Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

Ombro congelado, tendinite do ombro, lesões e outros problemas aparecem quase todos os dias nos Studios. Sabemos que o complexo do ombro tem uma tendência a desenvolver instabilidades por possuir enorme amplitude de movimento. Agora preste atenção nisso: muitas vezes o desequilíbrio do ombro surge de uma falta de mobilidade escapular.

Precisamos inserir o trabalho de mobilidade em nossas aulas direcionadas a alunos com patologias de ombro. Mas não é só o ombro que se beneficia do trabalho de mobilidade escapular eficiente. 

Nesse artigo aprenderemos mais sobre essa importante região da cintura escapular e alguns exercícios para trabalhá-la. Você aprenderá:

  • Principais compensações da falta de mobilidade escapular;
  • Exercícios para trabalhar mobilidade;
  • Outros pontos importantes no tratamento de ombro.

Continue lendo para aprender todas essas informações úteis para você e seu aluno. Vamos lá?

Principais movimentos da escápula

A escápula é parte da cintura escapular e essencial para movimentos do ombro, coluna torácica e cervical. Ela deve realizar movimentos funcionais e naturais para que não existam compensações em nenhuma dessas regiões. Seus principais movimentos são:

  • Elevação e depressão;
  • Protração e retração;
  • Protração e retração;
  • Rotação para cima e rotação para baixo.

Esses movimentos devem ocorrem em sinergia com outros movimentos do complexo do ombro. Caso contrário teremos compensações, limitações de movimento e afins.

Compensações geradas pela escápula

Uma das principais compensações que surge quando temos uma escápula imóvel ou com movimentos errados é uma tensão no trapézio. Tensões nessa musculatura são comuns especialmente em alunos com desvios posturais, mas quem disse que a escápula não está relacionada a eles?

Quando temos um trapézio tensionado encontraremos também:

  • Dor cervical;
  • Dor no ombro;
  • Dor de cabeça;
  • Dificuldades respiratórias.

Perceba como os problemas de falta de mobilidade escapular são extensos e influenciam diversas partes do corpo. No caso da respiração precisamos entender também a relação entre movimentos da escápula e gradil costal. 

Quando encontramos uma escápula que não só se move de maneira errada, mas também possui uma posição erradas podemos estar com um paciente com risco de desenvolver a síndrome do impacto.

Exercícios para trabalhar mobilidade escapular

Confira no vídeo abaixo, 4 exercícios para mobilidade escapular que ajudarão no tratamento da dor no ombro de seus alunos.

Trabalho de ativação escapular.

Trabalho de ativação escapular. 💪👊 #VemComigo

Posted by Keyner Luiz on Thursday, January 18, 2018

Através desses exercícios conseguimos melhorar muito os movimentos da escápula. Eles te ajudam a adquirir mobilidade e consciência de movimento, deixando o ombro mais estabilizado e eficiente. 

Musculaturas importantes para trabalhar a mobilidade escapular

Para começar, quero dar ênfase ao serrátil, a musculatura responsável por manter a escápula presa ao gradil costal. Seus alunos com dor no ombro, cervical ou amplitude de movimento limitada precisarão fortalecer e ativar serrátil durante os exercícios. 

Também precisaremos trabalhar as musculaturas estabilizadoras de escápula, como:

  • Rombóides;
  • Peitoral menor;
  • Elevador da escápula;
  • Trapézio.

Observe bem as tensões apresentadas nessas musculaturas. Elas podem muitas vezes ser causa de dor ao aluno. Será necessário realizar uma boa liberação dessas musculaturas antes de iniciar os exercícios.

Conclusão

Sem um bom trabalho de escápula seu aluno dificilmente consegue se recuperar de problemas no ombro. Seus movimentos funcionais são necessários para que o ombro e todas as estruturas da cintura escapular consigam se mover corretamente. 

Seus alunos com compensações, tensões e problemas na região da coluna cervical e torácica também devem trabalhar com exercícios de mobilidade escapular.