Posted in:

ESPECIAL BABY PILATES: Conheça mais sobre o novo Método!

ESPECIAL BABY PILATES: Conheça mais sobre o novo Método!
Gostou? Avalie!

Olá, tudo bem? Me chamo Danielle Kühni, sou Fisioterapeuta e venho aqui conversar com vocês sobre o Baby Pilates, você já ouviu falar?

Esse é o primeiro texto de uma série de textos que vamos estar postando a cada 15 dias! Ele é um guia completo para você que se interessa em trabalhar com o Baby Pilates e quer saber mais sobre o Método e o mercado.

Bem, me deixa explicar como tudo aconteceu para vocês se situarem melhor.

Em 2010 comecei a faculdade de Fisioterapia e em 2012 tive meu primeiro contato com as Gestantes. Não deu outra, acabei me apaixonando pela maternidade e veio um motor grande para trabalhar com esse público.

Então a partir do quarto período do curso todos os meus projetos eram focados na gestação, no parto e no pós-parto. E assim continua sendo até hoje.

No último ano da faculdade tive o prazer de vivenciar os sistema da maternidade na França e voltei para o Brasil cheia de ideias. Então abri o meu estúdio de Pilates e comecei a implementar por lá algo novo, que eu quero compartilhar com vocês!

Pilates para Gestantes – Pós Parto

Vocês já devem ter dado aula de Pilates para Gestantes, certo?! E devem observar que depois que seus bebês nascem muitas das suas alunas não voltam a frequentar suas aulas, e quando retornam demoram pelo menos 6 meses.

Sabemos que o nosso espaço não é apenas um lugar para elas se exercitarem, também criamos vínculos com nossos alunos. Nos acostumamos com o hábito de tê-las conosco uma média de duas vezes por semana e é tão ruim essa ausência, começa a fazer falta enorme…

Além disso, sabemos quão benéfico é o nosso trabalho para o corpo e a mente delas, sabemos da importância delas continuarem com uma pratica da atividade física. Além de tudo, essa perda de aluno para a questão financeira do estúdio também não é nada bom.

Pois bem, esses pensamentos me incomodavam, e também incomodavam as minhas alunas gestante pois eram inúmeras mensagens que eu recebia:

  • “Dani estou sentindo tanta falta do Pilates, quando eu posso voltar?!”
  • “Dani, estou sentindo tantas dores, cansaço, preciso voltar para o Pilates!”
  • “Dani meu corpo pede Pilates!”
  • “Se eu tivesse com quem deixar meu bebê já estaria de volta pro Pilates.”
  • Dentre outras mensagens. Mas por fim recebi uma que me chamou atenção: “Dani, posso voltar pra aulas com meu bebê?!” E eu pensei, ‘Por que não?!’

Comecei a estudar o assunto, a perceber através das bases cientificas os inúmeros benefícios que isso poderia trazer para elas.

De acordo com o American College of Obstetricians and Gynecologists (ACOG), o retorno à prática de uma atividade física no pós-parto está associado a inúmeras vantagens como:

  1. Melhora do Condicionamento Cardiovascular
  2. Redução da Pressão Arterial
  3. Controle e Redução do Peso
  4. Controle dos Níveis de Insulina
  5. Controle dos Níveis de Doenças Crônicas
  6. Redução da Ansiedade e Depressão
  7. Melhora do Humor
  8. Entre Outras

Descobri também que a Diretriz Internacional do Pós-parto determinou que as puérperas devem fazer caminhadas, exercícios aeróbicos, treinamento da musculatura do assoalho pélvico, e exercícios de fortalecimento e alongamento das cadeias musculares durante o puerpério.

E adivinha: a maioria desses treinamentos nós aplicamos diariamente nas nossas aulas de Pilates, então nosso método por si só já é benéfico para elas.

Vi também diversos benefícios que foram publicados em 2014 pelo Summary of international Guidelines for Physical Activity after Pregnancy, em que as puérperas praticantes de atividade física têm benefícios quanto à:

  • Melhora do Humor
  • Controle de Peso
  • Menor Índice de Depressão/Ansiedade
  • Melhora da Aptidão Cardiorrespiratória

É como se eu só precisasse ‘unir o útil ao agradável’. Eu já tinha o conhecimento do método, já tinha uma população que precisava e podia ser beneficiada por esta técnica, o que faltava então?!

O que precisa para aplicar o Pilates no Pós Parto?

E foi aí que vi que faltava uma coisa muito importante, dominar essa população, e estudar suas particularidades.

O Pilates para o puerpério não é igual ao Pilates para uma população comum! Existem particularidades especiais que precisei estudar muito e descobrir antes de colocar em prática para implementar o Baby Pilates em meu estúdio.

Continuei meu estudo vendo quais eram as barreiras reais que as impediam de voltar, e através de alguns estudos encontrei o de Albright et Al, publicado em 2015.

Esse estudo mostrava que cerca de 70% das mulheres após o parto não realizavam atividades físicas conforme as recomendações das diretrizes da Escola Americana de Obstetricia e Ginecologia (ACOG, 2003).

Dentre as barreiras estavam falta de informação e incentivo: elas não sabiam da importância dessa prática pois ninguém nunca passou para elas que era necessário, e o quanto que poderia ajudá-las.

Relataram também não ter tempo devido às ocupações com o bebê, e a demanda em relação a amamentação, e esses são pontos que move o método Baby Pilates.

Não queremos que elas deixem de fazer suas coisas por que estão cansadas, por que a rotina do bebê esta demandando demais delas. O que queremos é que elas se sintam mais dispostas, com menos dores e mais motivadas para amamentarem e realizarem as suas atividades de vida diária.

Queremos também que o bebê faça parte da sua rotina, que ele seja um companheiro e que ela continue fazendo suas atividades, agora não mais sozinha e sim junto com o seu novo parceiro.

Método Baby Pilates

O método do Baby Pilates tem como objetivo principal promover a prática da atividade física após o parto sem que as novas mamães precisem ficar longe de seus bebês.

Assim podemos reduzir essa alta porcentagem apresentada pelo estudo, proporcionar diversos benefícios que já foram comprovados pelas escolas internacionais especialista na população de Puérperas e fortalecer ainda mais o vínculo da mãe com os seus bebês, aumentando a qualidade de vida.

Outro ponto que pudemos observar na prática foi a diminuição da tristeza após o parto. Vocês já ouviram falar em BabyBlues?

É uma melancolia após o parto que muitas mulheres sentem, uma perturbação emocional causado pelas alterações hormonais bruscas que acontecem no corpo das puérperas. Pode até ser confundida como uma depressão pós-parto, mas os estudos populacionais mostram suas diferenças.

Mas aí você pode está pensando, por que no momento mais feliz de uma mulher que quer iniciar uma família, que sempre sonhou com a chegada de seu bebê ela está ficando triste?

Pois bem, é confuso, mas o comum é elas ficarem muito sensíveis, emotivas e chorarem sem motivo aparente, muitas vezes por sentirem uma tristeza inexplicável. A mãe pode se sentir irritada, triste e com vontade de chorar, e agora são muitas responsabilidades e afazeres novos para ela e que lhe tomam todo o tempo.

Os primeiros dias em casa é tudo muito confuso, cheios de dúvidas e medo de não saber o que fazer frente a situações totalmente novas para ela.

Mas quando elas conversam e convivem com outra puérperas elas percebem que aquilo tudo faz parte do processo, que não acontece só com ela, e acaba ficando mais leve aquele momento, pois a dores e os medos são compartilhados.

A nossa função como instrutores de Pilates é muito além de dar uma aula de Pilates. É dar uma aula individualizada, respeitar a limitação de cada corpo, de cada mente.

No Baby Pilates ainda temos mais prioridades para uma boa aula, e para sermos um bom profissional precisamos conhecer tudo que desrespeita a nossa população: o corpo e a mente da puérperas, como funciona o bebê, quais exercícios posso fazer com eles, e então nos tornamos uma verdadeira rede se apoio para essa família que está se formando.

É preciso entender quais os exercícios são mais indicados em cada fase do bebê, e isso varia tanto pela idade quanto pelo nível de seu desenvolvimento psíquico motor, e através disso eu consigo moldar um exercício benéfico para ele e para sua mãe.

Concluindo…

Por fim quero deixar uma mensagem que cabe a nós, profissionais da saúde, sempre informar e incentivar desde as consultas de pré-natal sobre a importância da prática de atividade física no puerpério.

E principalmente da importância de oferecermos uma rede de apoio para a nova mamãe.

Pois bem, te convido para conhecer mais sobre o BABY PILATES. Um método novo, que tem como proposta principal oferecer um exercício especializado a este publico em questão, respeitando as mudanças fisiológicas deste período.

Além de estar sempre se instruindo sobre tudo que vocês precisam saber sobre esse mundo da maternidade ensinando possíveis adaptações para aplicação do método em seu estúdio de Pilates.

Quer aprender ainda mais sobre o Baby Pilates? Em breve lançaremos o nosso curso Online! Para ter informações em primeira mão, entre no link e cadastre-se: https://goo.gl/YPJkpn

Written by Danielle Kühni

Danielle Kühni

Instrutora de Pilates pelo Pilates Zone – Centro Especializado em Pilates (2013)
Fisioterapeuta graduada pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE); (2015.2)
Pós-graduanda em Fisioterapia Aplicada a Obstetrícia e Uroginecologia pela Faculdade Redentor (Instituto de Desenvolvimento e Ensino - IDE); (2015.2-2017.1)
Especializada no ciclo Gravídico-Puerperal – Preparação para o Parto, Biomecânica para o Parto e Reeducação Perineal no Pós-parto pelo Instituto Bernadete de Gasguet Paris – França; (2015.1)
Formação em como Inserir o Pai no parto e Exercícios no ciclo Gravídico-Puerperal pelo Instituto Bernadete de Gasguet Paris – França;
(2015.1)
Curso de acompanhante para o parto e Formação em Doula – pelo Grupo de Apoio a Maternidade Ativa – GAMA – SP; (2016.2)
Especialista em Pilates para Gestante pelo Voll Pilates – SP (2015.2)
Especialista em Pilates para Gestante Silvia Gomes – SP; (2016.1)
Formada pela Baracho Educação Continuada em Fisioterapia Aplicada a Saúde da Mulher – Uroginecologia e Obstetrícia. (2016.1)
Estágio na Faculdade Boris Dolto – Paris, França; (2012)
Estágio no Hospital de Plaisir –Gringnon, França; (2015.1)

8 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *