Posted in:

Treinamento Funcional na Fisioterapia: Como utilizar corretamente?

Se você é Fisioterapeuta e ainda não trabalha com treinamento funcional, ai vão algumas dicas de como este método pode auxiliar nos seus atendimentos. Sabia que é possível utilizar o Treinamento Funcional na Fisioterapia? Que tal conferir algumas dicas de como utilizar o TF corretamente?

Mas, primeiro, preciso te fazer uma pegunta: você sabe o que é este método? 🤔

Bases do Treinamento Funcional

O Treinamento Funcional é um método de exercícios que visa o trabalho de todo o corpo, envolvendo exercícios de:

  • Mobilidade;
  • Estabilidade;
  • Força;
  • Resistência Muscular;
  • Potência Muscular;
  • Equilíbrio;
  • Coordenação;
  • Agilidade;
  • Condicionamento Físico.

Ah então o treinamento funcional ajuda no emagrecimento né?

Sim! O Treinamento Funcional pode ajudar no emagrecimento dependo do programa de exercícios utilizado e da forma que será aplicada.

Mas antes de mais nada vamos lembrar que o foco do Treinamento Funcional na Fisioterapia será a reabilitação, prevenção de lesões e promoção da saúde, certo?

Certamente muitos podem acreditar que este método não é destinado a Fisioterapeutas não é mesmo!? Mas vamos lá, vou te explicar tudo certinho sobre isso!

Reabilitação Funcional

O principal objeto de trabalho do fisioterapeuta sempre foi restaurar a função de seu paciente. Para isso treinamos a função daquela articulação, membro ou músculo lesado.

Logo realizamos Treinamento Funcional na Fisioterapia com o paciente. Estando esta técnica presente na prática da fisioterapia desde o início.

Para isso utiliza-se exercícios de mobilidade, estabilidade, força, resistência muscular, potência muscular, equilíbrio, coordenação e agilidade.

Órgãos e Sistemas

Antes de tratar lesões musculoesqueléticas somente, não devemos esquecer que nosso corpo também possui órgãos e sistemas que estarão envolvidos nos exercícios do Treinamento Funcional na Fisioterapia.

Logo, devemos nos atentar aos sistemas:

  1. Cardiovascular;
  2. Respiratório;
  3. Digestório;
  4. Endócrino;
  5. Imunológico;
  6. Linfático;
  7. Nervoso;
  8. Sensorial.

De acordo com o tipo de exercício a ser trabalhado no Treinamento Funcional na Fisioterapia – por exemplo, exercícios de força e condicionamento físico -, terão influência na circulação e oxigenação sanguínea, pressão arterial e frequência cardíaca.

Isso faz com que o sistema cardiovascular trabalhe de acordo com o estímulo gerado pelo exercício.

Sabemos que o exercício é um stress ao nosso corpo não é mesmo!? Mas isso não é algo ruim! Ser um stress ao nosso corpo quer dizer, de forma sucinta, que nosso corpo está saindo da zona de conforto.

Logo, diversos mediadores químicos serão liberados a fim de manter o funcionamento do corpo.

A frequência cardíaca irá aumentar a fim de ejetar mais sangue e manter o aporte sanguíneo necessário para o funcionamento de todos os órgãos. Sendo que o maior aporte sanguíneo será destinado aos músculos envolvidos no exercício.

Papel dos Sistemas durante o Funcional

A pressão arterial irá elevar devido ao aumento da pressão do vaso causada pela vasoconstrição gerada inicialmente pelo exercício, seguida da vasodilatação e consequente diminuição da pressão arterial.

Ou seja, em questão de aproximadamente 1 minuto a pressão arterial deve elevar rapidamente e baixar. Este seria o processo fisiológico natural da pressão arterial.

De outra forma, este processo pode ser diferente para indivíduos hipertensos que fazem uso de medicações como betabloqueadores que irão retardar a frequência cardíaca. Portanto, fique atento na dose e intensidade do exercício para este público.

Sistema Respiratório

No que compete ao sistema respiratório, este irá manter a oxigenação sanguínea para todo o corpo, permitindo boa ventilação, perfusão e eficiente mecânica respiratória.

Sistema Digestório

Já o sistema digestório estará envolvido no pré e pós exercício sendo importante nutrir seu corpo com alimentos de qualidade que irão proporcionar energia. Para isso se alimente com algumas horas ou minutos antes, para que possa ter tempo de digerir o alimento.

Já que que outros órgãos e sistemas como o sistema musculoesquelético, sistema cardiovascular e sistema respiratório estarão recebendo maior aporte sanguíneo, o sistema digestório ficará em segundo plano no momento do exercício, podendo gerar descontos estomacais.

Sistema Endócrino

Assim como, no que compete ao sistema endócrino, ele será responsável por excretar hormônios que terão influência no bem-estar físico e emocional como: adrenalina e noradrenalina (aumenta o fluxo cardíaco e acelera a queima de gordura), endorfina (aumenta a disposição e sensação de prazer), insulina e glucagon (regula os níveis de glicose).

Sistema Imunológico

Já o sistema imunológico irá influenciar no aumento de linfócitos gerado pelo exercício, onde são responsáveis por destruir células tumorais e infectadas por vírus.

Além disso, a regulação dos níveis de cortisol (hormônio do stress e controle de inflamação no organismo), também serão estimuladas pelo exercício moderado fazendo com que capacidade imunológica esteja aumentada.

Sendo que exercícios de alta intensidade podem afetar o sistema imunológico devido o alto stress.

Sistema Linfático

O sistema linfático irá trabalhar em conjunto com o sistema cardiovascular e sistema musculoesquelético que realizará bombeamento muscular fazendo com que a circulação sanguínea e linfática aumentem.

Sistema Nervoso

O exercício físico irá estimular o Sistema Nervoso aumentando a atividade neural devido o estímulo gerado pelo aprendizado motor, coordenação, atenção e concentração aprimorando o controle neuromuscular.

Sistema Sensorial

O estímulo visual, tátil e auditivo irão estimular o Sistema Sensorial aumentando a percepção sensorial.

Níveis de Atividade no Treinamento Funcional na Fisioterapia

Atividade Dinâmica

O Treinamento Funcional é uma ótima opção para quem prefere atividades mais dinâmicas que envolvem foco na tarefa ao invés de ter apenas foco na execução do exercício.

Atividade Personalizada

Quando utilizamos deste método de exercícios visando a reabilitação, prevenção ou promoção da saúde o trabalho deve ser realizado de acordo com a necessidade individual de cada paciente.

Portanto, sua rotina de atividades diárias, atividades esportivas ou lesões e patologias devem ser levadas em consideração.

Atividade Completa

Este método é considerado um programa completo de exercícios que envolve o trabalho de todo o corpo, desenvolvendo todas a habilidades físicas necessárias, realizando trabalho articular e muscular além de promover melhora do condicionamento físico, bem-estar, reabilitação e prevenção de lesões, promoção da saúde e qualidade de vida.

Concluindo…

Então, se você é Fisioterapeuta e ainda não trabalha com Treinamento Funcional na Fisioterapia esta pode ser a hora de acrescentar mais uma ferramenta de trabalho.

Depois disso é só colocar o método em ação e praticar também!!!

Written by Andréia Souza

Andréia Souza

Fisioterapeuta. Pós-Graduada em Fisiologia do Exercício. Formação em Pilates, Estabilização Clinico Funcional, Treinamento Funcional, Suspensus, Treinadora Grupo VOLL ministra cursos Espaço Vida Pilates e Pilates Avançado. Florianópolis/ SC. Brasil.

11 posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *