Posted in:

Pilates no tratamento das dores do nervo ciático

nervo-ciático2

Atualmente cerca de 40% da população brasileira é acometida pela dor no nervo ciático. Sendo assim, é muito comum termos alunos ou pacientes nos procurando com essa queixa. Para podermos melhor atender alunos com essa patologia, devemos antes relembrar ou conhecer a localização deste nervo e principalmente como atuar ao depararmos com essa situação.

Muitas vezes chegam ao Studio casos de dores nas pernas e na região lombar e os alunos confundem com a dor ciática.  Normalmente a dor é causada pela inflamação deste nervo que percorre a região glútea e toda extensão posterior das pernas até chegar aos pés. Essa dor geralmente é conseqüência da compressão da raiz do nervo na coluna lombar e menos comum pela compressão do próprio nervo ciático. Esses são uns dos fatores mais comuns da dor, mas podem existir outros como, excesso de peso, má postura, movimentos errados, infecções, tumores entre outros.

O nervo ciático é o tronco nervoso que se encontra localizado na região lombar e emerge através das fibras nervosas entre a quarta e a quinta vértebras lombares (L4 e L5) e a primeira e segunda sacrais (S1 e S2) e saem da pélvis na direção do membro inferior. Ele é o maior nervo do corpo humano em diâmetro e comprimento e qualquer distúrbio ao longo deste percurso pode dar origem a dor ciática.

Os mais comuns são rupturas ou artrites nos discos intervertebrais que ficam entre L4 e L5 e entre L5 e S1, processos que comprimem as raízes emergentes nessas alturas.

Na verdade, tudo o que coloca pressão sobre o nervo ciático ou raiz pode criar a irritação. Isso pode acontecer a partir de um disco vertebral exercendo pressão sobre a raiz nervosa e que se alimentam no nervo ciático criando dor.

Ou por algum problema na incisura ciática, como um acidente, cair sobre as nádegas, ou mesmo por movimentos repetitivos intensos na região lombar podem causar um trauma para o nervo. Essas lesões podem provocar inchaço, além da dor. Um processo inflamatório do músculo piriforme pode também causar pressão no nervo ciático provocando dor.

Outra causa comum é a tensão neural (NT), causada pela restrição à bainha que envolve o nervo. O nervo deve deslizar suavemente através da bainha como um cabo de freio da bicicleta deslizando através do seu invólucro. Mas às vezes o nervo não desliza bem pela bainha e isso pode causar restrição.

Como surge a dor ciática?

nervo-ciático4

A dor é causada por algum tipo de inflamação ou dano ao nervo ciático (que pode ocorrer dentro do canal espinhal ou em algum outro ponto do percurso que o nervo faz), e ainda pela pressão da coluna sobre o nervo. Geralmente, os anéis que circundam os discos se rompem com o aumento de pressão, intensificando as dores nas costas.

Com o rompimento do anel, o núcleo escapa para o interior do canal e comprime o nervo, caracterizando a dor. As causas mais comuns para a compressão do nervo ciático e o conseqüente surgimento de processos dolorosos são: tumores, estenose da coluna lombar, lesões, fraturas por pressão (provocando deslizamento de vértebras), traumas, anomalias congênitas, hérnia de disco, osteoartrite, síndrome do músculo piriforme (um espasmo muscular que comprime o nervo ciático).

Sintomas da dor no nervo ciático

nervo-ciático

Os sintomas que cada pessoa irá apresentar podem ser bem diferentes, mas geralmente a dor ocorre com maior freqüência de um só lado. Como é o caso de dores agudas em, apenas, uma parte da perna ou quadril e dormência em outras partes. Nesse caso, o lado afetado pode parecer mais fraco que o outro.

Os sintomas mais comuns da dor ciática são: perda da sensibilidade ou redução dos reflexos da região atingida; diminuição da força muscular; formigamento ou sensação de queimação; dores irradiando da coluna lombar para a região posterior da coxa ou da perna; aumento de dores depois de ficar em pé ou sentar, ao tossir, espirrar ou rir; intensificação da dor com movimentos de elevação dos membros inferiores, etc.

Em geral, os sintomas podem variar, entretanto, em qualquer caso tende a piorar durante a noite e, comumente, a dor ciática pode estar associada à dor lombar. Os sintomas acometem indistintamente homens e mulheres, podendo aumentar com o envelhecimento, pois conforme a idade avança, as estruturas da coluna vertebral podem sofrer desgastes que acabam comprometendo a medula espinhal bem como as raízes que dão origem aos nervos.

Recente pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta que 90% das queixas das dores no nervo ciátio são motivadas por hérnia de disco. Neste caso, os cuidados são ainda maiores.  Os exercícios não irão incluir flexão desnecessária e, por vezes, extensão.

É fundamental também evitar o uso excessivo das nádegas e do músculo piriforme, assim como o nervo em estiramento. Não há limite para os exercícios pois eles são baseados em se sentir bem. Se você sente dor ciática precisa realizar exercícios do corpo inteiro, porém estes exercícios devem apresentar modificações para que você possa executar o movimento com sucesso e dessa forma, tendo alivio da dor.

No Pilates, o professor irá modificar o exercício e fazer as correções para proporcionar uma experiência bem sucedida de movimento sem dor. É importante também que o aluno entenda que é sua responsabilidade avisar quando sentir um incômodo, e responsabilidade do instrutor alterar o exercício para que ele tenha uma experiência de movimento bem sucedido. Essa fórmula tem sido o melhor para lidar com aqueles que sofrem de dor nas costas ou para dor ciática, qualquer tipo de patologia ou lesão.

O método Pilates apresenta uma variedade de exercícios para aumentar a consciência do centro, aumentar a mobilidade do quadril e tornar os movimentos eficientes, minimizando o recrutamento de algumas musculaturas do corpo o que auxilia no tratamento da dor ciática.

Recomendações preventivas

nervo-ciático3

– Evite realizar movimentos bruscos com a coluna vertebral, pois eles podem favorecer o pinçamento de nervos;

– Sempre flexione os joelhos quando for erguer um peso do chão;

– Dê preferência aos sapatos com saltos mais baixos;

– Procure manter uma boa postura. O hábito de utilizar posturas corretas deve ser desenvolvido, especialmente, quando houver necessidade de permanecer sentado ou em pé durante muito tempo;

– Pratique exercícios físicos que ajudem a fortalecer a musculatura de todo o corpo. O Pilates é uma excelente opção, que promove uma melhora no condicionamento físico e mental com um repertório diversificado de exercícios globais. Através da técnica, que trabalha fluidez, concentração, controle, centro de força, respiração e postura, o praticante consegue aumentar a sua consciência corporal, flexibilidade, equilíbrio e força muscular.

Written by Paulo Márcio Fucci

Paulo Márcio Fucci

Formação- Educação Física UFPR. Pós-Graduado em Massoterapia Sócio-proprietário do Líder Studio Pilates.
Curso de Mat Pilates Phisycalmind Institute. Pilates de Aparelhos. Metacorpus. Espaço Vida Pilates. Pilates na Gestação – Silvia Gomes e VOLL. Pilates Avançado VOLL. Treinamento Funcional Aplicado ao Pilates –VOLL. Entre outros Contato – odepm@hotmail.com Facebook: Paulo Márcio Fucci Pilates

17 posts

2 Comentários

Deixe um Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *