Posted in:

Pilates Pós Parto: Saiba como utilizar o método na recuperação da cesariana

O Pilates Pós Parto é uma ótima opção para recuperação dos músculos abdominais da mulher que acabou de passar por essa cirurgia.

Neste texto você encontra:

  • O que é a Cesariana?
  • O que acontece durante a Cesariana?
  • Como recuperar a Cesariana?
  • Pilates Pós Parto pode ajudar?
  • Exercícios de Pilates Pós Parto

Que tal entender como reabilitar mulheres utilizando o Pilates pós Parto? Continue lendo esse texto!

O que é a Cesariana?

A cesariana é uma alternativa ao parto vaginal. Este método surgiu para dar resposta aos casos em que o parto normal colocava em risco a mãe ou o bebê.

Desta forma, recorrendo-se a uma cirurgia, o parto passou a ser possível segundo esta abordagem. Várias mulheres optam por este método mesmo não tendo indicações para tal.

Sentem-se mais seguras, consideram que será menos traumático para o bebê e que um parto normal irá danificar o períneo sendo mais difícil a sua recuperação. Tais mitos devem ser desmistificados.

A Cesariana é assim o meio preferencial de parto em casos de tensão arterial elevada da mãe, apresentação pélvica do bebê ou problemas com a placenta ou cordão umbilical.

É preciso que a mulher tenha consciência que passará por uma intervenção cirúrgica com a necessidade de anestesia, cateter urinário e ausência de alimento ou líquidos durante várias horas.

O resultado da cesariana será uma sutura de cerca de 15 cm no abdômen inferior da mulher. Devido à intervenção cirúrgica, é requisito alguns dias de internamento até à mãe ter alta.

O que acontece durante a Cesariana?

Numa cesariana temos um corte. Esse corte implica várias camadas até chegar ao alvo, ao bebê.

Nessas várias camadas temos a pele, a gordura, a fáscia, o músculo abdominal, o peritoneu, o útero – sendo a bexiga afastada para lá chegar -, saco aminótico e, por fim, o bebê.

Desta forma, são várias as camadas que vão necessitar de ser reabilitadas até que a mulher volte a ter um abdominal, um CORE, funcional.

Para além disso, toda a gravidez alterou a posição do centro de gravidade, do diafragma e aumentou a carga sobre a lombar e sobre o períneo.

Foram 9 meses de transformação e, de 1 a 2 meses após o parto, o corpo está também em constante transformação na tentativa de voltar ao normal, antes de uma gravidez.

Como recuperar a Cesariana?

A partir do momento em que existe uma sutura que envolve várias camadas, vários receptores sensitivos e musculares, é necessário voltar a sensibilizar, a estimular toda esta região.

A massagem na cicatriz, não só superficialmente mas também mais profundamente, é essencial para quebrar aderências e promover o correto deslizamento dos tecidos entre si.

Como acima referido, foram várias as camadas que foram cortadas até atingir o alvo logo é essencial prevenir e/ou diminuir aderências.

O toque, o Feedback tátil será imperativo nesta recuperação. O cérebro precisa reconhecer novamente esta zona “anestesiada” de forma a puder voltar a envolvê-la no padrão de movimento.

Podemos trabalhar com pontos de discriminação de forma a que a mulher comece a reconhecer o número de pontos de toque na sua barriga. A estimulação sensitiva é importante tanto como a motora.

Neste sentido, durante os exercícios podemos auxiliar com o toque leve e preciso no ponto de recrutamento muscular, caso seja confortável para a mulher, ou usar acessórios que estabeleçam esse contato, como por exemplo, o Magic Circle.

Pilates Pós Parto pode ajudar?

O Pilates Pós Parto foca-se no recrutamento do CORE com o objetivo de o tornar funcional nas várias posturas do nosso dia-a-dia. Essas posturas tanto implicam uma lombar reta como uma lombar em redondo.

Uma lombar reta implica uma boa ativação de reto abdominal e paravertebrais enquanto que uma lombar em redondo necessita de uma ativação abdominal profunda, com um bom recrutamento do transverso abdominal e a dita força Abdominal Hipopressiva.

Uma boa parede abdominal necessita de musculatura ativa e flexível capaz de conter os órgãos e dar estabilidade a toda a coluna e em especial, região lombo-pélvica.

Com Pilates Pós Parto, vamos trabalhar todas as camadas que foram cortadas até o bebé ter sido alcançado. A fáscia e o tecido muscular serão trabalhados na conjugação de exercícios de força e flexibilidade que o método de Pilates contempla.

Para o peritoneu e recolocação do útero, os exercícios que contemplam uma postura invertida auxiliam nesta reestruturação física. Sendo iniciado pelo Pelvic lift (subida da pélvis com controlo) e, ao longo do tempo, ir desafiando o corpo com base na capacidade que ele vai apresentando.

O trabalho respiratório numa fase inicial é importante visando a consciencialização da respiração torácica lateral, a procura de simetria diafragmática e o recrutamento dos músculos oblíquos (músculos usados na expiração forçada).

A ativação da musculatura abdominal profunda é potenciada nos exercícios nos aparelhos de Pilates como a Wunda Vhair ou Cadillac.

Trabalhando a Parede Abdominal no Pilates Pós Parto

Numa fase inicial é importante trabalhar a parede abdominal em sinergia entre reto abdominal e paravertebrais focando nos exercícios com lombar neutra.

No entanto, gradualmente, para evoluir e aumentar o recrutamento abdominal profundo é fundamental a introdução de exercícios em retroversão pélvica.

Esta retroversão pélvica irá permitir uma maior conexão entre o transverso abdominal e períneo, um espaçamento entre as vértebras lombares o que irá contrariar a tendência para uma lombar tensa e retificada após uma cesariana.

Um dos princípios do trabalho em retroversão pélvica é o trabalho em hipopressão abdominal procurando a diminuição do volume abdominal durante a sua contração.

A diminuição da pressão intra-abdominal no recrutamento do abdominal profundo e oblíquos, permitirá uma recolocação dos órgãos internos, principalmente do útero.

Para além disso, diminui a tensão imposta a nível de reto abdominal a qual esteve presente ao longo da gravidez.

A recuperação de uma cesariana não implica um foco apenas a nível da musculatura abdominal mas, sim, de toda a musculatura pélvica em torno como glúteos, adutores, psoas, paravertebrais, quadrado lombar, bem como, musculatura torácica (grande dorsal, diafragma e intercostais).

Exercícios de Pilates Pós Parto

Magic Circle abdominal para sensibilização da parede abdominal com estimulação dos mecano-receptores e assim voltar a integrar a musculatura abdominal “anestesiada” no padrão motor.

Magic Circle between tighs para reforço da musculatura do soalho pélvico juntamente com glúteo máximo, médio e adutores. Estes músculos estão intrinsecamente ligado são transverso abdominal e à ativação de toda a região o de foi efetuado a incisão da cesariana.

Molas de braços com joelhos flectidos progredindo, posteriormente, para joelhos estendidos. O foco está no encaixe escapular com grelha costas levando a um trabalho de centro, de profundidade abdominal.

Para potenciar força abdominal hipopressiva, inspirar na subida de braços e expirar na descida de braços potenciando o abaixamento da grade costal e recrutamento abdominal em scoop.

Molas de pernas para um trabalho muscular em coluna lombar neutra com o foco na musculatura pélvica e circundante.

Eletric chair – pumping sendo o foco o reforço pélvico e profundidade abdominal.

Spine stretch forward na wunda sendo o foco o encaixe escapular com contenção diafragmática e abdominal e elevação lombar.

First part of the tower permite sentir os músculos do pavimento pélvico colaborando na tomada de consciência destes, dado o alongamento de gluteos e adutores. Este alongamento de toda a musculatura da cadeia posterior permite, também, o recrutamento do abdominal profundo.

Push down permitindo uma libertação da tensão diafragmática pela trabalho de flexibilidade torácica, incorporação do redondo e, como tal, potenciação do abdominal profundo.

Concluindo…

Como você pode ver, o Método Pilates pode contribuir bastante para a recuperação da mulher no pós parto de uma cesariana.

Com esses exercícios, será possível garantir uma melhora significativa nos músculos abdominais da mulher.

Written by Marta Gomes

Marta Gomes

Graduada em Fisioterapia pela Escola Superior de Saúde no Porto, Portugal em 2008 e Mestre em Fisioterapia Cardio-Respiratória pela mesma em 2011. Neste mesmo ano dedicou-se ao Pilates clínico iniciando formação em matwork. Posteriormente, realizou formação de Pilates clássico pela escola de Pilates autêntico - Uno Pilates. Certificada, também, em Ginástica Abdominal Hipopressiva pelo Dr Marcel Caufriez. Concluiu pós-graduação em Medicina Tradicional Chinesa em 2014 pela Universidade do Porto e decidiu complementar os seus conhecimentos com a área de nutrição funcional e personalizada concluindo estudos em 2018. Dedica-se, também à área de Saúde da Mulher, principalmente à recuperação pós-parto. Realiza prática em clínica privada com estúdio de Pilates inserido nesta no Porto, Portugal.
Desenvolvimento de um conceito de Fisioterapia Diferenciada disponível na página de Facebook Marta Gomes - Fisioterapia Diferenciada.

2 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *