Posted in:

A Importância do Controle do Movimento no Método Pilates

Método Pilates - Capa

Para adquirir um bom desempenho físico necessitamos de tempo e dedicação ao treinamento. Um bom trabalho depende inicialmente de exercícios do método Pilates que visam à adaptação neural com objetivo de aprimorar os movimentos e preparar o aluno para novos desafios.

O controle do movimento é um dos princípios fundamentais do método Pilates, que depende inicialmente do princípio da concentração. Ambos os princípios devem ser trabalhados constantemente para que toda a musculatura participe dos movimentos, sem que haja negligência de nenhum segmento corporal.

Sabemos que todos os princípios do método devem ser executados simultaneamente, o que requer tempo e disciplina por parte do aluno e do professor, tal qual um bailarino, que necessita de tempo, concentração e controle do movimento para executar uma “pirouette” com perfeição.

Controle do Movimento no Método PilatesMétodo Pilates 1

Os aspectos primordiais do método Pilates podem ser resumidos em mover-se com economia de esforço e total controle dos movimentos.

A qualidade do movimento é enfatizada em vez de incentivar a repetição sem sentido. Aumentar o número de repetições para alcançar maior desempenho, sem as devidas correções, pode levar a somatizações de erros.

Para falar do controle do movimento, devemos saber, em primeiro lugar, como o sistema nervoso funciona e como ocorre a integração desse sistema com outros sistemas do corpo humano.

O sistema nervoso é um dos mais complexos sistemas de nosso corpo. Ele forma uma rede vital que permite a comunicação e a coordenação da integração com os demais sistemas, bem como com o mundo exterior.

Essa complexidade depende principalmente de fatores ambientais, ou seja, do estímulo que é recebido no tempo certo, e, também, das variações genéticas.

Entre as variações genéticas encontramos genes que determinam as doenças, assim como genes relacionados à saúde física e cognitiva.

As qualidades físicas são determinantes para a escolha do tipo de atividade física ou exercício físico pelos quais o aluno se sentirá mais atraído e confortável. Essa escolha pode se caracterizar por exercícios predominantemente aeróbios ou anaeróbios.

Em geral, as características individuais, como o biotipo corporal, podem determinar o tipo de fibra muscular dominante, e, assim, o seu tipo de enervação. Como exemplo, podemos observar a diferença do biotipo corporal  de um maratonista e de um velocista.

O Maratonista apresenta o biotipo ectomorfo, ou seja, magro com panturrilhas finas, logo, o velocista é do biótipo mesomorfo, panturrilhas grossas e mais massa muscular. No entanto, essa análise subjetiva pode ser sensível a erros de interpretação.

Para obter uma avaliação mais objetiva e precisa, alguns pesquisadores utilizam uma técnica invasiva, com o uso de uma agulha de biópsia, para obtenção de uma amostra do músculo da perna.

Esse método permite que as fibras musculares sejam estudadas e classificadas através de análises microscópicas e bioquímicas. Atualmente, esse tipo de análise apresenta um custo muito alto, sendo utilizada somente em atletas de elite.

Graças a essas análises, aprendemos que campeões mundiais de maratona possuem de 50% a 99% de fibras de contração lenta em seus músculos gastrocnêmios, enquanto que os velocistas apresentam somente 25% de fibras de contração lenta nesses mesmos músculos.

Tipos de Fibras MuscularesMétodo Pilates 2

Antes de falar dos tipos de fibras musculares, é importante relembrar como o sistema nervoso está organizado, e como essa organização funciona na integração e no controle dos movimentos. Nos artigos anteriores, mencionei os efeitos dos exercícios do método Pilates no sistema autônomo.

Para explicar melhor, vamos colocar esses sistemas em uma ordem hierárquica:

Em primeiro lugar, temos o sistema nervoso central (SNC) – encéfalo e medula espinal; depois, o sistema nervoso periférico (SNP) – nervos sensitivos e motores; logo após, temos duas divisões: a divisão sensitiva – que ache com o SNC informando o que está acontecendo dentro e fora do corpo através do SNP – e a divisão motora, que classificamos como sistema autônomo e somático.

O sistema autônomo é divido em sistema simpático e parassimpático. Esse sistema age independente de nossa vontade, como, por exemplo, nos batimentos cardíacos e nos movimentos peristálticos do intestino.

Estudiosos acreditam que estes sistemas são compostos também por neurônios sensoriais, o que pode explicar a sua regularização através de exercícios que visam à concentração e o controle dos movimentos.

Logo, o sistema somático é composto por neurônios sensoriais e motores que controlam ações motoras voluntárias, como a contração muscular.

Neurociência

Atualmente, a neurociência vem desenvolvendo estudos sobre a neuroplasticidade, ou seja, a capacidade de neurônios cerebrais criarem novas conexões em determinadas regiões do encéfalo através de estímulos externos.

Independentemente da idade ou da integridade neuronal, os exercícios físicos, quando bem orientados, podem estimular a neuroplasticidade, e, com isso, alcançar resultados significativos para uma melhor qualidade de vida e independência funcional de pacientes com problemas neurológicos.

O método Pilates apresenta muitos recursos para o desenvolvimento de um bom trabalho nessa área. Além de ser indicado às pessoas que necessitam aprimorar os movimentos e a coordenação motora, ele é muito importante como trabalho de reabilitação nos casos mais especiais.

Temos, como exemplo, a história emocionante do menino australiano de origem indiana chamado Siva Kalyan.

Siva, ao nascer, havia sofrido paralisia cerebral por hipóxia. No acidente, a região mais afetada do encéfalo foi a região do córtex motor. No entanto, suas funções cognitivas foram preservadas.

Depois de buscas incessantes de tratamentos para os problemas neurológicos de Siva, sua mãe descobre os benefícios do método Pilates através de indicações de parentes próximos.

Por se tratar de um método que apresenta muitos recursos para o desenvolvimento de um bom trabalho às necessidades de Siva, seus pais, então, partem para os Estados Unidos onde vão morar na cidade de Princeton (NJ).   Surge, assim, a esperança de melhorar a qualidade de vida de seu filho através dos exercícios do método Pilates.

Com o tempo, começaram aparecer muitos problemas relacionados ao acidente, como atrofia muscular, lassidão ligamentar (que causava escoliose, hipercifose e rotação da curvatura da coluna vertebral), entre outros.

Além também, de dificuldades respiratórias e luxações crônicas. Antes de se mudarem para os EUA, sua família havia buscado todo o tipo de tratamento sem sucesso, até conhecer o trabalho de Anthony Rabara.

Anthony Rabara  era formado em Dança e trabalhou por muitos anos com Romana Kryzanowska, onde  adquiriu muita experiência para fazer um excelente trabalho de reabilitação com Siva.

Romana KryzanowskaMétodo-Pilates---Romana

Em 2000, Siva estava com nove anos de idade quando iniciou os exercícios do método Pilates com Rabara.

No inicio, ele usava cadeira de rodas e precisava ser segurado por uma cinta que o apoiava para retardar o agravamento de sua escoliose.

Passado cinco anos, Siva apresentava resultados surpreendentes com as sessões de treinamento.

Em 2007, Romana pediu a Rabara que apresentasse os resultados de seu trabalho na Convenção de Pilates na cidade de Las Vegas (EUA). Na convenção, Siva foi levado por seus familiares em sua cadeira de rodas.

Durante todos esses anos de treinamento, o avô de Siva havia filmado muitas sessões. Rabara, então, apresentou ao público presente os vídeos com toda a progressão de seu trabalho. Depois da apresentação, Siva foi ao Cadillac para demonstrar uma série de exercícios intermediários, com algumas modificações e adaptações.

Terminada a demonstração dos exercícios, para a surpresa de todos, Siva pegou suas muletas e começou a caminhar. Foi, então, um momento emocionante para todos que estavam presentes nesse evento.

Concluindo…

Esse estudo de caso, assim como muitos estudos relacionados ao trabalho de reabilitação e aprimoramento do desempenho físico, reforça a importância da dedicação e a credibilidade do método Pilates, principalmente entre profissionais da área da saúde, como fisioterapeutas e educadores físicos.

Sabemos como é importante ter o conhecimento científico e metodológico para um bom desempenho de um trabalho.

Mas, além disso, é fundamental ter a consciência de que o excelente educador é aquele que abraça seu aluno quando todos o rejeitam e o aplaude em suas pequenas conquistas.

Written by Silvana Junges

Silvana Junges

2012 - 2016 Doutora no programa de Pós Graduação em Gerontologia Biomédica
2008 - 2010 Mestre pelo programa de pós Graduação em Medicina e Ciência da Saúde da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.
2001 - 2003 Especialização em Musculação e treinamento de Força pela Universidade Gama Filho RJ
1982 - 1987 Graduação em Educação Física pela Faculdade de Ciências da Saúde do Instituto Porto Alegre da Igreja Metodista.

6 posts

1 Comentário

Deixe um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *