Posted in:

Método Pilates X Sistemas de Bombas

Atualmente, o método Pilates é reconhecido por muitos profissionais da área da saúde como um método eficaz para o desenvolvimento do condicionamento físico e tratamento de dores agudas e crônicas no sistema musculoesquelético.

Mas, além desses benefícios, o método também auxilia os demais sistemas fisiológicos, como o respiratório, o cardiovascular e o neuroendócrino. No artigo anterior, mencionei o sistema respiratório e a importância do princípio da respiração incorporada aos exercícios do método e seus benefícios aos grupos especiais, como no caso de hipertensos e pessoas com transtorno de ansiedade.

É difícil falar do sistema circulatório sem expor a função cardiorrespiratória e o seu desempenho. Neste artigo, relacionarei esses dois sistemas e a eficiência dos sistemas de bombas desenvolvidas através dos exercícios do método Pilates.

A Importância do Sistema Cardiovascular

Método-Pilates-e-o-Sistema-de-Bombas-5
Fonte: Vascular.Pro

Devemos saber como o sistema circulatório faz chegar a todas as partes do corpo uma irrigação sanguínea adequada para as demandas do organismo, de forma que sejam atendidas em diversas condições.

Todas as funções fisiológicas e praticamente todas as células do corpo dependem, de algum modo, do sistema circulatório, também chamado de sistema cardiovascular. Como o próprio nome diz, o sistema cardiovascular é formado por coração (cardio), sistema vascular (artérias, arteríolas capilares, vênulas e veias) e o próprio sangue.

O coração é a principal bomba que faz com que o sangue circule por todo o sistema vascular. O músculo cardíaco, também chamado de miocárdio, possui espessuras diferentes nos diversos locais do coração, varia na dependência da pressão incidente nas suas paredes.

O ventrículo esquerdo é considerado o mais forte das quatros câmaras, pois em diversas situações, precisa se  contrair para gerar pressão suficiente e bombear sangue por todo o corpo.

Quando estamos na posição sentada ou em pé, o ventrículo esquerdo precisa se contrair com suficiente força para superar o efeito da gravidade, que tende a fazer com que o sangue se acumule nos membros inferiores.

Atividade Física

Nos exercícios físicos, tanto o treinamento aeróbio quanto o de resistência, o ventrículo esquerdo gera mais força, o que resulta em maior espessura de sua parede muscular, também chamada de hipertrofia.

Em contraste com as adaptações positivas que ocorrem com o treinamento físico, o miocárdio também pode sofrer hipertrofia em decorrência de doenças, como valvulopatia cardíaca e pressão arterial elevada.

Mesmo quando estamos em repouso ou sob condições normais, o nosso sistema cardiovascular trabalha constantemente para suprir as demandas teciduais. Os tecidos que estão mais ativos metabolicamente recebem o maior suplemento sanguíneo.

Para que se tenha uma ideia, quando estamos em condições normais e em repouso o fígado e os rins, em conjunto, recebem cerca da metade do sangue circulante (27% e 22%, respectivamente) e o músculo esquelético recebe aproximadamente 15%.

No entanto, quando estamos nos exercitando, são impostas demandas maiores e mais urgentes ao sistema cardiovascular. Durante o exercício, o sangue é redirecionado às áreas cuja necessidade é maior. Em uma corrida, por exemplo, essa distribuição é bem acentuada.

Os músculos chegam a receber 80%, ou mais do sangue disponível. Isso ocorre com o aumento do débito cardíaco, que permite um fluxo sanguíneo até 25 vezes maior aos músculos ativos. Mas, é bom ressaltar que esse processo ocorre em exercícios intensos, muitas vezes praticados por atletas.

O Método Pilates aplicado à SaúdeMétodo-Pilates-e-Sistemas-de-Bombas

No método Pilates, no entanto, os exercícios são considerados moderados e controlados, pois, em geral, são praticados por pessoas que buscam o condicionamento físico e o bem estar.

Segundo as orientações mais recentes do ACSM (American College of Sports Medicine, 2010), para que adultos e idosos mantenham a saúde é preciso que pratiquem exercícios moderados, gradualmente progressivos e sem envolvimento em competições.

O diferencial do método Pilates para outros tipos de exercícios moderados e de resistência é justamente a técnica dos exercícios respiratórios junto aos movimentos.

Alguns exercícios básicos (como exemplo o “footwork” ) são muito importantes, pois os movimentos desses exercícios servem como sistemas de bombas, auxiliando todo o sistema circulatório e funções cardíacas; como na ação do ventrículo esquerdo.

À medida que esses músculos se contraem, comprimem as veias e ajudam no retorno do sangue para o coração. As válvulas, que estão presentes no interior das veias, garantem um fluxo unidirecional do sangue de volta ao coração.

Na cadeia respiratória, o músculo diafragma e os músculos abdominais exercem também papeis importantes no retorno venoso. Para melhor compreender esse sistema de bombas, em termos anatômicos, vamos lembrar que o diafragma está inserido na porção costal e lombar da 1ª à 4ª vértebra lombar junto ao psoas.

Quando realizamos a expiração forçada, essa musculatura, junto aos músculos do soalho pélvico, exerce o movimento de ordenha na veia cava e aorta inferior. Esse mecanismo, além de aumentar a eficiência do retorno venoso, fortifica a musculatura dessa região, prevenindo transtornos no sistema urinário, além, também, de aumentar a estabilidade da coluna vertebral.

Podemos, assim, classificar o diafragma (junto à musculatura abdominal) como o segundo sistema de bomba.

Independente do tipo de atividade física ou exercício físico, os músculos que são ativados, de certa forma, colaboram com o retorno venoso. Mas, nos exercícios do método Pilates esse grupo muscular, também chamado de power house”, é constantemente ativado, assim como a musculatura da perna, onde os músculos gastrocnêmios e sóleo são recrutados com certa frequência.Método-Pilates-e-Sistemas-de-Bombas-2

Quando passamos muito tempo em pé, o sistema cardiovascular necessita de um auxilio para superar a força da gravidade e fazer o sangue retornar das partes inferiores do corpo ao coração por meio das veias. Para isso, são necessários esses mecanismos básicos, que auxiliam nesse processo, como a eficiência de válvulas e dos músculos da cadeia posterior.

Método-Pilates-e-Sistemas-de-Bombas-3

Pilates se baseava em sua experiência de vida e em observações de resultados de seu trabalho ao longo dos anos. Ele acreditava que um adulto de coração e músculos fortes tinha a chave para a longevidade.

Ressaltava que os exercícios de Contrologia conduziam o sangue puro e fresco para cada fibra muscular do nosso corpo, principalmente para importantes capilares desenvolvidos através do estímulo dos exercícios.

Com a eficiência da troca de gases nos pulmões, ocorreria, então, a diminuição da fadiga, beneficiando, além do coração, todo o organismo. Segundo ele, “Esses exercícios protegem contra batimentos cardíacos desnecessários ou latejantes do coração”.

Concluindo…Método Pilates e o Sistema de Bombas

Como já vimos, o método Pilates traz muitos beneficios aos sistemas fisiológicos de nosso organismo. No sistema neuroendócrino, por exemplo, a harmonia dos movimentos da cadeia respiratória e cadeia muscular, resulta no equilíbrio do sistema nervoso simpático e parassimpático, o que pode reduzir os sintomas de ansiedade e estado de vigília.

Segundo estudos, os exercícios, quando bem aplicados e periodizados, podem aumentar a produção de neurotransmissores relacionados ao humor e bem estar, como a serotonina, dopamina e o neuropeptídeo endorfinas, classificado como opnóide natural.

Neste contexto, a metodologia desenvolvida por Pilates com a elaboração de exercícios aparentemente simples, como o “footwork” e as manobras respiratórias, nos mostram a importância desse trabalho para a preservação das funções cardíacas, e a prevenção de doenças cardiovasculares.

Written by Silvana Junges

Silvana Junges

2012 - 2016 Doutora no programa de Pós Graduação em Gerontologia Biomédica
2008 - 2010 Mestre pelo programa de pós Graduação em Medicina e Ciência da Saúde da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.
2001 - 2003 Especialização em Musculação e treinamento de Força pela Universidade Gama Filho RJ
1982 - 1987 Graduação em Educação Física pela Faculdade de Ciências da Saúde do Instituto Porto Alegre da Igreja Metodista.

6 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *