Posted in:

Pés e Pilates nas alterações posturais: combinando técnicas para equilíbrio e postura

pilates-nas-alterações-posturais

Pés e Pilates nas alterações posturais: como podemos utilizar o Método no equilíbrio e postura dos alunos e pacientes, trabalhar os pés em função de correções posturais e combinar técnicas diferentes na aula.

A postura é muito importante para a nossa saúde, sendo a causadora de muitos transtornos físicos que afetam a qualidade de vida.

Também tem um papel importante na aparência física, uma vez que as mudanças na postura são perceptíveis.

Nossos alunos sabem disso, e muitos procuram aulas de Pilates buscando corrigir alterações posturais.

Por isso, hoje vamos entender mais a fundo o Pilates nas alterações posturais, e como aplicar o método para diferentes desvios e patologias.

Vamos lá?

Antes de tudo, vamos entender a origem das alterações posturais…

Grande parte das alterações posturais começa na infância, pois as crianças passam por um período de acomodação das estruturas anatômicas do seu corpo.

Durante o crescimento, há uma grande variação fisiológica na postura e na mobilidade da coluna vertebral.

O desenvolvimento e a acentuação dos desvios posturais iniciam-se no período de estirão do crescimento na adolescência.

A manutenção do centro de massa corporal em uma base de sustentação denomina-se equilíbrio.

Essa habilidade permite que o corpo se mantenha ereto, sendo capaz de controlar os movimentos do corpo com estabilidade, incluindo o nosso deslocamento com segurança e a realização de movimentos coordenados com agilidade e precisão multidirecionalmente, e ainda ser capaz de reagir a uma perturbação.

Outros fatores, como o peso corporal, reflexos sensoriais, a organização do esqueleto, o sistema vestibular, oculomotor e proprioceptivo, também estão envolvidos.

Esta complexa capacidade de manter-se em pé vai se desfazendo com o passar dos anos.

O sistema corporal, que até então era perfeito, vai adquirindo vícios posturais e a função musculoesquelética vai se deteriorando.

Para manter um bom equilíbrio, um sistema integrado e interdependente é necessário.

O fortalecimento do tônus muscular é uma das principais atividades musculares capazes de manter este equilíbrio corporal por muito mais tempo.

A importância da postura correta

A postura é uma resposta micromecânica que estabiliza o sistema musculoesquelético.

Em cada atividade diária, precisamos adotar posições diferentes.

Por esse motivo, é essencial controlar a postura de forma consciente, para que não ocorram lesões ou contraturas que podem acontecer por um pequeno descuido.

A postura também tem influência no funcionamento adequado dos órgãos, e é fundamental para o bom desempenho dos músculos e articulações.

A má postura é um hábito que vem sendo adquirido desde o início do nosso desenvolvimento motor.

Na infância e adolescência, mais frequentemente nos dias atuais, no qual o sedentarismo e a posição laboral sentada, aliada a postura incorreta que vamos adquirindo com a utilização desenfreada da tecnologia.

Estas posturas viciosas são totalmente prejudiciais e, se não corrigidas, resulta em consequências diversas.

Entre elas, estão os desvios posturais e as patologias adquiridas pelo excesso de sobrecarga diária na coluna.

O corpo busca compensações para manter o equilíbrio do indivíduo, causando enrijecimento e encurtamento dos músculos.

A postura correta melhora a qualidade de vida, diminui as dores nas costas e melhora a autoestima.

As melhores posturas são realizadas de forma eficiente, ao realizar uma atividade do qual ocorre um menor gasto de energia e movimentos compensatórios.

O equilíbrio é o principal elemento para uma boa postura, sustentando o corpo nos pés, que equilibram toda a estrutura corporal.

Pilates nas alterações posturais

Qualquer falha nos sistemas que compõem o equilíbrio gera alterações posturais.

Uma vez que isso ocorre, o corpo humano exige uma organização neurológica muito complexa.

As relações entre cabeça, tronco e membros são trabalhadas de forma controlada e coordenada pelos exercícios de Pilates nas alterações posturais.

A consciência corporal melhora as relações entre as partes do corpo, sendo estas controladas voluntariamente.

Isso, é claro, exige muita concentração, um dos principais princípios do Pilates.

Outro fator que favorece as aulas de Pilates nas alterações posturais é a respiração.

Os músculos respiratórios quando muito tensos, alteram a postura, produzindo movimentos compensatórios de musculaturas associadas ao movimento.

Exercícios de Pilates ajudam a fazer uma correção postural, reduzindo os desvios.

Além dos exercícios em solo e nos equipamentos, a manutenção do equilíbrio postural pode apresentar outras estratégias, como o uso da palmilha postural.

Apesar de serem métodos distintos, tanto o Pilates nas alterações posturais quanto o uso de palmilha possuem o mesmo objetivo.

A parceria entre o Pilates e o uso da palmilha postural tem gerado ótimos resultados na correção da postura e do equilíbrio de seus praticantes.

As palmilhas posturais são fabricadas individualmente para cada caso e atuam não só nos desvios posturais já instalados, mas também de forma preventiva, assim como o Pilates nas alterações posturais.

Avaliação postural

A avaliação postural é muito importante para que possamos mensurar os desequilíbrios e avaliar o funcionamento das cadeias musculares e seus posicionamentos no movimento.

Sempre é bom fazer uma avaliação estática e também dinâmica, para determinarmos a real necessidade de cada indivíduo e seu tipo corporal.

Observar o aluno de maneira global, pois os desequilíbrios posturais nunca se apresentam de forma isolada.

É importante estabelecer critérios de adaptação funcional quanto ao equilíbrio e a coordenação dos movimentos do corpo.

A importância dos pés

Nossos músculos estão conectados em cadeias, e estas influenciam em todo nosso corpo.

Por isso, os pés podem descompensar toda a nossa estrutura corporal.

Os pés também não devem ser vistos isoladamente, mas como parte integral de um sistema global.

Os pés recebem toda a nossa descarga de peso diária, são responsáveis pela locomoção, absorvendo impactos e são mantenedores da postura ereta.

Sendo assim, se não estiverem bem alinhados anatomicamente, podem alterar toda a nossa estrutura, interferindo também na ação muscular.

O pé é uma estrutura fascinante. Exerce várias funções importantes para a postura e a boa execução dos movimentos do corpo.

Assim como qualquer outra parte do corpo, o pé enfraquece, por isso é importante mante-lo ativo com boa desenvoltura.

É indicado, inclusive, ficar descalço quando possível e realizar atividades físicas específicas para os pés.

No pé temos milhões de receptores sensitivos e, quanto mais informação o cérebro recebe, melhor ele controla os movimentos do corpo e ajusta a postura.

Os mesmos sensores que participam do controle do movimento e da postura auxiliam o corpo a manter o equilíbrio.

Além de enviar informações ao cérebro, o pé também reage aos desequilíbrios, e na prática diária nós acabamos esquecendo do quão importantes eles são!

São eles que nos levam e trazem para todos os caminhos.

Cuidar dos pés é essencial, mantendo-os flexíveis, com boa mobilidade e fortalecidos.

Na maioria das vezes, eles estão lá, abafados, paralisados, amassados na nossa vida estressada.

Eles são a nossa base e é importante que mantenhamos uma boa conexão, dar a eles o direito de se moverem mais livremente, para que possam transmitir de forma correta os estímulos recebidos externamente.

O corpo, na procura por se ajustar, acaba “desconcertando” todo um equilíbrio necessário para que não haja compensações e, assim, inicie o processo de desenvolvimento de disfunções muscoesqueléticas e patologias osteoarticulares.

Isto pode ocorrer em qualquer fase da vida, desde a criança até o idoso, influenciando na biomecânica dos nossos movimentos.

É necessário que todas as partes estejam trabalhando de forma equilibrada para obtermos um movimento seguro, diminuindo assim, por exemplo, o risco de quedas em idosos.

Pés no Pilates e Podoposturologia

Joseph Pilates já era atento a isto, por isso incluiu no seu método exercícios com os pés, contribuindo para que possamos trabalhá-los de forma efetiva e simples, melhorando a percepção destas estruturas.

Uma boa postura vem de um bom controle muscular. Mente e corpo unidos, fluindo naturalmente.

A prática do Pilates nas alterações posturais é uma boa aliada aos nossos pés e ao alinhamento muscular.

Mas é importante que, na avaliação postural, estejamos preparados para perceber a necessidade de utilizar palmilhas corretivas.

É possível com o Pilates, por exemplo, trabalhar a correção da pisada, dando maior atenção também para o posicionamento dos tornozelos, joelhos e quadril.

Mas, com a utilização da palmilha postural em conjunto, os resultados se fazem mais notáveis rapidamente.

Prática e treino fazem com que o aluno desperte para a consciência corporal, e cabe a nós incitarmos os alunos com estímulos proprioceptivos, feedback e treino de equilíbrio, reestruturando de forma progressiva.

A Podoposturologia (Palmilhas Posturais) é uma técnica que estuda a influência dos mecanorreceptores dos pés na postura corporal e no equilíbrio ortostático.

A técnica tem como conceito a avaliação e o tratamento dos desvios posturais, através de estímulos neurológicos e mecânicos, atuando de forma terapêutica e preventiva.

O exame de baropodometria, também conhecido como “teste da pisada”, permite que se realize uma avaliação biomecânica individualizada.

Através dele, temos acesso as variáveis como o tempo e distribuição de contato do pé com o solo.

Isso irá determinar o tipo de pé, desvios posturais e, consequentemente, a confecção das palmilhas posturais e também evolução de outros tratamentos.

O exame estabilométrico auxilia na mensuração do equilíbrio ortostático. Mensura as oscilações na postura ortostática. Por isso, também pode ser denominada de oscilometria.

Os resultados provenientes da estabilometria partem do pressuposto de que, quando mais a postura se apresenta instável, maior será a tendência a um aumento da tensão muscular, maior gasto de energia, fadiga e maior e mais prolongada será a compressão articular.

Na pratica clinica dentro da Podoposturologia (Palmilhas Posturais) observa-se que praticantes de Pilates tem o centro de gravidade com menor oscilação e melhor posicionado que os demais.

Eles também apresentam uma boa distribuição da pressão plantar no exame de baropodometria e estabilometria computadorizada.

Na maioria dos casos, o tratamento de praticantes de Pilates é sempre mais curto do que os outros pacientes.

O tratamento usa, inclusive, elementos de menor espessura nas palmilhas, muito devido à combinação dos tratamentos, já que no Pilates se trabalha o tônus muscular.

O tratamento com palmilhas posturais possui o objetivo é regular esse tônus muscular através de correções ortopédicas e estimulando a propriocepção.

O tônus dos músculos do corpo que sempre reage aos estímulos que são efetuados na região plantar.

Seja através de elementos como as peças podais ou de materiais como as várias durezas de espumas ou couro.

Os elementos podais são fixados em uma palmilha e têm como objetivo diminuir os desequilíbrios do tônus muscular e melhorar a distribuição do peso sobre os pés e do equilibro ortostático.

Podoposturologia e Pilates nas alterações posturais: benefícios de aliar técnicas

Observa-se que a associação de técnicas terapêuticas como a Podoposturologia (Palmilhas Posturais) e o Pilates se evidenciam como um ótimo complemento de um ao outro.

Ambas atuam sempre de maneira global, dessa forma obtendo resultados de forma mais rápida.

Dentre os benefícios do Pilates, além da correção da postura, estão:

  • Crescimento axial;
  • Aumento da consciência corporal;
  • Melhora do equilíbrio e do desempenho motor;
  • Ganho de flexibilidade e aumento do tônus muscular;
  • Estabilidade postural;
  • Coordenação;
  • Propriocepção.

Dica: inicie sua aula pelos pés. Seja com exercícios, como, por exemplo, a série do footwork ou apenas realizando mobilizações.

Podemos, inclusive, posicionar os pés em diferentes áreas na barra do Reformer, como na ponta de pé, no meio do pé ou calcanhares, e também utilizar o apoio de todos os artelhos, estimulando a sensibilidade e propriocepção.

Também ajuda fazer um bom relaxamento nos pés, liberando as articulações, realizando trações e alongamentos, inclusive dos dedos. 

E, por que não, finalizar a aula com uma boa massagem?

Quem não gosta de uma massagem nos pés?

Outra possibilidade é fazer uma liberação da fascia plantar.

O acúmulo de tensões no dia a dia faz com que a queixa de dores nos pés seja frequente entre os alunos.

Compreender um pouco sobre a reflexologia podal também é uma boa dica.

Conclusão

Todas as pessoas querem viver mais, com qualidade!

Isso deve significar viver com hábitos saudáveis e praticar atividades físicas visando a melhora da mobilidade e da estabilidade corporal.

Devemos nos adiantar pensando na prevenção dos infortúnios da idade avançada e o nosso trabalho.

Isso vai ganhando outra forma quando pensamos em como pode ser benéfico o trabalho com os pés, proporcionando maior bem-estar para o nosso aluno. Mudar de postura é também mudar de vida!

Written by Keyner Luiz

Keyner Luiz

Fisioterapeuta formado pela UNISANTA, Pós-Graduado em Fisiologia do Exercício (CEFE), Especialista em Acupuntura (CEATA), Especialista em Quiropraxia (Instituto Physion).

Possui Formação em Mat Pilates, Pilates Studio, Pilates Fisioterapêutico, Pilates Original Clássico, Pilates Avançado Aplicado a Coluna Vertebral, Pilates Aplicado a reabilitação músculo-esquelética, Pilates Avançado na Atuação do Instrutor em Studio, Power Pilates e Pilates Aplicado ao Treinamento Funcional.

18 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *