Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

Você já ouviu falar em Diástase Abdominal? A diástase é um alargamento do espaço entre os músculos retos abdominais na região da linha alba que além de incômodos estéticos, como a flacidez na região da barriga, pode causar dor lombar.

Apesar de geralmente ocorrer durante a gravidez, esta não é uma condição somente obstétrica, mas também uroginecológica, de envelhecimento e até em casos de aneurisma da aorta abdominal.

Por isso, nesta matéria você vai encontrar tudo o que precisa saber sobre a Diástase Abdominal: como ocorre, tipos de diástase, formas de tratamentos e exercícios indicados. Então continue lendo e confira!

O que é Diástase Abdominal?

A diástase abdominal é o afastamento do músculo reto abdominal e do tecido conjuntivo, sendo a principal causa de flacidez abdominal e dor lombar. 

__CONFIG_colors_palette __ {"active_palette": 0, "config": {"colors": {"9bd08": {"name": "Main Accent", "parent": - 1}}, "gradients": []}, " paletas ": [{" nome ":" Paleta padrão "," valor ": {" cores ": {" 9bd08 ": {" val ":" rgb (159, 64, 248) "}}," gradientes ": []}, "original": {"cores": {"9bd08": {"val": "rgb (19, 114, 211)", "hsl": {"h": 210, "s": 0,83 , "l": 0,45}}}, "gradientes": []}}]} __ CONFIG_colors_palette__
GARANTA AGORA

Esse afastamento é normal e necessário de acontecer durante a gravidez devido ao enfraquecimento do abdômen e estiramento máximo dos músculos. Durante a gestação, é considerado normal um distanciamento de até 2 centímetros no pós-parto, contudo, pode chegar à 10 centímetros. 

Em situações de até 5 centímetros, há grande possibilidade de recuperação através de exercícios e fisioterapia. Caso não seja possível recuperar com o tratamento conservador, a cirurgia pode ser indicada. 

Existem evidências que mostram que 37% das mulheres grávidas apresentam essa condição com recuperação espontânea após o parto. Porém existem alguns casos que não recuperam e exigem alguns cuidados específicos e importantes. 

Sendo assim, é de suma importância que nós, profissionais que trabalham com gestantes e puérperas, tenhamos bastante conhecimento da diástase abdominal, compreendendo as causas e maneiras de tratá-la. 

Vale ressaltar que a diástase abdominal não se dá apenas na gestação, mulheres sem filho e homens também podem tê-la.  

Tipos de Diástases

Você sabia que a diástase abdominal possui tipos diferentes? Podemos classificá-la em quatro tipos:

  1. Diástase com ruptura total: associada à barriga estufada;
  2. Diástase com ruptura central: associada à barriga de grávida e a barriga com buraco com ou sem hérnia umbilical;
  3. Diástase com ruptura abaixo do umbigo: associada à barriga avental e a barriga pochete;
  4. Diástase com ruptura acima do umbigo: associada à barriga de estômago alto.

Quais são as causas da Diástase Abdominal?

Como acabamos de ver, a diástase abdominal é uma condição natural durante a gravidez pois o corpo aproveita a frouxidão da linha alba (no meio da barriga) para criar espaço para as vísceras e para o crescimento do útero durante os noves meses de gestação. 

Entretanto, uma contração excessiva dos músculos do abdômen durantes a realização de atividades físicas regular pode provocar um aumento da PIA (Pressão Intra Abdominal), comprimindo as vísceras e causando a diástase não fisiológica. 

Abaixo listo alguns outros fatores que podem estar relacionados com a causa da diástase: 

  • Múltiplas gestações;
  • Sedentarismo provocando uma pré-disposição;
  • Idade superior aos 35 anos;
  • Já ter dado à luz a um bebê com peso acima da média;
  • Gestação de gêmeos.

Como identificar a Diástase Abdominal?

O problema ocorre quando há uma distância acima de 1,5 centímetros na porção superior da linha alba, de 2,2 a 3 centímetros acima do umbigo e entre 1,6 e 2 centímetros abaixo do umbigo.

Uma forma bem simples de identificar a existência da diástase abdominal é: deite de barriga para cima, em seguida contraia seu abdômen e faça o movimento inicial de um abdominal tradicional (flexão de tronco). Logo após você precisa apalpar seu abdômen acima do umbigo e tentar perceber se há algum espaçamento entre os músculos. Se o espaçamento for de um ou dois dedos, é provável que você esteja no nível inicial.

Mas calma, não se desespere! Procure um médico para se certificar e em caso de confirmação, detectar o grau da diástase. Se confirmada, agora vamos ver como recuperá-la.

Exercícios para o tratamento da Diástase Abdominal

Para realizar os exercícios de tratamento da diástase abdominal, é imprescindível ter a liberação médica e o acompanhamento de um instrutor de Pilates.  

Os exercícios mais indicados são:

  • Exercícios respiratórios para ativação da musculatura mais profunda do abdômen (transverso do abdômen); 
  • Exercícios hipopressivos – técnicas com exercícios rítmicos e posturais que têm por objetivo auxiliar a diminuição da pressão intra-abdominal e intra-torácica; 
  • Exercícios isométricos para o abdômen;
  • Pranchas laterais; 
  • Exercícios para o assoalho pélvico

Também precisamos orientar os alunos com diástase para posturas corretas durante o dia a dia, bem como a forma de levantar-se da cama (virar-se de lado e usar o apoio das mãos para levantar). 

Exercícios mais indicados para Diástase Abdominal 

1. Perdigueiro

exercício-Perdigueiro-para-diastase-abdominal

Objetivo: fortalecimento da musculatura paravertebral e mobilidade de quadril.

Execução: posicione-se em quatro apoios mantendo as mãos alinhadas com os ombros, braços estendidos e os joelhos alinhados com os quadris. Encontre o posicionamento neutro da coluna, mantendo-a alinhada.

Inspire para elevar o braço de um lado e expire ao retornar. Alterne os lados e faça 4 vezes de cada lado.

2. Fortalecimento de abdutores e glúteo médio

Objetivo: trabalho de contração isométrica do transverso abdominal e mobilização pélvica com contração do reto abdominal.

3. Ponte

exercício-Ponte-para-diastase-abdominal

Objetivo: fortalecimento de glúteo e adutores.

Execução: exercício bastante simples que consiste em levantar o quadril e manter a posição por alguns segundos. Neste exemplo, também foi utilizado o acessório Magic Circle.

4. Prancha lateral

Execução: deite-se em decúbito lateral e posicione o antebraço apoiado com o cotovelo abaixo da linha do ombro. Levante o corpo de forma que fique somente apoiado em seus pés e antebraço, mantendo-o em diagonal

Permaneça estático na posição pelo tempo estipulado pelo instrutor e depois troque o lado e realize da mesma forma.

Conclusão

Como pode perceber, a diástase abdominal é uma condição bem frequente, principalmente nas mulheres durante o pós-parto. 

Os exercícios de Pilates podem ser uma ótima solução para colaborar com o tratamento da diástase abdominal, pois proporcionam um trabalho de consciência corporal, estabilidade lombo-pélvica e recrutamento muscular abdominal. 

Entretanto, é fundamental o acompanhamento de um profissional para realizar a avaliação e determinar uma intervenção personalizada para cada tipo de aluno. 

Espero ter ajudado vocês e contem comigo para a prevenção e/ou recuperação da diástase abdominal. Ficou com alguma dúvida? Deixa aqui embaixo nos comentários!