Junte-se a mais de 200.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

*Este conteúdo é científico e pode ser utilizado para pesquisas* Atualmente vem se falando muito sobre a importância do fortalecimento dos músculos do Core ou Power House. Mas afinal, o que é cada um? Existem diferenças entre eles? 

Os dois termos são praticamente a mesma coisa. Core ou Power House refere-se ao conjunto de músculos da região abdominal, coluna lombar, pelve e quadris. Entretanto, no Pilates utiliza-se mais nome Power House e no Treinamento Funcional, Core. 

Quer saber mais sobre essa famosa musculatura, entender a sua importância nas diferentes modalidades e conhecer os benefícios em realizar seu fortalecimento? Então continue lendo esta matéria e confira!

O que é Core ou Power House?

Definimos Core ou Power House como “casa de força”, também chamado de “centro de força”. Os músculos que o formam sustentam a coluna, os órgãos internos e a postura, formando um cilindro de estabilidade ao redor da cintura. 

O centro de força é formado por 29 pares de músculos que tem como função suportar o complexo lombo-pélvico-quadril, para que possa estabilizar a coluna vertebral, pelve e a cadeia cinética durante os movimentos funcionais. 

Ou seja, é formado pela musculatura que circunda nosso centro de gravidade (a região próxima ao umbigo). Basicamente, são os músculos abdominais, da região lombar, pelve e quadril.

O Core ou Power House é composto por:

  • Transverso do abdômen: tem a função de estabilizar as vértebras lombares. É um músculo involuntário. É ligado neurologicamente ao períneo (possui a mesma inervação) e por isso, sua contração só é possível quando simultânea à contração do períneo. Também só entra em ação na expiração forçada;
  • Períneo: músculo do assoalho pélvico, fazendo sustentação visceral, causando uma pressão positiva. Suas ações são diretamente proporcionais, ou seja, quanto maior a pressão intra-abdominal, maior a estabilização lombar;
  • Multíferos: trata-se de um músculo bem interno da coluna e que tem a função de estabilizar a coluna. Faz a flexão lateral da coluna e rotação lateral do tronco, também sendo um auxiliar na extensão;
  • Diafragma: tem a forma de cúpula. Na inspiração, ele aplaina para expansão da caixa torácica (quando a respiração é mais anatômica possível, ou seja, sem protusão abdominal). Como ele tem inserções nas vértebras lombares, também possui a função de estabilização da coluna.

O Core ou Power House é o alicerce, ou seja, a base de tudo. Visualize-o como uma “casa de força”:

  • Frente e lado da “casa” são o transverso e oblíquo interno do abdômen;
  • A parte de trás da “casa” é o multifidus;
  • A base da “casa” é constituída pelos músculos do assoalho pélvico;
  • O teto da “casa” é o diafragma;

A origem dos termos

Essa musculatura sempre existiu e era trabalhado por bons treinadores já na década dos anos 90. Com o grande avanço do Pilates e do Treinamento Funcional, ele ficou mais evidente, pesquisado e conhecido.

Os primeiros conceitos relacionados a importância do Core ou Power House e ao seu treinamento, começaram a ser definidos no início da década de 80. Isso ocorreu em pesquisas que foram extremamente importantes para que fosse possível entender as dores e lesões na região lombar utilizando exercícios que estimulassem o quadril e o tronco.

Trabalhar bem este conjunto de músculos é fundamental pois traz: melhor manutenção postural; economia de energia; maior eficiência na transferência de forças através da coluna; diminuição da incidência de dores lombares, evitando assim, lesões e melhorando a qualidade de vida em geral.

Além disso, a estabilidade do Centro de Força é crucial para fornecer a base, regulando a distribuição de carga durante movimentos das extremidades inferiores e superiores, e proteger a medula espinhal e as raízes nervosas.

Para Joseph Pilates essa musculatura é considerada a mais importante do corpo sendo a área entre a base da sua caixa torácica e a linha que vai de um quadril ao outro (do Diafragma) com a sinergia dos músculos abdominais (sobretudo o Transverso do Abdome), Multíferos e Períneo, propiciando assim a estabilização da coluna lombar. 

Quais são as funções do Core ou Power House?

A função do Core ou Power House é manter o alinhamento corporal, bem como favorecer a base de suporte do corpo, além de prevenir lesões e gerar torque (força). 

Muitas lesões seriam evitadas se ao começar praticar exercícios físicos, as pessoas fizessem seu treinamento de centro de força.

 Os músculos do centro podem ser classificados de duas maneiras: locais e globais.

Músculos locais são os que são responsáveis por gerar a estabilização antes que ocorra o movimento. Eles são recrutados por alguns milésimos de segundos antes que ocorra o recrutamento dos demais músculos, os globais.

Músculos globais são recrutados após os músculos locais já terem gerado a estabilização necessária de todas as estruturas não contráteis, para que o movimento possa ocorrer com alta eficiência e sem a presença de dor, sendo estes os responsáveis pelo auxílio na realização de praticamente todas as atividades cotidianas.

Por que o Centro de Força deve ser fortalecido?

Esta musculatura é a responsável pela sustentação e estabilização de praticamente todos os movimentos de nosso corpo, por isso, é fundamental que qualquer pessoa tenha seu centro de força fortalecido e estabilizado.

O Core ou Power House bem fortalecido, gera a estabilidade necessária para evitar que lesões aconteçam ou ainda, auxilia no desenvolvimento de atividades relacionadas à performance física, principalmente através do desenvolvimento de valências físicas como a força e a potência muscular. 

Sendo assim, é mais do que evidente que a correta estabilização do centro de força é fundamental para que a sua funcionalidade seja mantida e para que você consiga desenvolver melhor seu corpo e suas qualidades físicas. 

Isso por que esta região realiza a estabilização de quase todos os movimentos e caso ela esteja instável, temos padrões alterados de movimento.

Princípios para fortalecimento

Para garantir a estabilização e fortalecimento do centro de força é necessário realizamos de forma segura, correta e considerando os princípios.

  • Alinhamento: consciência do posicionamento do corpo. Manter a coluna na posição neutra
  • Respiração: coordenação entre o Core ou Power House e o diafragma (principal músculo da respiração);
  • Ativação da musculatura: a partir da respiração e alinhamento corretos, podemos ativar o Core ou Power House através da manobra de prender levemente o fluxo urinário contraindo o Períneo + apertar as nádegas para contrair os Glúteos + levar o umbigo para dentro para ativar o músculo Transverso do Abdome (a camada mais profunda dos músculos abdominais) e ativar os Multífidos (situados ao longo da coluna ao lado das vértebras).

Benefícios do fortalecimento do Core ou Power House

Os benefícios de ter o Core ou Power House fortalecido são muitos, citaremos a seguir os principais.

Aumento do desenvolvimento de potência

Um core estável e forte vai permitir que mais potência seja gerada e transferida através da cadeia cinética. 

Por exemplo, quando ocorrem mudanças de aceleração do corpo ou de direção, a potência pode ser um fator determinante entre o sucesso e falha de um movimento.

Aumento da eficiência e da estabilidade

A maioria dos grandes grupos de músculos, sejam eles da região superior ou inferior do corpo, são interligados ou à coluna ou à pelve.

Fortalecer esta “âncora” vai ajudar a conseguir uma plataforma estável, permitindo que os movimentos sejam mais eficientes e que você tenha mais potência em seus membros.

Melhora do equilíbrio

Um Core ou Power House forte ajuda nosso centro de equilíbrio a ser mais estável, mantendo a coluna vertebral e a pelve estabilizadas, enquanto a musculatura dos braços, ombros e pernas estão em movimento.

Diminuição do risco de lesão menor

Um centro de força pouco fortalecido, leva a uma sobrecarga nas extremidades do corpo, podendo causar lesões nesta região. Os músculos quando fortalecidos, eficientes e estáveis são capazes de absorverem melhor e converterem o movimento com mais força, causando menos estresse nas extremidades do corpo.

Melhora de adaptações neurais

O treinamento vai produzir melhora dos padrões de recrutamento neurais, tornando-os muito mais eficientes, causando uma ativação mais rápida do sistema nervoso, tornando a sincronização das unidades motoras melhoradas, assim como uma diminuição de reflexos neurais inibitórios

Conclusão

Conforme explicado, a diferença entre Core ou Power House está apenas na nomenclatura, pois o seu fortalecimento é fundamental em todas as modalidades de atividade física. 

Se os músculos do centro de força estiverem ativados e fortes, a musculatura mais superficial do abdome, como o reto abdominal e os oblíquos, fortalecem com maior facilidade, pois recebem um suporte maior.

Assim, conclui-se que o fortalecimento dos pequenos músculos que compõem o Core ou Power House, não apenas tratam ou previnem dores nas costas, mas também potencializam os músculos superficiais, facilitando o fortalecimento do abdômen de todas as maneiras.


























Banner Circuito TF