Posted in:

Pilates na Prevenção e Controle do Diabetes Melito Gestacional

O Diabetes Melito (DM) é uma doença de alta relevância. E desperta continuamente a preocupação das autoridades da saúde pública em decorrência da sua morbidade e mortalidade. Além dos consequentes elevados custos sociais e econômicos (1).

Já a Diabetes Melito Gestacional (DMG) é a intolerância aos carboidratos, diagnosticada pela primeira vez durante a gestação e que pode ou não persistir após o parto (2).

O impacto do Diabetes Melito não será só no quadro clínico, mas também alterações funcionais em alguns órgãos e sistemas.

O que pode resultar em descontrole metabólico crônico. Ou seja, manter esse quadro de intolerância mesmo após o nascimento do bebê.

Sendo assim, nesse texto vamos explicar o que é a Diabetes Melito Gestacional. E apresentar como o Método irá ajudar na prevenção em gestantes que praticam.

O Diabetes Melito GestacionalDiabetes-Melitus-Gestacional-4

A incidência de DMG está aumentando em paralelo com o aumento do DM2. Tem acometido cerca de 3 a 8 % das gestantes, levando a importantes repercussões tanto para a mãe como para o bebê.

O quanto antes for dado o diagnóstico e iniciado o tratamento, menores serão os riscos de morbidade e mortalidade tanto materna como para o bebê.

Apesar de o nome induzir que a diabetes é seja causada pela gravidez, não podemos dizer que está totalmente correto.

Pois esse conceito apenas está se referindo à temporalidade do diagnóstico. Incluindo tanto os casos de distúrbio do metabolismo glicídicos não diagnosticados previamente à gestação como também aqueles deflagrados pela gravidez.

Entre eles estão os:

  • Antecedentes pessoais: hipertensão arterial, obesidade, infecções urinárias de repetição, candidíase resistente a tratamentos usuais;
  • Antecedentes familiares: história familiar de diabetes;
  • Antecedentes obstétricos: diabetes em gestação anterior, multiparidade, abortamento habitual, polidrâmio, neonato grande para a idade gestacional (peso maior 4kg), óbito fetal nas últimas semanas de gestação, malformação fetal ou síndrome do desconforto respiratório neonatal;
  • Gravidez atual: macrossomia fetal, polidrâmio, espessamento placentário ao exame ultrassonográfico.

Com certeza será indiscutível que a atuação de profissionais da área de saúde que atuem com atividade física, pode agregar à melhora da qualidade de vida dessas futuras mamães.

As atividades irão atuar com a elaboração e supervisão de programas de exercícios específicos com o objetivo de melhorar os índices glicêmicos.

O que acontece no corpo da gestante?Diabetes-Melitus-Gestacional-6

Como já sabemos durante a gestação ocorre um turbilhão de alterações endócrino-metabólicas que tem como objetivo suprir as necessidades maternas e fetais. E essas demandas exigem adaptações no organismo da gestante, pois se isso não acontecer podem trazer prejuízos para a mãe e o bebê.

Entre essas adaptações estão aquelas que exigem maior desempenho do pâncreas endócrino em comparação com o período anterior à gravidez, o que pode causar essa intolerância à glicose.

Sabemos que o Diabetes Melito Gestacional aumenta muito o risco de complicações clínicas e obstétricas. E outro fator importante também é que a mulher que foi portadora de DMG deve continuar monitorando essa intolerância nos próximos anos após a gestação, visando à prevenção do surgimento da Diabetes Melito tipo 2 (DM2).

Segundo a Organização Mundial de Saúde, é considerado Diabetes Melito Gestacional quando os valores de glicemia em jejum forem maiores que 126 mg/dl, ou teste de tolerância de glicose com 75 g de glicose maior que 140 mg/dl na segunda hora.

Já os critérios do Ministério da Saúde do Brasil consideram a DMG os valores de glicemia em jejum maiores que 110 mg/dl e o teste de tolerância de glicose igual à OMS.

Como tratar e prevenir?

O ideal seria se essas mulheres pudessem avaliar a glicemia antes da gestação, assim já corrigiria antes mesmo de engravidarem.

Assim como eu sempre falo que é a melhor opção a preparação para a gestação, ou seja, os exames de rotina também são de extrema importância para se alcançar uma gestação saudável e sem complicações.

As formas de tratamento da Diabetes Melito Gestacional devem ser de maneira multiprofissional. Ou seja, obstetra, endocrinologista, nutricionista, psicólogo e fisioterapeuta ou educador físico, para que possam junto adotar as medidas necessárias para o controle glicêmico.

E como o Método Pilates pode ajudar?Diabetes-Melitus-Gestacional-5

Então vamos agora conversar sobre a nossa atuação como instrutores de Pilates. Como já citei anteriormente em outras matérias, o método Pilates envolve exercícios lentos e controlados, associado à respiração e ativação de musculatura estabilizadora.

Diversas pesquisas relacionam os efeitos benéficos que os exercícios físicos têm sobre o controle da glicemia. Em virtude de uma melhor utilização da insulina na captação de glicose pelos tecidos.

Alguns estudos relacionaram o tipo e a intensidade de algumas atividades, e chegam à conclusão que uma atividade supervisionada por um profissional qualificado, parece ser mais eficaz na melhora dos níveis glicêmicos.

E o Pilates se encaixa perfeitamente, pois conseguimos escolher exercícios com a intensidade adequada, conforme a necessidade de cada gestante, deixando as mais seguras e confiantes. Além também da correção dos alinhamentos, durante a execução e a interrupção de algum movimento quando necessário.

Pensando assim, devemos orientar a essas gestantes a praticar Pilates de duas a três vezes por semana. E essa aluna deve também associar uma caminhada ou hidroginástica, além da dieta orientada por uma nutricionista.

Outro fator que nos leva a acreditarmos que o Pilates é um método seguro e com excelentes resultados para as gestantes portadoras de Diabetes Melito Gestacional, é o fato que os exercícios quando bem aplicados por um profissional qualificado, dificilmente terá uma intensidade muito alta, a ponto de aumentar a FC acima do recomendado.

Faltam estudos específicos para comprovar os reais benefícios do método com esse público em especial, mas como já sabemos os efeitos fisiológicos dos exercícios, sabemos o quanto vai contribuir.

Concluindo…Diabetes-Melitus-Gestacional-2

Portanto as aulas de Pilates com uma aluna portadora de Diabetes Melito Gestacional deve ter o cuidado redobrado com as isometrias, ou exercícios muito intensos.

É claro que como sempre devemos levar em consideração a condição física anterior dessa gestante. Mas não me canso de ressaltar que devemos dar prioridade à escolha de exercícios simples, e bem executado, com uma atenção especial aos alinhamentos posturais. Além de manter a frequência nas aulas, sem faltar, que é extremamente importante nesses casos.

Tenho certeza de que bons profissionais que buscam informações sobre as patologias de suas alunas, e se dedicam a individualizar a escolha do exercício ideal. Terão muito sucesso e levarão cada vez mais os benefícios do Método para um número maior de pessoas.

O grande segredo de uma aula de Pilates de qualidade é pensar antes de escolher um exercício para uma determinada aluna!

Espero que esse texto ajude vocês e deixe aqui nos comentários sua opinião!

 

Referências Bibliográficas:
1 – Fisioterapia Aplicada à Saúde da Mulher, Elza Baracho, Quinta Edição, Editora Guanabara Koogan, 2012.
2 – World Health Organizativo. Definition, diagnosis and classification of diabetes mellitus and its complications: report of a WHO consultation. Geneva: World Health Organization, 1999.

 


Patrícia de Andrade Valeriano

Fisioterapeuta e Instrutora de Pilates na WP Pilates & Saúde

Integrante do grupo das idealizadoras do Projeto Mamãe Saudável

Responsável pelo curso de Pilates para Gestantes

Written by Patricia de Andrade Valeriano

Patricia de Andrade Valeriano

Patricia de Andrade Valeriano é Fisioterapeuta, formada desde 2004. Possui Pós-graduação em Terapia Manual e Postural. Atua com Pilates desde 2007, quando fez a primeira formação em Pilates Clínico e Pilates Aplicado à Saúde da Mulher. Anos mais tarde, fez formação em Pilates Fitness, Pilates Dermato Funcional, Pilates para Grupos e Pilates Avançado. Possui formação internacional em RPG (Sistema Australiano), Reeducação Uroginecológica e Conceito McConnell - Bandagem Funcional. É professora de cursos de formação em Pilates há mais de 4 anos, participou da formação de quase 80 turmas. Todo ano participa de whoskshops relacionados ao Pilates, assim como o Pilates Leader Programme. Atualmente é proprietária da WP Pilates & Saúde (sede São Paulo do Voll Pilates Group) e integrante do grupo das idealizadoras do Projeto Mamãe Saudável . Desenvolveu o curso de Pilates Aplicado para Gestantes e ministra whorkshops do mesmo tema em eventos como o último Meeting em Pilates e Treinamento Funcional 2014. Recentemente participou da Certificação de Personal Gestante do Programa Mais Vida Gestantes e do curso de atualização de fisioterapia obstétrica da Sabrina Baracho.

18 posts

1 Comentário

Deixe um Comentário
  1. Gostei muito das informações do método pillates para gestantes. Porque sabemos que a gestante tem limitações de exercícios e sendo diabética as restrições são maiores então essas informações tem muito valor. Adorei e estou feliz em poder fazer esse curso da semana da coluna

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *