Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

De acordo com o IBGE, 3 em cada 4 idosos têm alguma doença crônica, ou seja, uma doença de curso arrastado e boa parte delas é incurável. As doenças infecciosas e os acidentes continuam sendo importantes, mas a maior parte da carga de patologias na terceira idade no Brasil é por causa das doenças crônicas não transmissíveis.

Muito provavelmente você já se deparou com algum aluno da terceira idade no Studio de Pilates. Essa procura é, principalmente, porque os idosos estão cada vez mais interessados no bem-estar físico, emocional e também em ampliar seus horizontes sociais.

O quanto o Método Pilates pode ser um aliado para tratar as patologias na terceira idade? Continue lendo e saiba todos os detalhes!

Principais patologias na terceira idade

O envelhecimento aumenta as chances de uma pessoa ser acometida com diferentes patologias, principalmente aquelas de caráter crônico. Vamos conhecer um pouco mais sobre as principais?

Doença de Parkinson

A doença de Parkinson é um distúrbio cerebral que provoca deterioração progressiva, apresenta aumento gradual de tremores, rigidez dos músculos, lentidão dos movimentos, caminhar arrastando os pés, postura inclinada para frente e até dificuldade em engolir alimentos. Além disso, influencia na sociabilidade do indivíduo, podendo acarretar em depressão, problemas com o relacionamento familiar e social.

Tais sinais e sintomas repercutem na capacidade funcional do indivíduo, geralmente é perceptível pelos familiares uma certa dificuldade e um maior desprendimento de tempo para fazer coisas que antes fazia com desenvoltura, como se banhar, vestir-se, cozinhar. É comum a falsa ideia de que esta lentidão é causada pela idade sob o preconceito de que “o idoso é lento mesmo”.

Trata-se de uma doença que não tem cura conhecida, porém, existem meios para retardar o seu progresso, dentre a prática de exercício.

Alzheimer

O Alzheimer é uma doença degenerativa do cérebro, caracterizada pela perda das habilidades de pensar, raciocinar, memorizar, afetando as áreas da linguagem e produzindo alterações no comportamento, podendo levar à demência. As funções cognitivas são estruturas que servem de suporte para todas as operações mentais. São capacidades que nos permitem perceber, elaborar e expressar sentimentos e opiniões.

Na fase inicial da doença a pessoa mostra-se um pouco confusa, esquecida e parece não encontrar palavras para se comunicar, às vezes apresenta algum descuido na aparência pessoal, perda de iniciativa e alguma perda de autonomia para as atividades diárias.

Na fase intermediária o idoso precisa de maior ajuda na rotina, pois começa a não reconhecer as pessoas, podendo apresentar incontinência urinária e fecal, perde a capacidade de raciocínio, demanda ajuda para tomar banho, se vestir, alimentar, tomar remédio e todas as outras atividades de higiene. Pode apresentar irritabilidade, desconfiança, impaciência e até agressividade, podendo também apresentar até mesmo depressão.

Na fase em que a doença se agrava, o idoso, perde peso, mesmo com alimentação adequada, fica totalmente dependente de terceiros e geralmente fica restrito ao leito. Pode apresentar problemas de infecções bacterianas e problemas renais.

Osteoporose

A osteoporose afeta a estrutura dos ossos tornando-os frágeis e diminuindo sua capacidade de suportar o peso corporal. Por ter menor resistência a traumas, são fraturas comuns no idoso, principalmente no fêmur, quadril, coluna e punho.

No entanto, em muitos casos a osteoporose só é descoberta após uma fratura. Então, como saber identificar de forma precoce?

É recomendável que a família esteja atenta para os seguintes sintomas:

  • Dores nas costas ou pescoço;
  • Coluna vertebral com alguma deformidade;
  • Fraturas frequentes;
  • Ossos frágeis.

Osteoartrose

A osteoartrose é um desgaste das articulações, que acomete 70% dos idosos; pode acometer a coluna, joelhos, quadril e mãos, e a manifestação principal é dor crônica; não tem cura mas as complicações podem ser prevenidas com exercícios, como a proposta do Pilates, que visa o fortalecimento muscular, flexibilidade, melhora da postura, dentre outros benefícios.

Acidente Vascular Cerebral

O Acidente Vascular Cerebral decorre da alteração do fluxo sanguíneo ao cérebro. Responsável pela morte de células nervosas da região cerebral atingida, o AVC pode se originar de uma obstrução de vasos sanguíneos, o chamado acidente vascular isquêmico, ou de uma ruptura do vaso, conhecido por acidente vascular hemorrágico.

Além disso, é considerado uma das principais causas de morte ou de incapacidade física e mental, provocando dificuldade de fala, compreensão, alimentação, dificuldade para caminhar, hemiparesia ou hemiplegia, fraqueza muscular, incapacidade de combinar movimentos musculares, músculos rígidos, paralisia com músculos fracos, problemas de coordenação, reflexos hiperativos, com repercussões na dependência funcional.

As condutas devem evidenciar a plasticidade cerebral, que é a capacidade do cérebro de destacar células nervosas sadias para realizar funções de células danificadas, sendo o Pilates um método importante nesse processo.

O Pilates como aliado nas patologias na terceira idade

Com o passar dos anos ocorre um desgaste progressivo do corpo e por isso, os idosos merecem um olhar diferenciado na prática de qualquer tipo de exercício, inclusive no Pilates. Além disso, é essencial que continue se exercitando na terceira idade, devido aos inúmeros benefícios proporcionados.

O Método Pilates tem uma abordagem holística em que a execução correta dos seis princípios fundamentais:

  • Concentração;
  • Controle;
  • Precisão;
  • Centro de força;
  • Respiração;
  • Movimentos fluidos;
  • Aumentam a consciência corporal;
  • Reduz o impacto nas articulações.

Já o ciclo respiratório proposto pelo Método Pilates ocorre na seguinte ordem:

  1. Inspiração torácica;
  2. Expiração do tórax superior;
  3. Expiração do tórax inferior;
  4. Expiração abdominal;
  5. Movimento fluido.

Este ciclo deve ser sincronizado ocorrendo ao mesmo tempo da ação muscular, favorecendo o incremento da ventilação pulmonar, a melhora da oxigenação tecidual, consequentemente a captação de produtos metabólicos associados à fadiga.

O movimento deve ser executado de forma controlada e contínua, deve exibir qualidade de fluidez e leveza, que absorvam os impactos do corpo com o solo e que usam da inércia, contribuindo para a manutenção da saúde do corpo. Ao contrário, movimentos truncados, pesados, que criam choques no solo, levam ao desperdício de energia, além de tornar os tecidos propensos ao desgaste prematuro.

Assim, o Pilates caracteriza-se por ser uma forma de atividade estruturada, que tem como objetivo reduzir a dor, incapacidades, melhorar a postura, a resistência muscular, flexibilidade, equilíbrio, mobilização das articulações, estímulo à circulação sanguínea, propriocepção, coordenação motora, consciência corporal, melhora a capacidade cardiorrespiratória, entre outros. E todos esses aspectos promovem um bem estar físico e emocional aos indivíduos da terceira idade.

Conclusão

O Método Pilates proporciona diversos benefícios para o tratamento das diferentes patologias na terceira idade e melhorando a qualidade de vida dos idosos praticantes da modalidade.

É muito importante que, antes de iniciar o planejamento dos exercícios, o instrutor realize uma avaliação individual com seus alunos, verificando as limitações e necessidades específicas dos idosos.