Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

O Pilates na gravidez é um assunto muito falado, mas será que você realmente sabe as principais razões que devemos recomendar que as futuras mamães continuem praticando ou comecem a praticar o Método nesse período de vida?

Durante a gestação, o corpo da mulher passa por diversas mudanças físicas e hormonais que necessitam de uma atenção maior nos cuidados com a saúde. Essas mudanças podem gerar dores e desconfortos para elas.

Para evitar incômodos, o Pilates pode ser um grande aliado nessa fase, amenizando as alterações estruturais e proporcionando benefícios. Quer saber quais são eles? Neste texto vamos falar as principais razões para você, instrutor, indicar a prática do Pilates na gravidez.

Pilates na gravidez

Para realizar uma aula de Pilates com gestantes não é preciso fazer muitos ajustes. Você pode dar preferência por exercícios que trabalham as áreas do corpo que são mais importantes para esse período.

É importante lembrar que não existem exercícios proibidos, apenas alguns que não são tão recomendados pela posição e por causarem desconfortos.

Uma dica para fazer um guia de exercícios para uma aula com gestantes: É essencial que você foque no período gestacional, ou seja, os três trimestres

__CONFIG_colors_palette __ {"active_palette": 0, "config": {"colors": {"62516": {"name": "Main Accent", "parent": - 1}}, "gradients": []}, " paletas ": [{" nome ":" Paleta padrão "," valor ": {" cores ": {" 62516 ": {" val ":" rgb (19, 114, 211) "," hsl ": {" h ": 210," s ": 0,83," l ": 0,45}}}," gradientes ": []}}]} __ CONFIG_colors_palette__
ENCONTRE UM STUDIO VOLL

Em cada um desses períodos ocorrem mudanças diferentes no corpo, sendo assim é necessário adaptar os exercícios ao condicionamento físico da aluna. Além disso, o seu guia de exercícios também deve considerar as individualidades de cada pessoa.

Quanto aos períodos da gestação, é importante ficar atento às mudanças que ocorrem no corpo da mulher, como:

  • Primeiro trimestre: a gestante tem muitos sintomas, além do peso, aumento das mamas e vontade de urinar;
  • Segundo trimestre: o centro de gravidade começa a se deslocar para frente com o aumento da barriga e, consequentemente a lordose aumenta e pode vir a ocasionar dores nas costas;
  • Terceiro trimestre: os sintomas se intensificam e pode acontecer uma dificuldade para respirar, pela localização do bebê perto das costelas. A mulher começa a ficar mais cansada e o centro de gravidade desloca ainda mais para frente. Além disso, os ligamentos da pelve ficam distendidos.

Se baseando nesses princípios, o instrutor deve realizar seu programa contemplando os movimentos da pelve de retroversão e anteversão, e principalmente sentada em uma superfície móvel como uma bola.

É importante lembrar que a musculatura do assoalho pélvico e os adutores devem ser trabalhados durante os três trimestres, com uma contratação leve e um relaxamento da musculatura.

Isso porque às vezes lembramos de trabalhar apenas o fortalecimento, e a musculatura do assoalho pélvico precisa ser forte e com uma mobilidade, para poder dilatar, ter flexibilidade e não romper durante o trabalho de parto.

É recomendado que as aulas de Pilates para gestantes sejam feitas de duas a três vezes por semana, e apenas até o oitavo mês de gestação. Porém o que define a hora de parar é o tamanho e peso da barriga. Lembrando que você como instrutor deve ficar atento ao conforto e grau de dificuldade da aluna.

10 razões para praticar Pilates durante a gravidez

Dentre os diversos benefícios que o Método traz, o Pilates na gravidez tem várias razões para que comece a ser praticado hoje mesmo! Aqui selecionamos os 10 principais.

  1. A prática de Pilates beneficia a futura mamãe, ajudando a manter uma boa postura. E consequentemente fortalece o cinturão abdominal, contribui e dá força aos músculos mais profundos como o transverso e o psoas. Uma inclinação pélvica excessiva pode gerar dores na zona lombar, além de má postura;
  2. A prática do Método reduz as dores gerais em todo o corpo e melhora a postura. Regularmente as mulheres no período de gestação sofrem com dores nas costas e isso acontece por conta do sobrepeso que o bebê traz;
  3. A gestante que pratica Pilates melhora a qualidade do sono, o que consequentemente aumenta a energia diária;
  4. Ao fortalecer os músculos pélvicos, o parto em si, é facilitado pois a futura mamãe aprende a controlar a zona pélvica;
  5. Com certeza há um aumento na resistência física, alcançando maior agilidade e controle do peso, que se ganha devido a situação;
  6. Aprende-se a respirar melhor, de maneira profunda e controlada. Este tipo de respiração é o indicado para a hora das contrações e do próprio parto;
  7. A prática de qualquer exercício melhora a circulação sanguínea, mas especialmente o Pilates se cria uma ‘irrigação’ de sangue balanceado e equilibrado por todo o corpo ao praticar as diversas posições;
  8. Bom-humor! Fazer exercícios de Pilates como alongamentos e movimentos de relaxamento farão com que a mulher fique relaxada, aliviada e se sinta mais feliz;
  9. A convivência com outras mulheres grávidas. Existem aulas grupais de Pilates para gestantes. Essa interação é maravilhosa, já que elas podem se comparar com a vida de outras gestantes, se sentindo mais seguras.
  10. A prática de Pilates na gravidez, juntamente com os exercícios, lhe proporcionarão uma rápida recuperação pós-natal e consequentemente chegar ao seu corpo em menos tempo.

Conclusão

Para ter um guia ainda mais completo, busque algumas dicas de exercícios aqui no Blog Pilates, e foque em estar sempre beneficiando as alunas que estejam passando por essa fase.

O Pilates na gravidez se torna essencial para um bom desenvolvimento da gestante, além de ser um ótimo aliado para evitar dores e desconfortos.

Sendo assim, você, instrutor, deve incentivar a prática para as futuras mamães e aquelas que pretendem ficar grávidas em um futuro próximo.