Posted in:

Tudo que você precisa saber sobre Pilates para Atletas!

Tudo que você precisa saber sobre Pilates para Atletas!
5 (100%) 2 votes

Historicamente, o Pilates foi utilizado na reabilitação de soldados de guerra. Claro que para este caso foi usado como tratamento, mas, visto que estas pessoas desenvolviam um condicionamento físico diferenciado para suportar a rotina de guerra, já iniciava aí uma pincelada da influência do Método para pessoas com condicionamento físico mais desenvolvido.

Joseph Pilates praticou Boxe e Luta Greco-Romana. Essas modalidades tiveram influência na criação do seu método, que, inclusive, era aplicado aos boxeadores já na década de 20. Depois disso, por muito tempo foi desenvolvido, e utilizado, no meio da dança.

Isso pode ser explicado pelo fato dos movimentos realizados nos exercícios terem relação com os movimentos de dança, e pela necessidade dos dançarinos de uniformizar o movimento para melhorar a representação da música. A partir dos anos 80 o método passou a ser introduzido na rotina clínica e no início dos anos 2000 é que foi propagado no meio fitness, chegando aos esportes.

Não é de hoje que sabemos que o Pilates envolve respiração, concentração, controle, ritmo, equilíbrio muscular, além de integração e saúde do corpo como um todo. Os atletas, por sua vez, precisam usar sua energia no momento e intensidade corretos durante a sua atuação, buscando melhor rendimento, resultado e segurança.

Unimos aqui, então, a fome com a vontade de comer, certo? E é justamente por isso que o Pilates pode, sim, trazer benefícios para as pessoas que praticam esportes de alto rendimento. Vamos entender um pouco melhor como isso acontece no Pilates para Atletas!

Importância do Condicionamento Físico do Atleta

O condicionamento físico, e isso vale para qualquer pessoa, diminui a frequência cardíaca em repouso, diminui a pressão arterial, diminui a taxa de gorduras no sangue, aumenta a contratilidade do coração e aumenta a oxigenação muscular.

No caso dos profissionais do esporte, durante a prática esportiva, os atletas executam gestos esportivos, que são realizados repetidamente, ou com forte impacto e explosão, conforme a modalidade esportiva.

Dessa maneira, o condicionamento físico adequado, além de trazer os benefícios fisiológicos básicos, torna-se indispensável para evitar lesões, sejam elas articulares ou musculares. Vamos fazer uma observação aqui: condicionamento físico não é só força.

Estamos falando também de flexibilidade, resistência, coordenação e propriocepção. Todos estes quesitos devem ser desenvolvidos e harmonizados, principalmente quando se trata de atletas de alta performance.

De cara o condicionamento físico é muito importante para prevenir lesões. Abordando a questão mais detalhadamente, um bom condicionamento, além de proporcionar força para executar a atividade, envolve o aprendizado motor para a correta prática esportiva. Em casos de lesão, diminui o tempo de reabilitação e facilita a recuperação do atleta.

De acordo com alguns preparadores físicos, o treino para condicionamento físico precisa incluir aquecimento, alongamentos, exercícios de força e resistência, atividades específicas do esporte, desaceleração e relaxamento para recuperação muscular e articular.

Como um Atleta pode aumentar seu rendimento?

O atleta, independente da modalidade esportiva que atua, precisa se cercar de cuidados e rotinas a fim de melhorar seu rendimento. Engana-se quem pensa que é só treinamento físico, tático, de força e afins…

Hoje, sabe-se que para aumentar seu rendimento, o atleta precisa estar envolvido com uma equipe multidisciplinar, que irá auxiliá-lo para manter plena forma física, e também para intensificar a preparação e os cuidados quando entram os períodos de competições e campeonatos.

Os esportes de alto nível, na maioria das vezes, são decididos por um ponto, por uma falha ou por centésimos de diferença. Quem ganha ou quem perde pode ser definido muito antes do dia D, e exige disciplina e preparação intensa.

O rendimento de cada pessoa é influenciado pelas condutas adotadas em seu treinamento e pode ser melhorado com estratégias combinadas para aumentar performance. Fisicamente, e respeitando as particularidades de cada indivíduo e de cada esporte, o atleta precisa ter força e mobilidade. Precisa ainda treinar habilidades e gestos específicos de cada modalidade.

Mas, além da parte física, precisa desenvolver outros pontos. Entre eles: alimentação, hábitos de vida e psicológico. E é por isso que atuação multiprofissional surge para aumentar o rendimento do atleta.

O nutricionista irá determinar a alimentação adequada, inclusive podendo indicar suplementação quando se fizer necessário. O psicológico pode abordar as questões psicológicas, como controle da ansiedade, autoconfiança, relacionamento com o grupo, com o treinador e com demais membros que compõe sua equipe, além de administração de resultados.

Aqui vale a premissa, mente sã, corpo são! O preparador físico e o fisioterapeuta atuam para o condicionamento muscular e na prevenção de lesões com o Pilates para atletas.

Hoje, muitos clubes, empresários e atletas podem contar com auxílio de cientistas que lançam estudos de análise de performance, que desenvolvem novas tecnologias para especializar o treinamento e melhorar o rendimento.

Contam com a tecnologia para premeditar atuação de adversários, para analisar condições durante a ação esportiva e analisar características biomecânicas que influenciem nas habilidades motoras. Estamos falando de estatística, mecanismos de biofeedback, simuladores em realidade virtual, entre outros recursos adotados pelos pesquisadores envolvidos.

Principais Dicas para o Atleta aumentar o Rendimento

O esporte de alto rendimento é determinado pela constante busca pelo aprimoramento da performance do atleta. Para alcançar esses resultados, é necessário desenvolver um trabalho multiprofissional sobre o esportista, o que irá equilibrar aspectos físicos, táticos, técnicos, emocionais e sociais.

Físico

A força deve estar atrelada ao trabalho de resistência, e complementada pela busca do equilíbrio corporal através do desenvolvimento da mobilidade e do alongamento. O atleta precisará de acompanhamento de preparador físico, médico e fisioterapeuta.

Nesse item falamos também da saúde como um todo, então não podemos esquecer da alimentação. É importante ter uma dieta equilibrada para obter melhora do rendimento em treinos e competições. O acompanhamento com nutricionista torna-se importante nestes casos.

Tática e Técnica

Os gestos esportivos devem ser treinados para desenvolver o grupo muscular que será exigido durante a prática esportiva e evitar lesões. O atleta precisará de acompanhamento de técnico e equipe tática (quando for o caso).

Emocionais e Sociais

A influência psicológica afeta diretamente o atleta. Para estar preparado para competições, para o ritmo de treinos e para as privações que o esporte pode exigir, a atuação do psicólogo e do terapeuta pode ser necessária. Além disso, esses profissionais auxiliam quando o esporte é coletivo e depende de um grupo coeso para atingir resultados.

É possível perceber, a partir dessas dicas, que na realidade o atleta é uma peça da engrenagem que é o esporte. Ele é importante, mas sozinho não irá obter resultados e atingir objetivos. Para tanto, a principal dica, na realidade é cercar-se de bons profissionais que darão a base de sustentação para plena atuação.

Como o Pilates para Atletas pode ajudar no Rendimento

Falando em atletas, pedindo licença para o trocadilho, todos nós estamos craques nos princípios do Pilates. Sendo assim, sabemos que este é um método que pode vir a complementar o trabalho do atleta e, consequentemente, melhorar seu rendimento.

De forma geral, a prática do Pilates para atletas irá atuar na melhora da consciência dos movimentos e da estruturação do corpo – coordenação, equilíbrio, postura, distribuição de força, concentração, respiração. É grande a quantidade de pacientes que praticam atividades na academia, e chegam às nossas sessões de Pilates dizendo:

“Nossa, eu faço musculação há anos, mas eu sinto meu corpo diferente com o Pilates”.

Isso não é diferente no Pilates para atletas, amadores ou profissionais: são estímulos diferentes que o corpo estará recebendo, e que irão melhorar a performance.

Além disso, falando em saúde do atleta, o Pilates tem importante atuação na prevenção de lesões. Na prática do Método o desgaste muscular é menor, diminuindo movimentos compensatórios, sem deixar de trabalhar resistência, o que diminui o risco de lesões. Os exercícios promovem alívio de músculos tensos e corrigem desequilíbrios musculares, imprescindível para evitar lesões.

A musculatura abdominal e lombar (o powerhouse) são solicitadas constantemente durante os exercícios.

Além disso, os mesmos melhoram o alinhamento postural refletindo diretamente sobre a distribuição de carga na coluna, o que previne algias e lesões, principalmente lombares – queixa recorrente em diversas modalidades esportivas.

Outra característica importante é o fato do Método promover melhora da capacidade respiratória; isso influencia positivamente o desempenho do atleta.

Os exercícios solicitados, muitas vezes, podem ser familiares ao atleta, mas a forma de executá-lo através do Pilates para atletas proporciona, dentre outras coisas, a melhora da consciência corporal e isso é levado para os treinos e é introduzido, mesmo que inconscientemente, na prática esportiva do atleta.

Tudo bem. Nesses poucos parágrafos já ficou entendido que o Pilates para atletas é ótimo!. Mas todo e qualquer atleta vai ser beneficiado com a prática do método? Claro!

A partir da nossa criatividade, inclusive, podemos direcionar os exercícios conforme a necessidade de cada esportista, possibilitando o complemento necessário para cada indivíduo e situação.

Imagine um jogador de futebol que melhora a capacidade de drible por estar com a mobilidade mais desenvolvida, um corredor que aumenta a passada durante a corrida porque está com a flexibilidade melhor, um jogador de handebol que tem maior precisão de arremesso porque tem mais controle de cintura escapular, um atleta de hipismo que melhorou o controle sobre o cavalo quando adquiriu mais força de powerhouse. Os resultados podem ser incríveis…

Certamente o treinamento do atleta envolve força, muuuuuita força. E, claro, são desenvolvidos ainda coordenação, resistência e gestos específicos que envolvem a modalidade praticada. Mas então, se tudo isso é trabalhado durante o treinamento, porque é comum vermos atletas se lesionando?

Bom, dentre as particularidades de cada um, a lesão pode ser resultado de algum desequilíbrio, seja ele muscular, articular ou proprioceptivo.

Desta forma, o Pilates para atletas pode melhorar o desempenho, desenvolvendo flexibilidade, amplitude de movimento, propriocepção entre outros quesitos que irão complementar o “físico” do atleta e evitar possíveis lesões.

Como o Pilates trabalha a musculatura de forma global, não existe uma modalidade que se beneficie mais ou menos com o Método. O que é importante ser atentado por nós, instrutores, é utilizar a variedade de exercícios em benefício do atleta, criando uma aula direcionada para a modalidade praticada por cada um. Se isso não acontecer nossos objetivos podem não ser alcançados como almejado.

Então, como já falamos em outros artigos, o que precisamos fazer? Avaliação! É necessário realizar uma avaliação detalhada e traçar os objetivos para conseguirmos utilizar o método a nosso favor do Pilates para atletas!

Relatos de atletas que aderiram à prática de Pilates são unânimes: o Método proporcionou melhora do rendimento geral, e, com suas particularidades, permitiu aperfeiçoar características e qualidades importantes para os treinos e competições.

Nós, instrutores, sabemos que os efeitos do Pilates para atletas são globais, desde ganho de força e resistência, até melhora da coordenação e respiração. Mas a ressalva principal, para os atletas que tem um treino específico de força, é a melhora da flexibilidade e consequente melhora da mobilidade – importante para a execução do gesto esportivo.

E a imagem dos jogadores, que viralizou a partir de uma das edições da Copa do Mundo de Futebol, em que foi mostrada a prática de Pilates durante os treinamentos preparatórios dos jogos? Aqui no Brasil, antes disso, a ideia de introduzir o Método nos treinos dos atletas profissionais não era altamente difundida.

Hoje, o método é adotado por esportistas de diversas modalidades, e os benefícios não são percebidos somente pelos treinadores e preparadores físicos, mas são relatados pelos próprios atletas.

Joseph Pilates já havia anunciado: “Com dez sessões você perceberá a diferença, com vinte sessões outros irão perceber a diferença e com trinta sessões você vai ter um novo corpo”.

Exercícios de Pilates para Atletas

Existe uma grande variedade de exercícios que podem ser aplicados no Pilates para atletas. Como eles tendem a ter um preparo físico diferenciado, quando comparado a pessoas “comuns”, os exercícios podem ser mais desafiadores e podemos, inclusive, associar com outras técnicas de condicionamento muscular, como o treinamento funcional, por exemplo.

Vamos listar algumas sugestões que podem ser incluídas nas sequências da aula de Pilates para Atletas.

  1. EXTENSÃO DA COLUNA NO BOSU

Nível: Intermediário

Objetivos: Fortalecimento de cadeia posterior, mobilidade de membros superiores e inferiores, ativação centro de força.

Acessórios para aumentar dificuldade: Halteres nas mãos e caneleiras de peso nos membros inferiores.

Execução: Em decúbito ventral sobre o Bosu, com membros superiores e inferiores estendidos e apoiados relaxadamente no chão, abdômen contraído e coluna alinhada. Inspirar e, ao expirar, elevar membros superiores e inferiores buscando alinhá-los com o tronco. Inspirar retornando à posição inicial e expirar repetindo o movimento.

Sequencia: 12 repetições.

  1. AGACHAMENTO AFUNDO SOBRE O BOSU

Nível: Avançado

Objetivos: Fortalecimento de membros inferiores, controle do movimento, trabalho de equilíbrio.

Acessório para aumentar dificuldade: Halteres ou anilhas nas mãos

Execução: Vamos precisar de dois Bosus, e eles devem estar com a base convexa no chão. Posicionado em pé, membros inferiores afastados uma à frente do outro, com um pé em cada Bosu, corpo alinhado e abdômen contraído. Inspirar, e ao expirar realizar o afundo até alcançar o alinhamento de membros inferiores.

Sequencia: 12 repetições para cada perna.

  1. V INVERTIDO NA BOLA SUÍÇA

Nível: Intermediário

Objetivos: Fortalecimento de core, de membros superiores, trabalho de mobilidade de quadril e ombros.

Acessório para aumentar dificuldade: Bosu ou Disco de Propriocepção para apoio das mãos.

Execução: Em posição de apoio, mãos apoiadas no chão, cotovelos estendidos, pés apoiados sobre a Bola Suíça, coluna alinhada e abdômen contraído. Inspirar, e ao expirar aumentar o recrutamento do core flexionando e elevando quadril, mantendo cotovelos e joelhos.

Sequencia: 10 repetições.

  1. ARMS PULL NO CADILLAC COM O JUMP

Nivel: Intermediário

Objetivos: Trabalho de consciência corporal, equilíbrio, fortalecimento de membros superiores, fortalecimento do Core.

Acessório para aumentar dificuldade: Caneleira de peso em membros inferiores.

Execução: Em pé sobre o Jump, segurando a alça de mãos com a mão esquerda (mola fixada na haste lateral do Cadillac), pé esquerdo apoiado no Jump enquanto perna direita permanece em extensão e o corpo inclinado um pouco à frente, abdômen contraído. Inspirar, e ao expirar realizar um movimento simultâneo de braço em extensão e perna em flexão alinhando a coluna.

Sequência: 10 repetições para cada lado.

  1. THIGHT STRETCH NO CADILLAC

Nível: Intermediário

Objetivos: Alongamento axial, controle de tronco, fortalecimento do Core.

Acessório para aumentar dificuldade: Disco de propriocepção para apoio dos joelhos.

Execução: De joelhos, segurando barra de respiração na altura dos ombros com os cotovelos estendidos,, abdômen contraído, coluna alinhada. Inspirar e, ao expirar inclinar o corpo para trás, flexionando os joelhos, sem alterar a posição da coluna e da pelve, até o máximo de amplitude que for possível alcançar mantendo powerhouse acionado.

Sequência: 10 repetições.

  1. SWAN DIVE NA WUNDA CHAIR

Nível: Intermediário

Objetivos: Fortalecimento de cadeia posterior, controle postural, estabilidade de cintura escapular.

Acessório para aumentar dificuldade: Bola suíça entre os membros inferiores.

Execução: Em decúbito ventral, ombros alinhados com as mãos sobre o step, membros inferiores suspensos sem apoio e alinhados ao tronco, abdômen contraído. Inspirar, e ao expirar elevar o step do solo levando a coluna em hiperextensão. Inspirar retornando à posição inicial, e ao expirar flexionar os cotovelos e hiperestender o quadril juntamente com a flexão da coluna, estabilizando os ombros. O movimento é similar ao da gangorra.

Sequência: 12 repetições.

  1. TWIST NO REFORMER

Nível: Avançado

Objetivos: Fortalecer membros superiores, fortalecer core, controle de tronco e coordenação, trabalho de mobilidade da coluna.

Execução: Posicionado lateralmente à base móvel do Reformer, pé direito cruzado à frente do esquerdo, ambos apoiados na barra fixa do aparelho; mão direita sobre a ombreira e mão esquerda apoiada no canto homolateral da base móvel;, quadril flexionado. Inspirar, e ao expirar empurrar base móvel baixando estendendo a coluna em busca do alinhamento da coluna e fazendo a rotação do quadril para o lado oposto – o corpo irá “torcer”. Inspirar retomando o alinhamento e expirar retornando à posição inicial.

Sequência: 10 repetições para cada lado.

  1. ABDOMINAL NO LADDER BARREL

Nível: Avançado

Objetivos: Fortalecimento de abdominais e membros inferiores, trabalho de controle e estabilidade de tronco.

Acessório para aumentar dificuldade: Magic Circle entre os tornozelos.

Execução: Em decúbito dorsal sobre o barrel, com apoio de sacro no barril, ombros e cotovelos flexionados e mãos segurando barras do espaldar., Quadril flexionado a 90º com joelhos estendido, abdômen contraído, cintura escapular alinhada. Inspirar, e estender o quadril. Sequência: 12 repetições.

  1. MASSAGEM CURTA DA COLUNA NO REFORMER

Nível: Intermediário

Objetivos: Trabalho da mobilidade articular da coluna, alongamento de cadeia posterior e fortalecimento de abdômen.

Acessório para aumentar dificuldade: Bola Suíça entre membros inferiores.

Execução: Em decúbito dorsal no Reformer, pés nas alças de pés, membros inferiores estendidos, membro superiores no prolongamento, abdômen contraído. Inspirar, e ao expirar flexionar ainda mais o quadril e ir flexionando a coluna lombar até a lombar perder o contato com o aparelho. Inspirar flexionando os joelhos levando-os na direção do peito (sem perder a tensão das cordas) e expirar retornando a posição inicial, controlando o movimento.

Sequência: 10 repetições.

São centenas de exercícios que podem ser desenvolvidos para o trabalho com atletas e, se usarmos nossa criatividade podemos multiplicar a variedade de exercícios. Então mãos à obra, e que venham os campeões!

Concluindo…

Podemos perceber que a gama de exercícios no Pilates para atletas é enorme e sua aplicabilidade irá variar de acordo com as particularidades de cada um e de cada modalidade esportiva praticada.

Mas, independente do esporte o benefício está testado e aprovado.

Através do Método os atletas terão condições de integrar os movimentos corporais, alinhar a postura e favorecer a organização corporal, potencializando o seu desempenho e prevenindo lesões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *