Posted in:

Envelhecimento: Tudo que você precisa saber como o Pilates pode ajudar!

Todos os seres vivos começam o processo de envelhecimento a partir do nascimento e, para nós humanos não é diferente.

Ao longo dos anos a população idosa vem crescendo em todo o mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) o número de pessoas com mais de 60 anos deverá crescer muito mais rápido até o ano de 2050 e no Brasil ela quase triplicará de 12,5% para 30% e seremos considerados uma “nação envelhecida”.

O envelhecimento é um processo natural que faz com que o corpo apresente mudanças anatômicas e funcionais.

Nesse sentido, o Método Pilates possibilita maior integração do indivíduo trabalhando o corpo sob uma perspectiva global, melhorando a postura, desenvolvendo a estabilidade corporal, coordenação, equilíbrio, força, e flexibilidade, capacidades necessárias para que esses indivíduos tenham uma velhice mais saudável e independente.

Processo de EnvelhecimentoEnvelhecimento-Exercício

Por mais que surjam fórmulas que prometam retardar os efeitos do tempo, todos os seres começam o seu processo de envelhecimento a partir do nascimento.

O processo de maturidade da formação orgânica vai até os 25 anos e após uma estabilização de aproximadamente 10 anos, os órgãos e tecidos musculares começam a perder as cerca de 1% das reservas funcionais ao ano.

Assim, nos idosos os órgãos e tecidos trabalham com apenas 60% da função, já que o cérebro dos 20 aos 80 anos perde 20% de massa, mas isso não interfere na qualidade de vida de ninguém se não estiver doente.

O envelhecimento é um processo natural que faz com que o corpo humano gradativamente com o avanço da idade apresente mudanças anatômicas e funcionais.

A medida que essas mudanças vão aumentando com o passar do tempo, ocorre uma redução na capacidade funcional e consequentemente uma maior dificuldade na execução das atividades da vida diária (AVDs).

Esse processo envolve muitas variáveis como genética, estilo de vida, doenças crônicas, entre outras. Existem diferentes formas de se envelhecer:

Senescência

Senescência é a perda de função ligada à passagem do tempo, contribuindo decisivamente para o comprometimento da qualidade de vida e da autonomia dos indivíduos idosos.

Envelhecimento Bem Sucedido

Envelhecimento bem sucedido é aquele com baixa pré-disposição à doenças e elevada capacidade funcional (física e cognitiva), acompanhado de uma postura ativa perante a vida e a sociedade.

Envelhecimento Com Fragilidade

Envelhecimento com fragilidade é caracterizado pela vulnerabilidade e pela baixa capacidade para suportar fatores de estresse,  resulta em maior pré-disposição à doenças e à instalação de síndromes geradas a dependência.

Fragilidade é a disfunção de um órgão ou sistema, grave o bastante para dificultar ou impossibilitar a execução de atividades anteriormente comuns, podendo ser temporária ou definida.

Envelhecimento--

Embora a idade cronológica seja um indicador do envelhecimento ela não é um marcador preciso para as mudanças que acompanham o envelhecimento, pois existem variações significativas relacionadas ao estado de saúde.

Essas variações podem ser percebidas pela participação e níveis de independências entre pessoas mais velhas e que possuam a mesma idade, ou seja, existem pessoas que parecem ser mais velhas precocemente, assim como, outras que parecem envelhecer tardiamente.

À medida que a pessoa vai envelhecendo obtém-se um novo visual e é preciso ter orgulho disso. Os primeiros sinais que se notam desse processo são fisicamente:

  • Formato do Corpo
  • Estatura
  • Postura
  • Pele Enrugada
  • Cabelos Embranquecidos
  • Passos mais Lentos e Curtos

Na verdade essas transformações ocorrem devido às perdas biológicas que gradativamente vão diminuindo os sentidos – visão, olfato, audição, diminuição do cálcio ósseo, da defesa orgânica entre outros fatores. As variáveis antropométricas é acompanhado por um aumento de peso corporal e diminuição da estatura.

Essas transformações ocorrem pela perda de massa óssea, aumento de gordura corporal devido à massa livre de gordura e seus principais componentes (mineral, água, proteína e potássio), diminuição da taxa metabólica de repouso e massa muscular esquelética.

Nos aspectos neuromotores o envelhecimento é acompanhado de perdas das áreas dos músculos esqueléticos causada pela diminuição do número de fibras musculares, em especial, as de contração rápida do tipo II (brancas), o que acarreta uma perda gradativa de força e potência muscular.

Nas variáveis metabólicas os efeitos principais são percebidos na aptidão física devido a diminuição da potência aeróbica em torno de 1% ao ano.

Esses declínios biológicos normais no processo de envelhecimento, o aparecimento de doenças e dificuldades funcionais com o avançar da idade sustentam de modo geral a geração da velhice como um período de decadência, que surgem nessa etapa da vida.

Ou seja, através de uma assistência adequada existem possibilidades para suavizar e compensar os efeitos do desgaste sobre a capacidade dos indivíduos seguir e desempenhar por si suas atividades cotidianas.

Outras necessidades básicas dos idosos são necessidade de amor, de ser útil aos demais, calor humano e segurança interior e exterior.

Isso porque tanto a emoção quanto o sentimento estão ligados com a saúde, e vai depender da maneira como o ele enfrenta as coisas que irá determinar sua vida diante dos obstáculos.

Preparar-se deve ser um ato de otimismo, as pessoas mais saudáveis e otimistas têm maiores condições de se adaptarem às transformações, sendo que a maioria dos idosos reagem ao envelhecimento através de sinais e sintomas ligados à afetividade e humor.

Mas eles devem ser observados em sua globalidade tanto nos aspectos psíquicos quanto nos sociais e afetivos levando em consideração suas vivências no decorrer de sua vida e seus relacionamentos perante a sociedade nos quais devem ser vistos como elemento vivo de uma geração concreta, valorizando sua experiência de vida.

Atividade Física para uma Velhice Bem SucedidaEnvelhecimento-Exercício-em-Grupo

A boa velhice é considerada como o coroamento de uma vida virtuosa, mas o estilo de vida, a genética e as condições sócio econômicas e culturais podem impor restrições ao alcance de tal resultado.

O corpo humano é como uma máquina, e quando não utilizada e nem lubrificada com o passar do tempo vai se danificando, enferrujando, e ficando cada vez mais difícil fazer com que se mova e funcione, já que acaba se deteriorando.

Assim, como as máquinas, o organismo precisa também ser lubrificado e estar em movimento.

É muito importante considerar a importância do exercício físico em uma idade em que as faculdades tendem a declinar e necessitam de manutenção da função para a conservação ativa de todos os sistemas nervoso, muscular, osteoarticular entre todos os outros.

Os idosos estão sendo informados sobre os valores e os benefícios trazidos pela prática da atividade física e os mesmos estão conscientizados que os movimentos usados para a terceira idade não é o mesmo utilizado para crianças e adultos.

Com uma atividade física adequada, as articulações ganham a capacidade de movimentar-se da maneira que merecem, os músculos e os ligamentos são reforçados e a capacidade de oxigenação do pulmão é aumentada, fazendo com que a fadiga demore mais tempo para ocorrer.

A prática de atividade física regular ajuda a preservar a força muscular, a facilidade de movimentação e o equilíbrio do corpo; favorece também a circulação sanguínea, controle de peso, a oxigenação dos tecidos, a fixação do cálcio nos ossos, além da melhora na autoestima, no humor, na disposição geral e nos relacionamentos sociais.

Esta prática também auxilia na manutenção dos níveis normais de pressão arterial, da glicose e do colesterol ruim (LDL) do sangue e um aumento do colesterol bom (HDL).

Com uma melhor forma física o idoso irá desfrutar melhor do dia a dia e acumulará energia suficiente para gastar em outras atividades prazerosas.

O corpo humano é um instrumento que permite que a pessoa se desloque, relacione, se expresse intervenha em seu meio de vida, então é necessário dedicar-lhe um tempo e cuidá-lo sempre em qualquer idade.

Pode-se dizer que adotar um estilo de vida ativo é investir na manutenção da autonomia de movimentos, na redução dos níveis de ansiedade, controle de estresse e na ampliação das relações sociais, fatores indispensáveis à qualidade de vida da pessoa idosa.

Histórico do Pilates

O Alemão Joseph Pilates (1880-1967) criou um método revolucionário de se exercitar, com base em uma série de técnicas ocidentais e orientais, integrando corpo e mente que no início denominou como Contrologia, e que mais tarde foi chamado de Método Pilates.

O Método começou a se tornar mais conhecido mundialmente, sendo praticado não só por aqueles que necessitam manter a boa forma, mas por pessoas que se preocupam em viver de maneira saudável. O Pilates oferece exercícios que podem ser praticados por pessoas de qualquer idade independente das condições físicas.

O Método Pilates e seus Benefícios para os IdososBenefícios-Envelhecimento

A técnica promove harmonia e equilíbrio corporal para todas as idades, condicionando o corpo através dos exercícios no solo e em aparelhos.

Por ser um método que tem como princípios básicos a respiração, a concentração, o controle, a centralização, a precisão e a fluidez de movimento, torna-se um sistema de exercícios que possibilita maior integração do individuo no seu dia a dia, trabalhando o corpo como um todo.

Joseph considerou a área abdominal em conjunto com os músculos profundos da coluna, como “casa de força” (powerhouse) que é o centro de todo movimento: quanto mais forte a casa de força, mais eficiente e poderoso será o movimento.

Esse centro de força é formado pelos músculos abdominais (reto do abdômen, oblíquos externos e internos e transverso abdominal) que trabalham junto com os músculos extensores da coluna (os mais importantes são o quadrado lombar e os multífidos) e o assoalho pélvico também é incluso devido a forma que este arranjo de músculos profundos abdominais tem, e sua localização na parte de baixo da pélvis.

O assoalho pélvico consiste de músculos utilizados para controlar o fluxo de urina e fezes, além de sustentar as vísceras na cavidade abdominal.

Durante o envelhecimento é muito importante fortalecer estes músculos pois neste período a incontinência urinaria e fecal é muito frequente e o Pilates trabalha o corpo como um todo, possibilitando maior integração do individuo no seu dia a dia, sendo assim é uma boa alternativa na pratica de atividade física e na reabilitação de idosos.

Além de corrigir postura e realinhar a musculatura, os benefícios para essa população são muitos como:

  • Ganho de Força
  • Aumento da Densidade Óssea
  • Equilíbrio Muscular
  • Consciência Corporal
  • Concentração
  • Coordenação Motora
  • Flexibilidade
  • Melhora da Capacidade Respiratória
  • Alivio de Dores Musculares
  • Diminuição de Risco de Quedas
  • Diminuição da Rigidez nas Articulações e Músculos
  • Melhor Mobilidade
  • Agilidade
  • Aumento da Autoestima

Tudo isso pode oferecer um retardo ou estabilização no processo de envelhecimento, promovendo uma melhor qualidade de vida para os idosos.

Envelhecimento (1)

Envelhecimento (2)

Envelhecimento (3)

Envelhecimento (4)

Concluindo…Envelhecimento-Senhor

Adotar um estilo de vida ativo significa uma melhor qualidade de vida e melhoria geral da saúde, considerando o aumento significativo da população idosa no mundo e que a maioria dos idosos quase sempre chega à esta fase com declínios e alterações funcionais.

Essas alterações ocorrem naturalmente e são perdas importantes para o bom funcionamento do organismo.

Como o Método Pilates possibilita maior integração do indivíduo trabalhando o corpo como um todo, ocorrerá a manutenção da capacidade funcional e da autonomia física durante o processo de envelhecimento.

Minimizando sua degeneração e possibilitando uma melhor qualidade de vida, para que os idosos possam ter uma velhice saudável.

 

Referências
ASSIS, Mônica de. O envelhecimento e suas consequências. In: CALDAS, Célia Pereira (Org). A saúde do idoso: a arte de cuidar. Rio de janeiro. Ed. UERJ, 1998.
CAMARÃO, Teresa. Pilates no Brasil. Rio de Janeiro: Elseivier, 2004.
GEIS, Pilar Pont. Atividade física e saúde na terceira idade: teoria e prática. 5.ed. Porto Alegre: Ed. Artmed, 2003.
MATSUDO, Sandra Mahecha. Envelhecimento e atividade física. Londrina: Midiograf, 2001.
SOARES, Jesus; ALBARSE, Silvio. Envelhecimento e atividade física. In: RAMOS, Luis Roberto; TONIOLO NETO, João. Guia de medicina ambulatorial e hospitalar UNIFESP – Escola Paulista de Medicina: geriatria e gerontologia. São Paulo: Ed. Manole, 2005.

Written by Érica Fonseca

Érica Fonseca

Especialista em Método Pilates e Prescrição de Atividade Física e Saúde pela Universidade Gama Filho (2012). Formação completa em Pilates pela Tc Pilates (2014). Formada em Educação Física pela UNOPAR (2007). Capacitação em Treinamento Físico Funcional pela Bpro (2015). Sócia proprietária do Studio Vítally Treinamento Funcional e Pilates. Atua com o método Pilates há 6 anos em São Paulo - SP.

Facebook Érica Fonseca
Instagram @erquinhafonseca.
Email erica_pilates@outlook.com

2 posts

2 Comentários

Deixe um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *