Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

Você já foi procurado por um aluno com problemas de dor lombar? Eu já e com bastante frequência!

Certa vez, um aluno corredor me procurou para resolver sua dor lombar. E como de costume,  me trouxe vários exames de imagem mostrando que a coluna lombar estava intacta, ou seja, não era uma lesão lombar.

Mesmo ao realizar a avaliação postural estática, ainda era difícil perceber algum desvio. Nessa hora, resolvi fazer o tipo de avaliação que mais gosto: dinâmica e com movimentos específicos da corrida. Aos poucos, percebi que durante os movimentos, o aluno realizava uma leve hiperextensão lombar.

Com mais testes, deu para notar exatamente qual era o seu problema: o quadril tinha perdido boa parte da mobilidade, provavelmente como consequência de treinos sem orientação adequada. Essa falta de mobilidade era uma das principais causas da dor lombar daquele corredor.

Muitas vezes, ao trabalhar com movimento, focamos tanto na região lombar e no Core que esquecemos que o quadril também é importante e pode causar sérios problemas e uma série de compensações no corpo.

Continue lendo esta matéria para aprender mais sobre a importância de avaliar a região do quadril em alunos com dor lombar e também como a falta de mobilidade gera a dor.

__CONFIG_colors_palette __ {"active_palette": 0, "config": {"colors": {"62516": {"name": "Main Accent", "parent": - 1}}, "gradients": []}, " paletas ": [{" nome ":" Paleta padrão "," valor ": {" cores ": {" 62516 ": {" val ":" rgb (19, 114, 211) "," hsl ": {" h ": 210," s ": 0,83," l ": 0,45}}}," gradientes ": []}}]} __ CONFIG_colors_palette__
SAIBA MAIS

Anatomia do quadril

Consideramos o quadril uma articulação de tipo esférica, formada pela conexão entre a cabeça do fêmur e a cavidade do acetábulo e responsável por conectar a parte superior do corpo (torso) à parte inferior.

A estabilidade da articulação do quadril acontece através da ação das estruturas ósseas e de ligamentos. Portanto, essa é uma articulação com maior tendência à estabilidade. 

De acordo com a abordagem joint by joint, articulações como o quadril têm maior tendência à rigidez e precisam de mobilidade.

Além disso, a articulação do quadril é sinovial, isso significa que é uma articulação regada por líquido sinovial que amortece o impacto na articulação. O líquido sinovial também é um dos mecanismos de proteção articular que, através da lubrificação, consegue deslizar durante os movimentos garantindo uma boa mobilidade.

Movimentos do quadril

O quadril é um elemento de ligação entre os membros superiores e inferiores e é essencial para diversos movimentos do corpo, seja correr, agachar ou até mesmo mover os membros da parte superior. Além disso, é uma das maiores articulações do corpo e suporta o seu peso durante o movimento.

A articulação do quadril se move em três eixos de movimento:

  • Lateral;
  • Ântero-posterior;
  • Vertical.

Cada um desses eixos envolve movimentos diferentes do quadri, como:

  • Abdução;
  • Adução;
  • Circundação;
  • Flexão;
  • Extensão.

A articulação do quadril exige o funcionamento de diversas musculaturas para se movimentar corretamente. Por isso, ao se mover, o aluno precisa ativar glúteos, isquiotibiais, tensor da fáscia lata e outros.

É muito importante prestar atenção na ativação muscular em todos os movimentos do aluno, pois a falta de mobilidade pode estar relacionada a diversos fatores, inclusive na ativação muscular errônea, tensão ou encurtamento do músculo e, no caso da dor lombar, isso será ainda mais importante.

Como acontece a perda de mobilidade do quadril?

O aluno que chega na aula com nenhuma ou quase nenhuma mobilidade de quadril pode ter passado por algumas situações.

A primeira e muito constante, é o aluno ser sedentário e passar muito tempo sem se mover. Nesses casos, eles começam a fazer atividade física por causa da dor ou para ter um estilo de vida mais saudável e é nessa hora que nós, os profissionais responsáveis, percebemos todas as suas limitações.

A falta de mobilidade é um dos muitos problemas que um corpo sem movimento desenvolve. É preciso entender que alguém que passa o dia inteiro sentado e só levanta para pegar o carro ou fazer outra atividade, dificilmente terá músculos fortalecidos e articulações saudáveis.

Também é possível que uma pessoa perca a mobilidade do quadril por causa de uma lesão ou patologia. Durante o processo de recuperação é comum que o médico ou até mesmo o paciente, decida limitar a movimentação para evitar dores. Essa ação realmente ajuda a aliviar a dor, porém, o que o paciente não espera é que, a longo prazo, essa adaptação leve a outros problemas como a própria dor lombar.

Por essas razões, é muito importante saber de onde surgiu o desequilíbrio e, por consequência, compreender melhor as causas da dor lombar.

Por que o quadril pode estar entre as causas da dor lombar?

É praticamente impossível detectar as causas da dor lombar, já que são diversas as possibilidades, incluindo desequilíbrios musculares, problemas na coluna torácica, desvios posturais, Core fraco, entre outras.

No caso da mobilidade de quadril, dá para perceber exatamente como ele afeta essa região.

Quando o quadril perde a sua mobilidade, os ligamentos iliofemoral tornam-se mais rígidos e comprimidos, os ligamentos que originalmente deveriam fornecer suporte e estabilidade para a articulação passam a limitar sua amplitude de movimento, um bom é exemplo é que o corpo passa a ter problemas ao realizar todas as etapas da marcha, no entanto, o organismo não deixa de andar só por isso.

Nosso corpo é uma máquina de compensações, isso significa que quando acontece que prejudica um certo movimento, ele dá um jeito de continuar a se mover da maneira mais confortável possível, mesmo que isso leve o corpo a abrir mão da funcionalidade, gastar mais energia e desenvolver dores no futuro.

No caso específico da dor lombar, a falta do movimento do quadril gera um excesso de mobilidade na região diretamente acima, ou seja, a coluna lombar passa a realizar uma hiperextensão durante o movimento da marcha, durante uma corrida e em outros gestos esportivos.

Compensações realizadas pela falta de mobilidade

Um quadril com pouca mobilidade é um verdadeiro problema para os padrões de movimento do corpo. Além de levar a uma hiperextensão da coluna lombar, mover-se por muito tempo dessa maneira pode levar ao surgimento de desvios posturais.

Quem sofre com a pouca mobilidade de quadril também terá alguns músculos tensionados e enfraquecidos. Os componentes do Core terão uma ativação pouco eficiente e tendem ao enfraquecimento. Outro ponto importante é que, entre esses músculos, encontramos os principais eretores da coluna e o desvio lombar no movimento pode piorar ainda mais.

A falta de mobilidade de quadril leva a pouca ativação glútea e, ao mesmo tempo, os isquiotibiais ficam ativados em excesso. Esse esquema compensatório é o que chamamos de amnésia glútea.

Considerando que os glúteos são músculos de base do corpo, podemos ver como todo o movimento perde sua eficiência. A falta de base do glúteo e de sustentação do Core aumentam a pressão exercida sobre a coluna lombar e também ocorre maior desgaste nas próprias articulações do quadril. A longo prazo, podemos ter um aluno com lesões no quadril e dor lombar.

Como corrigir as causas da dor lombar?

Após realizar alguns testes de quadril e identificar que o aluno está com pouca mobilidade e determinar que essa é uma das causas da dor lombar, o trabalho de mobilidade para a região pode ser iniciado.

Junto ao trabalho de mobilidade será necessário realizar o fortalecimento do Core e dos glúteos e liberar as tensões espalhadas pelo corpo. O trabalho para recuperar a mobilidade de quadril é integrado e global, pode ser realizado com exercícios isolados específicos para o quadril, porém, é importante incluir outros trabalhos na aula para que a correção dos movimentos errados do quadril seja mais efetiva.

Conclusão

É bastante comum encontrar alunos que apresentem dor lombar por causa de um quadril rígido e, em alguns casos, podem ser atletas que treinam sem orientação, pessoas sedentárias ou que sofreram com lesões e patologias.

Todas essas situações levam a uma falta de mobilidade na região e uma série de compensações e, em algum momento, a falta de mobilidade começará a afetar a coluna lombar.

A princípio, as compensações podem ser imperceptíveis e, com o tempo, elas começarão a gerar dor na lombar e em outras regiões e poderão até levar a uma lesão. Para evitar essas situações, é necessário avaliar constantemente o quadril dos alunos que possuem dor lombar e considerar que a causa da dor pode ser, justamente, o quadril.