Posted in:

Dicas para aulas com portadores de hérnia discal lombar

Apesar de não haver muitos estudos científicos em relação ao Pilates como forma de tratamento para hérnia discal lombar, na prática sabemos que apresenta resultados positivos.

Assim que o paciente sai da fase aguda da hérnia, os médicos indicam o método como forma de tratamento conservador e também no pós-operatório quando a cirurgia é indicada.

Nesse texto vamos falar sobre como você instrutor pode começar as aulas de Pilates especialmente para esse paciente portador de hérnia discal lombar. Continue lendo!

Sobre a hérnia discal lombar

hernia-discal-lombar-7

Segundo dados da OMS (Organização Mundial da Saúde), cerca de 90% da população sofre, sofreu ou sofrerá de problemas da coluna. E em 90% dos casos são de hérnia de disco.

Cerca de 5,4 milhões de brasileiros sofrem de hérnia, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Com isso, cada vez mais os portadores de hérnia discal lombar estão presentes nos Studio de Pilates.

A hérnia discal lombar é a passagem parcial ou total, de um órgão ou formação anatômica, através de um orifício patológico, fora de sua localização normal.

hérnia discal lombar 1

Estudos recentes demonstraram que, a partir dos 25 anos, as fibras do anel fibroso começam a degenerar, podendo produzir rachaduras em suas diferentes camadas. Assim, sob uma pressão axial, o núcleo poderia passar através das fibras do anel.

E geralmente estão ligados aos fatores de risco, causas ambientais, posturais, desequilíbrios musculares e possivelmente, a influência genética. Fatores de risco ambiental têm sido sugeridos, tais como hábitos de carregar peso, dirigir e fumar, além do processo natural de envelhecimento.

Tipos de hérnia

hernia-discal-lombar-03

A hérnia de discal lombar é considerada uma patologia extremamente comum, que causa séria inabilidade em seus portadores. Estima-se que 2 a 3% da população sejam acometidos desse processo, cuja prevalência é de 4,8% em homens e 2,5% em mulheres, acima de 35 anos.

Em 76% dos casos há antecedente de uma crise lombar, uma década antes. A fuga do núcleo pode ser anterior (mais raros) ou posterior (mais frequentes). Das hérnias discais lombares, 90% estão localizadas em L5-S1 e L4-L5.

Os tipos de hérnia discal lombar mais comuns são as paramedianas e colateral direita ou esquerda.

Abaixo separados todos os tipos de Hérnia:

  • Hérnia de Schmorl (carácter degenerativo);
  • Protusão Discal;
  • Extrusão Discal Contida;
  • Extrusão Discal não Contida;
  • Hérnia Migratória;
  • Hérnia Sequestrada.

A aparição da hérnia só é possível se o disco já estiver com microtraumas repetidos e o anel começar a degenerar. Em geral, a hérnia aparece após um esforço de levantamento de uma carga com o tronco em flexão.

A hérnia se produz em três tempos:

  1. A flexão do tronco para frente projeta o núcleo para trás, através das rachaduras preexistentes.
  2. No inicio do esforço de levantamento, o aumento da pressão axial achata o disco e desloca a substancia do núcleo violentamente para trás, alcançando o ligamento comum posterior.
  3. No último momento, quando a retificação do tronco esta praticamente finalizada, ocorre o fechamento da rachadura por onde passou a hérnia. Pela pressão dos platôs vertebrais a massa constituída pela hérnia fica bloqueada debaixo do ligamento comum posterior, causando intensa dor lombar.

Quando a hérnia discal lombar alcança à face próxima do ligamento longitudinal posterior as fibras nervosas entram em tensão, podendo produzir dores e radiculoalgias.

Ciatalgia

hernia-discal-lombar-04

O nervo ciático ou nervo isquiático é o principal nervo dos membros inferiores. Nervo que se origina nas regiões lombar e sacral da medula espinhal (entre L4 e S3) e fornece inervação motora e sensitiva para a extremidade inferior.

A dor causada por compressão ou irritação do nervo ciático por causa de um problema nas costas é chamada de ciatalgia. As causas mais comuns incluem os problemas na região lombar: hérnia de disco, doença discal degenerativa, estenose espinhal e espondilolistese.

Nas lesões mais severas e graves, os pacientes poderão apresentar quadros de fraqueza muscular em uma das pernas ou nas duas, e a falta de força poderá mudar o padrão da caminhada.

Nesses casos o paciente não consegue ficar de ponta de pé sobre a perna afetada ou dar passos usando apenas os calcanhares.

Como o Pilates pode ajudar?

hernia-discal-lombar-06

O que devemos fazer em cada fase da patologia? Quando devemos alongar a musculatura posterior e quando não devemos? Quando devemos iniciar exercícios mais complexos e/ou desafiadores?

Primeiramente devemos saber quando ou não alongar. O alongamento para dor ciática pode ser benéfico em uma crise em casos de Síndrome do Piriforme onde a dor é causada pela compressão do pela tensão ou contratura do músculo Piriforme.

hérnia discal lombar 2

Em casos onde a ciatalgia é causada por uma hérnia discal lombar a dor é multifatorial: envolve estímulo mecânico das terminações nervosas da porção externa do ângulo fibroso, compressão direta da raiz nervosa e uma série de fenômenos inflamatórios induzidos pelo núcleo extruso.

Com esse quadro se o aluno estiver em crise de dor, o alongamento da musculatura posterior pode exacerbar a dor.

hérnia discal lombar 3

Fora do período da crise, devemos sim trabalhar o alongamento da musculatura posterior, tomando sempre o cuidado, principalmente no início em manter a coluna mais estável possível. Um dos exercícios que indico nessa fase é o Tower no Cadillac.

Como iniciar a sua aula de Pilates

respiração-no-pilates-05

Sabemos que a ativação correta do Power House apresenta sucesso na diminuição das dores lombares causadas por hérnia discal. Mas como iniciamos as aulas? Quais exercícios?

Costumo trabalhar com esses alunos seguindo as etapas da estabilização segmentar vertebral, dentro dos exercícios de Pilates. É dividida em três estágios: cognitivo, associativo e o automático.

  1. Cognitivo: educar a maneira correta da contração da musculatura estabilizadora.
  2. Associativo: o objetivo é manter a contração destes músculos ao mesmo tempo em que são realizados movimentos dos membros e do tronco. Nesta fase inicia-se o treino de AVD`s.
  3. Automático: realização de exercícios que proporcionem desafios e gestos esportivos, realizados com cuidado para assegurar que não haja compensação.

Um exemplo de exercício para o estágio cognitivo é o Breathing para Ensinar e treinar com o aluno a respiração do Pilates.

hérnia discal lombar 4

1- Em decúbito dorsal no mat, mãos apoiadas na altura das costelas.

2-Inspire, deixando as mãos acompanhar a respiração e a movimentação da caixa torácica.

3-Expire e vá abaixando as costelas e contraindo o abdômen.

Um exemplo de exercício associativo é o Supine fêmur circles and arcs.

hérnia discal lombar 5

1-Manter os joelhos flexionados, pés apoiados no chão e tirar uma perna de cada vez na expiração.

2- Tirar uma perna por vez, mantendo as duas lá em cima e descendo uma de cada vez.

3-Tire as duas pernas do chão na expiração.

Podemos realizar esse exercício primeiro sem o rolo, com o aluno deitado diretamente no mat e evoluir posicionando o aluno no rolo, estimulando o alinhamento vertebral e estimulando ainda mais a contração do Power House.

 

Um exemplo de exercício para o estágio associativo é o Side Splits, exercício bem conhecido realizado no Reformer.

É importante entendermos que mesmo com hérnia, o aluno deve realizar exercícios em todas as posições para que ele leve isso para suas AVD’s. Ele deve aprender a acionar o Power house em todas as posições.

Objetivos: Alongar e fortalecer os músculos adutores do quadril e ou fortalecer os músculos abdutores do quadril.

Instruções:

1- Em pé, lateralmente, com um pé na plataforma e o outro sobre o carrinho.

2- Empurre o carrinho para o lado com os dois joelhos estendidos.

3- Retorne á posição inicial.

Concluindo…

Método Pilates e o Sistema de Bombas

O mais importante dessas dicas é que você instrutor saiba qual o exercício e quando evoluir. Em eventuais crises os exercícios devem ser ajustados ou até suspensos até a melhora do quadro.

Devemos sempre incluir exercícios corretivos para os padrões de movimentos funcionais e treino de AVD’s para proporcionar ao aluno qualidade de vida e um bom prognóstico para a patologia.

E você tem alguma dica para acrescentar? Conta para gente!

5 Comentários

Deixe um Comentário
  1. Muito valioso os temas de vcs, sempre que tenho dúvidas, ou quero novidades procuro por vcs…
    Fiz o curso na metalife, e depois o suspenso na Voll, muito bom.
    Obrigada, por nós manter atualizados.
    NEIDE BAIOCO

  2. Parabéns pela matéria. A occorência da hérnia discal é cada dia mais frequente e essa materia é bastante esclarecedora. Adorei.

  3. Sinto dores na coluna, acredito ser proveniente das corridas que faço, estou comendo de ser hérnia de disco, que tipo de exame pode constatar?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *