Posted in:

Pilates Funcional: Potencialize suas aulas unindo as duas modalidades

Pilates Funcional é uma modalidade que tem adentrado nos studios a cada dia que passa. Além de atrair mais clientes, essa variação do Pilates combina os princípios do método com a aplicabilidade do Funcional.

Neste texto você encontra:

  • O Que é o Treinamento Funcional?
  • Pilates Funcional: aliando dois mundos
  • Objetivos da modalidade
  • Como são os Exercícios de Pilates Funcional
  • Pilates Funcional: Benefícios do Pilates e TF aliados
  • Relação do Pilates com o Treinamento Funcional
  • Diferenças entre as modalidades
  • Pilates Funcional Para Melhorar os Resultados do Seu Aluno

Quer aprender mais sobre o Pilates Funcional e a como implementá-lo em seu studio? Continue lendo este texto para entender!

O Que é o Treinamento Funcional?

Na atualidade o treinamento funcional, mantém a sua essência como um método de treinamento físico, com a premissa básica de melhoria da aptidão física relacionada à saúde ou melhoria da aptidão física relacionada a performance e prevenção de lesão musculoesquelético.

Tem como característica realizar a convergência das habilidades biomotoras fundamentais do ser humano, para produção de movimentos mais eficientes.

A vantagem deste método de treinamento é a de atender tanto o indivíduo mais condicionado como o menos condicionado, criando um ambiente dinâmico de treino.

Apesar de alguns acharem que o treinamento funcional é uma novidade, uma rápida pesquisada no pubmed mostra que os primeiros artigos relacionados ao “functional training” (treinamento funcional em inglês) são do ano de 1949 e estão relacionadas com a fisioterapia.

A aplicação nos esportes tem uma data mais recente, década de 1980, mas isso é no exterior.

Treinamento Funcional no Brasil

No Brasil o treinamento funcional é mais recente, podemos dizer que seu primeiro expoente é o professor Luciano D´Elia, que começou o trabalho na academia Única em São Paulo no final da década de 1990.

Essa academia tinha um público mais focado nas lutas e em um primeiro momento o treinamento funcional era focado a especificidade dos esportes de lutas e depois de algum tempo se expandiu para os demais alunos.

Ascensão do Método Pilates no Brasil

Também no final da década de 1990 o Método Pilates se firmava com uma nova forma de atividade física.

Algum tempo depois, no começo dos anos 2000 surgiu uma versão metodologia chamada de ballness (apresentado no fitness Brasil pela Inélia Garcia) em que os exercícios de Pilates eram aplicados utilizando a bola suíça.

Nessa época também aparece a autora Colleen Graig (os livros: Pilates com bola, Abdominais com a bola e Treinamento de força com a bola).

Podemos concluir que no Brasil temos três linhas metodológicas que são chamadas de treinamento funcional:

  1. Uma mais voltada a especificidade esportiva;
  2. outra que vem do Pilates – que é focada no Power House (que no Treinamento Funcional chamamos de CORE);
  3. Por último, temos a visão dos exercícios integrados para melhoria das capacidades funcionais.

Cabe a quem for prescrever os treinos saber qual dos três métodos é mais adequado para as necessidades, funcionalidades e objetivos de cada aluno.

Pilates Funcional: aliando dois mundos

O Treinamento Funcional é um novo método que hoje em dia é muito utilizado e associado aos estúdios de Pilates.

Essa técnica é composta por exercícios que tem por objetivo principal o fortalecimento do centro de força de nosso corpo, que estabiliza nosso tronco.

E de onde deveria sair toda nossa força para todos os nossos movimentos, localizado na região do abdômen, musculatura dorsal baixa e da região do quadril.

Um centro de força ‘realmente forte’ possibilita o desenvolvimento eficaz de todos os benefícios que o método proporciona.

Diferenças entre o Pilates convencional e o Pilates Funcional

A diferença entre o Pilates Funcional e o Pilates convencional começa em seu objetivo.

Enquanto este último não oferece impactos articulares, com intensidade moderada e movimentos que não focam no emagrecimento e, sim, na postura, a modalidade funcional é mais dinâmica.

Seus movimentos mais intensos visam proporcionar o emagrecimento, trabalhando todos os grupos musculares de uma vez só, configurando um treino mais pesado.

O Pilates Funcional visa aplicar as técnicas do Pilates tradicional às necessidades diversas de cada indivíduo.

Trata-se de uma técnica que foi aperfeiçoada com o passar dos anos e que foi avaliada pelos mais diversos profissionais visando obter resultados.

No entanto ambas as modalidades oferecem benefícios para o indivíduo que as pratica.

Objetivos da modalidade

Se você procura uma melhoria no condicionamento cardiovascular o mais indicado é que você opte pelo Pilates Funcional.

Isso se deve ao fato de que esse tipo de Pilates exige movimentos ritmados o que acaba por aumentar a frequência cardíaca do praticante.

A modalidade tradicional pode ser feita com uma diversidade de aparelhos e isso contribui para a manutenção do batimento cardíaco. Uma vez que é necessário que o aluno pare para mudar de aparelho de instante em instante.

Além do que o Pilates tradicional não é considerado um exercício aeróbico. Isso porque ele não possui uma intensidade de movimentos capazes de alterar a frequência cardíaca do praticante.

No quesito equilíbrio os dois tipos de Pilates são indicados. O Pilates em sua essência exige do praticante movimentos nos quais ele coloque seu equilíbrio a prova.

Com o passar do tempo praticantes de ambas modalidades relatam um maior equilíbrio corporal em suas atividades diárias.

Indicações do Pilates Funcional

Por isso tanto o Pilates Funcional como o Tradicional são indicados para atletas que necessitem do equilíbrio para um melhor desempenho de suas funções. Caso dos ginastas e praticantes de artes marciais.

Já para a melhora da capacidade respiratória ambos são altamente indicados. O Pilates visa coordenar os movimentos com a respiração, ao longo dos anos até técnicas de Yoga foram incorporadas para se obter melhorias nesse quesito.

O Pilates é tão eficaz em trabalhar a capacidade respiratória que alguns médicos indicam ele para ex-fumantes, como uma maneira de aliviar a abstinência e regular a capacidade respiratória que foi comprometida devido aos longos anos de prática do tabagismo.

Cada movimento do Pilates trabalha a Frequência respiratória concomitantemente, mas como já dissemos, o Pilates Funcional tem uma frequência cardíaca maior e por isso trabalha a respiração de uma maneira mais acelerada.

Se a necessidade do seu aluno é o ganho de habilidade, sem sombra de dúvidas o Pilates Funcional é o mais adequado.

Isso porque essa modalidade trabalha com movimentos mais rápidos e também procura diminuir o tempo de reação aos mais diversos estímulos.

O Pilates Tradicional por sua vez já se preocupa mais com a fluidez dos movimentos e não com a velocidade de resposta do organismo a estímulos externos.

A correção da postura é algo que também é facilmente associada a prática do Pilates. Ambos os métodos visam a busca pela postura correta na realização dos movimentos exigidos.

Por isso ambos acabam sendo um melhorador considerável no aspecto postural do indivíduo.

Como são os Exercícios de Pilates Funcional

Periodizando e respeitando cada indivíduo dentro dos princípios de treinamento, os movimentos que compõem o Pilates e o Treinamento Funcional – realizados dentro de uma biomecânica correta -, poderão trazer os benefícios necessários ao praticante.

Suas variações de exercícios tornam o treinamento de força seguro para iniciantes, crianças, adolescentes e adultos idosos, sendo desafiador o suficiente para atletas experientes.

Os exercícios são realizados com:

  • Bolas;
  • Fita de Suspensão;
  • Prancha de equilíbrio;
  • Escada de agilidade;
  • E aparelhos específicos do Pilates equipamentos ou solo.

O treinamento é realizado a partir de combinações desses materiais.

As aulas são realizadas a partir do princípio do Método Pilates:

  • Concentração;
  • Respiração;
  • Controle;
  • Centralização;
  • Precisão.

E os princípios do Treinamento Funcional:

  • Individualidade;
  • Sobrecarga;
  • Progressiva;
  • Periodização;
  • Especificidade.

Os cuidados com a postura durante os exercícios devem ser priorizados para manter a qualidade e o desempenho da execução do movimento.

Pilates Funcional: Benefícios do Pilates e TF aliados

O principal benefício do Pilates Funcional aparece no fato de ele proporcionar uma movimentação melhor do corpo.

Após alguns treinos, você vai sentir uma melhora também na sua resistência, coordenação, agilidade e equilíbrio.

Como os treinos são específicos com as necessidades de cada aluno, você vai poder corrigir aquele seu ponto fraco.

Além disso, os exercícios funcionais podem auxiliar a evitar possíveis lesões. Isso porque o treino melhora o equilíbrio e faz a pessoa se movimentar melhor, estando menos propícia a ter torções e contusões.

Os exercícios trabalham os músculos do tronco e da pelve. Desenvolvendo a musculatura para um melhor desempenho na rotina de trabalho, lazer e ajudando a ter maior qualidade de vida.

Mudanças proporcionadas pelo Pilates Funcional

  • Perda de Peso;
  • Melhora da resistência, coordenação, agilidade e equilíbrio muscular estático e dinâmico
  • Correção de fraquezas
  • Evita possíveis lesões, como torções e contusões
  • Desenvolve a musculatura
  • Melhora a qualidade de vida
  • Melhora da Postura;
  • Melhora do desempenho nos esportes;
  • Diminuição de ocorrências de lesões;
  • Melhora na eficiência dos movimentos;
  • Maior estabilidade da coluna vertebral;
  • Desenvolvimento da consciência sinestésica (sensação do movimento)

Relação do Pilates com o Treinamento Funcional

  • As duas atividades trabalham a respiração e a tem como um importante princípio para as atividades. A inspiração e a expiração são capacidades que devem ser trabalhadas em seu máximo e junto com outros exercícios;
  • O equilíbrio é outra característica trabalhada nas duas atividades, pois é fundamental para todas as posturas do Pilates e todos os exercícios do treinamento funcional;
  • Se você deseja ganhar força muscular, qualquer uma das duas opções será satisfatória. Apesar de diferentes, os dois exercícios trabalham diversos grupos musculares ao mesmo tempo, exercitando a força muscular com o peso do corpo e de acessórios;
  • Coordenação motora é outro ponto em comum das atividades, pois ambas trabalham movimentos diferentes ao mesmo tempo, com todo o corpo;
  • Ambas trabalham o CORE, chamado no Pilates de Power House. Apesar de no treinamento funcional esse trabalho dos músculos do tronco (abdominais, paravertebrais, diafragma e assoalho pélvico) ser mais intenso, ele também está presente no Pilates, em menor escala.

Diferenças entre as modalidades

Apesar das semelhanças, o Pilates e o Treinamento Funcional têm algumas características que vão agradar mais de acordo com seu objetivo.

O Pilates, por exemplo, é um exercício mais lento, com muito foco na respiração, na postura correta e no alongamento do corpo.

Já o Treinamento Funcional trabalha com a agilidade, o condicionamento cardiovascular e tem maior gasto calórico.

Por isso, a escolha vai de acordo com o objetivo desejado. Se o objetivo é emagrecer, por exemplo, o Treinamento Funcional é a melhor opção, pois vai ter um gasto calórico maior por aula.

É também a opção mais indicada para quem gosta de aulas em grupo, que são mais movimentadas e dinâmicas.

Já para quem prefere um ambiente tranquilo e deseja um acompanhamento mais próximo do professor, o Pilates pode ser a melhor pedida, já que as aulas são individuais, na maioria das vezes, ou em pequenos grupos.

Para quem gosta de alongar o corpo é o exercício ideal, pois trabalha todo o corpo em posturas de alongamento.

As semelhanças entre os benefícios proporcionados são muitas e a principal diferença está na forma como a atividade é realizada. Ideal mesmo seria poder fazer as duas, pois são atividades que se complementam em muitos aspectos.

Um método universal

O Pilates Funcional trabalha todos os grupos musculares de uma só vez, não se preocupando com apenas uma musculatura isoladamente.

Os treinos são mais pesados, apesar de a técnica buscar se exercitar por meio dos movimentos naturais do corpo (agachar, empurrar, puxar, levantar, saltar, correr).

Esta modalidade é bastante acessível para todos os indivíduos. O interessante do Pilates Funcional é que ele pode ser executado tanto por um atleta, que está acostumado a praticar exercícios físicos, quanto por uma pessoa sedentária, que queira começar a praticar.

Em ambos os casos, os exercícios vão trazer benefícios aos praticantes.

As atividades funcionais utilizam aparelhos do Pilates convencional, como a bola suíça, a prancha de equilíbrio e outros recursos específicos.

A única diferença é que esses materiais são adaptados para outros tipos de exercícios, que sejam mais dinâmicos e, consequentemente, colaborem para a perda de gordura corporal.

É sempre importante lembrar que, independentemente do tipo de Pilates, esses exercícios trabalham muito a postura. Então, é preciso cuidar ao máximo para que, durante as atividades, a postura seja priorizada.

Assim, será possível executar o movimento da melhor forma possível e ainda conseguir bons resultados com essa prática para o corpo.

Para entender melhor a relação dos métodos sege um quadro com a relação das técnicas e métodos.

Pilates Funcional Para Melhorar os Resultados do Seu Aluno

A realização desta atividade meus alunos conseguiram ter uma evolução muito grande no desempenho durante as aulas, pois através deste recurso, os mesmos obtiveram um resultado significativo.

Tanto no quadro álgico quanto no ganho de força, resistência, equilíbrio, condicionamento cardiovascular, respiratório, flexibilidade, alongamento e consciência corporal.

Proporcionando, assim, um bem estar e qualidade de vida no dia a dia.

Concluindo…

O TF é um tema bem amplo, onde exploraremos outras questões específicas, além de detalhar o desenvolvimento de capacidades físicas e melhorando o desempenho e o corpo dos nossos alunos.

Portanto as duas modalidades trabalham o corpo de um modo geral, cada uma delas trazendo uma especificidade maior em algum ponto do treinamento.

A escolha vai variar de acordo com cada indivíduo podendo ser utilizado em comum acordo trazendo um benefício e qualidade maior na realização das aulas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *