Posted in:

A rotação correta da coluna vertebral

coluna-vertebral-1

Em nosso último post no Blog Pilates, falamos resumidamente sobre a importância da rotação da coluna vertebral para atletas. No entanto, essa rotação correta da coluna não é importante somente para essa categoria e sim para todos, já que não podemos praticar as atividades diárias, nem se mover corretamente sem essa rotação.

Por esse motivo, nesse texto vamos explicar tudo que se acontece quando há um desgaste da nossa coluna vertebral que chega a nos prejudicar na rotina diária. Além disso vamos explicar como os princípios método Pilates pode contribuir para que isso tenha um impacto menor no corpo.

A biomecânica da coluna

coluna-vertebral-3

Há milhões de anos atrás, o ser humano evoluiu de quadrúpede para bípede (de mover-se de quatro para em pé sobre duas pernas). Os nossos ossos e articulações evoluíram para podermos ficar de pé e mover-se sobre duas pernas, libertando os nossos braços e mãos para fazer o que precisamos.

Sendo assim, as rotações do corpo foram uma das evoluções do nosso corpo concebido para podermos ficar de pé, mover e ter equilíbrio.

Movimentos diários regulares, como por exemplo: girar a coluna vertebral, quadris, ombros e tórax simultaneamente ou as rotações em uma parte do corpo, afetam diretamente os outros. Por exemplo, quando nós caminhamos, a pelve, a coluna, o tórax, os ombros e os braços criam rotações.

Porém o foco deste artigo é a rotação da coluna vertebral. Então, se nós tomamos um passo instantâneo em frente, você verá que uma coluna saudável se rotacional em várias direções. Com a perna direita para a frente e sua perna esquerda para trás ou com o calcanhar levantado e a bola do pé, prestes ser lançada. A coluna lombar faz a rotação para a esquerda, a coluna vertebral torácica para a direita e a coluna cervical para trás para a esquerda.

Essas rotações na coluna vertebral são importantes, pois elas criam estabilidade e o padrão de movimento eficiente mais para o corpo a mover-se para a frente.

Como acontece o desgaste da coluna vertebral

coluna-vertebral-4

A medida que nos movemos, a gravidade comprime nossa coluna ano após ano e o que acontece é que os nossos discos entre as vértebras, que funcionam como amortecedores, secam e desgastam-se.

No momento em que nascemos, os discos entre as vértebras consistem em água, cerca de 80%. Uma vez que os discos não têm qualquer fonte de sangue, a compressão e descompressão dos mesmos, através do movimento, é o que ajuda a os manter hidratados.

A teoria é que, especialmente durante a rotação, o corpo aperta o fluido obsoleto dos discos, como espremer um pano e quando você destorcer, os discos são inundados com fluido fresco de tecidos próximos.

Quando somente um disco é comprimido de um modo, por exemplo sentado por longos períodos de tempo, a compressão no disco é sempre a mesma.

Sem descompressão do disco não há como hidratar adequadamente e com o tempo o disco vai ser menos flexível. Isso faz com que o disco seja exposto a uma lesão, principalmente durante um movimento repentino.

A anatomia da coluna vertebral

coluna-vertebral-2

Quando se trata de coluna vertebral, nem todas as partes da coluna são iguais, pois as diferentes partes da coluna, têm diferentes funções principais. A função de cada parte depende da forma e das “características especiais” das vértebras em especifica parte da coluna vertebral.

Quando se trata de a capacidade de girar, as vértebras acima da coluna vertebral podem girar mais do que os que estão na parte inferior. As vértebras na coluna lombar só podem girar cerca de 2° graus por conjunta, adicionando-se a cerca de 12° graus no total.

Isso acontece por causa da forma das articulações (côncavas e convexas, respectivamente) e os processos espinhosos que são relativamente maiores, projeto quase em linha reta.

A posição e a forma das articulações junto com as do processo espinhoso faz com que as vértebras “bloquem” um no outro quando você gira.

As vértebras na coluna vertebral torácica, embora estejam ligadas nas costelas, rodam mais. Principalmente devido à diferença na forma e posição das articulações, facetas em comparação com as facetas das articulações da coluna lombar. As vértebras da coluna cervical são especificamente projetadas para a mobilidade e para criar mais rotação.

Além das diferenças nas vértebras, o centro de rotação é diferente entre a coluna lombar e torácica. O centro de rotação na coluna lombar é mais posterior (costas da coluna) e para as articulações.

O centro de rotação da coluna vertebral torácica está no corpo da vértebra. Quando o centro de rotação está no centro das vértebras (como na coluna vertebral torácica) o disco roda em torno de si.

Para facilitar isso e entender o lugar, pegue um prato de papel sobre uma mesa e coloque uma caneta no meio da placa. Mantenha a caneta e gire a placa de volta. Você vai reparar que a placa irá girar “em torno de si”. Isto é o que acontece na coluna torácica.

Na coluna lombar o centro de rotação não é no centro da vértebra, por conseguinte, o movimento vértebras e o disco durante a rotação e, por conseguinte, a quantidade de rotação é limitado.

Para visualizar o local, peguem uma caneta e posicione sobre uma aresta da placa e gire a placa. A placa não vai mais rodar “em torno de si”, mas irá se mover para a direita ou esquerda. Isto é o que acontece na coluna lombar.

Tal como as vértebras e os discos mover durante a rotação, que se parado por as vértebras que estão ligados a esta e os impede de rodar demasiado. A grande coisa sobre a coluna vertebral é que todo o trabalho vértebras em conjunto para criar rotação.

Rotação constrói-se a partir da base da coluna, uma vértebra de cada vez. Pense nisso como subir uma escada em espiral, que com cada passo que você gire um pouco mais, de modo que cada vértebras participa na rotação.

Trabalhando a rotação da coluna vertebral no Pilates

coluna-vertebral-5

Muitas pessoas, incluindo atletas, são muito apertados em sua coluna torácica e não podem girar ou controlar a rotação nesta área. O resultado é que as outras partes da coluna, a maior parte do tempo a coluna vertebral lombar, para compensar.

Como descrevemos, a coluna lombar tem capacidades limitadas de rotação e, portanto, não é surpreendente que muitas pessoas machuquem sua parte inferior das costas quando praticam esportes no fim de semana ou peguem seus filhos ou principalmente fazendo um movimento brusco.

Durante nossos exercícios de Pilates podemos praticar a mecânica adequada de rotação, de modo que podemos comprimir e descomprimir os discos corretamente e criar um alinhamento adequado da coluna vertebral durante a rotação para facilitar a mobilidade e estabilidade global.

Desenvolver a prática consciente da ação dentro do ambiente de aula é essencial para seu aluno, ou seja, bem distribuí-la ao longo de toda a coluna vertebral, respeitando suas diferentes zonas.

É importante que o instrutor durante as aulas de Pilates desenvolvam com os seus alunos a prática consciente da ação. Ou seja, distribua esses movimentos ao longo de toda a coluna vertebral, respeitando suas diferentes zonas.

Conclusão

coluna-vertebral-6

Depois de todas essas técnicas, fica com você agora criar um treinamento para melhorar essa rotação, que é muito importante seja qual for o físico do seu aluno. Poder criar um condicionamento para a coluna vertebral de seu aluno é essencial para que ele continue praticando suas atividades diárias, sem nenhum problema.

E você tem dicas de exercícios para a coluna vertebral? Conta para gente!

Written by Michael Fritzke e Ton Voogt

Michael Fritzke e Ton Voogt

Michael e Ton são Mestres Professores de Pilates internacionalmente reconhecidos; apresentadores, educadores, consultores e inovadores. Juntos, eles desenvolveram e criaram o revolucionário TRIADBALL ™ (a primeira bola de seu tamanho criado especificamente para o método Pilates). Para mais informações sobre Michael e Ton e próximos eventos visite www.zenirgy.com

8 posts

1 Comentário

Deixe um Comentário
  1. Gosteis muito do texto! Essa semana nosso tema de trabalho é rotações da coluna e o artigo será muito útil! Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *