Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

Uma das perguntas que mais recebemos pelos alunos é que tipo de força ele ganha durante a prática do Método Pilates e qual a Fibra Muscular mais ativada na execução dos exercícios. Para explicarmos de maneira correta, precisamos voltar no conceito do aparelho muscular. 

A miologia é a parte da anatomia responsável por estudar a região muscular e seus anexos.

Os músculos compõem metade do nosso peso corporal e possuem a capacidade de contratilidade. 

Existem 3 tipos de musculatura:

  • Músculo estriado cardíaco: como o nome diz, compõem o coração; 
  • Músculo liso: compõem os órgãos vitais e vasos sanguíneos;
  • Músculo estriado esquelético: composto por células alongadas, cilíndricas e multinucleadas, e que hoje focaremos no texto de hoje.

Continue a leitura porque, no texto a seguir, vamos abordar como é possível fazer a ativação das fibras musculares através de exercícios específicos do Pilates.

Músculo Estriado Esquelético e a Fibra Muscular

O músculo estriado esquelético, além de ser composto por células alongadas, cilíndricas e multinucleadas, uma de suas características mais importantes é que esses núcleos se encontram na periferia da célula. 

Lembrando que o músculo possui estrias, sendo elas posicionadas de forma transversal. Cada feixe muscular pode atingir até 30cm de comprimento e a espessura pode variar de 10µm a 100µm. 

Cada célula ou fibra muscular possui um feixe de miofibrilas. Essas miofibrilas são compostas por 4 tipos de proteínas: actina, miosina, troponina e tropomiosina, sendo a actina (mais fina) e a miosina (mais grossa), presentes em maior quantidade. 

A contração muscular acontece de forma voluntária, através de um impulso nervoso.

Classificação das Fibras Musculares

As fibras musculares são classificadas de acordo com suas características individuais, sendo subdivididas em 3 grupos:

  • Fibra muscular do tipo I;
  • Fibra muscular do tipo II a;
  • Fibra muscular do tipo II b.

As fibras musculares do tipo I são fibras com a contração lentas, chamadas de fibras vermelhas, pois têm um número elevado de mioglobina e mitocôndria, possuem capacidade oxidativa (ou seja, utilizam o oxigênio como maior fonte de energia), são altamente resistentes à fadiga e mais apropriadas a exercícios de longa duração. 

Esse tipo de fibra está muito presente nos músculos posturais. Utiliza o sistema energético aeróbio e também devido à utilização de ácidos graxos livres da gordura subcutânea, ocorre maior gastos de gordura corporal.

Já as fibras musculares do tipo II a são fibras rápidas, também chamadas de fibras brancas, possui um número de médio para baixo de mioglobina e mitocôndria, tem uma resistência de nível intermediário e utiliza o sistema energético aeróbio e anaeróbio.

Enquanto as fibras musculares do tipo II b possuem características semelhantes às fibras do tipo II a, porém tem um número baixo de mioglobina, pouca resistência e o sistema energético que utiliza é o anaeróbio. 

As fibras do tipo II, sejam ela a ou b, estão presentes em atividades que utilizam a explosão, exigindo mudanças bruscas de posição, como um jogo de vôlei, uma corrida de 100 metros e prática de dança, por exemplo. 

Ainda aqui vale ressaltar que todos nós possuímos as 3 fibras musculares, porém algumas possuem mais do tipo I e outras do tipo II. Isso vai depender da genética de cada ser humano.

Então o Método Pilates trabalha somente com a Fibra Muscular do tipo I?

Não! Trabalhamos os dois tipos de fibras, mas temos sim a predominância das fibras musculares do tipo I

As fibras do tipo II são ativadas quando utilizamos a placa de salto no reformer, por exemplo, ou quando trabalhamos o apoio unipodal, seja ele no MAT, em algum aparelho, ou mesmo quando estamos praticando exercícios de equilíbrio

Vou te contar um segredo: as fibras do tipo II são fundamentais para prevenir a queda dos idosos, além de diminuir os sintomas da menopausa.

Conclusão

É muito importante que, ao montar uma aula, o instrutor verifique as condições do seu aluno, respeitando as características individuais e priorizando sempre uma ativação de todas as fibras

Lembrando que a fibra muscular é ativada, dependendo do tipo e da intensidade do treinamento aplicado. Portanto, através de exercícios suaves e contínuos, estimulando principalmente a fibra muscular do tipo I, podemos melhorar as atividades de vida diária e utilizar os depósitos de gordura corpórea.