Mermaid

Objetivo: alongamento lateral de tronco e do músculo quadrado lombar.

Instruções: sentado lateralmente, pernas cruzadas e cotovelos próximos à 90º. Flexione lateralmente o tronco, levando o braço contralateral, acima da cabeça. Retorne à posição inicial.

6. Single Leg Circles

Objetivo: fortalecimento de quadríceps e abdominal.

Instruções: deitado em decúbito dorsal, eleve uma perna na inspiração e na expiração, realize o giro simulando um círculo. Depois retorne à posição inicial.

7. The Side Bend 

Objetivo: alongamento lateral.

Instruções: em posição de prancha lateral, realize o alongamento lateral elevando o braço. Inspire parado e na expiração, realize o alongamento lateral.

Repetições: 8 vezes cada lado.

8. The Side Kick

Objetivo: desenvolvimento da estabilização lombo pélvico, dissociação do quadril, estabilização da coluna e fortalecimento dos abdutores do quadril.

Instruções: inspirar hiperestendendo o quadril e na expiração, flexione-o.

Dica: ao realizar o exercícios mantenha os ísquios para trás.

9. Front Support

Objetivo: fortalecimento abdominal e alinhamento postural.

Instruções: em posição de prancha, inspire trazendo uma perna para frente e expire levando a perna para trás. Depois retorne à posição inicial.

10. The Leg Pull Front

Objetivo: fortalecer extensores de quadril e estabilizadores de cintura escapular e também a estabilização da coluna.

Instruções: Inspire hiperestendendo o quadril e expire flexionando a coluna e retornando ao solo.

Repetições: 15 vezes de cada lado.

11. Agachamento na parede com bola suíça

Objetivo: fortalecimento de quadríceps.

Instruções: fique na posição de agachamento na parede e segure a bola suíça com os dois braços. Inspire e na expiração, eleve a bola para cima.

Repetições: 20 vezes.

  1. Abdominal livre

Objetivo: fortalecimento abdominal.

Instruções: Realize um abdominal de livre escolha de acordo com o seu limite (pode ser o exercício que você mais gosta).

Repetições: 2 vezes de 10 segundos com descanso de 20 segundos.

13. The One Leg Circle

Objetivo: dissociação da articulação coxofemoral, estabilização lombopélvica, desenvolvimento e controle dos flexores da coluna e flexores de quadril.

Instruções: na inspiração, realize o movimento de circundução cruzando a linha média do corpo. Expire na outra metade da circundução até retornar à posição inicial.

Dica: importante manter a estabilidade lombo pélvica.

14. Breathing

Objetivo: ensinar o paciente a respirar de forma correta. 

Instruções: em decúbito dorsal e mãos apoiadas a altura da costela. Na inspiração, as mãos acompanham a respiração e a movimentação da caixa torácica. Expire e vá abaixando as costelas. Depois retorne à posição inicial.

Repetições: 10 vezes.

15. Alongamento cruzado

Instruções: deitado de barriga para cima, cruze uma das pernas e eleve o quadril mantendo por alguns segundos. Realize a inspiração na subida e desça soltando o ar pela boca, ou seja, expirando.

16. Leg Pull Back

Objetivo: fortalecer os músculos paravertebrais, tríceps braquial deltóide médio e posterior, quadríceps, glúteo médio e mínimo, iliopsoas e sartório, tensor da fáscia lata.

Instruções: em posição de supino, apoie as mãos no MAT e mantenha as pernas unidas. Retire o quadril do chão estendendo a coluna e retorne à posição inicial.

Dica: alinhe os ombros, cotovelos e punho.

Principais dúvidas e respostas sobre a Hérnia de Disco

Hérnia de Disco tem cura?

Não. Existe os tratamentos para aliviar as dores da Hérnia de disco e em alguns casos, pode ser necessário a realização de procedimentos cirúrgicos.

Posso ter uma vida normal mesmo com uma Hérnia de Disco? 

Sim! Entretanto, é importante manter-se ativo, realizar os movimentos de forma  

Todo Hérnia de Disco precisa do procedimento cirúrgico?

Não. O ideal é a princípio buscar alternativas conservadoras como a Fisioterapia, Pilates, RPG e outros tratamentos. Esses métodos podem evitar a realização do procedimento cirúrgico .

Qual a cirurgia é a melhor?

Um estudo realizado por Gotfryde e Avanci, publicada na International Orthopaedics, mostrou que as três opções (clássica, microcirúrgica e endoscopia) são seguras e eficazes para diminuição da dor ciática.

Posso ter Hérnia de Disco e não apresentar os sintomas?

Sim, a patologia pode não apresentar os sintomas, conforme já discutimos no início do texto. 

A Hérnia de Disco pode causar dor?

Sim. A Hérnia de Disco pode causar dores onde estiver localizada e irradiar para outras partes do corpo.

A obesidade é um fator de risco para a Hérnia de Disco?

Sim. O ganho de massa muscular é um dos fatores de risco para Hérnia de Disco devido à sobrecarga gerada no disco intervertebral. 

O uso de salto alto com frequência pode ser um fator de risco para Hérnia de Disco?

Sim, devido a compressão de força gerada na coluna.

Como é feito o diagnóstico da Hérnia de Disco?

O diagnóstico é feito inicialmente através dos sintomas apresentado pelo paciente e para confirmação da ciatalgia são realizado alguns exames de imagem.

Quais os exames que confirmam a Hérnia de Disco?

Para confirmação da Hérnia de Disco é necessário realizar Raio-X, ressonância magnética e tomografia computadorizada.

Quando devo procurar um profissional?

O mais precoce possível. Se você apresentar algum dos sintomas citados, procure um profissional especialista para realizar a avaliação e, caso necessário, dar início ao tratamento.

Qual o melhor antiinflamatório para Hérnia de Disco?

Para utilização do melhor antiinflamatório é necessário passar por um especialista de coluna, ele irá indicar quais medicamentos devem ser tomados.

Por que a Hérnia de Disco dói?

A dor da Hérnia de Disco é causada devido à compressão do nervo ciático por conta do desgaste do disco intervertebral.

O que devo fazer para evitar a Hérnia de Disco?

Mantenha-se sempre ativo, faça exercícios rotineiramente e que te dê prazer, como uma simples caminhada. Tenha o controle do peso corporal e mantenha a alimentação balanceada. Ao carregar um objeto, procure distribuir o peso. Evite também ficar muito tempo na mesma posição e realize alongamentos com frequência.

Com que idade a Hérnia de Disco pode acometer?

A Hérnia de Disco normalmente acomete jovens a partir dos 30-40 anos.

A Hérnia de Disco pode acometer as crianças?

Sim, a Hérnia de Disco pode estar associada à outras patologias envolvidas.

Estou com dor, tenho que aguardar passar para depois fazer o Pilates?

Depende da intensidade da dor. Havendo condições, pode sim fazer a aula de Pilates. É importante fazer o tratamento, mesmo que esteja com dor referida, pois há exercícios adequados para cada momento de ciatalgia.

A Hérnia de Disco é hereditária?

Sim, como comentamos no início do artigo, ela pode ser hereditária.

Tenho Hérnia de Disco, posso dirigir?

Sim, contudo deve evitar ficar muito tempo na mesma posição. Dica: dê pequenas pausas e faça alongamentos para diminuir as tensões musculares.

Estou com dor, posso fazer os exercícios?

Sim, é importante se manter ativo. Se estiver com muita dor, procure fazer um trabalho de respiração, relaxamento muscular, mobilização e preparar o corpo para trabalhar o fortalecimento muscular.

Conclusão

Foi diagnosticado com Hérnia de Disco? Não se desespere! Esta patologia é extremamente comum nos dias de hoje e como apresentado neste texto, os exercícios são o primeiro tratamento. 

Estudos atuais têm mostrado que a prática de atividade física é de extrema importância para reabilitação. Portanto, a cirurgia é feita somente em último caso, quando não se tem a melhora dos sintomas com o tratamento conservador. 

Movimente-se, ter dor na coluna não significa cirurgia, existe uma variedade de tratamentos não invasivos para ajudar na melhora, Pilates é um deles. 

Portanto,  somente um profissional especialista é quem vai avaliar a origem da dor e indicar o tratamento adequado.

 

 

 

Referências Bibliográficas

Junior, P.C.N. Comparação dos tratamentos conservador, cirúrgico e através da mobilização neural no tratamento da hérnia de disco lombar. Fisioterapia Brasil, v. 13, n. 2, p. 148 – 154, nov. 2016. Disponível em:<http://portalatlanticaeditora.com.br/index.php/fisioterapiabrasil/article/view/530/1091>. Acesso em: 12 Out. 2020.

Luiz K. Pilates aliado ao treinamento funcional para hérnia de disco. VOLL, n. 17, ebook, 2020.

Coldebella A., Finatto P. MAT Pilates Da Prática clínica à Cinesiologia Aplicada. VOLL, 2019.