Junte-se a mais de 150.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade!

Qual o seu melhor email?

É consenso que a prática de exercícios físicos regulares traz benefícios para a saúde física e mental. O Método Pilates entra nesta categoria como uma ferramenta de condicionamento que une o corpo e a mente com o objetivos para que seus praticantes sejam capazes de realizar as múltiplas tarefas da vida diária com prazer e energia.

Mas, diante da correria da vida, muitas pessoas não conseguem sozinhas iniciar ou mesmo levar adiante a prática de exercícios físicos, inclusive o Pilates – modalidade que surgiu no Brasil na década de 90, com característica individualizada e que hoje ganhou novas formas, dentre elas, o trabalho em grupo com aulas de solo com acessórios.

O incentivo em realizar exercícios em grupo, ou ainda em praticar o Pilates em dupla, acaba sendo maior, pois o convívio social estimula as pessoas que procuram além dos benefícios físicos, a melhora da saúde mental.

Então, diante das novas formas que o Pilates encontrou, realizar uma aula inteira a dois é uma delas e é possível praticar em aparelhos ou somente com exercícios de solo.

Vamos conhecer um pouco de como são essas aulas? Leia o texto e confira!

O que é o Pilates em dupla e como funciona?

O Pilates em dupla é uma forma de ministrar a aula de maneira que ambos realizem o mesmo exercício juntos! Pode ser no formato de aparelhos, onde cada aluno realizará o exercício proposto pelo instrutor (um em cada aparelho, mas aparelhos iguais) ou no formato em que ambos realizam o mesmo movimento juntos. Neste último estilo, o ideal é que sejam pessoas conhecidas por causa do toque e da proximidade durante as aulas.

Geralmente em aulas que o instrutor nota alunos com níveis de condicionamento similares, é possível montar uma aula inteira para que ambos os alunos realizem os exercícios o tempo todo juntos.

O Pilates em dupla acaba sendo uma estratégia muito eficiente para sair da rotina e aliviar a sobrecarga de trabalho do instrutor.

Como planejar corretamente as aulas de Pilates em dupla?

Ficar atento ao espaço onde serão as aulas é essencial e o instrutor deve manter-se atualizado para que o planejamento da aula saia de forma criativa e atrativa para seus alunos.

Para este tipo de aula, o instrutor deverá conhecer com excelência sobre o movimento humano para que, assim, durante a escolha e elaboração dos exercícios, a aula seja construída de maneira lógica e segura e os alunos consigam atingir os objetivos individuais e os propostos pela aula.

O comando verbal é importantíssimo: as instruções devem ser claras e objetivas para que o instrutor consiga ensinar o exercício de maneira eficaz, mantendo assim, o ritmo e o dinamismo da aula.

Se o instrutor possuir em seu estúdio equipamentos iguais, como por exemplo, dois Reformers ou duas Chairs, é possível ministrar a aula em dupla, pensando em aproveitar as posições com movimentos, evitando trocas de posicionamento desnecessárias, o que deixa a aula mais proveitosa.

Nas aulas de Mat Pilates podemos organizar da mesma forma que nos aparelhos ou, ainda, realizar os exercícios em fusão, ou seja, um mesmo movimento realizado pelos dois. Neste formato de aula, os alunos terão mais contato corporal, então conheça bem a sua turma antes de planejar uma aula com estas características, pois nem todas as pessoas aceitam o toque, a não ser que sejam amigos, familiares ou namorados, por exemplo.

Vantagens das aulas de Pilates em dupla

Melhor do que fazer uma aula de Pilates com um amigo ou alguém da família, são os benefícios que o aluno pode alcançar e você sabe quais são? Confira aqui:

Mais incentivo

As aulas em grupo são mais dinâmicas e isto pode ajudar na produtividade e na motivação. Conhece aquele aluno que falta por qualquer coisa? Se ele estiver treinando com alguém junto, seja um amigo ou alguém da família, as chances desse aluno ser mais regular em suas aulas e consequentemente atingir seus objetivos mais rápido são maiores do que sua própria motivação.

Integração

Com a correria do dia a dia e o avanço tecnológico, as pessoas estão cada vez mais individualistas e introvertidas. Realizar aulas em grupo ou dupla é uma excelente oportunidade para conhecer outras pessoas, fazer amizades e isto fará com que o aluno se sinta acolhido, favorecendo a sua saúde mental.

O acolhimento e a aproximação em uma aula são fundamentais como uma das estratégias para que os alunos sintam vontade de realizar e retornar a cada aula de Pilates.

Incentivo a convidar outras pessoas

Quando o aluno se sente motivado e acolhido dentro do estúdio que ele escolheu para cuidar do seu corpo e mente, automaticamente ele será sua propaganda: alunos satisfeitos com as aulas aumentam as chances de trazer novos alunos para seu espaço!

Momento relaxamento

Realizar aulas em dupla ou grupo traz para o aluno aquela sensação de pausa diante da vida corrida. Ele sente que é possível relaxar naquele momento em que ele está cuidando da saúde, porém está se divertindo, se motivando e se desafiando e todas estas sensações trazem como consequência melhor humor para encarar os deveres do dia a dia, mais disposição e melhor autoestima.

Resultados mais rápidos

Treinar em dupla traz companheirismo, colaboração, equilíbrio e flexibilidade mental. Todos estes pontos fazem com que o aluno busque pelo seu caminho de forma mais tranquila, sem muitas cobranças, facilitando, assim, a busca pelos objetivos.

Cinco exercícios para as aulas de Pilates em dupla

1. The Hundred

Posição inicial: alunos em decúbito dorsal, um de frente para o outro, com os membros inferiores em cadeirinha e com as solas dos pés encostados.

Execução: os alunos vão se inspirar realizando a flexão do tronco e estendendo as pernas de maneira que os pés fiquem em contato. Realizar os 100 bombeamentos com os membros superiores por 10 ciclos respiratórios.

2. The Roll Up

Posição inicial: os alunos devem estar sentados um de frente para o outro, com membros inferiores estendidos e um pouco afastados. Os pés do aluno 1 estarão tocando o dorso do pé do aluno 2, de maneira que forme uma trava entre os pés. Membros superiores estendidos com flexão de ombro 90º.

Execução: o aluno 1 inspira e expira enrolando a coluna, descendo vértebra por vértebra em direção ao chão enquanto o aluno 2 realiza a flexão de tronco para frente com um “C” da coluna. Aluno 1 inspira e expira realizando a volta com flexão do tronco enrolando a coluna em “C” para frente e quando ele tocar na mão do Aluno 2, é o momento de inverterem os movimentos.

3. The One Leg Stretch

Posição inicial: os alunos devem se posicionar em decúbito dorsal, um de frente para o outro, com os membros inferiores em cadeirinha e as solas dos pés encostados.

Execução: os alunos inspiram flexionando o tronco e segurando um dos joelhos e expiram invertendo os joelhos.

Observação: aluno 1 inicia como joelho direito flexionado e o esquerdo estendido e Aluno 2 inicia com o joelho esquerdo flexionado e o direito estendido.

4. The Double Leg Stretch

Posição inicial: os alunos devem estar em decúbito dorsal, um de frente para o outro, com os membros inferiores em cadeirinha e as solas dos pés encostados.

Execução: o aluno 1 inicia com os joelhos flexionados e o aluno 2 com os joelhos estendidos. Ambos os alunos inspiram flexionando tronco (aluno 1 com mãos nos joelhos e aluno 2 com membros superiores estendidos para cima alinhado com a cabeça) e expiram realizando a troca de movimentos.

5. Spine Twist

Posição inicial: alunos sentados, joelhos flexionados, um de costas para o outro, membros superiores estendidos na linha dos ombros e mãos unidas (os membros superiores em contato de mãos dadas).

Execução: alunos inspiram e expiram realizando a rotação do tronco ambos indo para o mesmo lado e depois invertem em um novo ciclo respiratório.

Conclusão

Um dos fatores que faz com que o aluno retorne ou abandone as aulas de Pilates é a motivação. Estar em um ambiente acolhedor e que gera interação com os outros alunos e também com o instrutor é fundamental para sua fidelização. Quando o aluno sente que não faz parte daquele círculo ele acaba abandonando as aulas.

Por outro lado, se ele estiver conectado com os colegas e com o ambiente, ele se empenhará mais no Pilates e faltará menos.

Portanto, o instrutor é a peça fundamental para criar esta conexão: estar atento aos sinais e comportamentos de cada aluno e saber agir na hora certa trará mais motivação, energia e um ambiente harmonioso para todos.